PM que denunciou respiradores comprados por Flávio Dino escondidos em galpão é exonerado

O soldado da Polícia Militar, Wertlison Mendes Pereira, que durante o início da pandemia da Covid-19 publicou um áudio denunciado o armazenamento de 107 respiradores que foram comprados pelo Governador Flávio Dino, mas estavam sem uso em um galpão no bairro do Monte Castelo, foi exonerado do quadro de servidores da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão.

Nas redes sociais, amigos e pessoas próximas a Wertlison estão revoltados com a decisão de Flávio Dino e afirmam que o PM foi exonerado por falar a verdade, enquanto diversas pessoas morriam pelo não uso do equipamento.

Na publicação em que informa a exoneração do PM, o soldado é acusado de conduta que afeta a honra pessoal, o pundonor militar e o decoro da classe, bem como por contrariar os preceitos da ética policial-militar.

Relembre o áudio:

 

Equatorial é acionada pelo MP, por má prestação de serviço em Vitória do Mearim

Moradores do bairro Manijituba, localizado no município de Vitória do Mearim, acusam a empresa Equatorial Maranhão da precária distribuição de energia elétrica na região.

De acordo com informações, no dia 04 de agosto a empresa tinha assumido um termo de compromisso com a Promotoria de Justiça do Ministério Público Estadual para que a situação fosse resolvida.

Ainda de acordo com informações do Ministério Público, os moradores voltaram a relatar que, embora a empresa tenha ido ao local, o serviço realizado não foi efetivamente solucionado, assim como, a equatorial não comprovou que realizou os compromissos assumidos em audiência extrajudicial realizado na Promotoria de Justiça.

Com base na nova denúncia, o MP vai dar continuidade às investigações que vão apurar o caso da suposta má prestação do fornecimento de energia elétrica no bairro. O MP enviou um ofício para a Equatorial Maranhão, para que forneça o compromisso e o cronograma que assumiu na promotoria de Justiça de Vitória do Mearim, no dia o4 de agosto de 2021.

Esquema de compra ilegal de combustível pela Câmara de Estreito é alvo de investigação

Um esquema que envolve um contrato para aquisição de combustíveis e lubrificantes para abastecimento de veículos que servem à Câmara de Vereadores de Estreito é alvo de uma investigação do Ministério Público que apura irregularidades no Pregão Presencial nº 001/2018.

De acordo com informações, a Câmara de Vereadores de Estreito firmou contrato de fornecimento de combustíveis e lubrificantes, durante o ano de 2018, com empresa que não comprovou sua regularidade fiscal e com preços superiores ao estabelecido no mercado, o que pode acarretar em ato de improbidade administrativa do art. 10, I e VIII da LIA e crimes previstos no art. 312, CP e art. 92 da Lei nº 8.666/1993.

O Ministério Público designou a Técnica Ministerial, Conceição de Maria Viana Egypto Felix, para exercer a atividade de secretária nas investigações.

Ex-prefeito é acusado de exigir e receber parte de salários de funcionários

O ex-prefeito de São Francisco do Maranhão, Valdivino, e sua esposa, Teila, são acusados de exigirem e terem recebido valores indevidos de servidores públicos municipais, nos anos de 2013 e 2014, quando Valdivino era gestor do município.

A denúncia foi apresentada pelas senhoras Rosana Lúcia Lopes da Cruz Pereira, Maria Dalva da Cruz Pereira, Maria Edilane Siqueira de Araújo e Rosana Lúcia Lopes da Cruz Pereira, que acusam os dois de agirem de má fé e serem lideres de um esquema de rachadinha.

O Ministério Público pediu que Valdivino Nepomuceno esclareça a situação. Também foi requisitado ao atual prefeito que informe no prazo de 10 dias, qual o cargo era exercido pela mulher do ex-prefeito, Teila, afim de ela seja informada sobre as investigações.

Em meio a burburinhos de um novo aumento de passagem, ônibus pegam fogo em São Luís

Ônibus sucateados e sem manutenção começam a pegar fogo em meio a ruas e avenidas de São Luís. Em pouco menos de 5 dias, pelo menos dois coletivos foram completamente tomados pelas chamas.

Nas sexta feira-feira (17), um ônibus que faz a linha Cohatrac IV, pegou fogo após uma possível pane elétrica. Já na noite de ontem (22), um ônibus da empresa Arueira que faz linha São Raimundo/Rodoviária foi consumido pelas chamas na avenida Beira Mar, próximo a ponte do São Francisco, em ambos os casos felizmente ninguém ficou ferido.

Em meio a burburinhos de um novo aumento de passagem, as empresas deveriam pelo menos prestar um serviço de qualidade.

TCE considera ilegal contrato entre prefeito de Paulo Ramos e escritório João Lopes de Oliveira Advogados Associados

O Presidente do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão encaminhou ao Ministério Público a decisão do Processo nº 6705/2017-TCE/MA, que trata de possível irregularidade da contratação do escritório João Lopes de Oliveira Advogados Associados pelo prefeito do município de Paulo Ramos, Adailson Machado, para que sejam revistos os valores referentes à diferença de complementação ao FUNDEB.

De acordo com informações, o Tribunal de Contas Estadual decidiu: “considerar procedente a representação e ilegal o Procedimento de Inexigibilidade, que deu origem ao contrato celebrado entre o Município de Paulo Ramos e o escritório João Lopes de Oliveira Advogados Associados, bem como todos os atos administrativos dele decorrentes”.

Um oficio será encaminhado para que as partes tomem conhecimento da situação.

 

Mais um acidente é registrado na estrada da morte no Araçagy

A falta de compreensão sobre a nova sinalização da estrada do Araçagy, por onde vai passar o BRT, tem gerado inúmeros acidentes na região. Na manhã de hoje (22), foi registrado mais uma colisão na avenida. Dois veículos se chocaram e ficaram completamente destruídos, o que deixou o trânsito totalmente paralisado na região.

Depois que o Governo do Estado liberou o acesso dos veículos na avenida, pelo menos duas pessoas já morreram. O caso de maior repercussão ocorreu no dia 10 de setembro, quando um ônibus coletivo, um caminhão e uma motocicleta se chocaram, resultando na morte instantânea de duas pessoas, na MA -203, próximo da Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

A população reclama que o serviço de sinalização não está sendo compreendido e que isso tem colocado diariamente várias vidas em risco. Nas redes sociais algumas pessoas tentam explicar como funciona o sistema de sinalização, mas até o momento o numero de acidentes só aumentam.

SERVIÇO PORCO! Julinho manda botar areia em entrada do parque Jair e moradores continuam isolados

Moradores do Parque Jair, em São José de Ribamar, continuam isolados e sofrendo com a precariedade da falta de infraestrutura que tem colaborado com o avanço da extrema pobreza registrado no bairro.

De acordo com informações, nas eleições municipais de 2020, os moradores do Parque Jair conseguiram eleger o vereador, Moisés Gama que só se posicionou a favor dos moradores do bairro, após denúncia do nosso blog.

As ruas do Parque Jair são motivos de verdadeira vergonha para a sua população. O local é intrafegável e sem iluminação, o que tem aumentado o índice de assaltos, violência e demonstração de extrema pobreza.

Vídeo:

 

MP investiga e cobra posicionamento de Paula Azevedo sobre a invasão do Cidade Verde

A falta de um posicionamento da prefeita de Paço do Lumiar, Paula Azevedo, levou o Ministério Público Estadual a investigar a invasão com desmatamento de uma extensa área de preservação permanente (margem de rio), no bairro Cidade Verde, próximo a Associação de Moradores.

De acordo com informações, a instituição tomará as providências iniciais imprescindíveis para apuração dos fatos noticiados que devem encerrar no prazo de 30 dias, podendo ser prorrogado por mais 90, se necessário mais tempo para esclarecimentos e novas diligências.

A instituição determinou que a Secretaria de Meio Ambiente de Paço do Lumiar, faça urgentemente uma vistoria e fiscalização na área, devendo em 1º dias encaminhar um relatório para a Promotoria de Justiça.

Prefeito de Amarante do Maranhão vai responder por possíveis fraudes em licitações

Processos licitatórios, na modalidade Pregão, realizados no 1° semestre de 2021, são alvos de uma investigação contra o prefeito de Amarante do Maranhão, Vanderly do Comércio. Na apuração, o Ministério Público analisa quantos processos foram feitos de forma eletrônica e presencial.

De acordo com informações, durante o 1° semestre de 2021, a Promotoria de Justiça analisou inúmeros procedimentos licitatórios realizados pela atual gestão de Amarante e foi constatado que todas as licitações na modalidade Pregão foram na forma presencial.

A ausência do pregão em fome eletrônica chamou atenção do Ministério Público, já que em setembro de 2019, o Decreto nº 10.024, autorizou a licitação, na modalidade eletrônica, para a aquisição de bens e a contratação de serviços comuns, no âmbito da administração pública, por considerar que essa forma propicia maior competitividade entre potenciais fornecedores, favorecendo a economia na aquisição dos bens, com melhor possibilidade de alcance de propostas mais vantajosas, pelas características das disputas.

O MP quer uma explicação por conta da ausência dessa modalidade.