VEXAME! Show de Safadão em Bom Jardim é cancelado de última hora

O show do cantor Wesley safadão que iria ocorrer na noite de hoje (18) em Bom Jardim, foi cancelado.

Safadão se quer viajou para a cidade.

A organização do evento e o cantor divulgaram nota relatando que motivos médicos afastaram o cantor do evento.

a organização do evento que é desconhecida pelo público não informou se vai devolver o dinheiro dos ingressos já comprados pelo público.

Os foliões já comentam que a não participação de safadão no evento é a  vergonha do ano.

Motorista é acusado de abusar sexualmente de aluna dentro de ônibus escolar em Cândido Mendes

José Maria Júnior

O Ministério Público da comarca de Cândido Mendes foi acionado na ultima sexta feira (06) com uma denúncia gravíssima de abuso sexual envolvendo um motorista de ônibus que trabalha para prefeitura do município cujo prefeito é Mazinho Leite.

De acordo com testemunhas o motorista José Maria Júnior aproveitou o momento em que os alunos iam sendo deixados em casa para ficar sozinho com uma das alunas e praticar o abuso sexual. Ainda de acordo com as denúncias a vitima teria conseguido fugir após perceber que o veiculo se aproximava de sua residência.

O Ministério Público já tomou conhecimento da denúncia e das alegações de que o motorista é tido na cidade como “braço direito” do prefeito Mazinho Leite, o acusado encontra-se foragido.

O gestor e a secretaria de educação do município não se manifestaram sobre o caso.

O fato deixou a família da jovem e a vizinhança em estado de pânico.

Operação da PF desmonta madeireiras ilegais em Zé Doca

Uma operação conjunta da Polícia Federal, Exército, Ibama e Funai culminou na apreensão de 500 m³ de madeira no POvoado Nova Conquista, em Zé Doca. Ação é a segunda fase da Operação Ka’apor, que foi deflagrada em outubro de 2018.

Além da madeira, foram interditadas três serrarias de grande porte, e apreendidos dois caminhões novos que estavam carregados de madeira e de diversos equipamentos destinados ao beneficiamento de madeira criminosamente furtada do interior da terra indígena Awá.

O proprietário da maior serraria foi identificado, tratando-se de contumaz infrator da legislação ambiental, tendo sido já autuado pelo IBAMA e descumprido diversos embargos judiciais.

A Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente e Patrimônio Histórico – DELEMAPH/SR/PF/MA irá indiciá-lo, além de outros envolvidos, por diversos crimes ambientais, além de descumprimento de embargos judiciais, furto de madeira da União Federal e associação criminosa.

PRF prende condutor trafegando com CNH falsa na BR-230

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu na última segunda-feira (9) um condutor de uma caçamba que trafegava com uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) falsa na BR-230 na cidade de Balsas.

Segundo a PRF o condutor  foi flagrado na noite de segunda no km 404 da BR-230 em Balsas no momento que os policiais rodoviários realizam abordagem na região.

Ainda segundo informações, os policiais desconfiaram do documento e realizaram consultas nos sistemas, que constataram que a CNH não tinha procedência. Diante do exposto, a equipe encaminhou o condutor para a Polícia Civil de Balsas para as providências que o caso requer.

A caçamba ficou retida na delegacia PRF de Balsas em razão da existência de infrações de trânsito.

Caçamba ficou retida na delegacia PRF de Balsas em razão da existência de infrações de trânsito observadas durante a fiscalização — Foto: Divulgação/Polícia Rodoviária Federal

Mais um empresário é assassinado na região de Governador Nunes Freire

Empresário Klénio Cunha

O empresário Klénio Cunha, conhecido em toda região por ser proprietário das lojas “A leite mel moveis,” foi executado a tiros na madrugada de hoje (09).

De acordo com informações colhidas o empresário dormia dentro de um veiculo após participar de uma festa de vaquejada na cidade de Maranhãozinho quando foi alvejada com três tiros no rosto. O empresário morreu ainda no local.

A BR 316 virou refência quando se fala em violência e pistolagem no Maranhão.

Sentença obriga Prefeitura de São Luís a construir 25 creches até o final de 2020

Prefeito Edivaldo Holanda

Atendendo a pedido do Ministério Público do Maranhão, em Ação Civil Pública (ACP) proposta pelas Promotorias de Justiça de Defesa da Educação de São Luís, em 2017, a Vara de Interesses Difusos e Coletivos determinou prazo máximo de um ano e três meses para que a Prefeitura construa as 25 creches anunciadas ainda em 2014.

No início de 2014, foi noticiada a construção de 25 creches pela atual gestão municipal, em parceria com o governo federal. As obras das unidades seriam executadas com recursos provenientes do Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil (Proinfância).

Creche da Chácara Brasil praticamente pronto, mas que não foi entregue

De acordo com o projeto, seriam 10 creches com capacidade para atender 188 crianças e outras 15 para receber até 94 alunos, o que representaria um acolhimento total de 3.290 crianças. Dessas, apenas três tiveram obras realizadas, nos bairros da Chácara Brasil, Cidade Operária e São Raimundo, mas não foram concluídas e entregues à população.

Na ACP, os promotores de justiça Paulo Silvestre Avelar Silva e Maria Luciane Lisboa Belo, observaram que “o que se vê é o total descompromisso da administração com a prioridade absoluta de ofertar a educação infantil por meio de creches”.

Na Cidade Operária, creche também está quase concluída

Na sentença, o juiz Douglas de Melo Martins também determinou que a Prefeitura de São Luís encaminhe mensalmente à Justiça relatórios atualizados sobre o andamento das obras, processos licitatórios e demais atos relacionados ao atendimento da demanda.

Homens agridem conselheiros do CMDCA de São Luís

Após terem seus recursos negados pelo Comissão Eleitoral do Processo de Escolha dos Conselheiros Tutelares de São Luís, Sebastião Santos Silva e Cleidson Dario Costa Silva  agrediram  conselheiros municipais da Criança e Adolescentes de São Luís (CMDCA).

Segundo informações,  Cleidson Dario Costa Silva teve seu recurso negado pela Comissão devido a instituição utilizada para comprovar as atividades exigidas em edital não possuía registro junto ao CMDCA.

Inconformados, pai e filho  tem  denunciado supostas ilegalidades no processo de escolha.

As primeiras denúncias foram encaminhadas ao Ministério Público Estadual, que não encontrou nenhuma ilegalidade no processo, motivo pelo qual desde então os mesmos passaram a atacar a atuação da Promotora da Infância alegando que a mesma  estaria cometendo atos irregulares em prol do Conselho.

 

Ex-prefeito de São João Batista é condenado por deixar de realizar transição municipal

O ex-prefeito de São João Batista Fabrício Costa Correa Júnior foi condenado pela justiça nesta quarta-feira, 4, ao pagamento de R$ 50 mil por não ter efetuado regularmente a transição municipal nas eleições de 2016. O valor deverá ser destinado ao Fundo Estadual de Defesa dos Direitos Difusos.

A decisão atendeu a pedido do Ministério Público do Maranhão (MPMA) em Ação Civil Pública de responsabilidade por dano moral coletivo, ajuizada pelo titular da Promotoria de Justiça de São João Batista, Felipe Augusto Rotondo, que tomou como base a ação institucional do MPMA: “A Cidade não Pode Parar: uma campanha pela transparência na transição municipal”, e o que determina a Constituição Estadual em seu artigo 156.

De acordo com os autos, pouco antes do pleito eleitoral de 2016, o MPMA ajuizou notificação judicial para que o então prefeito realizasse a transição municipal. Em dezembro de 2016, o prefeito eleito, João Cândido Dominici, impetrou mandado de segurança com pedido liminar, também com o objetivo de assegurar a transição.

A liminar foi deferida pelo juízo, contudo não foi apresentado nenhum documento no processo que comprove que o ex-gestor tenha fornecido as informações para a transição.

“Os atos praticados pelo réu causaram danos morais coletivos à população, pois geraram nela um sentimento de instabilidade, desconfiança, em razão da sua omissão em fornecer dados indispensáveis à administração, impedindo dessa forma a continuidade, regularidade e adequação do serviço público e infringindo o dever de transparência determinado pela Lei de Responsabilidade Fiscal (art. 48), que deve ser observada por todo aquele que esteja à frente da Administração Pública”, comentou o promotor de justiça.

Ainda conforme a decisão judicial, sobre o valor a ser pago pelo ex-prefeito deverão incidir juros calculados desde a data do dano e correção monetária a partir desta data, pelo índice da taxa SELIC.