Coroatá é o segundo município que menos vacinou no Maranhão

Mesmo já tendo recebido 1.754 doses, a gestão de Luis da Amovelar Filho só aplicou até agora 503 doses da vacina contra a Covid-19. As informações são da Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS). Já tem mais de dez dias que o Coroatá recebeu a segunda remessa da vacina, e isso significa que ou o Município não está vacinando o público prioritário ou está deixando de informar sobre a aplicação das doses.

Nesta fase, fazem parte do público prioritário profissionais de saúde, pacientes dialíticos e oncológicos, idosos institucionalizados, deficientes institucionalizados e indígenas. A distribuição das vacinas é feita proporcional à população do público-alvo específico e as Prefeituras devem gerenciar as doses para que o processo de imunização siga o ritmo correto.

Não seria a primeira vez que a gestão de Luis Mendes Ferreira Filho falta com o respeito no enfrentamento à pandemia. No ano passado, o prefeito de Coroatá, adquiriu produtos e equipamentos superfaturados em mais de 1.000% em contrato para a aquisição de insumos médico-hospitalares para enfrentamento da Covid-19, reveja aqui.

Santa Helena recebe mais doses da vacina para combater a Covid 19

O município de Santa Helena recebeu mais um lote de vacinas contra a Covid-19. A entrega foi realizada na Unidade Regional de Saúde de Pinheiro, ao secretário de Saúde de Santa Helena, Fábio Silva. O município recebeu nessa nova remessa 209 unidades da vacina, que serão usadas na aplicação da 2ª dose.

Em Santa Helena, 329 pessoas já foram vacinadas, entre elas, profissionais da saúde e idosos a cima de 75 anos, com atendimento a domicílio aos que possuem dificuldade de locomoção.

“Com mais essa nova remessa de doses, seguiremos atendendo o que estabelece o Plano Nacional de Vacinação, respeitando todos os grupos prioritários, mas temos convicção, de que muito em breve, conseguiremos vacinar toda a população helenense”, ressalta Fabio Silva, Secretário de Saúde.

Zezildo Almeida, falou da satisfação em poder receber mais um lote de vacinas contra a Covid-19. “Sem dúvida, esse era um momento muito aguardado, creio eu, que por todos os gestores municipais, já que no ano passado, fomos atingidos fortemente pela crise provocada pela pandemia. Aos poucos, estamos conseguindo combater esse terrível vírus, mas ainda é preciso a colaboração de todos. Ainda não há vacinas disponíveis para toda a população, por esta razão, devemos continuar seguindo os protocolos sanitários. Juntos, vamos vencer essa luta contra a Covid-19”, afirma o prefeito de Santa Helena.

MP monitora taxa de ocupação de leitos e UTIs para pacientes com Covid-19 na macrorregião de Caxias

O Ministério Público instaurou um procedimento administrativo para monitorar a taxa de ocupação de leitos clínicos e de leitos de UTI destinados aos pacientes com COVID-19 na macrorregião de Caxias, uma vez que o procedimento para acompanhar as ações no enfrentamento da doença reuniu uma complexidade grande de informações.

A instituição considera a importância de estar ciente sobre a taxa de ocupação no Complexo Hospitalar Gentil Filho, do Hospital de Campanha/Centro Médico e do Hospital Macrorregional Everaldo Ferreira Aragão, todos referência no atendimento aos pacientes com COVID.

O Ministério Público determinou à Direção desses hospitais que informem diariamente à Promotoria de Justiça o quantitativo de vagas de leitos clínicos e de leitos de UTI para tratamento de pacientes acometidos pelo coronavírus, indicando quais estão ocupados e quais estão disponíveis. Os dados serão de extrema importância na tomada de futuras decisões.

Santa Inês recebe segundo lote da vacina contra a Covid-19

Já estão na Secretaria de Saúde de Santa Inês 592 doses da vacina Coronavac. Essas doses são destinadas para os profissionais da saúde que já receberam a primeira dose. O município de Santa Inês também recebeu mais 490 doses da vacina AstraZeneca. Essas doses serão administradas, à princípio, ao restante do grupo de profissionais da saúde.

Na sequência, a prioridade para receber a imunização de acordo com o Ministério da Saúde é comporto por pacientes oncológicos que estejam em tratamento de quimioterapia e radioterapia; pacientes em tratamento com hemodiálise.

É muito importante destacar que esses pacientes antes de tomarem a dose da vacina, devem ser cadastrados no Centro de Imunização, que funciona no prédio do Centro de Saúde Djalma Marques, que fica na Rua 21 de Agosto, Centro de Santa Inês. Além desse cadastro, os pacientes descritos acima precisam apresentar um laudo com autorização médica para poder ser imunizado. Essas orientações são do Ministério da Saúde.

Conforme Santa Inês receba mais vacinas, os demais grupos prioritários serão imunizados conforme plano municipal de imunização contra a Covid-19. Diariamente, a Secretaria de Saúde emite boletins sobre os casos da doença no município. Também são publicados os dados de como está sendo feita a vacinação.

Confira quantas pessoas serão vacinadas em cada município maranhense

A distribuição das vacinas aos 217 municípios para a execução da primeira etapa da Fase 1 do Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19 começou na manhã desta terça-feira (19). O primeiro lote de doses da Coronavac chegou na noite de segunda-feira (18) e os primeiros maranhenses foram imediatamente imunizados. Mais de 78 mil pessoas fazem parte do público-alvo nesta primeira etapa de vacinação.

O Maranhão recebeu do Ministério da Saúde 164.240 doses da vacina desenvolvida pelo Instituto Butantã para a vacinação de 78.223 pessoas. Cada pessoa receberá duas doses da vacina e uma reserva técnica foi disponibilizada pelo Ministério da Saúde a fim de garantir que as doses sejam suficientes.

A meta é que até esta quarta-feira (20) todos os municípios já estejam prontos para iniciar a vacinação. A primeira etapa da Fase 1 contempla a população indígena aldeada em terra demarcada, pessoas com mais de 60 anos e com deficiência institucionalizadas, além de profissionais da saúde que estão trabalhando diretamente na linha de frente no combate à Covid-19.

Por determinação do Ministério da Saúde, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) distribui apenas a primeira dose inicialmente. A entrega da segunda dose ocorrerá na terceira semana após a entrega da primeira. A segunda dose da Coronavac deve ser aplicada até o 28º dia após a aplicação da primeira.

Confira aqui a quantidade de pessoas que devem ser imunizadas em cada município nesta primeira fase.

MP deve abrir o olho para vacinação nos municípios

A chegada da vacina no estado deu largada à campanha de vacinação contra a Covid-19. As doses já começaram a ser levadas aos municípios, que devem dar início à imunização até esta quarta-feira (20). Por conta da quantidade reduzida de doses enviadas pelo Ministério da Saúde, foi definido um público-alvo, do qual talvez não façam parte prefeitos, esposas, filhos e demais parentes de gestores municipais.

É por isso que o Ministério Público deve ficar atento. Com as poucas doses, devem ser vacinadas apenas pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas, pessoas com deficiência institucionalizadas, população indígena aldeada e profissionais da saúde da linha de frente ao combate à Covid-19.

Considerando o que muitos prefeitos fizeram e fazem com os recursos que deveriam ser destinados para o combate ao coronavírus, não seria surpresa se alguns deles tentassem furar a fila para benefício próprio ou de seus familiares.

Então, abre o olho MP! Estaremos atentos.

Câmara Municipal de Santa Inês é investigada após indícios de irregularidades em contratação de coffee break

O ex-presidente da Câmara Municipal de Santa Inês, Luís Carlos Pereira Siqueira, que esteve no comando da instituição até o final de 2020, está sendo investigado após indícios de irregularidades quanto a realização de procedimento licitatório para a contratação de serviço de fornecimento de coffee break para as sessões e eventos da Câmara no ano de 2020.

De acordo com informações, o Ministério Público teve conhecimento do caso por meio de uma representação formulada no protocolo nº 003/2021. A investigação tem como objetivo apurar as irregularidades apontadas e posterior ajuizamento de ação civil pública.

Cabe à Comissão Permanente de Licitação do município, o encaminhamento de fotocópia integral do procedimento licitatório, realizado no ano de 2020, o qual tinha por objeto a contratação de serviços de pessoa física para o fornecimento de coffee break para as sessões e eventos da Câmara Municipal, assim como todas as notas, ordens de pagamento e comprovante de transferência bancária referente ao contrato celebrado.

No final da disputa municipal, só Roberto Rocha saiu sem grupo

O filho do ex-governador Luiz Rocha, o maranhense Roberto Rocha (PSDB), ocupa uma das cadeiras mais cobiçadas por qualquer político. É na Câmara Alta, em Brasília. A cobiça não está resumida somente ao nome bonito ou onde está localizada, no centro do poder, mas justamente pelo Senado Federal ser uma das maiores forças dentro do sistema político brasileiro.

Não é à toa que durante tanto tempo a dança das três cadeiras quase nenhuma mudança. Os senadores tinham um papel fundamental para a manutenção do poder do esfacelado grupo Sarney. Agora, Roberto Rocha (PSDB), que foi eleito no grupo do governador Flávio Dino (PCdoB) e logo após alcançar o poder em suas mãos, abandonou o grupo e virou oposição, sofre de um mal que nenhum político pode ter o “luxo” de ter: a ausência de um grupo político.

Enquanto os deputados federais aproveitam a força de suas emendas e influência no Governo Federal, ampliando bases e fazendo mais prefeitos, o partido do qual Rocha preside, o PSDB, definhou ao longo do seu mandato pelo Maranhão afora. O senador Roberto Rocha elegeu somente quatro aliados.

Zezão (PSDB), em Governador Luiz Rocha. Lucio (PSDB), em Itinga do Maranhão. Gilberto Braga (PSDB), em Luís Domingues e Maura Jorge (PSDB), em Lago da Pedra. Esta última mais pelo espólio político em Lago da Pedra do que pelo auxílio da legenda.

O murchamento do PSDB foi maior que o sonho de Roberto Rocha fazer a ‘Ferrovia do Sol’, que tem o objetivo de ligar as capitais do nordeste. Em 2016, o PSDB elegeu 29 prefeitos contra 8 prefeitos do pleito anterior. O responsável pelo crescimento de 2012 para 2016 foi, na verdade, do vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão, então presidente do PSDB.

Para finalizar, a vitória de Eduardo Braide (Podemos) até poderia ter um carimbo da articulação política de Roberto Rocha, somente até o primeiro turno. Porém, foi no segundo turno que Rocha viu o trem descarrilhar com a chegada do PDT do senador Weverton Rocha.

Aos mais próximos, o senador Roberto Rocha confidencia que acredita que Eduardo Braide (Podemos) vai manter o compromisso que começou em 2018, passou por 2020 e chegaria até 2022, quando Roberto Rocha quer ser, mais uma vez, candidato ao governo do Maranhão.

O que a prova de fogo mostrou foi que um grupo político liderado pelo senador Roberto Rocha tem votação somente em quatro municípios. Mesmo sentado na cadeira do Senado e com acesso livre ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Nina Rodrigues: Saiba em quantos porcento foram superfaturados testes de Covid-19

Estima-se que a prefeitura do município de Nina Rodrigues, no Maranhão, tenha comprado testes rápidos para a detecção da Covid-19 superfaturados em pelo menos 33%. O Município comprou por R$ 160,00 testes realizados na rede particular por cerca de R$ 120,00. A aquisição foi realizada em contrato de R$ 80 mil, firmado via dispensa de licitação, com a empresa Dimensão Distribuidora de Medicamentos, investigada pela justiça por ilegalidades na venda de produtos para combate à Covid-19.

A Dimensão Distribuidora é a maior fornecedora de medicamentos e suprimentos médico-hospitalares no Piauí e no Maranhão. Em março deste ano, o Ministério Público do Maranhão pediu à Justiça, em ação de improbidade ajuizada, o bloqueio de bens da Dimensão Distribuidora de Medicamentos, por irregularidades em licitação para aquisição de medicamentos, insumos hospitalares e material laboratorial. Vale destacar que o contrato com Nina Rodrigues foi firmado em maio.

De março a maio de 2020, a empresa chegou a acumular exatos de R$ R$ 10.692.187, 20, em 49 contratos assinados com prefeituras.

O Ministério Público e a Polícia Federal seguem com operações por todo o Brasil, observando a aplicação dos recursos federais nas compras para a aquisição de insumos no enfrentamento ao novo coronavírus. As investigações já apontaram diversas prefeituras envolvidas no superfaturamento de licitações e contratos e o município de Nina Rodrigues pode enfrentar uma batalha com a justiça para justificar a compra.

 

Investigado pela Seccor por cobrar propina para pagamento de contrato público, Davi Brandão quer ser deputado Estadual

Mesmo conhecido por conta da investigação por crimes de corrupção e formação de quadrilha, Davi Brandão, secretário de administração de Bacabal e filho do prefeito Edvan Brandão, pretende se candidatar ao cargo de deputado estadual nas próximas eleições.

Davi Brandão e o pai são alvos de um inquérito instaurado pela Polícia Civil, sob responsabilidade da Superintendência de Combate a Corrupção (Seccor), em uma denúncia de corrupção ativa envolvendo o empresário Márcio Gesso, que acusou o gestor de suposta cobrança de propina e extorsão contra fornecedores da prefeitura.

O empresário contou à polícia que recebeu uma proposta indecente para pagar propina ao filho do prefeito Edvan Brandão em transições sobre serviços de instalação de uma subestação de energia no pronto socorro municipal (Socorrão).

Pai e filho se negaram a prestar esclarecimentos e seguem sendo investigados. Mesmo enrolado com a justiça, Davi Brandão manifesta interesse no legislativo estadual, cargo que talvez favoreça os negócios da família.