Reformas de escolas da zona rural deve custar mais de R$ 2,2 milhões em Monção

Prefeita Claudia Silva

A prefeitura de Monção resolveu distribuir o dinheiro da educação do município com reformas das escolas da zona rural.

Duas empresas foram contratadas para realizarem os serviços, uma é de um aliado da prefeita Claudia Silva (PSDB), a RE9 materiais de construções de propriedade do em empresário Juriosmar Muniz Trindade, pelos serviços a empresa deve receber pouco mais de R$ 1.2 milhões.

A outra empresa responsável por fazer as reformas na zona rural é a ADM serviços sediada em São José de Ribamar e de propriedade do empresário Allysson Morais de Araújo que deve embolsar pouco mais de novecentos e trinta mil reais.

Os dois contratos ultrapassam os dois milhões e duzentos mil reais.

O grande problema é que a maioria das escolas da zona rural de Monção é de taipa. Uma das escolas de Taipa do município já até desabou deixando crianças dias sem estudar. Reveja, aqui.

Conheça Felipe Frazão, dono de empresa fantasma que aplicou calote em prefeitura do Maranhão

Felipe Frazão Lima, proprietário da firma de fachada

A FFL serviços, pode ser apenas uma empresa de fachada usada para “lavar” notas frias em diversas prefeituras do Maranhão. Felipe Frazão Lima figura como dono da empresa que tem como endereço uma residência alugada do município de Moção.

Residência alugada por Felipe para servir de fachada para empresa. Moradores afirmam que apenas colocaram a placa e abandonaram a casa

Ocorre que informações levantadas pelo blog revelam que a empresa também  pertence ao tio de Felipe, conhecido como “Zeca Frazão,” suplente de vereador em Primeira Cruz. José de Jesus Aguiar Frazão é um dos “homens fortes” do governo de  Nilson do Casso, teria inclusive intermediado uma licitação no município com o valor de pouco mais de um milhão e tendo locação de lanchas como objeto do contrato para a empresa de fachada.

Felipe Frazão se utiliza de uma empresa de fachada para operar em diversas prefeituras do Maranhão.  Após visita da equipe de reportagem do blog foi constatada  que a empresa não tem a menor capacidade de prestar os serviços na qual é contratada e sobrevive no submundo das sublocações. F FRAZAO LIMA EIRELI também costuma dar calote em prefeituras do Maranhão.

Em Fortaleza das Nogueiras a empresa de fachada deu calote na gestão e causou transtorno na rede pública de ensino municipal.

A empresa F FRAZAO LIMA EIRELI, mesmo após a realização de contato telefônico, e-mail, whattsapp, encaminhado oficio, notificação, nunca compareceu para realizar o transporte dos alunos que se iniciou dia 25/02/2019. Note-se que a mesma quando da realização do certame sagrou-se vencedora de 23 (vinte e três) rotas, o que causou grande transtorno a rede pública municipal.

A empresa de fachada foi notificada diversas vezes e inclusive pelo Ministério Público local, mais sem temer as leis vigentes do país o empresário se quer respondeu as indagações da prefeitura e do MP local. A irresponsabilidade da firma de fachada rendeu atraso no inicio das atividades educacionais do município que teve que inclusive decretar estado de emergência na rede pública de ensino.

 Monção

A empresa de fachada é detentora de vários contratos no município de Monção que já é inclusive investigado pela Policia Federal, por desvios de verbas da educação.

Escândalo! Prefeita de Monção foi denunciada na PF por fraudar Censo escolar

O município de Monção é alvo de investigação realizada pela  Polícia Federal que apura possível fraude nos dados do censo escolar do município. Segundo documento obtido pelo Blog Werbeth Saraiva, mostra que a atual prefeita Klautenis Deline Oliveira Nussrala, conhecida como Cláudia Silva, teria fraudado dados do censo para obter mais recursos do Ministério da Educação. Vale lembrar, que é  através do censo escolar que o Governo Federal define o valor do recurso que deve ser repassado para cada município.

O documento revela que a Prefeitura enviou dados ao INEP informando ter mais de 3 mil alunos em regime integral, sendo que na realidade há apenas 75 crianças que estudam em regime regular na simples Escola Antonilson Coelho Costa,localizada na sede da cidade.

A denúncia manifestou ainda que a quantidade de matriculados no ensino fundamental não corresponde o que foi repassado ao órgão federal. Já no EJA ( Educação de Jovens e Adulto), foi repassado que há 3 mil alunos, sendo que, na verdade só há 600 alunos.

Diante dos fatos, o inquérito irá apurar tais irregularidades na denúncia encaminhada a Polícia Federal.

Promed Distribuidora já faturou mais de R$8,5 milhões em contratos com a Prefeitura de Monção

Prefeita de Monção, Claudia Silva

A  empresa Promed  Distribuidora  de Medicamentos e Produtos Para Saúde -EIRELLI,localizada na Avenida Perimental Sul, nº 12, Loja 01, bairro Bequimão,em São Luís, vem  ganhando  desde 2017 uma verdadeira fortuna em convênios celebrados com a gestão de Cláudia Silva, prefeita Municipal de Monção.

Segundo dados divulgados pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE),em 2018 a Promed recebeu da Prefeitura de Monção, o equivalente a R$ 997.840,12( novecentos e noventa e sete mil, oitocentos e quarenta reais e doze centavos).  Já em 2017, a empresa recebeu cifras milionárias avaliadas em R$ 6.354.534,70 milhões. Todos os pagamentos  provenientes dos cofres públicos.

Ainda segundo o Tribunal de Contas ,em 2019 a empresa de Liliane Maya Santiago,receberá do Executivo Municipal o montante R$1.244.154,16 (um milhão, duzentos e quarenta  e quatro mil, cento e cinquenta e quatro reais e dezesseis centavos).

A  parceria firmada com a  empresa de Liliane Maya Santiago,visa  fornecimento de  medicamentos e insumos hospitalares à Secretaria de Saúde e Saneamento de Monção.

Os contratos assinados  terão validade até 31 de dezembro deste ano.

 

Prefeita Claudia Silva é acusada de fraude no censo escolar de Monção

Prefeita de Monção, Claudia Silva

A prefeita de Monção, Claudia Silva, pode estar muito perto de parar na cadeia. De acordo com denúncias recebidas pelo blog Werbeth  Saraiva, a gestora comandou um esquema de fraude no censo escolar de toda rede de ensino municipal de Monção.

O esquema de fraude no censo é um método inventado por larápios do erário público para arrecadar mais recursos federais da educação. A fraude tem explicação simples. O censo é realizado com dados enviados pelas prefeituras, no caso das escolas municipais, e pelo Estado, no caso das estaduais. Seus resultados são determinantes para a destinação de verbas para os gestores dos vários níveis do sistema educacional do país. Quanto mais alunos tiver um município, maior é sua chance de obter mais volume de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB) e de aumentar o dinheiro destinado à merenda escolar e consequentemente desvios de recursos públicos.

O blog do Werbeth Saraiva, recebera denúncias que o esquema foi montado na prefeitura de Monção no ano de 2017, na gestão da prefeita Claudia Silva, de acordo com a fonte, a fraude no censo de Monção é tão grande que em  números de alunos em creche, Monção fica á frente de estados como Goiás, quando comparado, as informações dão conta que entre alunos e professores fantasmas foram criados milhares de alunos “fictícios” sendo também em creches, o município se quer dispõe de creches, o que torna impossível haver ensino infantil em tempo integral. A quantidade de alunos da educação especial e do EJA, (Educação de jovens e adultos) também “cresceram” de maneira absurda na gestão da prefeita Claudia, com a fraude os recursos da educação do município mais que dobraram.

 Mais…

O percentual de alunos em creche no ano de 2017 em relação ao ano anterior 2016, foi de mais 357%, já os dados da educação especial foram alterados de um ano para outro em mais 1415%, o EJA, (Educação de Jovens e adultos) teve aumento de 2016 a 2017 de mais 870%, o blog vai revelar documentos e extratos bancários que comprovam a fraude montada para locupletar os responsáveis com dinheiro público, os fatos também já são de conhecimento do Ministério Público Federal, Policia Federal e CGU, os desdobramentos serão acompanhados pelo blog. AGUARDEM!

 Outro Lado

Procurada por nossa reportagem, a prefeita Claudia Silva não se manifestou.

Posto de combustível de Igarapé do Meio deve faturar quase R$740 mil em Monção

Cláudia Silva, prefeita de Monção .

A A. C. Lima Derivados de Petróleo  EIRELI-EPP, cujo nome fantasia é Posto J Lima, irá faturar valores bem  significativos na gestão de Klautenis Deline  Oliveira Nussrala, a Cláudia Silva.

Segundo dados disponibilizados  pelo Tribunal de Contas do Estado(TCE), a empresa de propriedade de Carla Tayana Ribeiro Lima,  irá ganhar em quatro acordos  firmados com a Prefeitura de Monção, o equivalente a R$ 736.466,10 mil. Os contratos com validade até 31 de dezembro, deverão ser bancados pelos cofres do Município.

Um ponto chama atenção. Vale destacar, que a contratada  A.C Lima Derivados fica localizada na BR-222, KM 339,bairro Zona Rural; no município de Igarapé do Meio, cerca de 20 km de distância do município de Monção.

O objeto dos contratos é fornecimento  de combustível para as Secretarias Educação, Administração e de Desenvolvimento,Assistência Social e Trabalho; de Educação e de Saúde.

Monção: Claudia Silva entre a perda do cargo e a cadeia

Prefeita de Monção, Claudia Silva fazendo juramento durante a posse

São muitos os crimes praticados contra o erário público municipal de Monção, o blog iniciou uma série de denúncias que chamam atenção da população e dos órgãos corregedores.

  O município de Monção é administrado pela prefeita Claudia Silva, (PSDB), eleita nas eleições de 2016, com 49,24% dos votos válidos, a população elegeu Claudia Silva, na esperança de renovação e melhorias para o povo do município, nada disso aconteceu, em quase quatro anos de gestão, os escândalos do governo começaram a surgir faltando pouco pouco para as eleições de 2020.

  As empresas de aliados da prefeita Claudia Silva, inclusive de irmão de vereadores, estão dando suporte para que o dinheiro do municio seja escoado, empresas de fachada e irregulares são detentoras de inúmeros contratos em Monção.

Os documentos que apontam indícios de irregularidades e desvio de verbas públicos são estarrecedores, o Ministério Público já abriu diversas investigações contra a gestora, em uma delas o MP, investiga a compra de caixões realizada pela gestão no ano de 2017, em meio aos escândalos de agora e os que ainda serão revelados, Cláudia Silva pode sofrer um pedido de afastamento cautelar do cargo ou pior o Ministério Público pode pedir a privação de liberdade da gestora. É aguardar e conferir!

Empresa sem alvará ganha quase R$ 1 milhão em contratos na Prefeitura Monção

Prefeita de Monção, Claudia Silva

A prefeita Claudia Silva, de Monção, parece não ter limites quando se fala em gastar dinheiro público, ao observar os contratos firmados entre a gestão e prestadoras de serviços é possível observar diversas irregularidades e que levantam suspeitas de superfaturamentos, direcionamentos e verdadeiros atentados contra a lei de licitações.

Para se ter uma ideia, apenas nos cinco primeiro meses de 2019, o município de Monção, firmou R$ 948.564,000 (Novecentos e quarenta e oito mil quinhentos e sessenta e quatro reais) em contratos para o mesmo objeto, que é manutenção de ar condicionados. Um prato cheio para o Ministério Público.

A empresa vencedora do consorcio de contratos para o mesmo objeto é a Climax refrigeração, de Santa Inês, do empresário Raimundo Nonato Ribeiro de Almeida. A Climax refrigeração, teria que ser declarada impedida de participar da licitação, pela comissão de licitação do município, por estar estabelecida de forma irregular no município de Santa Inês, após levantamento realizado pelo blog, foi confirmado que a empresa se encontra com alvará de funcionamento vencido desde o dia 31/12/2018.

Uma fonte bem posicionada do blog, revelou que varias investigações do MP e até da Policia Federal, estão em curso para apurar supostos desvios de recursos no município de Monção, um dos alvos das investigações seria o esposo da gestora, que de acordo com informações é quem realmente manda e desmanda no município, quem mantém contato direto com fornecedores e prestadores de serviço no município, mais isso é assunto para a próxima noticia.

Farra das diárias na Câmara de Vereadores de Monção

O vereador João Amorim de Sousa, o Amorim, promoveu uma verdadeira farra de diárias quando era presidente da Câmara Municipal de Monção,distante 244,6 km de São Luís.

Segundo documento obtido com exclusividade, parlamentar municipal usava diárias que variavam de R$ 800  a R$1.600 para viajar para a capital maranhense.

O montante pago pela Câmara Municipal de Monção em 2018 para bancar  o deslocamento de Amorim para São Luís ficou em torno de R$14.400 mil.

Vale ressaltar que o vereador acusado de promover uma verdadeira “farra” com dinheiro público, foi aliado de primeira hora da prefeita Claudia Silva, (PSDB), outra que está na mira do Ministério Público Federal.

A lista completa com os valores das diárias está em abaixo:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Empresa que possui 4 veículos ganha contrato de mais de R$ 1 milhão para transporte escolar em Monção

Prefeita de Monção, Claudia Silva

A prefeitura de Monção, comandada pela prefeita Klautenis Deline Oliveira Nussrala, contratou a empresa O. S. GASPAR JÚNIOR – EPP, por cifras milionárias.

O objeto do contrato é a prestação de serviços de transporte escolar para atender toda rede de ensino municipal, a empresa que pertence ao empresário Onésio Silva Gaspar, deve lucrar exatos; R$ 1.213.000,00 (um milhão, duzentos e treze
mil reais) durante os doze meses de vigência do contrato.

A empresa que traz o nome fantasia como “Gaspar construções”, é sediada no próprio município de Monção. Outro fator que chama atenção é que de acordo com levantamento realizado pelo blog, a empresa que será responsável pelo transporte escolar do município de Monção, possui apenas quatro veículos registrados no CRLV (Certificado de registro e licenciamento de veiculo), sendo dois ônibus modelos Mercedes bens, uma Hilux e um Fiat Mobi.

A “Gaspar construções”, consegue atestar sua capacidade técnica, através de um atestado fornecido pela própria prefeitura de Monção, que justifica que a empresa cumpriu satisfatoriamente com suas obrigações, quando também prestou serviço de locação de veiculo sem condutor, no ano de 2018, o blog apurou que o contrato vencido pela empresa em 2018, foi de exatos; 936.000,000000 (novecentos e trinta e seis mil).

Procurada por nossa reportagem a prefeita Claudia silva, não se manifestou, já o proprietário da empresa não foi localizado pelo blog para esclarecimentos.

O Ministério Público, deve investigar!