Obra de maternidade orçada em R$ 25 milhões vira praça na Cidade Operária

A obra da Maternidade da Cidade Operária vai virar uma praça. A construção, anunciada pela gestão municipal em 2013, está parada há vários anos e mesmo assim já recebeu investimentos de quase R$ 4 milhões de reais. A obra foi orçada em R$ 25 milhões, sendo um milhão o valor da contrapartida da Prefeitura. O repasse do restante do recurso foi suspenso pelo Ministério da Saúde, considerando que a conclusão dos serviços estava prevista para agosto de 2018.

O fato é que cerca de R$ 4 milhões já foram investidos na construção da unidade de saúde e, agora, sem que haja comprovação concreta de onde foram parar os recursos, uma nova obra está em andamento no local: uma praça no valor de mais de dois milhões de reais, para ser mais exato R$ 2.505.518,53, conforme descrito na placa já instalada na área.

Os trabalhos de construção da maternidade sempre cobrada pela população, especialmente por moradores da área, pararam ainda na fase de fundação do terreno e levantamento dos pilares. Agora, para a construção da praça, toda a estrutura antiga que havia no espaço foi demolida.

A denúncia e suspeita de desvio de recursos públicos ganharam repercussão na Câmara de Vereadores. “A gente já vem denunciando há bastante tempo a paralisação desta importante obra. Já gastaram quase quatro milhões de reais e não entregaram a obra. Agora, a maternidade vai ficar no esquecimento, já que no lugar a Prefeitura de São Luís já está construindo esta praça. Queria que o prefeito Edivaldo fosse visitar essa obra e explicasse para a população onde foram parar o dinheiro já investido”, questionou o vereador Estevão Aragão (PSDB).

Com a suspensão dos repasses e a rescisão contratual com a empresa responsável pela obra, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) chegou a dizer que a obra passaria por nova licitação para a continuidade aos serviços, o que não aconteceu. Agora, além de ter que contentar com a praça, a população deseja saber: Onde foram parar os quatro milhões? O caso será levado a órgãos fiscalizadores, como o Ministério Público, que investigará a situação da obra.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (Semus), o Governo Federal cancelou todos os convênios que tinha com a Prefeitura. Sobre os recursos liberados, a Semus confirma que foram aplicados na obra e acrescenta que a Caixa Econômica atestou os serviços. A secretaria destaca ainda que Prefeitura de São Luís não deu continuidade à obra por não dispor de recursos suficientes e que a prestação de contas referente ao convênio já foi realizada ao Governo Federal, não restando pendências junto ao ente.

Clique e veja os valores já liberados pelo Governo Federal

Deixe uma resposta