ESCÂNDALO! Pré-candidato à prefeitura de São Luís comandava esquema de chantagem a donos de postos de combustível no MA

O blog vem coletando informações há algum tempo e esta semana concluiu um dossiê completo sobre uma rede de achaques a donos de postos de combustíveis na capital, coordenados entre 2016 e 2018 por um pré-candidato a prefeito em São Luís.

É NITROGLICERINA PURA, AGUARDEM!!!

Bomba! Juíz do MA investigado pelo GAECO “paga” para constranger corregedor do TJ-MA

O juiz Sidarta Gautama, com atuação em Caxias, é alvo de Procedimento Investigatório Criminal aberto pelo Gaeco por suposta participação em organização que pratica agiotagem no Maranhão.

A informação consta de um pedido de providências formulado pela da Corregedoria Nacional de Justiça, órgão ligado ao CNJ, ao Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA).

Gautama ganhou recente notoriedade no caso de uma série de decisões autorizando a transferência de alunos de universidades particulares para o curso de Medicina da Uema.

Por conta disso, é alvo, também, de uma sindicância na Corregedoria-Geral de Justiça do Maranhão.

Ciente das implicações que suas atividades obscuras pode causar, Gautama, tratou de injetar recurso em alguns setores da mídia para tentar constranger um deputado que teria ousado denunciar o caso na tribuna da Assembleia Legislativa. A tentativa do Juíz investigado pelo Grupo de combate às organizações criminosas também é constranger o desembargador e corregedor do Tribunal de Justiça do Maranhão, Marcelo Carvalho.

3 meses de salários atrasados em Amapá do Maranhão

Agente público do município de Amapá do Maranhão. Foto; Divulgação, Google

Do dia primeiro de novembro até hoje (10) de dezembro o município de Amapá do Maranhão, já recebeu R$ 2.358.667,14 (dois milhões trezentos e cinquenta e oito mil seiscentos e sessenta e sete reais e quatorze centavos). Mesmo com tantos recursos para um município tão pequeno os salários dos servidores públicos contratados permanecem em atraso.

De acordo com relatos de funcionários do município de Amapá do Maranhão, enviados ao blog do Werbeth Saraiva, dão conta que à cerca de três meses boa parte dos contratados não recebem seus proventos que deveriam ser pagos pela gestão da prefeita Tate do Ademar.

Ainda de acordo com denúncias, outro problema persistente no município é os funcionários que são concursados com 40 h e recebem apenas 20 h. Não se sabe qual destino estão dando aos recursos públicos que chegam ao município.

Já existem denúncias na promotoria da comarca sobre suposto enriquecimento ilícito além de ocultação de bens e desvios de verbas públicas. Até meados de 2020 já haverá um desfecho por parte dos órgãos corregedores.

Reforma de posto de saúde custando quase R$ 350 mil em Amapá do Maranhão

Gestora do município de Amapá do Maranhão

O município de Amapá do Maranhão administrado pela prefeita Tate do Ademar pretende gastar e muito com a reforma e ampliação de um único Posto de saúde no município.

Para justificar os gastos a prefeitura tratou de contratar a Projex construções e locações.

O objeto do contrato é a reforma e ampliação do posto de saúde Ivete Lemos do município. O valor do contrato é de; R$ 331.718,08 (Trezentos e trinta e um mil setecentos e dezoito reais e oito centavos).

Os fortes indícios de superfaturamento e direcionamento de licitação em algumas das ações da gestão municipal tem chamado atenção de órgãos como Ministério Público estadual e Federal.

Até meados do próximo ano as investigações que estão ocorrendo no município já devem apresentar resultados.

Ex-presidiário “Canela” fatura mais um contrato de R$ 1,1 milhão em Godofredo Viana

Empresário Canela e prefeito Sissi Viana

O extravio desenfreado de dinheiro público no município de Godofredo Viana parece não ter fim e o que é pior; ocorre nas “barbas” do Ministério Público local que é de fraquíssima atuação.

O município com pouco mais de 10 mil habitantes de acordo com o último censo do IBGE, fechou contrato com a empresa CONSENT – CONSTRUTORA SERVIÇOS E TERRAPLANAGEM LTDA, cujo dono é velho conhecido da Polícia Federal pois foi preso no bojo da operação “rapina”, acusado de integrar uma quadrilha especializada em desviar verbas federais.

O empresário Raimundo Afonso Ribeiro, mais conhecido como Canela, voltou a atuar de forma escancarada em diversos municípios do Maranhão mesmo após a prisão.

O prefeito Sissi Viana estima pagar a empresa do ex-presidiário R$ 1.183.520,69 (um milhão cento e oitenta e três mil quinhentos e vinte reais e sessenta e nove centavos), com a manutenção da iluminação pública municipal.

Em Godofredo Viana, “Canela” achou uma verdadeira mina de dinheiro público. Ocorre que de acordo com denúncias recebidas pelo blog os serviços pelo qual a empresa é contratada não são executados no município e quando são, é de péssima qualidade. O Ministério Público deve investigar a existência de um esquema imoral de notas frias no município.

Os contratos de “canela” e Sissi Viana são um verdadeiro acinte as leis deste país.

 

Ciganos são presos por assassinatos e tráfico de drogas

Os ciganos Danilo Pereira Costa, Arlan Pereira Costa e Antônio Pereira foram presos acusados de assassinatos e tráfico de drogas em Miranda do Norte. As prisões ocorreram nesta quinta-feira (5).

Segundo informações policiais, Danilo e Arlan respondem por 5 homicídios e venda de drogas.

No momento da prisão, a polícia encontrou uma grande quaantidade de cocaína e pedras de crack embalada.

O trio foi encaminhado para a delegacia de Itapecuru-Mirim, onde foram tomados os procedimentos cabíveis.

Ex-presidente do TJ da Bahia é presa em ação contra venda de sentenças

A desembargadora Maria do Socorro Barreto Santiago, do Tribunal de Justiça da Bahia, foi presa nesta sexta-feira (29), durante a Operação Joia da Coroaum desdobramento da Operação Faroeste, deflagrada em 19 de novembro, que apura um esquema de vendas de sentenças relacionadas à grilagem de terras no oeste da Bahia, informou a Procuradoria Geral da República (PGR).

  • TJ-BA marca novas eleições após afastamento de magistrados

Segundo o órgão, o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Og Fernandes decretou a prisão, que foi cumprida pela Polícia Federal. A prisão ocorreu em Salvador.

Em nota, o TJ-BA informou que adota todas as medidas cabíveis para colaborar com a investigação, “sempre respeitando o ‘Princípio do Contraditório’ que preserva a proteção ao direito de defesa”. O G1 tenta contato com a defesa da desembargadora, mas até a última atualização desta reportagem, não foi atendido.

Ainda de acordo com a PGR, a desembargadora, que está afastada do cargo há dez dias – também por decisão judicial – estaria, conforme indícios reunidos pelo Ministério Público Federal (MPF) e pela Polícia Federal, destruindo provas e descumprindo a ordem de não manter contato com funcionários.

A nota divulgada pela PGR ainda destaca que as apurações já realizadas também reuniram indícios de relações indevidas entre a magistrada e outros investigados no esquema. Um deles é Adaílton Maturino, preso na primeira etapa da operação. Conforme consta da decisão, o investigado, que se apresentava como cônsul de Guiné Bissal, tem uma extensa ficha de crimes e só teve a atividade delitiva suspensa com a prisão.

Além das novas buscas e da prisão da desembargadora, nesta etapa da operação, quatro investigados tiveram as prisões temporárias convertidas em preventivas, por tempo indeterminado.

Maria do Socorro foi presidente do TJ da Bahia entre 2016 e 2018. Ela estava afastada do cargo desde o dia 19 de novembro, junto com outros cinco magistrados, incluindo o presidente da casa.

Maria do Socorro é a segunda magistrada a ser presa neste caso. No sábado (23), A Polícia Federal prendeu o juiz Sérgio Humberto de Quadros Sampaio, da 5ª vara de Substituições da Comarca de Salvador.

Prisão do Juiz 

O juiz Sérgio Humberto de Quadros Sampaio, que foi preso no último sábado, estava afastado do trabalho desde 19 de novembro, quando começou a operação.

Ele e outros quatro desembargadores, entre eles o presidente do TJ-BA, Gesivaldo Britto, são investigados no suposto esquema de venda de decisões judiciais, além de corrupção ativa e passiva, lavagem de ativos, evasão de divisas, organização criminosa e tráfico de influência no estado. Após a operação e o afastamento de magistrados, as novas eleições para a Mesa Diretora do TJ-BA, que seria 20 de novembro, foram adiadas.

Segundo a decisão do STJ, a prisão de José Valter Dias e do juiz Sérgio Humberto de Quadros Sampaio só foram decretadas após a operação porque os dois suspeitos não foram encontrados durante as buscas realizadas no dia 19 de novembro. O ministro Og Fernandes destacou que a medida foi necessária para preservar a investigação e evitar fugas.

Ainda de acordo com a decisão do STJ, o juiz Sérgio Humberto mantinha uma vida de luxo em uma residência avaliada em R$ 4,5 milhões e aluguel mensal de R$ 10 mil, fora a taxa condominial. Foram encontrados na casa do juiz quatro carros de luxo, entre eles um Porsche e uma BMW, além de três relógios Rolex e joias. Segundo o ministro Og Fernandes, esse patrimônio ultrapassa o patamar normal financeiro de um servidor público.

Operação Faroeste

A primeira fase da Operação Faroeste ocorreu em 19 de novembro, com a prisão de quatro advogados, o cumprimento de 40 mandados de busca e apreensão e o afastamento dos seis magistrados”

Os mandados foram expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e houve bloqueio de bens de alguns dos envolvidos na investigação sobre legalização de terras no oeste baiano, no total de R$ 581 milhões.

Segundo o STJ, o grupo integra uma organização criminosa. O afastamento dos magistrados vale por 90 dias.

No dia 20 de novembro, a Corregedoria Nacional de Justiça (CNJ) instaurou procedimento contra os magistrados do TJ-BA.

Na quinta-feira (27), José Valter Dias, um dos alvos da operação, chegou a se apresentar à Polícia Federal em Teresina (PI), mas foi liberado após ser ouvido. De acordo com a PF, o depoimento ocorreu na noite de terça-feira (26), em um delegacia do órgão. José foi solto por determinação do ministro relator.

Estão afastados:

  • Gesivaldo Britto, desembargador presidente do TJ-BA;
  • José Olegário Monção, desembargador do TJ-BA;
  • Maria da Graça Osório, desembargadora e 2ª vice-presidente do TJ-BA;
  • Marivalda Moutinho, juíza de primeira instância
  • Maria do Socorro Barreto Santiago, desembargadora do TJ-BA
  • Sérgio Humberto Sampaio, juiz de primeira instância

Foram presos:

  • Sérgio Humberto Sampaio, juiz de primeira instância
  • Adailton Maturino dos Santos, advogado que se apresenta como cônsul da Guiné-Bissau no Brasil
  • Antônio Roque do Nascimento Neves, advogado
  • Geciane Souza Maturino dos Santos, advogada e esposa de Adailton Maturino dos Santos
  • Márcio Duarte Miranda, advogado e genro da desembargadora Maria do Socorro Barreto Santiago
  • Maria do Socorro Barreto Santiago, desembargadora

O TJ informou ainda que, “quanto aos processos dos desembargadores afastados, o regimento interno prevê a substituição automática dos desembargadores” e que, por conta disso, “não haverá prejuízo às partes”.

Dois juízes substitutos foram convocados para assumir temporariamente os cargos dos desembargadores José Olegário Monção e Maria do Socorro Barreto Santiago.

Falso cônsul

Um dos principais suspeitos no esquema, o empresário Adailton Maturino, cuja esposa detém cerca de metade das ações da JJF Holding, é apontado como o idealizador do esquema no TJ da Bahia.

Maturino se apresenta falsamente como cônsul da Guiné-Bissau e juiz aposentado, segundo o processo. Ele tem 13 CPFs em seu nome e relações com o borracheiro que se tornou “de forma repentina” dono de uma terra imensa na Bahia.

Culpa de alunos passarem fome em escolas públicas de Santa Luzia do Paruá também é do MP

Uma bolacha de água e sal e um copo de suco é a vergonhosa merenda oferecida pela prefeitura de Santa Luzia do Paruá aos alunos da rede pública municipal.

As crianças do município não estão sendo tratadas com o mínimo de dignidade e a culpa não é só da prefeitura que não investe o dinheiro federal como tem que ser investido. O Ministério Público Estadual e o Federal também têm suas parcelas de culpas nesse desmantelo que vem ocorrendo no município. Os vereadores e membros da sociedade civil organizadas já fizeram diversas denúncias nos órgãos citados e até agora nada foi feito. No mínimo existe culpa de todos os órgãos fiscalizadores.

Plácido Holanda “pinta e borda” com recursos federais e nada acontece.

Atual presidente da Câmara de Vereadores de São João do Caru trama nova cassação de Xixico

O Presidente da Câmara de Vereadores do Município de São João do Carú, Vereador Natanael Silva e Silva, juntamente com outros vereadores estão articulando para cassar o mandato do prefeito Francisco Vieira Alves.

O motivo da revolta dos vereadores seria porque Xixico não estaria honrando os compromissos firmados com os edis. Na última sessão da Câmara os vereadores já teceram severas críticas à gestão, dando o tom do motim.

Segundo informações obtidas pelo Blog além das irregularidades, os vereadores pretendem usar como fundamento para a cassação a recusa de Xixico de atender aos ofícios da Casa Legislativa, o que caracteriza infração político administrava.

Ao que parece a sede por poder do vereador Nael é insaciável, pois o mesmo no último dia 07 de setembro já cassou o mandato do ex-vereador Ideilson Pereira Lima.

Vamos aguardar.

Deputados Carlinhos Florêncio e Roberto Costa voltam a se esculhambar na AL

Acusações e berros foram as marcas do discurso do deputado Roberto Costa (MDB) e Carlinhos Florêncio na manhã de hoje (27) na Assembleia Legislativa.

Não é a primeira vez que os dois parlamentares protagonizam cenas lamentáveis de desrespeito uns com os outros. A briga é sempre para saber quem roubou mais.

O deputado Carlinhos acusa o deputado Roberto e o deputado Roberto acusa o deputado Carlinhos.

De fato os dois estão na mesma medida. O Ministério Público abriu inquérito para investigar a nomeação política do ex-deputado Victor Mendes no gabinete de Roberto Costa na Assembleia após denúncia deste blog.

 O gabinete de Carlinhos é outro loteado de fantasmas, um exemplo é um dentista amigo do ex-vice prefeito de Bacabal e filho do deputado Carlinhos que recebe quase R$ 20 mil sem nunca ter pisado no gabinete do parlamentar.