‘Falar que se passa fome no Brasil é uma grande mentira’, diz Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro, ao lado do ministro Onyx Lorenzoni, durante café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto — Foto: Marcos Corrêa/Presidência da República

Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (19) que é uma “grande mentira” que pessoas passem fome no Brasil. Segundo ele, não há nas ruas do país pessoas com “físico esquelético”.

A declaração foi dada durante café da manhã com jornalistas de veículos estrangeiros e foi transmitida por uma rede social do presidente.

Durante o café da manhã, Bolsonaro foi questionado por uma jornalista a respeito do aumento da pobreza e da fome no Brasil, problema que teria sido apontado pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

DADOS

Números da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), porém, apontam que, no Brasil, ao menos 2,5% da população ainda encontra-se em grave situação alimentar.

Os dados, divulgados no final do ano passado, apontam que, em 2017, ano utilizado como base para o relatório, mais de 5,2 milhões de brasileiros passaram um dia inteiro ou mais dias sem consumir alimentos ao longo do ano.

Praia de São Pedro, sinônimo de descanso e lazer

Águas cristalinas, paisagens de tirar o fôlego e muita natureza. Quem não sonha em encontrar um lugar assim tão bonito que parece ter saído de um cenário de filme para descansar ?

Todas essas qualidades são percebidas na praia de São Pedro, no município de Carutapera.

O acesso ao local é realizado através de voadeiras que dura em torno de 15 minutos. Enquanto isso, o turista pode apreciar as belezas naturais da costa litorânea.

Nesse paraíso, existe uma mistura de descontração, encanto, charmoso hotel que oferece alimentação e muito sossego.

Índice de desmatamento na Amazônia é 88% maior do que o mesmo período de 2018

Cresce em 88% o nível de desmatamento da Amazônia em comparação ao ano passado. Foto: Divulgação.

 Dados  no Sistema Brasilis, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe),mostram que desmatamento na Amazônia atingiu  920,4 km² em junho, um aumento de 88% em comparação com o mesmo mês no ano passado.

Até a terça, o balanço parcial de 1º a 28 de junho mostrava um desmatamento de 769 km². Eles mostram que, só no último domingo (30), mais de 150 km² de floresta foram destruídos – no sábado (29), não houve registros no sistema.

Junho de 2019 foi o pior mês desde que o sistema de monitoramento de alertas foi criado, em 2015.

ENTENDA

Instabilidade compromete uso de WhatsApp, Instagram e Fcaebook em países da América do Sul e Europa

Foto: REUTERS / Thomas White

O WhatsApp está com instabilidade e compromete o download de  áudios na manhã desta quarta-feira (3). A versão web do mensageiro, também apresenta falha no download de imagens.

Segundo relatos de usuários no Twitter, o aplicativo parou de funcionar por volta de 10h40 de hoje. De acordo com site DownDetector, que monitora o funcionamento de serviços online, mostra que o problema atinge principalmente o Brasil e países da Europa.

Assim como o WhatsApp, o instagram e Facebook também apresentam instabilidade. O problema afeta os aplicativos  para celular Android e do sistema IOS(Iphone).

Militar da comitiva de Bolsonaro é preso na Espanha transportando 39 kg de cocaína

Um militar da Aeronáutica Brasileira foi detido na terça-feira (25) no aeroporto de Sevilha, na Espanha, por transportar 39 kg de cocaína.

A prisão do segundo-sargento- que integra a comitiva de Bolsonaro-, ocorreu quando o avião da Força Aérea Brasileira (FAB) pousou  no aeroporto da capital da região da Andaluzia, de acordo com o jornal espanhol “El País”.

O militar preso estava escalado na viagem de Jair  Bolsonaro ao Japão para a cúpula do G20. Segundo o jornal El País, militar foi detido quando os tripulantes  e suas bagagens passaram pelo controle alfandegário no aeroporto espanhol.

 A escala  de Bolsonaro  estava prevista para Sevilha,porém após a divulgação da notícia, a escala foi modificada para Lisboa, em Portugal.

Já o  presidente  em exercício, Hamilton Mourão, disse que o militar não fazia parte da comitiva do presidente.

Fontes policiais disseram ao jornal espanhol “El País” que a droga não estava sequer camuflada entre roupas,em sua mala, havia apenas drogas.

Justiça do DF autoriza senador em prisão domiciliar a passar férias no Caribe

O senador Acir Gurgacz (PDT-RO), que cumpre pena em regime aberto e dá expediente no Congresso, recebeu autorização da Justiça do Distrito Federal para passar férias em um resort  no Caribe. A viagem está prevista para ocorrer de 17 de julho a 3 de agosto.

A medida, que também recebeu parecer favorável do Ministério Público do DF, tem o poder de suspender temporariamente a execução da pena aplicada ao político durante o período em que ele estiver fora do país.

Em outubro do ano passado, Acir Gurgacz foi condenado a 4 anos e 6 meses de prisão por crimes contra o sistema financeiro. De acordo com a denúncia, o senador teria obtido, mediante fraude, um financiamento junto ao Banco da Amazônia e se apropriado de R$ 525 mil. A reportagem tenta contato com a defesa do político.

Senador Acir Gurgatcz Foto: Waldimir Barreto/ Agência Senado

O senador Acir Gurgacz deixou o semiaberto e passou a cumprir o restante da pena em aberto  em maio deste ano. O parlamentar estava preso no Complexo Penitenciário da Papuda desde outubro do ano passado e tinha autorização para dar expediente no Senado durante o dia, desde que retornasse à cadeia à noite.

No entendimento da juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais (VEP), Gurgacz cumpriu tempo suficiente para ser contemplado com a progressão de regime — um sexto da pena à qual foi condenado, de 4 anos e 6 meses de prisão.

Além disso, a magistrada afirmou ainda que “inexistem faltas graves pendentes de apuração” relacionadas ao senador.

Pelos cálculos da VEP, Gurgacz ficou 9 meses e 9 dias na prisão. Ainda faltam 3 anos, 8 meses e 21 dias, que poderão ser cumpridos em casa.

A fim de encurtar a pena, o político fez cursos à distância. Entre eles o de formação para vendedor, de atendimento ao público e técnicas básicas em arquivo e informação.

Conforme a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR), no período de 2003 a 2004, o senador teria obtido, mediante fraude, financiamento junto ao Banco da Amazônia com a finalidade de renovar a frota de ônibus da Eucatur, empresa de transporte gerida por ele.

De R$ 1,5 milhão liberados, Acir Gurgacz foi acusado de se apropriar de R$ 525 mil. Com o restante, comprou ônibus velhos, diferentemente do objeto do empréstimo que era a compra de ônibus novos, prestando contas com notas fiscais falsas.

Enquanto estiver de férias, Gurgacz pretende se hospedar por 18 dias no Renaissance Aruba Resort & Casino. Uma diária no hotel, no mar do Caribe, custa em média R$ 4 mil, segundo a página do estabelecimento na internet.

De acordo com as regras da Vara de Execuções Penais (VEP), o senador não pode consumir bebidas alcoólicas e está proibido de frequentar “locais de prostituição, jogos, bares e similares”. O estabelecimento, no entanto, comercializa drinks e abriga um cassino.

G1/DF

Moro cancela ida à Câmara para falar sobre conversas publicadas por site

 Sérgio Moro cancelou a sua ida à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados marcada para quarta-feira (26) para dar explicações sobre mensagens publicadas pelo The Intercept atribuídas a ele  e a coordenadores da Operação Lava Jato.

A assessoria de imprensa do ministro da Justiça e Segurança Pública informou que ele não poderia comparecer à audiência na Câmara devido a uma viagem oficial aos Estados Unidos.

Como se tratava de um convite, e não convocação, o ministro não era obrigado a comparecer. Ainda não foi marcada nova data.

O adiamento da participação de Moro em audiência na Câmara já vinha sendo tratado desde o último sábado (22). O presidente da CCJ não se opôs ao adiamento porque acredita que a Câmara precisa se concentrar na aprovação da  reforma da Previdência durante esta semana.

Com informações do G1

CCJ do Senado aprova convite para Dallagnol explicar troca de mensagens atribuídas a Moro e procuradores

 Na Foto: Deltan Dallagnol, procurador e coordenador da Operação Lavajato (José Cruz/Agência Brasil)

As conversas foram divulgadas pelo site The Intercept. Segundo o site, Moro, então juiz responsável pela Lava Jato no Paraná, orientou ações e cobrou novas operações dos procuradores que atuam na operação. Dallagnol é o coordenador da força-tarefa.

Por se tratar de um convite, o procurador não é obrigado a comparecer à CCJ. Se fosse uma convocação, a presença seria obrigatória. A presidente da comissão, senadora Simone Tebet (MDB- MS), disse que o colegiado não tem poder para convocar procuradores da República.

Nesta quarta-feira (19), está prevista uma audiência com o ministro Sergio Moro na CCJ do Senado. Ele será ouvido sobre as mensagens publicadas pelo The Intercept.

Quando o site divulgou as conversas atribuídas aos ministros e procuradores, Moro afirmou que houve uma “invasão criminosa” e disse que não vê anormalidade nas supostas mensagens.

 G1