Chuva de Meteoro dever ser a grande atração do céu da noite desta quinta-feira (06)

Uma histórica chuva de meteoro poderá ser vista pelos moradores do estado do Maranhão, em especial os ludovicenses, que serão os mais privilegiados.

De acordo com o pesquisador de Física da Universidade Federal do Maranhão, Antônio Oliveira, o evento espacial vai acontecer nesta quinta-feira (06).

O físico destacou que São Luís está em uma posição privilegiada para ver o fenômeno. No entanto, tudo vai depender das condições meteorológicas e da localização do expectador.

“Para observação da chuva de meteoros não se precisa de equipamentos especiais. São muito rápidos. Basta olhar para o céu noturno. Em especial nós que estamos na região do equador geográfico. No entanto, o tempo está muito fechado”, explica.

O melhor horário para ver a chuva de meteoros será da meia-noite até o amanhecer do dia 07/05. Um lugar ideal seria uma praia, mas nos centros urbanos também é possível ver, se o tempo estiver bom e sem nuvens.

Chuvas de meteoros advém da atração gravitacional da terra como resultado de detritos deixados por algum cometa ou corpo celeste. No caso específico desta quinta-feira (6), a chuva acontece em consequência dos detritos deixados pelo cometa Halley, em sua passagem em maio de 1910.

Maranhão recebe hoje mais 86.600 doses de imunizantes contra a Covid-19

O Maranhão recebe nesta sexta-feira (23), mais 86.600 doses de imunizantes contra a Covid-19, sendo 19.600 de CoronaVac e 67.000 de AstraZeneca. De acordo com informações, as doses serão encaminhadas para a Rede de Frio da SES, responsável pela distribuição aos municípios maranhenses.

A Secretária de Estado de Saúde informou que as novas doses serão destinadas à aplicação da 2° dose relativa ao esquema vacinal da população de 65 a 69 anos e relativa às pessoas do grupo de forças de segurança e salvamento, e forças armadas visando garantir o esquema em tempo oportuno.

Adicionalmente, a pauta prevê a distribuição da 1ºdoses da vacina CoronaVac para a continuidade da imunização do grupo de forças de segurança e salvamento, e forças armadas. E da vacina AstraZeneca para continuidade do grupo de pessoas de 60 a 64 anos.

Com a nova remessa, o Maranhão totaliza 1.499.190 doses recebidas, sendo 532.750 da AstraZeneca e 1.585.790 doses da CoronaVac.

Polícia Federal: Caminhões com 32 m² de madeira são apreendidos em Caxias

Caxias/MA – A Polícia Federal, em fiscalização na divisa entre os municípios de Caxias e São Joao do Sóter, apreendeu nesta quinta-feira (22/04) dois caminhões, contendo aproximadamente 32 m³ de madeira (equivalente a 11 toneladas) transportada ilegalmente, após denúncia sobre a existência de desmatamento ilegal na região.

Durante a ação, os policiais federais identificaram a inexistência com os condutores de documentos para o transporte regular da madeira, como o DOF (Documento de Origem Florestal), o qual se constitui como licença obrigatória para o transporte e armazenamento de produtos florestais de origem nativa.

Após a observação de indícios de possíveis crimes ambientais, as cargas de madeira e os caminhões foram apreendidos e os motoristas foram conduzidos à Delegacia de Polícia Federal em Caxias.

Os motoristas assinaram Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), tendo em vista que se trata de crime ambiental o transporte ou armazenamento sem licença válida outorgada por autoridade competente de madeira, lenha, carvão e outros produtos de origem vegetal, conforme dispõe o parágrafo único do art. 46 da Lei nº 9.605/98 (Lei de Crimes Ambientais).

O modo de agir, verificado no caso, demonstra uma tentativa de se desviarem da fiscalização da Polícia Federal, tendo em vista que eram utilizadas estradas secundárias, desviando dos pontos de fiscalização.

A apuração se insere no contexto de investigação de danos ambientais decorrentes desse crime na região leste do Maranhão, visando reprimir a extração e o tráfico ilegal de madeira na região.

Agente de Saúde morre de Covid mesmo após tomar as duas doses da vacina

A Agente Comunitária de Saúde, Nilvania da Costa Silva (40), é mais vítima da Covid-19. O caso dela chama atenção porque de acordo com informações, ela já havia tomado as duas doses da vacina Coronavac e, mesmo assim, veio a óbito.

Nilvania não tinha nenhuma comorbidade, testou positivo no dia 25 de março e foi levada para o Hospital Municipal de Bom Jesus das Selvas, vindo a óbito no último domingo (04) em um centro de saúde avançado em Imperatriz, referência no combate ao coronavírus.

O caso deve servir de alerta e ser investigado pelas autoridades nacionais para que se evite outras possíveis mortes, já que o caso é totalmente desconhecido.

É importante frisar que a pandemia ainda não acabou e que a vacinação não garante imunidade total. Com isso, o uso de máscaras, álcool gel e cumprimento das medidas sanitárias de isolamento social são extremamente necessárias.

 

MP pede à Câmara de Anajatuba que não aplique reajuste financeiro em 2021

O Ministério Público pediu ao Presidente da Câmara Municipal de Anajatuba e aos vereadores do município de Anajatuba/MA, que não apliquem o reajuste no exercício financeiro de 2021. De acordo com informações, a instituição tomou conhecimento que que os parlamentares aprovaram a Lei Municipal nº 541/2020 que reajustou os subsídios dos vereadores de R$ 6.000,00 (seis mil reais) para R$ 7.000 (sete mil reais) a partir de 2021.

O não atendimento da recomendação fará com que os envolvidos sejam responsabilizados pelo ato, inclusive com ressarcimento ao erário dos pagamentos ilegais eventualmente efetuados. O Ministério Público enviou um ofício para que o Presidente da Câmara tome ciência da recomendação e que leia em plenário, dando conhecimento a todos sobre o assunto. O parlamentar tem o prazo de 10 dias para responder se vai ou não acolher o pedido.

Coroatá é o segundo município que menos vacinou no Maranhão

Mesmo já tendo recebido 1.754 doses, a gestão de Luis da Amovelar Filho só aplicou até agora 503 doses da vacina contra a Covid-19. As informações são da Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS). Já tem mais de dez dias que o Coroatá recebeu a segunda remessa da vacina, e isso significa que ou o Município não está vacinando o público prioritário ou está deixando de informar sobre a aplicação das doses.

Nesta fase, fazem parte do público prioritário profissionais de saúde, pacientes dialíticos e oncológicos, idosos institucionalizados, deficientes institucionalizados e indígenas. A distribuição das vacinas é feita proporcional à população do público-alvo específico e as Prefeituras devem gerenciar as doses para que o processo de imunização siga o ritmo correto.

Não seria a primeira vez que a gestão de Luis Mendes Ferreira Filho falta com o respeito no enfrentamento à pandemia. No ano passado, o prefeito de Coroatá, adquiriu produtos e equipamentos superfaturados em mais de 1.000% em contrato para a aquisição de insumos médico-hospitalares para enfrentamento da Covid-19, reveja aqui.

Santa Helena recebe mais doses da vacina para combater a Covid 19

O município de Santa Helena recebeu mais um lote de vacinas contra a Covid-19. A entrega foi realizada na Unidade Regional de Saúde de Pinheiro, ao secretário de Saúde de Santa Helena, Fábio Silva. O município recebeu nessa nova remessa 209 unidades da vacina, que serão usadas na aplicação da 2ª dose.

Em Santa Helena, 329 pessoas já foram vacinadas, entre elas, profissionais da saúde e idosos a cima de 75 anos, com atendimento a domicílio aos que possuem dificuldade de locomoção.

“Com mais essa nova remessa de doses, seguiremos atendendo o que estabelece o Plano Nacional de Vacinação, respeitando todos os grupos prioritários, mas temos convicção, de que muito em breve, conseguiremos vacinar toda a população helenense”, ressalta Fabio Silva, Secretário de Saúde.

Zezildo Almeida, falou da satisfação em poder receber mais um lote de vacinas contra a Covid-19. “Sem dúvida, esse era um momento muito aguardado, creio eu, que por todos os gestores municipais, já que no ano passado, fomos atingidos fortemente pela crise provocada pela pandemia. Aos poucos, estamos conseguindo combater esse terrível vírus, mas ainda é preciso a colaboração de todos. Ainda não há vacinas disponíveis para toda a população, por esta razão, devemos continuar seguindo os protocolos sanitários. Juntos, vamos vencer essa luta contra a Covid-19”, afirma o prefeito de Santa Helena.

MP monitora taxa de ocupação de leitos e UTIs para pacientes com Covid-19 na macrorregião de Caxias

O Ministério Público instaurou um procedimento administrativo para monitorar a taxa de ocupação de leitos clínicos e de leitos de UTI destinados aos pacientes com COVID-19 na macrorregião de Caxias, uma vez que o procedimento para acompanhar as ações no enfrentamento da doença reuniu uma complexidade grande de informações.

A instituição considera a importância de estar ciente sobre a taxa de ocupação no Complexo Hospitalar Gentil Filho, do Hospital de Campanha/Centro Médico e do Hospital Macrorregional Everaldo Ferreira Aragão, todos referência no atendimento aos pacientes com COVID.

O Ministério Público determinou à Direção desses hospitais que informem diariamente à Promotoria de Justiça o quantitativo de vagas de leitos clínicos e de leitos de UTI para tratamento de pacientes acometidos pelo coronavírus, indicando quais estão ocupados e quais estão disponíveis. Os dados serão de extrema importância na tomada de futuras decisões.

Santa Inês recebe segundo lote da vacina contra a Covid-19

Já estão na Secretaria de Saúde de Santa Inês 592 doses da vacina Coronavac. Essas doses são destinadas para os profissionais da saúde que já receberam a primeira dose. O município de Santa Inês também recebeu mais 490 doses da vacina AstraZeneca. Essas doses serão administradas, à princípio, ao restante do grupo de profissionais da saúde.

Na sequência, a prioridade para receber a imunização de acordo com o Ministério da Saúde é comporto por pacientes oncológicos que estejam em tratamento de quimioterapia e radioterapia; pacientes em tratamento com hemodiálise.

É muito importante destacar que esses pacientes antes de tomarem a dose da vacina, devem ser cadastrados no Centro de Imunização, que funciona no prédio do Centro de Saúde Djalma Marques, que fica na Rua 21 de Agosto, Centro de Santa Inês. Além desse cadastro, os pacientes descritos acima precisam apresentar um laudo com autorização médica para poder ser imunizado. Essas orientações são do Ministério da Saúde.

Conforme Santa Inês receba mais vacinas, os demais grupos prioritários serão imunizados conforme plano municipal de imunização contra a Covid-19. Diariamente, a Secretaria de Saúde emite boletins sobre os casos da doença no município. Também são publicados os dados de como está sendo feita a vacinação.

Confira quantas pessoas serão vacinadas em cada município maranhense

A distribuição das vacinas aos 217 municípios para a execução da primeira etapa da Fase 1 do Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19 começou na manhã desta terça-feira (19). O primeiro lote de doses da Coronavac chegou na noite de segunda-feira (18) e os primeiros maranhenses foram imediatamente imunizados. Mais de 78 mil pessoas fazem parte do público-alvo nesta primeira etapa de vacinação.

O Maranhão recebeu do Ministério da Saúde 164.240 doses da vacina desenvolvida pelo Instituto Butantã para a vacinação de 78.223 pessoas. Cada pessoa receberá duas doses da vacina e uma reserva técnica foi disponibilizada pelo Ministério da Saúde a fim de garantir que as doses sejam suficientes.

A meta é que até esta quarta-feira (20) todos os municípios já estejam prontos para iniciar a vacinação. A primeira etapa da Fase 1 contempla a população indígena aldeada em terra demarcada, pessoas com mais de 60 anos e com deficiência institucionalizadas, além de profissionais da saúde que estão trabalhando diretamente na linha de frente no combate à Covid-19.

Por determinação do Ministério da Saúde, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) distribui apenas a primeira dose inicialmente. A entrega da segunda dose ocorrerá na terceira semana após a entrega da primeira. A segunda dose da Coronavac deve ser aplicada até o 28º dia após a aplicação da primeira.

Confira aqui a quantidade de pessoas que devem ser imunizadas em cada município nesta primeira fase.