Tratoraço: Aluísio Mendes citado em escândalo do governo Bolsonaro

Aluísio Mendes

Matéria do Estadão revelou que sob a guarda do presidente Jair Bolsonaro, nove parlamentares detêm “feudos” na Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf).

Aliados do Palácio do Planalto, esses deputados e senadores são padrinhos dos nomes responsáveis por executar o orçamento da estatal, elevado a R$ 2,73 bilhões neste ano, com as emendas no Congresso.

O clube dos mandachuvas tem ingerência sobre os superintendentes regionais e diretores da Codevasf, que decidem a realização de obras e a doação de máquinas para redutos eleitorais. A influência política, demonstrada a cada entrega feita pela estatal, alimenta os planos eleitorais dos parlamentares, e também de seus apadrinhados, muitos deles envolvidos em denúncias de corrupção.

Os congressistas tiveram o aval do Ministério do Desenvolvimento Regional e da Secretaria de Governo da Presidência para indicar um total de R$ 459 milhões em repasses à Codevasf em dezembro do ano passado. A soma faz parte do pacote de R$ 3 bilhões que o governo distribuiu para atender deputados e senadores. A negociação do Planalto ocorreu sob a promessa de apoio para eleger Arthur Lira (Progressistas-AL) à presidência da Câmara e Rodrigo Pacheco (DEM-MG) ao comando do Senado, em fevereiro deste ano, como revelou o Estadão.

De acordo com o jornal, dois maranhenses figuram na lista. O deputado Hildo Rocha (MDB-MA), único integrante do clube que se colocou contra a eleição de Lira à presidência da Câmara, amargou a demissão de seu indicado, Jones Braga, da 8ª Superintendência Regional, em São Luís. Rocha apoiou Baleia Rossi (MDB-SP), que perdeu a disputa.

A retaliação não tardou. Celso Dias, afilhado político do líder do PSC na Câmara, Aluísio Mendes (MA), entrou no lugar do apadrinhado de Rocha. O Estadão apurou que a troca contou com o apoio de Lira.

‘Mandachuvas’

Os parlamentares e seus indicados para ocupar as superintendências da Codevasf.

Montes Claros (MG)

Carlos Viana (PSD), senador

Indicado: Marco Antônio Graça Câmara

Bom Jesus da Lapa (BA)

Arthur Oliveira Maia (DEM), deputado

Indicado: Harley Xavier Nascimento

Petrolina (PE)

Fernando Bezerra Coelho (MDB), senador

Indicado: Aurivalter Cordeiro

Penedo (AL)

Arthur Lira (Progressistas), deputado

Indicado: Joãozinho Pereira

Juazeiro (BA)

Elmar Nascimento (DEM), deputado

Indicado: José Anselmo Moreira Bispo

Teresina (PI)

Ciro Nogueira (Progressistas), senador

Indicado: Inaldo Pereira Guerra Neto

São Luís (MA)

Aluísio Mendes (PSC), deputado

Indicado: Celso Dias

Palmas (TO)*

Eduardo Gomes (MDB), senador

Macapá (AP)*

Davi Alcolumbre (DEM), senador

*SUPERINTENDÊNCIAS A SEREM CRIADAS

Policiais femininas têm sofrido com assédio sexual e violência psicológica dentro de suas corporações

Em 2° de maio, policiais militares locados na cidade de Timon, debatiam sobre o evento ocorrido na noite anterior (01), Dia do Trabalhador, em uma espécie de reunião (preleção) que antecedeu o início do serviço noturno, quando o Comandante do 11º BPM teria praticado violência psicológica contra uma servidora policial militar, praça, sua subordinada.

O oficial em questão teria se referido a eventos privados e de cunho sexual, vividos pela policial no passado, isso tudo diante de vários colegas PM’s do sexo masculino e onde ela era a única mulher.

Acontece que a policial em questão já tinha registrado um Boletim de Ocorrência, em uma Delegacia de Polícia, levando ao conhecimento do Tenente Coronel, Comandante do 11º BPM em Timon, um caso de assédio e perseguição sexual perpetrado contra si por suposto capitão de polícia da unidade.

De maneira inexperiente, a policial narrou ao Coronel que, o Capitão de iniciais SN, a teria convidado a integrar o grupo Força Tática do 11º, e que para isso, bastava que ela lhe retribuísse sexualmente. Que mesmo se recusando, incorporou a Força Tática, por algum tempo. Mas que o capitão SN continuou insistindo e cobrando-lhe “a dívida”.

Após recusar todas as investidas do capitão, passou a sofrer perseguição e, em seguida, foi retirada da Força Tática. Ela narrou, tudo isso ao seu comandante, de quem esperava proteção, que estava sendo perseguida e se sentia no limite, à beira de um ataque de nervos. O Coronel, além de não tomar a atitude que lhe cabia por força de lei, ainda tentou desestabilizá-la.

De acordo com informações, o Coronel em questão acabou de ser exonerado do comando do 11º BPM, mas o capitão SN continua sem um tipo de punição.

O que tem se visto dentro da Polícia Militar Maranhão é que o ambiente tem se tornado hostil para as mulheres policiais, em que o assédio e a cobiça sexuais são a regra. E isso vem de todos os lados e direções, por quem comanda, dá para se imaginar o jogo de cintura a que elas estão submetidas.

De acordo com informações, a policial em questão, de tão perturbada e desestabilizada que ficou, perdeu completamente a capacidade para continuar no serviço precisando buscar atendimento médico numa unidade de saúde. Ou seja, o comentário feito pelo oficial atuou como um gatilho psicológico, capaz de fazer a policial voltar no tempo e reviver todo o sofrimento, toda angústia, os meses de depressão e dor causados por aquele evento.

É importante deixar claro que a sexualidade de uma pessoa pertence apenas a ela. Ninguém tem o direito de invadir essa intimidade. A ninguém é dada a liberdade de, sequer, julgar o que uma mulher faz na sua intimidade. Querer julgar, opinar, questionar ou apontar a sexualidade de alguém é invadir a sua liberdade. Ninguém deve ser julgado pela maneira que trata a própria sexualidade.

À todas as mulheres: não aceitem nenhuma forma de assédio. Não aceitem as gracinhas, as piadinhas, os convites para sair, disfarçados de brincadeirinhas, as invasões das suas privacidades carregadas de machismo e sexismo, não aceitem o abuso e as tentativas de lhes diminuírem.

Há lei nesse país! Façam uso dela! Denunciem! O objetivo da lei é trazer proteção para mulher vítima de violência de gênero, diante de violação da sua intimidade (violência psicológica).

Reunião reafirmou pré-candidatura de Josimar e preferência de Dino por Brandão

O deputado federal Josimar Maranhãozinho (PL) esteve no Palácio dos Leões, a convite do vice-governador Carlos Brandão (PSDB), para se reunir com o governador Flávio Dino (PCdoB) e o chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares (PSB). Quem participou da reunião também foi o ex-deputado federal Júnior Marreca, representando o conglomerado de partidos capitaneados por Josimar no Maranhão.

A reunião não significou uma desistência da candidatura de Josimar para embarcar no projeto de reeleger Carlos Brandão (PSDB) governador. “Eu afirmei que sou candidato ao governo do Maranhão”, disse Josimar em conversa com o titular do blog do Werbeth Saraiva. Josimar disse que a reunião serviu para reaproximar os partidos PL, Patriota e Avante do Governo do Maranhão. “Reunião serviu para um diálogo entre partidos da base do governo, Patriota, Avante e PL. E também como o governo pode ajudar nossos aliados”, disse Josimar que elegeu mais de 40 prefeitos nas últimas eleições.

Interessante foi o que foi revelado por Josimar. De que Flávio Dino, apesar de incentivar candidaturas – neste momento – da base aliada, tem dito que o seu candidato ao governo é o seu vice-governador, Carlos Brandão. É uma forma de continuidade das ações do seu governo. “Ele [Flávio Dino] disse que no momento todos têm o direito de se lançar, mas pra ele [Dino], de fato, quem vai ser governador é Brandão”, declarou Josimar ao blog.

Professor é preso acusado de abusar sexualmente de pelo menos cinco crianças

Um professor muito conhecido no município de Carutapera foi preso pela Polícia Civil, após cumprimento de um mandado de prisão preventiva por ser suspeito de abusar sexualmente de pelo menos cinco crianças na cidade.

De acordo com informações, consta pelo menos na delegacia do município, dois inquéritos policiais que apuram denúncias de abuso sexual cometido pelo professor.

Na última segunda-feira (26), a Polícia Civil recebeu denúncia de uma vítima do investigado preso, uma adolescente de 12 anos de idade, sobrinha dele, que relatou que estava vivendo momentos de terror e que vinha sendo abusada desde os 8 anos de idade até os dias atuais.

A vítima ainda apontou outras supostas vítimas do professor, segundo ela, o abuso sexual acontecia quando seus pais saíam para pescar e o acusado ia até sua residência, no período da noite, quando estava sozinha com seu irmão de 10 anos de idade e praticava conjunção carnal e atos libidinosos com ela.

A Polícia Civil dará continuidade às investigações para elucidar todos os delitos cometidos pelo professor. Por se tratar de crimes sexuais, os quais ocorrem de forma clandestina, sem testemunhas presenciais, o depoimento da vítima desse tipo de delito, possui grande importância jurídica.

Após a prisão, o professor foi encaminhado ao Sistema Penitenciário de Carutapera, onde permanecerá à disposição da Justiça.

Roberto Rocha quer tomar PSD de Edilázio Jr

O senador federal Roberto Rocha, que está sem partido, está trabalhando em Brasília para tomar o PSD do deputado federal Edilázio Júnior. Rocha pede para o presidente Jair Bolsonaro interceder junto a Gilberto Kassab, presidente nacional da sigla de Edilázio.

Fontes bem posicionadas em Brasília – que não é o Ponto e Vírgula – dizem que Rocha tem mirado em partidos com estrutura para poder viabilizar sua próxima eleição. Se Kassab for julgar o serviço prestado, Edilázio pode ficar confiante de continuar no comando do partido. Em São Luís, elegeu a vice-prefeita, Esmênia Miranda, enquanto em Codó, fez o prefeito, Dr. Zé Francisco contra a máquina do estado.

Qual será a força do senador?

Josimar volta assustando adversários…

A movimentação do deputado federal Josimar Maranhãozinho (PL) tem incomodado seus adversários. O ataque tem sido a defesa daqueles que se preocupam com a consolidação da candidatura de Josimar ao governo do Maranhão.

Considerado um dos principais jogadores da política maranhense, Josimar sabe aproveitar as oportunidades que tem. A sua aproximação com o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), sem necessariamente desembarcar do governo Flávio Dino (PCdoB) preocupa, principalmente, postulantes que estão sem a máquina, no entanto, sem poder de fogo para a disputa eleitoral de 2022.

Embora seus porta-vozes vociferam o contrário, o senador Weverton Rocha (PDT) disse recentemente em uma entrevista na rádio Nova FM que “não seria nem louco” de arrumar confusão com o deputado Josimar. Afirma que são do mesmo campo e que Josimar tem tido a habilidade de construir um grupo político forte. Isso é o que diz publicamente. Mas não será com tapinha nas costas e ataques telegrafados que Josimar vai incorporar o seu grupo – com mais de 40 prefeitos, bancada de deputados federais e estaduais, dezenas de vereadores – a um outro projeto político. Fica a dica!

Josimar sobre aliança com Roberto Rocha: “Não procede”

Foto tirada no ano de 2020 de Roberto Rocha e Josimar

Cada vez mais próximo do Governo Federal, o deputado federal Josimar Maranhãozinho, presidente do Partido Liberal no Maranhão, falou com exclusividade com o blog do Werbeth Saraiva sobre uma possível aliança com o senador Roberto Rocha (PSDB), que também é aliado de Jair Bolsonaro, mas no Maranhão segue caminho distinto do escolhido por Josimar.

​“Não procede”, foi a resposta de Josimar ao ser perguntado sobre a aliança. O dirigente do PL, que também é pré-candidato ao governo do Maranhão, disse que apesar de não haver uma união os dois seguem conversando “muito no âmbito da política do Maranhão”.

​Josimar, que elegeu mais de 40 prefeitos no Maranhão, deixou claro a sua estratégia de aliança política. Conhecido por ser leal, Josimar disse que suas decisões são decididas em Brasília, em conversa com o presidente nacional do PL, Valdemar da Costa Neto, e o seu partido.  “Esse sim eu paro pra ouvi-lo antes de importantes decisões, pois ele me representa.”, respondeu ao blog.​

​O fortalecimento de Josimar no núcleo do Governo Federal, do presidente Jair Bolsonaro, mostra que ele é o único que tem musculatura política e partidária (financeira) para ser um candidato que represente a bandeira do bolsonarismo no Maranhão. Na sua agenda política, ele pode mostrar concretamente em que Bolsonaro tem ajudado o Maranhão, já que Josimar tem um grupo fechado com mais de 40 prefeitos,que pode, nos próximos meses aumentar, à medida que sua influência aumenta junto a Bolsonaro.

Duas perguntinhas do blog

Werbeth Saraiva – Sobre essa união com Roberto Rocha. Procede mesmo?

Não procede. Temos conversado muito no âmbito da política do Maranhão.

Werbeth Saraiva – Não quer dizer que não ocorra no futuro? Certo?

Tenho me aproximado mais do governo federal através do partido e do próprio Valdemar que sempre me apoiou em todos momentos políticos da minha vida. Eu posso dizer que tenho um líder ou pai político e que pode até me liderar em tomadas de decisões. Valdemar da Costa Neto, esse sim, eu paro pra ouvi-lo antes de importantes decisões pois ele me representa.

No dia do aniversário da cidade de Codó, prefeito é acionado e pode responder por nepotismo

No dia em que a cidade de Codó comemora mais um aniversário, o prefeito Zé Francisco é acionado e vai responder por nepotismo que é a prática ilegal de favorecer parentes com cargos dentro da administração pública.

A informação é do Ministério Público Estadual que instaurou um inquérito civil com objetivo de apurar os fatos e detectar a ocorrência de irregularidades e eventual improbidade administrativa. Procurada pelo nosso blog, a instituição informou que inicialmente o único investigado é o prefeito José Francisco Lima Neres.

O gestor terá o prazo de 10 dias para esclarecer se há na estrutura administrativa do Município de Codó, inclusive na sua gestão algum caso que caracterize nepotismo e que tome as providências adotadas para a correção da ilegalidade segundo os princípios constitucionais.

No Maranhão, o deputado Duarte Júnior é um dos que mais processa a imprensa

Nas redes sociais, durante datas festivas, parabeniza o trabalho da imprensa e nos tribunais tenta calar quem mais defende a democracia nesses tempos tenebrosos: a imprensa. Assim age o deputado estadual Duarte Júnior (Republicanos).

Os blogs, evidenciado como a mídia livre, é a que mais sofre com políticos que na terra tupiniquim só sabe conversar com a famosa carteirada: “sabe com quem está falando?”, evidenciado no livro de mesmo nome do antropólogo Roberto DaMatta. No Maranhão, de hoje, por vezes parece ser o mesmo de tempos de outroras, em que a injustiça nascida nos tempos coloniais e imperiais nunca deixou de perseguir os que brigam por justiça.

Ao deputado, que sofreu sucessivas derrotas na justiça durante as últimas eleições para membros da imprensa e da blogosfera, fica o nosso repúdio de mais uma vez ser vítima de perseguição. E dizer que no Maranhão feudal que o deputado Duarte, Vossa Excelência, insiste em viver, há justiça, há democracia e acima de tudo há uma imprensa livre.