Cobiça Fatal: vem chumbo grosso para cima da prefeita Linielda de Eldo

Linielda Nunes Cunha,prefeita de Matinha

Após a prefeita de Matinha, Linielda Nunes Cunha, pagar antecipadamente R$ 170 mil para uma empresa que teve todos os donos presos pela Polícia Federal. A chefe do executivo, se despreocupou após o TRF1 mandar soltar todos os empresários envolvidos no roubo aos recursos da saúde.

Porém a primeira fase da operação “cobiça fatal” não é nada perto do tsunami que está vindo”. O mesmo pode ser dito ao município de Matinha em relação ao inquérito que apura desvios nos recursos do combate ao covid-19.

Lineielda Nunes, deve se preparar, pois esses R$ 170 mil deve sair bem caro para ela…

Operação Cobiça Fatal: Barbearia Boss era usada como depósito de material hospitalar

Vídeos, obtidos por exclusividade pelo blog do Werbeth Saraiva, demonstram que o empresário Pedro Moura usava a sede de uma barbearia de sua propriedade como depósito de materiais hospitalares, que seriam comercializados por empresas fantasmas, pertencentes a uma organização criminosa, já desarticulada na “Operação Cobiça Fatal” da Polícia Federal.

Empresário Pedro Mota

A necessidade de usar uma barbearia como depósito mostra que as empresas contratadas pela Prefeitura de São Luís não tem nenhuma condição de atender a capital maranhense.

Assista os vídeos:

Em mais um trecho da entrevista concedida ao blog, superintendente da PF afirma que operação “Cobiça Fatal” terá nova fase

Delegados Sandro Jansen, Cassandra Parazzi e Julho Sombra

Em mais um trecho da entrevista ao Blog do Werbeth Saraiva, a superintendente da Polícia Federal, Cassandra Parazi, afirmou que não está concluída a investigação da Operação “Cobiça Fatal”, que visa desarticular associação criminosa voltada à fraude em licitações e desvio de recursos públicos federais destinados ao combate do novo coronavírus em São Luís.

“Hoje a gente só deflagrou a parte ostensiva, então tem muito ainda a ser apurado. Alguns dados, infelizmente, a gente não vai poder repassar pra vocês e o que a gente tem a dizer é que as buscas realizadas hoje tiverem grande sucesso. Colhemos muitas provas que vão ajudar no processo dessa investigação”, afirmou Parazi.

A superintendente citou, ainda, que o principal alvo da operação foram as fraudes licitatórias e que há um indício muito forte de conluios entre as empresas. “São vários quesitos a serem investigados, mas talvez o principal dele, não o mais importante, seriam a fraude em licitação, (solicitação para compra de mascaras). Há um indicio muito forte de conluio das empresas que participaram e um superfaturamento relevante”, disse ela.

Outro fato que foi percebido nos processos licitatórios, foram as descrições, nomenclaturas e valores similares nos contratos.

“As consultas de cotação dos processos licitatórios mostraram preços muito similares, assim como, as descrições dos produtos, a ordem, nomenclatura utilizada e os valores em especial. E a discrepância de valores, se comparado ao preço do mercado, eram três vezes maiores. Então, haviam vários indícios que somados indicam que houve fraude nos processos de faturamento e licitação, havendo assim, desvio de recursos, lavagem de dinheiro e por ai adiante”, concluiu.

Saiba quais municípios do Maranhão estão arrolados na operação deflagrada pela PF por desvios nos recursos do covid-19

Prefeito de Icatu, promoveu dispensa de licitação com empresa dos investigados de mais de R$ 2,1 milhões.

A Polícia Federal, com o apoio da Controladoria Geral da União – CGU, deflagrou na manhã desta terça-feira 9 de junho de 2020, nas cidades de São Luís/MA e São José do Ribamar/MA, a Operação “COBIÇA FATAL” com a
finalidade de desarticular associação criminosa voltada a fraude em licitações com o intuito de desviar recursos públicos federais que seriam usados no enfrentamento do novo coronavírus (COVID-19) em São Luís/MA.

Não bastasse isso, documentos que robustecem a investigação, demostram que, poucos dias antes do processo de dispensa de licitação, a Prefeitura de São Luís, por meio da própria SEMUS, havia contratado o fornecimento de máscaras do mesmo modelo junto a outra empresa pelo de R$ 2,90 (dois reais e noventa centavos) a unidade, totalizando a quantia de R$ 980.000,00 (novecentos e oitenta mil), perfazendo a diferença de mais de 341% (trezentos e quarenta e um por cento).

Investiga-se, ainda, possíveis fraudes em processos licitatórios dessas empresas revendedoras de insumos hospitalares superfaturados nos municípios de Timbiras/MA, e Matinha/MA. Sabe-se também que a principal empresa investigada também já teria formalizado contratos, após dispensa de licitação, para fornecer insumos para o combate ao COVID-19 com os municípios de Icatu/MA, Cajapió/MA, Lago do Junco/MA, e Porto Rico do Maranhão/MA Durante a deflagração da operação foram empregados 60 (sessenta) policiais federais da Superintendência Regional do Maranhão para o cumprimento de 03 (três) Mandados de Prisão Temporária, e 14 (quatorze) Mandados de Busca e Apreensão, além do sequestro de bens, bloqueio de contas dos investigados no valor de R$ 2.306.600,00 (dois milhões trezentos e seis mil e seiscentos reais). As ordens judiciais foram expedidas pelo juiz da 1ª Vara Federal de São Luís/MA.

Os investigados poderão responder pelos crimes de corrupção ativa (Art. 333, caput, do CPB), corrupção passiva (Art. 317, caput, do CPB), lavagem de dinheiro (Art. 1º, caput, da Lei nº 9.613/98), fraude em processo licitatório (Art. 90 da Lei nº 8.666/93), superfaturamento na venda de bens (Art. 96, I da Lei nº 8.666/93) e associação criminosa (Art. 288 do CPB). A Operação foi denominada “COBIÇA FATAL” em referência ao desejo imoderado de riqueza, fazendo com que até se desvie recursos vitais para a proteção de pacientes e servidores da área da saúde.

Empresários já estão em poder da PF

Os empresários Alexandre Chuairy Cunha, Sormane Silva Santana e João de Deus Souza Lima Júnior, formam um conjunto de empresas envolvidas e um esquema milionário que estão faturando alto com os contratos do covid-19.

De acordo com as investigações, o mandado de prisão temporária expedido no dia de ontem (7), existem fortes indícios de que os empresários participem associação de criminosa especializadas em fraudes de licitações.

Segundo informações colhidas pelo blog, os empresários já estão em poder da Polícia Federal na sede Superintendência do Maranhão na cohama em São Luís.

BOMBA! PF prepara operação para os próximos dias no Maranhão

De acordo com informações recebidas por este blog, os próximos dias serão tensos para políticos e empresários do Maranhão, tudo por conta de uma operação da Polícia Federal que está prevista para ocorrer nos próximos dias. O principal motivo seria desvios em recursos do combate ao coronavírus no estado.

É aguardar!

PF bota na cadeia dois moradores de Cândido Mendes por saque indevido de R$ 96 mil de Auxílio Emergencial

Policiais militares apreenderam, na tarde dessa quarta-feira (29), 110 cartões de
benefícios da Caixa Econômica Federal com dois homens. A dupla foi presa na praça João Lisboa, no Centro de São Luís.

De acordo com informações da Polícia Militar de Turismo (BPTur), além dos cartões os
suspeitos estavam com a quantia de R$ 96.573 em dinheiro e dezenas de comprovantes de saques.

A dupla foi presa após denúncias repassadas ao Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops). Os suspeitos são do povoado São José dos Portugueses, no município de Cândido Mendes, interior do Estado.

Eles alegaram que realizavam os saques e repassavam os valores cobrando uma taxa de R$ 30 ou R$ 40 pelo serviço. Ainda segundo a polícia, com os dois suspeitos os PMs apreenderam uma moto Yamaha Lander XTZ250, de cor vermelha, um celular e uma carteira com documentos de um dos homens.

Os dois foram encaminhados à sede da Polícia Federal, no bairro Cohama, para serem
tomadas das medidas necessárias.

PF já trabalha com casos de desvios de recursos do combate ao COVID-19 no MA

São inúmeros os prefeitos do Maranhão que estão roubando o dinheiro público que foi destinado ao combate do novo Covid-19 nos municípios.

Já existe várias denúncias de desvios dos recursos por parte de gestores, na sede da Polícia Federal do Maranhão.

Para se ter uma ideia, até máscaras e luvas estão sendo superfaturadas, por gestores, que nem um compromisso tem com a população.

PF neles!!!

O que realmente é preciso fazer para tentar desafogar as redes de saúde de responsabilidade do estado não está sendo feito pelos gestores.

Outubro é mês da PF nas ruas

Outubro começa na terça-feira e logo logo uma nova fase da Lava-Jato vai agitar o Rio de Janeiro. Mais dessa vez os alvos de prisão serão da esfera federal.

A informação foi divulgada pelo colunista Lauro Jardim e confirmada pelo WS.

No Maranhão…

Um esquema de fraude no censo escolar em diversos municípios do Maranhão está sendo investigado pela PF e no mês de outubro também pode ter desdobramentos.