Nota ‘fria’ de R$ 71 mil fornecida pela empresa Anchieta pode botar França do Macaquinho atrás das grades

A Polícia Federal realizou a Operação Vesalius, que visa combater os desvios de recursos públicos destinado ao enfretamento da Covid-19.

Levantamento  aponta que, o principal alvo das investigações, seria a empresa Anchieta Ltda e as secretarias de saúde dos municípios de Bernardo do Mearim e Santa Luzia.

Tanto em Bernardo do Mearim, como em Santa Luzia, foram realizados buscas e apreensões nas secretarias de saúde e na casa de secretários que comandam a pasta. Já na cidade Imperatriz, a Polícia Federal foi em busca da sede da empresa Anchieta Ltda.

Em Santa Luzia, a empresa Anchieta Ltda teria fechado um contrato no valor de R$ 71.000,00 para aquisição de uma bomba de Infusão e um aparelho ventilador pulmonar. Este contrato foi apontado como superfatura pelos delegados da Polícia Federal. Já na cidade de Bernardo do Mearim, a empresa fechou contrato de R$ 91.750,00 para aquisição de matéria hospitalares, também para serem usado no combate a Covid-19.

Além desses municípios, a empresa possui contratos nas cidades de Sítio Novo, Igarapé Grande, Imperatriz, Anapurus e Poção de Pedras.

Mais um PM é baleado em São Luís

Enquanto o Governo do Estado segue desfilando com viaturas pelas ruas de São Luís, mais um policial militar é vítima de um atentado na capital. De acordo com informações, em mais uma tentativa de assalto, o PM reformado, sargento Elias, foi baleado próximo a UPA da Cidade Operaria.

Apesar do ocorrido, o estado de saúde do PM é estável.

Criação irregular de porcos em Codó é investigada

A criação irregular de animais pode trazer riscos à saúde pública, afetando a saúde humana e animal com graves consequências para a coletividade. Uma denúncia sobre possíveis irregularidades na criação de porcos na casa de um homem conhecido como “Lourim” é alvo de uma investigação do Ministério Público que vai acompanhar as medidas adotadas pela Vigilância Sanitária de Codó, para que a situação seja solucionada.

A criação de porcos está sendo realizada em uma casa, localizada na Av. Marechal Castelo Branco, bairro São Pedro. O Código de Postura do Município de Codó, Lei nº 952/91, dispõe em seu art. 26, §1º, que é vedada a localização de estabelecimentos de criação de animais nas zonas urbanas centrais.

Quem é o secretário de Dino que comprou uma fazenda de R$ 75 milhões?

Uma denúncia na tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão voltou os olhares da classe política e empresarial para um secretário do governador Flávio Dino (PSB) que teria adquirido uma fazenda no valor de R$ 75 milhões. O deputado estadual César Pires (PV) chegou a mencionar o fato, porém sem citar nomes. A fazenda, segundo apurou o blog do Werbeth Saraiva, fica na região sudoeste maranhense.

A boca miúda da política maranhense fala em um super esquema que, inclusive, envolve verbas federais. O esquema bilionário com dinheiro público inclui deputados estaduais, alguns dos maiores construtores do estado e o super secretário dinista.

Segundo apurou o blog do Werbeth Saraiva, houve um pedido de informações aos órgãos corregedores federais para saber, de forma discriminada, o montante dos recursos federais e a sua aplicação em diversas obras no Maranhão.

Se deflagrada uma operação, o coração do poder estadual maranhense pode ser atingido em cheio.

Presidente da Câmara de Codó é investigado por possíveis fraudes em licitação de combustíveis

O presidente da Câmara Municipal de Codó, Domingos Reis, é investigado em um inquérito que apura possíveis irregularidades no Processo Licitatório Pregão Presencial nº 001/2021, repetição Processo Administrativo nº 06/2021, que teve como objeto a aquisição de combustíveis para serem utilizados no abastecimento dos veículos pertencentes à instituição.

A investigação iniciou após ser observado a ausência de publicidade acerca do Pregão Presencial nº 001/2021, realizado pela Câmara de Codó. Diante da situação, foi considerada a necessidade da apuração dos fatos, visando a ocorrência de irregularidades e ato improbidade administrativa.

Domingo Reis terá o prazo de 10 dias para esclarecer a situação.

Polícia Civil realiza apreensão de carga de anabolizantes avaliada em R$ 800 mil

Em operação realizada ontem (26), a Polícia Civil do Maranhão interceptou e apreendeu uma carga de anabolizantes avaliada aproximadamente em R$ 800.00,00 (oitocentos mil reais) vinda do Estado de São Paulo e tinha como destino o bairro Jardim das Margaridas e Cohatrac, em São Luís.

A operação iniciou na sede dos Correios, em uma fiscalização conjunta com a DCCT/SEIC, DCCO/SEIC, Receita Federal, e Correios, culminando com a apreensão de parte do material e identificação do destinatário.

Após trabalho investigativo, foi possível localizar a residência em que estariam guardadas grande quantidade do mesmo material anabólico. No local ainda foi encontrado uma Pistola Taurus 765 com carregador e uma caixa contendo vários documentos de procedência ilícita.

As investigações continuam afim de que sejam identificados e presos todos os outros autores e cúmplices dos referidos crimes cometidos contra a saúde pública e outros.

Prefeito de Codó é investigado por possível fraude em licitação

O prefeito de Codó, Zé Francisco, é investigado por suspeita de cometer possíveis irregularidades no Processo Licitatório Pregão Presencial nº 001/2021, que teve como objeto a contratação de uma empresa especializada na prestação de serviços técnicos de comunicação audiovisual para atender a demanda da Prefeitura de Codó.

De acordo com informações, os investigadores estão sendo instruídos para apurar de forma aprofundada a ocorrência de possíveis irregularidades e eventual ato de improbidade administrativa.

O Ministério Público Estadual solicitou a cópia integral do processo de licitação Pregão Presencial 001/2021 e os processos de pagamento correspondentes ao contrato, para análise de sua legalidade.

A fraude ou dispensa indevida de licitação configura ato de improbidade administrativa previsto no art. 10, VIII, da Lei nº 8.429/92 – Lei de Improbidade Administrativa.

Preso o 3° suspeito de ter assassinado o sargento Moisaniel

Um terceiro suspeito de ter assassinado o sargento da Polícia Militar, Moisaniel Jesus Amorim Pinheiro, foi preso ontem a noite (26) em uma operação da Polícia Civil do Maranhão, após investigações coordenadas pela Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP).

O suspeito, que não teve sua identidade revelada, foi preso no bairro Gapara, em São Luís, e encaminhado para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas. De acordo com informações policiais, ele pode ter sido o autor dos disparos contra o sargento Moisaniel. A Polícia Civil ainda está tentando localizar a arma utilizada no crime contra o policial militar.

Antes da prisão efetuada no Gapara, outros dois suspeitos de participação no assassinato do sargento Moisaniel foram detidos. Na última quinta-feira (21), um homem que teria emprestado o veículo utilizado no latrocínio foi preso, enquanto um segundo suspeito foi preso na manhã desta terça-feira (26), no município de São Vicente Férrer.

Mulher é presa tentando entrar com sanduiches “recheados” de drogas em prisão

Uma mulher foi presa em flagrante quando tentava usar os serviços de uma adolescente para entregar sanduíches contendo drogas ao seu marido que se encontra preso, na cidade de Brejo.

De acordo com informações, a mulher que é suspeita de ser integrante de uma facção criminosa, vai responder pelo crime de tráfico de drogas e corrupção de menores. Essa seria a quinta vez em que a mulher tenta de alguma forma burlar a segurança para inserir entorpecentes na prisão.

Após a conclusão dos procedimentos prestados na delegacia da cidade, a mulher foi transferida para a Penitenciária de Chapadinha.

Deputados questionam presidência da Assembléia sobre inércia após suposta operação ilegal contra deputada

Othelino Neto

A deputada estadual Detinha (PL), segunda vice-presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, partiu para cima do presidente da Casa, Othelino Neto (PCdoB), por ter ficado inerte sobre a suposta operação ilegal do Ministério Público e do Judiciário.

“Solidariedade e nota eu aguardei até agora”, disse Detinha em discurso endereçado a Othelino. Vários deputados, governistas e de oposição, cobraram da diretoria jurídica do parlamento e da própria presidência, um posicionamento mais duro.

Na época da operação, alguns deputados chegaram a declarar apoio à Detinha e ao deputado federal Josimar Maranhãozinho (PL). Quem puxou o desagravo da ação foi o deputado estadual Wellington do Curso. Na ocasião nem Detinha, nem Othelino estavam na sessão.

Othelino confidenciou que agiu da forma que julga o certo: na calada, nos bastidores. O presidente da Alema disse que ligou para o procurador-geral de Justiça, Eduardo Nicolau, e este lhe disse que a operação foi feita toda dentro dos critérios técnicos e jurídicos. E Othelino aceitou a defesa do membro do Ministério Público, deixando a Casa legislativa suscetível a outras ações da mesma natureza.

Na semana passada, a Justiça anulou as buscas do Gaeco e Seccor em operação contra Josimar que também atingiu a deputada Detinha. O desembargador Bayma Araújo, do Tribunal de Justiça do Maranhão, entendeu que primeira instância do judiciário era incompetente para atuar no caso. Bayma também suspendeu o processo investigatório criminal relacionado à apuração.