Felipe dos Pneus anuncia doação do seu salário para profissionais do setor cultural de Santa Inês

Em um vídeo publicado nas redes sociais, o prefeito de Santa Inês, Felipe dos Pneus (Republicanos), anunciou que vai doar todo o seu salário deste mês aos profissionais do setor cultural. O valor será revestido em alimentos. As cestas básicas serão distribuídas aos profissionais ainda esta semana.

No vídeo, Felipe diz que neste período de festividades do carnaval, muitos profissionais estariam trabalhando e gerando renda. Porém, por causa da pandemia, eles estão parados e muitos passando por necessidade.

Os primeiros a receberem os alimentos serão aqueles que já fizeram cadastro no Departamento de Cultura. A estimativa é que cerca de 100 profissionais sejam beneficiados.

Quando era deputado estadual, Felipe dos Pneus doou metade do salário para a aquisição de equipamentos de proteção para os profissionais da saúde, ainda no inicio da pandemia em 2020. Além de cerca de 20 toneladas de alimentos.

Ainda no vídeo, o prefeito reitera que “vai atuar com seriedade e transparência para desenvolver Santa Inês, que está prestes a completar 54 anos”. E para comemorar a força do povo santainesense, a prefeitura já está preparando uma série de ações, obedecendo todos os requisitos sanitários. A programação oficial deve ser divulgada em breve.

Santa Inês recebe segundo lote da vacina contra a Covid-19

Já estão na Secretaria de Saúde de Santa Inês 592 doses da vacina Coronavac. Essas doses são destinadas para os profissionais da saúde que já receberam a primeira dose. O município de Santa Inês também recebeu mais 490 doses da vacina AstraZeneca. Essas doses serão administradas, à princípio, ao restante do grupo de profissionais da saúde.

Na sequência, a prioridade para receber a imunização de acordo com o Ministério da Saúde é comporto por pacientes oncológicos que estejam em tratamento de quimioterapia e radioterapia; pacientes em tratamento com hemodiálise.

É muito importante destacar que esses pacientes antes de tomarem a dose da vacina, devem ser cadastrados no Centro de Imunização, que funciona no prédio do Centro de Saúde Djalma Marques, que fica na Rua 21 de Agosto, Centro de Santa Inês. Além desse cadastro, os pacientes descritos acima precisam apresentar um laudo com autorização médica para poder ser imunizado. Essas orientações são do Ministério da Saúde.

Conforme Santa Inês receba mais vacinas, os demais grupos prioritários serão imunizados conforme plano municipal de imunização contra a Covid-19. Diariamente, a Secretaria de Saúde emite boletins sobre os casos da doença no município. Também são publicados os dados de como está sendo feita a vacinação.

Suspeitos de estupro coletivo são presos em Santa Inês

Dois dos três suspeitos de participarem de um estupro coletivo contra uma mulher foram presos e encaminhados para a Delegacia Regional de Santa Inês. — Foto: Reprodução/ TV Mirante

Dois  suspeitos de participarem de um estupro coletivo contra uma mulher e divulgar o vídeo na internet foram presos no município  de Santa Inês, a 250 km de São Luís.

Segundo a polícia, dos três homens, dois deles aparecem em um vídeo publicado no aplicativo, aparecem abusando sexualmente de uma mulher .

O terceiro homem suspeito  de ter gravado o vídeo identificado como Rogério  continua foragido.

O fato foi denunciado pelo  familiares da vitima na Delegacia da Mulher . Eles  alegam ainda que a vítima sofre de problemas psicológicos.

PRF apreende 100 kg de maconha escondida em caminhonete em Santa Inês

Material apreendido durante abordagem da PRF em Santa Luzia Foto: PRF

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu no último domingo (11) 100 kg de maconha na BR-222 na cidade de Santa Luzia. A droga   estava armazenada em uma caminhonete. A apreensão da droga aconteceu quando os policiais rodoviários realizavam uma abordagem de rotina na rodovia estadual.

Segundo a PRF, durante a abordagem o motorista  apresentou nervosismo e quando foi indagado sobre origem e destino da caminhonete ele apresentou contradição em sua fala.

Ainda de acordo com a PRF,  após análise preliminar do veículo, os policiais rodoviários constataram que havia uma capa embalada em uma espécie de bexiga no compartimento da carroceria do veículo. Indagado sobre a existência de drogas no veículo o condutor assumiu haver em torno de 30 kg de maconha.

O veículo e o condutor foram encaminhados para a Unidade Operacional de Santa Inês, onde  a equipe após verificar o veículo encontrou 93 tabletes de maconha totalizando 100 kg de droga.

 Durante depoimento o condutor do veículo informou ter adquirido a droga na cidade de Manaus, no estado do Amazonas, e revelou que iria levá-la para Timon, a 450 km de São Luís, onde receberia pelo transporte o valor de R$ 10 mil.

O motorista e a droga foram levados para a delegacia de Polícia Civil de Santa Inês para as providências cabíveis.

Jovem é preso por empurrar homem de ponte e roubar moto em Santa Inês

Lucas Teixeira Araújo, de 21 anos, acusado de cometer crime de latrocínio contra Wildevis Maciel, conhecido como “Davi” em Santa Inês.

Na quinta-feira (21), a Polícia Civil prendeu Lucas Teixeira Araújo, de 21 anos, acusado de cometer crime de latrocínio contra Wildevis Maciel, conhecido como “Davi” em Santa Inês.

Segundo informações policiais, a vítima estava desaparecida desde do dia 15 de março, tendo sido visto pela última vez na festa de aniversário da Santa Inês, no espaço cultural dona Zima, em companhia de algumas pessoas, inclusive o acusado.

Logo após familiares comunicarem o desaparecimento de Lucas, a equipe de capturas da delegacia regional iniciou as investigações para tentar encontrar Wildevis.

Após várias diligências e denúncias anônimas, a moto da vítima foi encontrada abandonada num matagal, próximo a cabeceira da ponte q faz a divisa dos municípios de Santa Inês e Bom Jardim, chamado de ponte dos índios.

Diante das informações levantadas pelos policiais o acusado confessou a prática criminosa, inclusive indicado o local onde poderia ser encontrado o corpo da vítima.

De acordo com Davi, ele teria empurrado a vítima de cima da ponte dos índios no rio, também confessou que após empurrar a vítima no rio pegou a moto desde e escondeu num matagal próximo a sua casa, que dias depois pegou a moto do esconderijo e tirou a placa, jogando as margens da BR-316, e seguiu para o povoado bambu, onde foi para um bar e tomou algumas cervejas, agindo como se nada tivesse acontecido.

Que logo após ter tomado conhecimento que a Polícia Civil estava investigando o desaparecimento de Davi, o acusado resolveu tentar da sumiço a moto da vítima, jogando num precipício as margens da BR e próximo cabeceira da ponte dos índios, não tento total êxito porque a moto ficou presa por cipós..

Alô PF! Prefeita de Santa Inês contrata empresa de “fachada” por mais de R$ 4 Milhões

Fachada da suposta empresa

A prefeita de Santa Inês, Vianey Bringel aproveitou o fim de ano para “encher” os cofres de uma empresa de engenharia da capital. No dia 5 de dezembro de 2018 a prefeita de Santa Inês e o empresário WALDEC ARAUJO NOGUEIRA FILHO firmaram um contrato milionário para execução dos serviços de recuperação e melhoramento de 30 km das vias do município.

O valor do contrato que tem vigência de 12 meses é assustador, a empresa ARNO ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO LTDA vai lucrar exatos  R$ 4.088.382,75 (quatro milhões oitenta e oito mil trezentos e oitenta e dois reais e setenta e cinco centavos) A ARNO engenharia é de propriedade dos sócios Waldec Araujo Nogueira Filho e Victor Barcelos Nogueira.

A ARNO ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO LTDA é uma espécie de “faz tudo” nas atividades econômicas descritas no contrato razão social, tem desde limpeza de resíduos não perigosos, até comercio varejista de plantas e flores naturais.

O contrato foi assinado no dia 05/12/18 e tem validade de um ano. Os serviços começaram no mesmo dia da assinatura do contrato, por incrível que pareça.

Rastros de empresa Fantasma…

 

  • O O blog foi conferir as condições da empresa Arno Engenharia, que segundo a razão social dispõe de um capital de R$ 700 mil reais, além de estar operando desde 2015. local, porém, é uma residência que nem de longe lembra a sede uma empresa. O blog esteve na ‘sede’ da Arno Engenharia, porém apenas uma mulher vestida “pijama” estava no imóvel, conforme as imagens em anexo. Na realidade, ali é uma residência, com nenhuma característica que sequer lembre o funcionamento de uma empresa, bem longe de ser a sede de uma empresa que dispõe de um gigantesco contrato como o de Santa Inês, o mato está quase “cobrindo” a casa.. 

É importante que o Ministério Público Federal, e a Polícia Federal investigue o contrato e a empresa, para saber se realmente a empresa possui estrutura adequada e legalizada para atuar no setor público. Fica o alerta aos órgãos fiscalizadores!

Pai de vereadora é executado por pistoleiros em Santa Inês

Foi assassinado na manhã deste sábado (5), o pai da vereadora de Santa Inês, Carla Sousa.

Antônio Alves Sousa de  53 anos, o popular “Tunico”, abria seu comercio comercio no Residencial Sol Nascente, no município de Santa Inês, por volta das 6h, quando segundo informações, dois homens suspeitos em uma moto e encapuzados, efetuaram vários disparos contra a vitima.

Homem é preso acusado de estuprar idosa de 92 anos em Santa Inês

A Polícia Civil prendeu Francisco Ivaldo Silva, 38 anos, acusado de estuprar uma idosa de 92 anos, em Santa Inês.

Segundo informações policiais, o crime aconteceu no sábado (17), no bairro São Benedito, após o suspeito levar a vítima para o quintal de casa.

Na ocasião, uma mulher, cuja identidade não foi revelada, chegou ao local e começou a gritar para tentar impedir o ato criminoso.

Em seguida, a polícia foi acionada e prendeu Francisco, que foi encaminhado para a Delegacia Regional de Santa Inês.

PF prende policiais rodoviários que atuavam em Araguanã e Santa Inês, por suspeita de cobrança de propina para liberar madeira ilegal

Tudo se iniciou após um processo de apuração realizado pela Corregedoria Nacional da PRF.
A Polícia Federal, em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal, deflagrou hoje (8/11), a Operação VIA PERDITIONIS* com o objetivo de combater  ilícitos contra a administração pública que viabilizavam o transporte ilegal de madeira serrada pelas rodovias BR 316 e BR 222, no estado do Maranhão.
As investigações apontam que servidores públicos atuavam nos municípios  de  Santa Inês/MA e de Araguanã/MA para permitir a circulação irregular de caminhões carregados de madeira sem a devida documentação.   Há elementos indicadores no sentido de que policiais rodoviários federais, juntamente com os denominados “fiscais de pista”, agiam nas imediações do Posto Fiscal Estaca Zero, em Santa Inês/MA para autorizar a passagem dos caminhões sem a devida fiscalização rodoviária e fazendária, deixando de verificar o documento de origem florestal e as respectivas notas fiscais dos carregamentos de madeira.
Por determinação do Juízo da 8° Vara Federal, estão sendo afastados de suas funções, 12 (doze) Policiais Rodoviários Federais e 4 (quatro) “fiscais de pista” da Secretaria de/MA. Também são cumpridos  4 (quatro) mandados de prisão preventiva, 2 (dois) mandados de prisão temporária, envolvendo empresários e caminhoneiros do ramo madeireiro, além de 18 (dezoito) notificações de medida cautelar diversa da prisão, 22 (vinte e dois) mandados de busca e apreensão, bem como 20 (vinte) intimações.
Os investigados responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de pertencimento à  organização criminosa (art. 2º, da Lei nº 12.850/2013), corrupção ativa (art. 333, parágrafo único do CPB), corrupção passiva (art. 317, §1º do CPB), tráfico de influência (art. 332, parágrafo único do CPB), violação do sigilo funcional (art. 325, §2º do CPB) e receptação qualificada (art. 180, §1° do CPB).
Participam da ação de hoje aproximadamente 150 servidores entre policiais federais,  policiais rodoviários federais integrantes da Corregedoria Geral da PRF que contam ainda com o apoio de servidores do IBAMA.
 VIA PERDITIONIS é uma referência ao desvio de conduta perpetrado por alguns servidores públicos em detrimento ao esperado cumprimento de suas funções.
Comunicação Social da Polícia Federal no Maranhão

Agente penitenciária acusa delegado de abuso de autoridade em Santa Inês

Agente penitenciária Adriana Barros foi presa após pedir que uma escrivã e um investigador da Polícia Civil passasse por uma revista em presídio em Santa Inês — Foto: Reprodução/TV Mirante

Adriana Barros, agente penitenciária do presídio de Santa Inês, a 250 km de São Luís, está acusando o delegado Regional de Santa Inês, Ederson Martins Pereira, de abuso de autoridade.

Segundo a agente Adriana, tudo começou depois que ela revistou uma escrivã e um investigador da Polícia Civil, que foram a Unidade Prisional de Ressocialização de Santa Inês pegar o depoimento de um preso. De acordo com Adriana Barros, os dois queriam entrar no presídio sem passar pelo procedimento padrão da revista e como não conseguiram prenderam ela. A agente disse que o procedimento é determinado por uma portaria interna que só não inclui juízes, promotores e defensores.

“Logo após de 18h eu estava na permanência da unidade e fui surpreendida com a chegada do delegado Regional, doutor Ederson Martins Pereira, em que ele questionou quem seria Adriana quando ele entrou na unidade. Eu me identifiquei e ele já falou que eu estaria presa por abuso de autoridade e constrangimento ilegal. Eu pela reação perguntei ‘o que é isso?’ porque eu estava no meu trabalho exercendo a minha função e ele ultrapassou a permanência e mobilizou o meu braço esquerdo”, contou a agente Adriana.

Adriana disse que foi levada pelo delegado Ederson Martins e por outro agente da Polícia Civil, que usaram da força para obrigá-la a entrar na mala da viatura. Ela acrescentou que após chegar à delegacia ela foi levada para uma cela com presos do sexo masculino.“Nós da Seap não tratamos dos bandidos com alta periculosidade do jeito como ele me tratou. Eu fui levada à Delegacia Regional no camburão. Lá quando eu cheguei eu fui posta numa cela ao lado de presos do sexo masculino. Nenhum direito constitucional foi garantido. Ele não permitiu que eu fosse assistida por um advogado. Depois eu saí da cela, fiquei 20 minutos nesta cela. Depois eu saí e fui para uma sala de revista. Eu sim fiz uma revista vexatória. Tirei toda a minha roupa para uma funcionária administrativa da delegacia de Polícia Civil. Depois eu fui mandada para a sala do delegado e lá eu fui torturada psicologicamente por ele. Porque ele foi falando que ia responder a vários processos”.