Candidata a prefeita de Lagoa Grande do Maranhão, Graciane Miranda é investigada por abuso de poder político

A candidata a prefeita do município de Lagoa Grande do Maranhão, Graciane Miranda, está sendo investigada por suposta prática de abuso de poder político. O Ministério Público instaurou um procedimento preparatório eleitoral para apurar a denúncia.

De acordo com informações, a candidata que é apoiada pelo grupo político do atual prefeito, Francisco Silva Freitas, estaria se aproveitando de maquinários públicos do município de Lagoa Grande do Maranhão (patrol, pá carregadeira e trator) para uso de fins eleitorais. Ainda de acordo com informações, as máquinas estariam sendo usadas nos povoados Lagoa das Antas, Lagoa do Arroz e Centro do Raimundo Galvão.

O Ministério Público também tomou conhecimento que a candidata realiza visitas aos povoados e oferece a utilização de maquinário municipal para uso particular aos possíveis eleitores como forma de compra de votos.

A instituição considera que a prática de Graciane Miranda atenta contra a isonomia de oportunidades dos candidatos e contra a liberdade de escolha dos eleitores, afetando a normalidade e a legitimidade das eleições.

A Prefeitura de Lagoa Grande do Maranhão terá o prazo de 10 dias para prestar esclarecimentos sobre os fatos, com apresentação de documentos que legalize a ação. Graciane Miranda também será notificada.

Mesmo sem mostrar trabalho, França do Macaquinho realiza contrato de mais de R$ 1 milhão para construção de estradas vicinais

No final do mandato e com alto índice de rejeição pela população de Santa Luzia, França do Macaquinho segue realizando contratos milionários e esvaziando os cofres públicos. Em mais um contrato imoral, a prefeita vai desembolsar mais de R$ 1 milhão para suposta recuperação de estradas vicinais.

Com o contrato, a Construtora M I S Ltda vai faturar R$ 1.198.800,00. O objeto do contrato é a contratação de empresa especializada para a recuperação de estradas vicinais em diversos povoados do município de Santa Luzia. O primeiro questionamento que o morador da cidade se faz é: porque não está especificado as localidades que serão beneficiadas?

Outro fato que chama atenção, é que todo o processo do contrato da homologação até a sua finalização, só aparece no Portal da Transparência no dia 06 de outubro de 2010. Esse deve ser mais um contrato que os órgãos fiscalizadores devem apurar. França do Macaquinho é colecionadora de investigações no Ministério Público.

Com o PAPI, Yglésio vai garantir até r$ 200 por família em 2021

O Papi, Programa de Apoio à Primeira Infância, é uma política pública assistencialista, semelhante ao Bolsa Família, voltada para a amenização dos danos causados pela desigualdade social em São Luís, a qual afeta a camada mais pobre dos ludovicenses. A desigualdade impede as crianças de terem acesso ao direito de ser criança.

“O Papi vai transferir renda de até R$ 200 por mês para que a mãe, o pai ou o responsável tenha o mínimo para ajudar na compra de alimento, gás de cozinha, material escolar e qualquer outra demanda da criança”, explicou o candidato do PROS. “O programa é uma forma de ajudar as famílias carentes de São Luís para que possam ter acesso ao básico e viver adequadamente”, concluiu.

O Programa de Apoio à Primeira Infância é o carro-chefe da campanha do candidato e deve atingir 13 mil famílias na capital, cerca de 50 mil pessoas diretamente beneficiadas.

Associado ao Papi estão outros programas que fortalecem o programa maior, que é o Pacto Pela Primeira Infância, a exemplo do Papai Presente, destinado ao incentivo da participação dos pais no desenvolvimento dos filhos; e o Venha Bem, que garante transporte gratuito às pessoas de baixa renda em dias de consulta.

Prefeito de Lago da Pedra, Laércio Arruda, é investigado por suposta compra de votos para as eleições de 2020

O prefeito e candidato a reeleição do município de Lago da Pedra Laércio Arruda, está sendo investigado por suposta prática de abuso de poder econômico e político. Isso porque de acordo com uma denúncia, um dos seus apoiadores estaria comprando votos em seu nome para as eleições municipais de 2020.

De acordo com informação do próprio Ministério Público, chegou ao conhecimento do órgão, vídeos e postagens em blogs de falas atribuídas ao secretário de Articulação Política de Lago da Pedra, Masolene Coelho, no qual há indícios de abuso de poder e captação ilícita de sufrágio praticado pelo atual prefeito e candidato à reeleição, Laércio Arruda.

O Ministério considera a acusação grave, e que o abuso do poder econômico e do poder político atentam contra a isonomia de oportunidades dos candidatos e contra a liberdade de escolha dos eleitores, afetando a normalidade e a legitimidade das eleições.

A instituição decidiu por instaurar um procedimento preparatório eleitoral que vai apurar denúncia de suposto abuso de poder cometido por Laércio Arruda.

 

São José de Ribamar: Em entrevista, Julinho adota a estratégia do blefe ao afirmar que está elegível

Em entrevista ao Jornal da Mira (Mirante FM), o candidato a prefeito de São José de Ribamar, Julinho, insistiu na tese de que não está inelegível para disputar as eleições municipais, mesmo com contas reprovadas durante sua gestão, em 2008, quando foi diretor da Maternidade Benedito Leite, em São Luís.

“Eu tive uma causa que eu ganhei na primeira instância, na segunda instância. E essa causa dormiu em Brasília, desde 2018. Agora, por circunstância meia teratológica, o ministro derruba a sentença da primeira e da segunda vara”, declarou o candidato, confundindo instância com vara.

Julinho foi candidato em 2008 e em 2016, mas em ambas ocasiões, além de perder por votos, teve a candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral. Nas últimas eleições, mesmo inelegível disputou as eleições e recebeu apenas 3,85% dos votos contra 96,17% do adversário, o ex-prefeito Luis Fernando. Os votos foram anulados pela Justiça, logo após a apuração. Nestas eleições de 2020, o Ministério Público Eleitoral ingressou com pedido de impugnação da candidatura de Julinho Matos. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) também indeferiu o pedido dos advogados do médico de suspensão da condenação.

“Portanto, no entendimento de méritos, eu estou elegível. E essa causa foi de 2007, já se passaram duas eleições”, afirmou Julinho ao jornalista Clóvis Cabalau, diretor de redação do jornal  O Estado do Maranhão.

Julinho foi condenado por má gestão de dinheiro público. Com apoio do ex-prefeito Gil Cutrim, tentou uma manobra este ano junto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-MA), mas o candidato permanece “ficha suja”, condição ratificada pelo Ministério Público Eleitoral e pelo Superior Tribunal de Justiça. A mentira e a condenação são os piores cabos eleitorais que o ex-prefeito poderia ter nas eleições.

AlÔ PF! França do Macaquinho contrata empresa por mais de R$ 600 mil para reformar uma escola

A prefeita de Santa Luzia, França do Macaquinho, contratou por R$ 650.486,08 a empresa T.P. Meneses & CIA Ltda, para a reforma da U.I Fernando Gabeira. O contrato de alto valor, com recursos da Educação, é realizado em meio à batalha judicial enfrentada pela prefeita que já teve, inclusive, o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão.

Acusada de compra de votos e abuso de poder econômico, França enfrenta uma batalha judicial desde 2018 para se manter no poder. Aguardando decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), prestes à sair do poder, a prefeita que já devia ter sido afastada do cargo segue realizando contratações suspeitas e milionárias.

A situação devia chamar atenção da Polícia Federal, considerando o uso dos recursos públicos federais em contratações suspeitas por uma gestora enrolada com tantos processos na justiça.

Prefeita de Paço do Lumiar, Paula Azevedo, contrata empresa para executar serviços que deveriam ser de responsabilidade da prefeitura

A prefeita de Paço do Lumiar, Paula Azevedo, contratou uma empresa para locação de sistema integrado de administração orçamentaria. Na prática, a empresa vai prestar um serviço que deveria ser executado pela Secretária de Administração, mas como está sobrando recursos na prefeitura, a gestora resolveu estourar mais essa verba.

Com o contrato a empresa Izaias Delfino dos Santos vai faturar R$ 161.280,00 (cento e sessenta e um mil e duzentos e oitenta reais), cujo o objeto do contrato é contratação de empresa especializada em locação e licença de sistema integrado de administração orçamentaria, financeira e orçamento público, visando suprir as necessidades das Secretarias Municipais de Paço do Lumiar.

Sem ter controle sobre as próprias contas do município, Paula Azevedo confirma que não tem domínio sobre a gestão. O contrato com a empresa foi assinado pela Secretária Municipal de Administração e Finanças, Flavia Nolasco.

Veja o contrato:

EXTRATO DO CONTRATO Nº: 01/2020/PE/004/2020 – PMPL. CONTRATANTE: Secretaria Municipal de Administração e Finanças CONTRATADA IZAIAS DELFINO DOS SANTOS, inscrito no CNPJ n° 26.529.188/0001-53. PROCESSO DE CONTRATAÇÃO 4944/2020, oriundo do Processo de Licitação nº 7069/2019 que gerou a Ata de Registro de Preços nº 01/2020/PE/004/2020.FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Lei nº 10.520/2002, Lei nº 123/2006, Decreto Municipal nº 3356/2019, Decreto Municipal nº 3357/2019 e Lei Federal nº 8.666/1993. MODALIDADE Pregão Eletrônico nº 004/2020/PMPL/CPL.VALOR R$ 161.280,00 (cento e sessenta e um mil e duzentos e oitenta reais). OBJETO DO CONTRATO Contratação de empresa especializada em locação e licença de SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO ORÇAMENTÁRIA, FINANCEIRA E ORÇAMENTO PÚBLICO, visando suprir às necessidades das Secretarias Municipais de Paço do Lumiar DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA Unidade 02.0206 – Secretaria Municipal de Administração e Finanças. PRAZO DE VIGÊNCIA Doze meses a contar da data da assinatura do Contrato. DATA DE ASSINATURA 15 de julho de 2020. FLÁVIA VIRGÍNIA PEREIRA NOLASCO. Secretária Municipal de Administração e Finanças.

Yglésio Moyses participa do lançamento da campanha do Professor Cavalcante a vereador de São Luís


Um encontro com agentes penitenciários, policiais, guardas municipais, monitores da Funac e lideranças marcou o lançamento oficial da candidatura do Professor Cavalcante (PP) a vereador de São Luís.
O evento teve a participação do candidato a prefeito, Yglésio Moyses (PROS) e de seu vice Dr. Mauro Cesar, que apresentaram as propostas para a Segurança Pública em São Luís nos próximos quatro anos.
“Foi um momento importante da nossa largada para uma vaga a vereador da capital maranhense. Recebi muitos amigos e amigos do candidato a prefeito de São Luís, Yglesio Moyses, e isso nos fortalece para irmos em frente”, disse Cavalcante.


Yglésio falou, também, da PEC da Polícia Penal, aprovada recentemente na Assembleia Legislativa. “Essa luta só reforça nosso trabalho em prol dessa classe, que merece ser melhor assistida pelo Estado. Os futuros policiais penais sempre poderão contar com o nosso apoio, porque a luta do povo também é nossa”, falou Yglésio aos presentes.
Professor Cavalcante é servidor público e já ocupou vários cargos de gestor e atualmente trabalha no Sistema Penitenciário do Estado.

Madeira desiste da candidatura a prefeito de São Luís

O candidato do Solidariedade, ex-juiz federal Carlos Madeira, anunciou que não irá mais concorrer nas eleições para prefeito de São Luís.

A declaração foi publicada por meio de uma cartão divulgada na manhã desta quarta-feira (7) pelo próprio Madeira.

O agora ex-candidato afirma que o motivo que levou à desistência foram a falta de condições físicas para dar continuidade à intensa agenda de compromissos.

O ex-magistrado foi acometido pela Covid-19 no início da pré-campanha e ficou por duas semanas em isolamento social se recuperando.

A doença deixou em Madeira várias sequelas, como a fadiga e falta de ar, o que vinha o impedindo de honrar os seus compromissos de campanha.

Leia a carta abaixo:

“A convite de amigos, e por sugestão de pessoas simples, representantes da periferia e da zona rural, decidi aceitar o desafio de concorrer à Prefeitura de São Luís nas eleições de 2020. Trouxe comigo as minhas origens, a história de vida, a minha biografia e o desejo de trabalhar ainda mais pela nossa cidade.

Os caminhos que percorri nesses meses de pré-campanha e os primeiros dias de candidatura oficializada não foram fáceis, porque, ao lado de um time de pessoas sérias, éticas, combativas e independentes, compreendi que a luta só valeria a pena se todos abraçassem um projeto de mudança efetiva para São Luís, com uma arrojada pauta de justiça social para todas as áreas da administração municipal.

A pré-campanha foi interrompida ainda no início, por quase três meses, com as restrições decorrentes da pandemia. E no meio do caminho, antes mesmo da nossa convenção partidária, fui alcançado pela Covid-19.

Fiquei por duas semanas em isolamento, cumprindo a quarentena até receber a confirmação de que a carga viral estava zerada. Perdi cerca de oito quilos em 12 dias de hospital. Mesmo frágil físicamente, tomei a decisão de retomar os compromissos de campanha em respeito ao povo, ao partido Solidariedade e à nossa militância.

Não sabia que o pior ainda estava por vir. Dia após dia a fadiga foi me consumindo e comprometendo a minha fala e o meu raciocínio. Só depois fui informado pelo médico que acompanha o meu caso, Dr. Serafim Gomes de Sá, de que a minha dificuldade respiratória era apenas mais uma das muitas consequências possíveis do coronavírus, aquilo que a ciência está chamando agora de Síndrome pós-Covid.

Quem conhece a minha história sabe que jamais me esquivei de responsabilidades. Mas, aconselhado pela minha esposa, pelos meus filhos e por médicos que acompanham o meu caso clínico, e em nome da minha saúde, tive que tomar uma das decisões mais difíceis da minha vida: abrir mão de um projeto que hoje reputo coletivo, porque não é mais do Madeira, mas de tantas e tantas pessoas espalhadas pelos bairros e pela zona rural dessa cidade que tanto amo.

Informo, portanto, que hoje retiro a minha candidatura a prefeito de São Luís, por não ter condições físicas de dar continuidade à intensa agenda de compromissos que eu, antes de qualquer outro candidato, fiz questão de não apenas assumir, mas de registrar publicamente em cartório.

Chego até aqui sem qualquer decepção ou mágoa, mas com muita gratidão aos meus familiares e tantos amigos. Agradeço o apoio de todos que trabalharam comigo até agora – equipe de coordenação, militância e candidatos a vereador. Agradeço a compreensão dos nossos eleitores, sobretudo. Agradeço ao Capitão Jeremias, meu companheiro de chapa, pela caminhada leal e destemida.

Agradeço ao meu partido, o Solidariedade, pela acolhida e pelas trincheiras de luta que conseguimos erguer, juntos, em tão pouco tempo. Continuarei na política, como presidente do diretório municipal de São Luís, e no momento oportuno reiniciarei minha jornada partidária na busca permanente por dias melhores para o nosso povo. Porque, como Martin Luther King, continuo acreditando que “pior que o grito dos maus é o silêncio dos bons”.

Como aprendizado, levo para a vida a lição de que, para recuar de uma batalha, é preciso antes de tudo ter humildade e sabedoria para reconhecer os riscos. Faço opção por cuidar da minha saúde. E, se puder oferecer apenas um conselho, direi a todos: cuidem-se! O vírus ainda está no nosso meio e as sequelas da Covid-19 são imprevisíveis. Que Deus nos proteja!”

São Luís, 7 de outubro de 2020.

José Carlos do Vale MADEIRA.

Prefeito e vice-prefeito de Bela Vista são investigados por contrato irregular com a empresa Roseno Churrascaria

O prefeito do município de Bela Vista do Maranhão José Augusto Sousa Veloso Filho, e o vice-prefeito Josiel Roseno Oliveira, estão sendo investigados por possíveis irregularidades em um contrato com as empresas Roseno Comércio de Derivados de Petróleo – LTDA e L.J.O. Roseno Churrascaria – ME celebradas por meio dos Pregões Presenciais n° 001/2020-SRP e 005/2020-SRP.

Além do prefeito e do vice, estão sendo investigados Idejane Fernandes Lopes Roseno (esposa), Elisangela Roseno Oliveira Lemos (irmã) e Leyde Jaiane Oliveira Roseno (filha), todas familiares do vice-prefeito.

A investigação se baseia principalmente porque a empresa contratada é de propriedade do Vice-Prefeito de Bela Vista, o que seria proibido por lei. Os investigados ainda serão notificados e terão o prazo de 10 dias para esclarecer o caso.

O Ministério Público também solicitou a Secretaria de Estado da Fazenda informações a respeito das empresas Roseno Comércio de Derivados de Petróleo – LTDA e L.J.O. Roseno Churrascaria – ME e que sejam juntados procedimentos licitatórios Pregão Presencial nº 05/2020-SRP e Pregão Presencial nº 01/2020-SRP, a serem extraídos do Mural de Licitações do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão.