Polícia Civil deflagra operação em combate ao tráfico de drogas no Maranhão e na Paraíba

Material apreendido durante operação Camboa Foto: Polícia Civil

Uma  operação  deflagrada pela Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC), com  apoio da Superintendência da Capital (SPCC), do Interior (SPCI), de Combate ao Narcotráfico (SENARC), nesta sexta-feira(19),  resultou no cumprimento de 30 mandados judiciais.

A “Operação Camboa” realizada simultaneamente no  Maranhão em conjunto com agentes do Centro de Inteligência da Polícia Civil da Paraíba e da Delegacia Especializada em Crimes contra o Patrimônio em Campina Grande, visava o combate de drogas nos dois estados.

Dos mandados cumpridos, 22 foram de busca e apreensão, quatro de prisão preventiva e quatro autos de prisão em flagrante por tráfico ilícito de entorpecentes, posse ilegal de munição e uso de documentos falsos.

Cinco pessoas foram presas no Maranhão, dentre eles Guilherme Bruno Gomes Moraes, Paulo Ricardo Sá, Cristiane Pires, Luan Roger Ferreira da Silva e Kassio Breno Pinto Moreira. Victor Lucci da Silva, conhecido como ‘Vitão’, foi preso nesta sexta em Campina Grande na Paraíba. De acordo com a polícia, ele estava foragido desde setembro do ano passado e é apontado como líder de uma facção criminosa que atua na cidade paraibana.

Polícia Civil apreende 150 kg de drogas em Coroatá

150 kg de drogas apreendidas durante operação  no município do Coroatá  Foto: Polícia Civil

Uma operação da Polícia Civil apreendeu na  última quarta-feira (17) 150 kg de drogas no município de Coroatá.

Segundo informações   policiais, a operação batizada de “Cilene”, aconteceu no bairro Vila Cilene, em Coroatá, e durante a ação policial foram presos Raimundo Nonato Lopes Souza, de 40 anos, conhecido  como “Neto”, e Rogério Rodrigues Araújo, 33, que é conhecido também como “Prateado”.

A polícia ainda apreendeu  dinheiro e mais um veículo de passeio. O objetivo da operação “Cilene” era o cumprimento de  mandado de busca e apreensão e prisão de suspeitos de tráfico de drogas situados no bairro Cilene. Os mandados de busca e apreensão e prisão foram  concedidos pelo Poder Judiciário da Comarca de Coroatá.

Raimundo Nonato Lopes Souza e Rogério Rodrigues Araújo foram  autuados pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Polícia Civil e Gaeco deflagram operação ” Créditos Ilusórios” que lesou cofres públicos em R$ 70 milhões

A Superintendência de Prevenção e Combate à Corrupção (SECCOR), e o Grupo de Atuação Especial no Combate às Organizações Criminosas (GAECO), do Ministério Público,deflagraram na manhã desta quinta-feira(18), a Operação Créditos Ilusórios em cumprimento  a mandados de busca, apreensão e prisão de membros de uma Organização Criminosa especializada em fraudes tributárias e sonegação de impostos decorrentes do escoamento e comercialização de grãos, principalmente provenientes de municípios do Sul do Maranhão.

Também participaram da operação  policias civis dos Estados do Ceará, Tocantins e Piauí,  da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) que aconteceu   de forma simultânea e integrada com a Operação WALKING DEAD, realizada pela Polícia Civil do Tocantins, que foi assim batizada por ter sido identificado a utilização de dados de pessoas já falecidas na criação de empresas fantasmas integrantes do esquema criminoso.

Ao todo, foram cumpridos 65 mandados judiciais: 25 mandados de prisão temporária, 02 de prisão preventiva e 38 mandados de busca e apreensão nas Cidades de Araguaína/TO, Xinguara/PA, Riachão/MA, Balsas/MA, Floriano/PI e Fortaleza/CE, dando um total de 65 Mandados Judiciais.

A investigação, que corre em segredo de justiça na 1ª Vara Criminal de São Luís/MA, constatou a existência de uma organização criminosa com atuação interestadual, que por meio de empresas de fachada e da emissão de notas frias, se utilizava de benefícios fiscais – créditos tributários gerados ilicitamente.

De acordo com levantamentos feitos no âmbito da Secretaria de Fazenda do Maranhão, só no período compreendido entre os anos de 2015 a 2017, esta organização criminosa já causou um prejuízo para o Estado do Maranhão de mais de setenta milhões de reais, por sonegação de ICMS.

Constatou-se, ainda, que os membros da organização operavam o esquema com três núcleos de empresas, o primeiro núcleo era composto pelas empresas de fachadas, constituídas inclusive com uso de documentos falsos e pessoas fictícias, que através de operações simuladas e emissão de notas fiscais frias geravam créditos tributários às empresas do segundo núcleo, responsáveis pela intermediação de operações de compra e venda de grãos. Já o terceiro núcleo era composto por empresas contábeis responsáveis por mascarar e dar aparência de legalidade a estas transações.

Esta é a segunda operação realizada pela SECCOR com o objetivo de desarticular organização criminosa com envolvimento ilícitos em operações de agronegócio, em 2017 já havia sido deflagrada a operação Paraíso Fiscal que também contou com as participações do Gaeco e da Sefaz e desmantelou outra organização que agia nos mesmos moldes desta e que estava infiltrada principalmente nos Estados do Maranhão e no de Goiás.

Idoso é suspeito de estuprar a própria neta em Itapecuru Mirim

Foto: Divulgação/Polícia Civil

 A Delegacia Especial da Mulher de Itapecuru Mirim, a 108 km de São Luís, prendeu na terça-feira (16) em Itapecuru Mirim, Genézio Sousa Beserra, por ser suspeito de ter estuprado a sua própria neta, uma adolescente de apenas 12 anos.

Segundo a polícia, a prisão de Genézio Sousa aconteceu no Povoado Carmo, Itapecuru Mirim, após os policiais terem recebido uma denúncia anônima informando sobre o crime contra a sua própria neta.

Genézio Sousa Beserra foi autuado pelo crime de estupro de vulnerável. O crime tem como pena de 8 a 15 anos de prisão. Ele permanecerá custodiado na Unidade Prisional de Itapecuru ficando à disposição da Justiça.

Operação do Gaeco e da Polícia Civil cumprem mandados de prisão, busca e apreensão

Foto: Divulgação

O Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) e a Superintendência de Prevenção e Combate à Corrupção(Seccor) da Polícia Civil realizaram na manhã desta segunda-feira, 17, uma operação para cumprimento de mandados de busca e apreensão de documentos e prisão preventiva em São Luís, Paço do Lumiar e Goiânia, por força de decisão da 1ª Vara Criminal do Termo Judiciário da Capital.

As investigações, conduzidas pelo Gaeco em conjunto com o 1° Departamento de Combate à Corrupção (1° Deccor), apuraram um esquema de corrupção com a participação de servidores da Coordenadoria de Precatórios do Tribunal de Justiça, visando favorecer credores da Fazenda Pública na elaboração de cálculos em desacordo com a decisão judicial, bem como em dar preferência na ordem de pagamento em troca de vantagem financeira.

Segundo apurado até o momento, os servidores Daniel Andrade Freitas e Thiago da Silva Araújo, além terceirizado Thiago Rafael de Oliveira Candeira, presos na sede administrativa do Tribunal de Justiça, obtinham informações sobre os credores de precatórios e entravam em contato por telefone solicitando vantagem para que eles tivessem seus pagamentos incluídos na lista.

O esquema também tinha a participação de Wendel Dorneles de Moraes, preso em Goiânia. Daniel Freitas, Thiago Araújo e Thiago Candeira facilitavam o acesso de Wendel à planilha de credores e valores. Em seguida, Wendel fazia a intermediação entre estes e os credores através de contato telefônico solicitando valores. Todos já estão presos.

O Gaeco do Ministério Público de Goiás auxiliou a operação  para o cumprimento do mandado de prisão de Wendel Moraes,em Goiânia.

 

Assaltantes invadem agência dos Correios e fazem reféns em Lago da Pedra

Homens que invadiram e assaltaram a agência dos Correios de Lago da Pedra. Foto: Reprodução

Nesta sexta-feira (12), dois homens invadiram a agência dos Correios e fizeram reféns no município  Lago da Pedra, a 245 km distante de São Luís.

Segundo informações repassadas pela  Polícia Civil, por volta das 10h da manhã, dois homens entraram no local se passando por clientes. Eles renderam os vigilantes e clientes anunciaram o assalto e exigiram do gerente a senha do cofre. os homens  subtraíram pertences dos  clientes e o  dinheiro dos guichês.

Após tomarem conhecimento do fato em curso, viaturas das polícias civil e militar conseguiram chegar ao local ainda durante o assalto e cercaram a agência. Um dos assaltantes fez um vigilante e outro homem de refém, mas acabou se entregando.

Após serem presos, a dupla foi encaminhada para a Delegacia de Lago da Pedra. O  crime deverá ser apurado  pela Polícia Federal.

Momento em que os assaltantes se entregam durante roubo aos Correios de Lago da Pedra
G1 MA

–:–/–:–

Polícia Federal realiza operação Floresta de Papel no Maranhão e mais 4 estados

Operação Floresta de Papel,da Polícia Federal realizada em Roraima, Maranhão,Amazonas, Mato Grosso e Pará Foto: Polícia Federal

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (12) a operação Florestas de Papel, que mira um esquema de desmatamento ilegal que movimentou cerca de R$ 80 milhões. A ação envolvendo mais de 150 policiais e ocorre em Roraima, Amazonas, Mato Grosso, Maranhão e Pará.

São cumpridos oito mandados de prisão, 56 de busca e apreensão e quatro de suspensão de atividades econômicas. Um empresário que estava de férias em Fortaleza foi detido. Ele tem oito empresas em seu nome e seria um dos maiores beneficiários do esquema.

Segundo a PF, operação foca em 22 madeireiras que cometeram as irregularidades entre 2014 e 2017, principalmente no Sul de Roraima. Os mandados foram expedidos pela 4ª Vara da Seção Judiciária do estado.

Nas investigações, a Polícia Federal identificou o desmatamento de 260.000 metros cúbicos de madeira, o suficiente para encher 8 mil caminhões.

 Ainda segundo a polícia, os donos das firmas usavam laranjas e empresas de fachada para conseguir a emissão de DOFs, licença exigida para transporte e armazenamento de produtos e subprodutos florestais de origem nativa, como toras de madeira e madeira serrada.

As fraudes eram feitas no SISDOF, sistema do IBAMA que gerencia a expedição dos Documentos de Origem Florestal (DOF).

“A PF identificou mais de 91.000 metros cúbicos de madeira serrada que teriam sido “regularizadas” mediante fraude. Convertidas em toras de madeira, este quantitativo se aproxima de 260.000 metros cúbicos, ou 120.000 toras, o suficiente para carregar aproximadamente 8 mil caminhões”, detalhou a PF.

Dentre as espécies desmatadas encontravam-se Ipês, Cedros, Maçarandubas, Aroeiras e Jacarandás, dentre outras. No mercado, o valor das madeiras envolvidas na fraude poderia chegar a quase R$ 80 milhões.

Polícia Civil cumpre mandado de prisão contra suspeito de explodir agência bancária no MA

 Valdenir Coelho Granja Foto: Polícia Civil

 O Departamento de Combate ao Roubo a Instituições Financeiras (DCRIF), da Superintendência de Investigações Criminais(SEIC), deu cumprimento na quarta-feira (10), em São Luís, a um mandado de prisão preventiva, expedido pela comarca de Aparecida de Goiânia(GO),em desfavor de Valdenir Coelho Granja, também conhecido como “TG”. Ele é suspeito de ser um dos integrantes da associação criminosa responsável por explosões em agências bancárias e terminais de autoatendimento nos estados do Goiás, Pará e Maranhão.

Segundo  informações policiais , Valdenir Coelho foi preso em um condomínio, situado no bairro Forquilha, onde ele estava residindo há alguns meses. Na ocasião, ele também foi preso em flagrante pela posse de uma pistola calibre 380, com numeração suprimida e além do uso de documentos falsos.

Pistola 380 encontrada em poder de Valdenir Foto: Polícia Civil

Na ação criminosa ocorrida em Penalva, os criminosos destruíram a referida agência utilizando-se de artefatos explosivos. As investigações continuam com o intuito de identificar, localizar e prender os demais integrantes da associação criminosa.

Fisioterapeuta é denunciado na delegacia por roubo

Ocorrência registrada na delegacia do Vinhais acusa o fisioterapeuta Diogo Melo de roubo a um stúdio de pilates em São Luís.

O fato ocorreu em um estúdio, que fica no Cohafuma, onde o mesmo foi contratado para ministrar aulas.

Alunos relataram que fizeram pagamentos de mensalidades ao fisioterapeuta, que não repassava os valores e ocultando, assim, registros de entrada de novos alunos.

“Estava recebendo os pagamentos das mensalidades e não me repassava”, disse a proprietária da empresa.

Alunos relataram que fizeram pagamentos de mensalidades ao fisioterapeuta, que não repassava os valores e ocultando, assim, registros de entrada de novos alunos.

“Estava recebendo os pagamentos das mensalidades e não me repassava”, disse a proprietária da empresa.

A denúncia traz ainda relatos de que, ao ser demitido, Diogo confessou que recebeu pagamentos de alunos e se apropriou indevidamente.

O fisioterapeuta será processado e responderá criminalmente pela acusação de roubo.

Polícia Civil e Militar realizam Operação Jagunço e apreendem armas e munições em Carolina

Foto: Polícia Civil

Uma ação  das Polícias Civil e Militar do município de Carolina em conjunto com a   Polícia Civil de Goiatins/TO, resultou  nesta quinta-feira (11),nas prisões de Antonio da Anunciação, Jorge dos Santos Rodrigues, Maria de Jesus dos Santos Rodrigues, Irinelton Andrade da Silva, Jovenilson da Silva Torres;além da  apreensão de  um menor .

Segundo informações policiais, a ação denominada de” Operação Jagunço” foi realizada  no Povoado Helenópolis, situado na zona rural do município de Carolina.

Durante a operação, foram apreendidas 25 armas de fogo, dezenas de caixas de munições de diversos calibres, pólvora e chumbo para recarga de cartuchos e espoletas.

Os presos foram conduzidos para a  Delegacia de Carolina, onde foram  autuados na Lei 10.826/03 do Código Penal Brasileiro pelo crime de comércio ilegal de arma de F-fogo