Bomba! Soldado que matou a ex-mulher é reintegrado ao quadro de Praça da PM

O soldado Carlos Eduardo Nunes Pereira que assassinou a sua ex-mulher Bruna Lícia Fonseca Pereira e o amante José Willian dos Santos Silva, será reintegrado ao quadro de Praça da Polícia Militar do Maranhão. A informação foi publicada no Diário Oficial.

RELEMBRE O CASO

No dia 25 de janeiro de 2020, o policial militar Carlos Eduardo Nunes Pereira, de 31 anos, matou a tiros sua ex-mulher, Bruna Lícia Fonseca Pereira, e José Willian dos Santos Silva, colega de trabalho dela, com o qual a mulher supostamente mantinha um relacionamento amoroso.

O crime foi cometido no apartamento dela, no Condomínio Pacífico I, no bairro Vicente Fialho, em São Luís. A mulher foi atingida com dois tiros, sendo um no seio e outro no abdômen, enquanto José William levou cerca de quatro tiros. Segundo a Polícia Civil, pelo menos oito tiros foram efetuados pelo policial.

 

Atenção Jefferson Portela ! Pôr do sol da COVID terá animação de Tonny Guerra em São Luís

Aglomeração, forró, covid e animação. Assim deve ser o evento com Tonny Guerra em São Luís do Maranhão.

O evento acontece neste sábado (19).

O evento é um verdadeiro atentado à saúde pública do estado do Maranhão.

Com ingressos a R$ 70,00, o evento irá vender ainda suítes (camarotes) para 12 pessoas no valor de R$ 2.500,00.

Será que Jefferson Portela, Carlos Lula, Joel Nunes, Eduardo Braide e Flávio Dino vão permitir esse evento no momento que foi decretado luto oficial pela morte morte de meio milhão de pessoas?

 

 

BOMBA BOMBA! Família do Deputado Juscelino Filho ameaça quilombolas em Santa Inês

O Moquibom – Movimento Quilombola do Maranhão – publicou nota de repúdio contra os atos de violência cometidos ao Quilombo Cuba, que fica no município de Santa Inês.

A denúncia é que o quilombo está sendo invadido pelo fazendeiro conhecido como Doutor Felipe Bringel. Além de desmatar com motosserra uma área do quilombo, o primo do Deputado Federal Juscelino Filho está ameaçando os quilombolas dizendo que “passa por cima de todos que entrarem em sua frente”.

Esse jeito truculento da família Juscelino Filho já é conhecido na região. O tio do Deputado Juscelino Filho é o ex-prefeito de Santa Inês, Roberth Bringel, que tem sua fama de arrogante e de humilhar as pessoas. O que faz a comunidade buscar apoio aos movimentos sociais por medo de ser dizimada pela impunidade e poderio do parlamentar.

Leia a seguir a nota de Repúdio do Moquibom:

NOTA DE REPÚDIO

O Movimento Quilombola do Maranhão – MOQUIBOM vem a público repudiar veementemente os atos de violência que a Comunidade quilombola de Cuba, em Santa Inês – MA , vem sofrendo.
O Quilombo Cuba está sendo invadido pelo fazendeiro conhecido como Doutor Felipe Bringel, segundo relatos dos quilombolas, Felipe Bringel, está desmatando com motosserra uma reserva antiga deixada por seus ancestrais. Diante da resistência , o fazendeiro está ameaçando passar por cima de tudo e todos, porque ele teria comprado as terras de outro fazendeiro conhecido como Egberto. Além disso, diz não reconhecer nenhum Quilombo no município de Santa Inês. Hoje, 16 de junho, o fazendeiro tentou invadir e iniciar o desmatamento com trator, mas os quilombolas não permitiram, colocando cadeado na “Cancela”. Diante disso o fazendeiro prometeu voltar amanhã, dia 17 de junho.
Dr. Felipe Bringel ao invadir e comentar que não reconhece quilombolas naquele território está violando a Constituição Federal e a Convenção 169 da OIT. Dizer que a comunidade de Cuba não é Quilombola é racismo.
Segundo os quilombolas de Cuba, até o momento não tiveram o direito de registrar essas ocorrências na Delegacia de Polícia Civil de Santa Inês.
Solicitamos que o Ministério Público Estadual e Federal , a Secretaria de Meio Ambiente, a Secretaria de Igualdade Racial, a Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular, a Secretaria de Segurança Pública e demais órgãos competentes tomem as providências cabíveis afim de combater a violência e o racismo que matam Corpos-Territórios .
Convocamos as organizações que defendem a vida a se juntarem aos quilombolas dos Quilombos de Cuba, Marfim e Onça na defesa do Direito de viverem em Paz em seu Territórios no qual tecem todos os dias os fios do Bem Viver.
Seguimos de pé, em Luta pelo Direito de Viver e Proteger a Mãe Terra para guardar a Memória dos nossos Ancestrais e garantir o futuro das próximas Gerações .

Movimento Quilombola do Maranhão – MOQUIBOM
16 de junho de 2021

01 – Quilombo Nazaré
02 – Quilombo Rosário
03 -Quilombo Mundico
04 – Quilombo Bacuri
05 – Quilombo Boa Esperança II
06 – Quilombo Santa Luzia
07 – Quilombo Cocalinho
08 – Quilombo São José dos Brito
09 – Quilombo Juçaral
10 – Quilombo Aranha
11 Quilombo Rio do Curral
12 – Quilombo Santo Antônio do Costa
13 Quilombo Cruzeiro e Triângulo
14 Quilombo Açude
15 Quilombo Boi de Carro
16 Quilombo Pindobal de Fama
17 Quilombo São Roque
18 Quilombo Bem Fica
19 Quilombo Vivo
20 Quilombo Guerreiro
21 Quilombo Santa Rosa
22 Quilombo Mata de Pantaleão
23 Quilombo São Raimundo
24 Quilombo Pau Pombo
25 Quilombo Faxina/Bom Que Dói
26 Quilombo Janaubeira
27 Quilombo Ponta
28 Quilombo Cedro
29 Quilombo Iteno
30 Quilombo Chapadinha

Familiares e amigos de jovem com deficiência metal executado clamam por justiça

Familiares e amigos do jovem Hamilton César Lima Bandeira, que era portador de deficiência mental e teve a sua casa invadida por policiais, sendo foi executado na frente da sua família no município de Presidente Dutra, pedem por justiça.

Os moradores do Povoado Calumbi, onde Hamilton morava, estão revoltados com a situação e estão se organizando para realizarem uma manifestação contra a morte do jovem. De acordo com informações, Hamilton estava desarmado na hora da execução e não oferecia risco para ninguém.

A família do pai da vítima já está providenciando os documentos para dar entrada na corregedoria da polícia para que os envolvidos sejam punidos.

 

PM de Presidente Dutra relata que não participou de ação que terminou em morte de pessoa com deficiência mental

A Polícia Militar do Maranhão emitiu uma nota informando que não teve participação no caso do jovem executado no Povoado Calumbi, em Presidente Dutra. Na mensagem, a instituição afirmou:

Sobre a última postagem em que foi veiculada sobre a morte de uma pessoa com transtorno mentais, no povoado Calumbi, município de Presidente Dutra, venho esclarecer que não houve a participação de nenhum policial militar.

Braide bota ‘raposa’ em ‘galinheiro’

O prefeito de São Luís Eduardo Braide parece ter botado uma ‘raposa’ em um ‘galinheiro’ cheio de galinhas. A frase é uma reflexão sobre a nomeação de Nádia Quinzeiro que é acusada de ter sumido com quase R$ 150 mil da prefeitura de Ribamar.

Acompanhe:

A Prefeitura de São José de Ribamar encaminhou ao Ministério Público Estadual, na semana passada, representação contra a atual presidente do Instituto de Previdência e Assistência do Município (Ipam) de São Luís, Nádia Quinzeiro, por supostos pagamentos irregulares durante a passagem dela pelo Instituto de Previdência de Ribamar.

Segundo a denúncia, Quinzeiro teria realizado transferências bancárias de dinheiro público a empresas fantasmas e efetivado servidores na folha do órgão sem nomeações.

Na representação, ela e o exprefeito Eudes Sampaio, além de outros quatro denunciados, são instados a explicar, por exemplo, o pagamento de R$ 136.412,77 a uma empresa que não possui nenhum vínculo contratual com a Prefeitura de São José de Ribamar.

O repasse, destaca a representação, foi efetuado por meio de transferências bancárias nos meses de novembro e dezembro de 2020.

Além disso, empresa individual R. A Lopes Marques que deveria prestar serviços de locação de veículos, tem como titular um ex-servidor público, Rodrigo Marques, nomeado no mesmo período que a sua empresa foi contratada. Ele também foi denunciado ao MP.

Dados da folha de pagamento do município apontam que Rodrigo Marques recebia salário R$ 7.350,00 líquidos. Mas a nomeação dele não consta do Diário Oficial do Município.

Nomeação nesses mesmos moldes – sem publicação no Diário Oficial – foi feita, ainda segundo a denúncia, em relação a outros dois denunciados: Cristiano Prates e Daniel Barbosa. Eles foram inclusos na folha de pagamento do Instituto de Previdência na mesma data que o empresário Rodrigo Marques. Ambos recebiam a mesma remuneração, de R$ 7.350,00.

Segundo a Prefeitura de São José de Ribamar, a empresa R. A.

Lopes Marques nunca prestou serviços a qualquer outro órgão público ou privado. A empresa, registrada em fevereiro de 2020, também tem endereço fictício e o local apontado como sede tratase de um

apartamento residencial em um condomínio de classe média, na Av. Deputado Raimundo Leal, no bairro Jardim Eldorado, de acordo com a representação.

Pedidos Ao propor representação ao MP, a Prefeitura pede que as contas relativas ao exercício de 2020 do Instituto de Previdência do Município sejam julgadas irregulares, em razão do pagamento irregular de servidores, infração às normas de direito público, inexistência de serviços públicos, dispensa indevida de licitação e contratação ilegal de empresa de servidor público.

A Prefeitura pediu, também, o ressarcimento do dano, a perda de bens adquiridos de forma ilícita, pagamento de multa, proibição de contratar com poder público, indisponibilidade dos bens e a suspensão dos direitos políticos.

Além do ex-prefeito, da ex- presidente do Instituto, do empresário e dos falsos servidores, outro nome que aparece na representação é do ex-assessor especial André Luis Rocha Marques, que efetivou o pagamento a empresa de fachada sem o correto processo administrativo. Uma auditoria está sendo realizada no Instituto, no intuito de descobrir outras fraudes e o real prejuízo ao erário público.

Gestão diz que houve pagamentos indevidos Ex-gestora do IPSJR nega as acusações

Jovem com deficiência mental tem sua casa invadida e é executado por policiais

Um jovem portador de deficiência mental, conhecido como Hamilton Cesar Lima Bandeira, teve a sua casa invadida por policiais e foi executado na frente da sua família no município de Presidente Dutra, segundo relatos de moradores. Hamilton era bastante conhecido na região por usar as suas redes sociais para exaltar os Estados Unidos da América e falar sobre compra de mísseis e bombas para promover uma guerra no Povoado Calumbi, onde morava.

Ainda de acordo com informações, os policiais já tinham pedido para que o jovem parasse de fazer as postagens e ameaças, o que foi obedecido por ele. Moradores relatam que, com o surgimento do caso “Lázaro”, o jovem andava falando que era fã do psicopata, o que teria provocado a ira dos policiais que decidiram por sua execução.

Antes de ser executado, Hamilton (pessoa com deficiência intelectual), estava jogando bola com algumas crianças na casa de uma vizinha. Ao terminar o seu lazer, ele foi para sua residência onde foi assassinado. O jovem ainda foi levado para um Hospital em Presidente Dutra, mas não resistiu aos ferimentos, vindo a óbito.

Vídeo gravado minutos antes de Hamilton ser executado:

 

14 veículos foram roubados só no dia de ontem (17) na Grande Ilha

O roubo de veículos começou a se tornar uma grande preocupação para os moradores da Grande Ilha de São Luís. De acordo com informações da polícia da capital, só no dia de ontem (17), quatorze veículos foram roubados.

A polícia pediu para que a população fique em alerta e tome cuidado com qualquer suspeita de assaltou ou roubo próximos ao seus veículos. Ainda de acordo com a PM, muito desses veículos estão sendo utilizados para a prática de assaltos em São Luís.

Vídeo: milicianos são presos por assassinato e exploração de jogos clandestinos em São Luís

A Polícia Civil cumpriu na manhã de hoje (17), seis mandados judiciais de busca e apreensão em residências e salas comerciais localizadas nos bairros Liberdade, Turu, Calhau e Olho D’água, no intuito de arrecadar evidências ligadas aos crimes de homicídio, exploração de jogos clandestinos, organização criminosa e entre outros.

De acordo com informações, também foi elucidado o crime de homicídio qualificado, que teve como vítima fatal Bruno Vinícius Nazon Moares Borges, no dia 12 de fevereiro de 2021, na Avenida Litorânea, Calhau, na capital, próximo ao estabelecimento comercial “OBA-OBA”.

A investigação identificou, inicialmente, os 02 homens que planejaram e organizaram a execução da vítima, contratando miliciano, que são ex-integrantes da PMRJ, com atuação na baixada fluminense.

Após seguirem a vítima por vários dias, os executores encontraram as circunstâncias apropriadas para perseguir e atirar várias vezes, causando sua morte instantânea. Os criminosos estavam encapuzados e usando vestimenta tática completa, para evitar serem identificados e contaram com apoio logístico de outros desconhecidos.

Sobre a vítima e motivação, ficou evidenciado que ela era representante de organização criminosa goiana que explora jogo clandestino na capital, cujo grupo estaria em rota de colisão com outra ORCRIM, ligada à milicianos cariocas. As investigações continuam no sentido de identificar outros envolvidos com os fatos.

Na operação, foram apreendidos itens ligados a exploração de azar, uma espingarda calibre .22, veículos, sendo um blindado, uma espingarda calibre .22, um cofre contendo valores em dinheiro e agendas de apostas.

Os presos serão interrogados, submetidos a outras providências, e, logo, encaminhados para custódia na Polícia Penal, onde aguardarão o andamento das investigações e seu processamento.

Veja o vídeo: