ABRE O OLHO PF! Troca troca de prefeito em Amapá do Maranhão, e o dinheiro da educação indo para o ralo

Por essas e outras que a corrupção no Brasil não acaba, todo mundo que tem a oportunidade de dirigir um órgão público  quer sempre se aproveitar para roubar.

Em Amapá do Maranhão a câmara de vereadores manobrada pelo presidente Renato Araújo, afastou a prefeita eleita Tate do Ademar. Renato Araújo que também  teria que ser afastado pois a frente da câmara municipal deixou de cumprir todas as determinações impostas pelo TCE sobre transparência.

O vice-prefeito João Vilar (PCdoB), que tomou posse logo no dia seguinte (24), não realizou nenhuma mudança e manteve os mesmos secretários nas pastas de administração, finanças e tesouraria no município. Diante dos fatos o presidente articulou e tratou de afastar o vice prefeito para que ele assumisse o comando do município, a maioria da população do município sabe bem qual a verdadeira intenção de Renato. Se a frente do legislativo municipal Renato não é transparente imagine a frente de um orçamento de quase 1 milhão.

 O Ministério Público  e o juízo da comarca local precisam se posicionar e não deixar a população ser  penalizada por atos imorais de pessoas que vivem de sugar o dinheiro público.

Vale ressaltar que empresas de fachadas costumam operar nessas idas e voltas de gestores, além  da lavagem de dinheiro que em casos é bem eminente.

Sò no último dia 30 os repasses passaram da casa dos meio milhão de reais, é um caso que a Polícia Federal precisa averiguar bem de perto.

A POLICIA FEDERAL PRECISA ESTAR ATENTA!

Prefeito de Turiaçu é denunciado na Polícia Federal por caos na saúde

O prefeito de Turiaçu Umbelino Ribeiro foi denunciado na Policia Federal pelo caos na saúde do município. Ocorre que segundo a denúncia  formulada em uma morte que ocorreu no hospital local, supostamente por negligência médica, coloca em cheque a aplicação de recursos oriundos do governo federal para suprir as necessidades básicas da saúde de Turiaçu.

 Entenda o caso: 

No último dia 06, um Homem popularmente conhecido na cidade como Galdino sofreu um grave acidente de moto quando retornava para sua casa. Ao chegar no hospital administrado pelo município, não havia um médico para prestar atendimento.

Segundo relatos de familiares, a vítima que chegou com um trauma na cabeça e sentido dores no tórax provocado pela queda, foi atendido por um maqueiro. Foi o próprio maqueiro quem medicou, fez o curativo e em seguida liberou o paciente para ir para a casa.

Depois de ser atendido e liberado pelo maqueiro, o senhor Galdino Marques sentiu fortes dores de cabeça e depois de algumas horas acabou morrendo.

Os familiares denunciaram que a falta de médicos é comum na unidade Elvira Carvalhal e que enfermeiros muitas vezes fazem o papel de médicos. A situação é tão comum que até um maqueiro se acha na condição de atender um paciente, eles responsabilizam a gestão de Umbelino pela morte de Galdino e querem providências sobre o caso.

Umbelino denunciado na Policia Federal 

A denúncia do caso na PF se justifica pelo fato da prefeitura municipal de Turiaçu receber mensalmente recursos do governo federal via ministério da saúde para serem investidos no atendimento a população, pagamentos de médicos e equipes medicas. Assim como aquisição de remédios e materiais hospitalares. O denunciante ainda afirma que o município não conta com equipes de pronto socorro e médicos para atender a população.

“E frequente a falta de profissionais de saúde e as condições são sempre as piores possíveis.”

Denunciou Sérgio Emanuel da Silva Marques.

 

Polícia Federal faz operação contra pornografia infantil no Maranhão

A Polícia Federal faz operação contra pornografia infantil na manhã desta quinta-feira (26) em sete estados. Há 10 mandados de prisão contra abusadores, que armazenavam material pornográfico de crianças e adolescentes, e 11 de busca e apreensão.

Os alvos da operação compartilhavam o material pela internet. Até as 7h, 5 mandados de prisão haviam sido cumpridos e seis pessoas foram presas em flagrante em São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Goiás, Pernambuco, Maranhão e Acre.

Segundo a PF, ao menos 15 vítimas, de bebês a crianças de 11 anos, foram identificadas.

Essa é a segunda fase da Operação Underground, nome inspirado nas técnicas de investigação dentro e fora de todo um conjunto de sites e servidores de internet.

Após a primeira fase, foram feitas investigações na deepweb, que resultaram na identificação de 13 pessoas que integravam um grupo de produtores de material de exploração sexual infantil, que se comunicavam em ambiente cibernético, onde ocorria o comércio das imagens ilícitas.

Segundo apurado, “grande parte dos envolvidos efetivamente abusava sexualmente de crianças, registrando as imagens. Numa segunda etapa, reuniam-se em salas virtuais dedicadas à pedofilia, onde trocavam, vendiam ou simplesmente disponibilizavam os arquivos ilícitos. Algumas das vítimas já foram identificadas, quando ficou demonstrado que o agressor é, no mais das vezes, pessoa do convívio da família da vítima, ou mesmo parte dela”, diz a PF.

O crime de publicação de imagens de pornografia infantil prevê pena de 3 a 6 anos de prisão. Já o estupro de vulneráveis prevê de 8 a 15 anos de prisão.

Carro da PF é visto no aeroporto de São Luís…

Blog do Neto Ferreira

Uma viatura da Polícia Federal foi fotografada na tarde de segunda-feira (23), estacionada no Aeroporto Internacional Marechal Hugo da Cunha Machado. Segundo informações, a viatura estaria aguardando agentes federais que desembarcariam em São Luís.

A reportagem procurou assessoria da PF para esclarecer, mas não obteve exito.

Comenta-se nos bastidores que já teria uma representação com medidas cauteladas no Tribunal Regional Federal da 1ª Região contra um influente auxiliar do governo Flávio Dino, cuja materialidade de provas inseridas no pedido é comprobatória.

No Maranhão “ato de apoio” para secretário investigado pela Policia Federal se transforma em comício.

No Maranhão o governo Flávio Dino perdeu de vez as “estribeiras” depois do escândalo que foi as operações em que foram constatados milhões de desvios da saúde no governo Dino,o secretário  de saúde,Carlos Lula que é investigado pela policia federal e apontado como um dos principais beneficiados no esquema, resolveu desafiar a Polícia  Federal e o Ministério Público Federal em um “um ato em solidariedade ao secretário” onde mais parecia um comício,e o principal adversário: a policia federal, que várias vezes foi afrontada por Lula que repetia “Não tenho medo” desafiando a PF, agora o mais incrível disso tudo é que Lula diz não ter medo, mais o mesmo já entrou com dois pedidos de HC (Habeas corpus) para trancar as investigações da PF e ambos negados, como diz o ditado: “quem não deve, não teme.”

Além de secretários de estado e FUNCIONÁRIOS DA SES , diversas lideranças políticas e o governador Flávio Dino estiveram presentes.

O maranhão é o estado onde um secretário  é investigado pela Polícia  Federal e o governador ao invés de exonerar o “ACOBERTA.”

A mídia alinhada ao Palácio dos Leões tem “conspirado” diariamente contra a Policia Federal

Um esquema de propinagem e roubo de dinheiro público da saúde do maranhão descoberto pela Policia Federal no governo Flávio Dino deixou a instituição vulnerável a constantes ataques, tanto por parte do próprio governador, que hora ou outra, deixa a entender em suas redes sociais que toda operação é orquestrada por José  Sarney seu mais maquiavélico adversário, o governador fala como se Sarney, tivesse plenos poderes sobre a instituição federal, o que acaba manchando de certa forma a imagem da policia federal no Maranhão, ao ver o comandante disparar diariamente inúmeras criticas as operações do órgão aqui no estado, os comandados se vestem de “poder” e exalam conspiração contra a policia federal, não é  difícil abrir um blog ou jornal alinhado ao palácio dos leões e ver as criticas descabidas, e a tentativa de botar o povo contra a PF, o  conchavo não se estende apenas a policia Federal,um blogueiro também tem sido vitima do conventrículo criado por “ratos” palacianos, é  preciso que a Policia Federal tome providências e não deixe que continue esse arranjo imoral, que tem como prioridade descredibilizar uma operação séria que beneficiará  o maranhão, acabando com toda sorte de maracutaia e punindo com cadeia quem ousar roubar dinheiro da saúde do Maranhão.

A conspiração existe!

De Homem “honrado” Carlos Lula pode Virar EXONERADO!

A vida do atual secretário  de Saúde  do Maranhão está  para lá de conturbada, Carlos Lula é investigado por crimes de desvios  e lavagem de dinheiro pela Policia Federal. Carlos Lula foi citado em um esquema de corrupção pelo médico Mariano de Castro Silva, que era assessor especial na Secretaria de Saúde,o médico citou o secretário e vários figurões em uma carta que escreveu quando esteve preso em Pedrinhas por corrupção na saúde pública. Mariano foi encontrado enforcado em seu apartamento na cidade de Teresina-PI, onde vinha cumprindo prisão domiciliar.

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), usou sua rede social para sair em defesa do seu auxiliar Carlos Lula. Flávio disse que Lula “é um jurista sério, honrado, dedicado”. O governador ainda disse que o secretário está sendo perseguido pelo grupo Sarney.

“Está sendo vítima de vil perseguição pelo coronelismo, por conta do desvario de retornar ao poder de qualquer forma, a qualquer preço,”

A situação de Carlos Lula se agrava e de “Homem Honrado” deve virar exonerado, isso mesmo, fontes do Blog revelaram no começo da noite de hoje (16) que em uma reunião privada “conselheiros” do governador pediram a “cabeça” de Carlos Lula, na reunião foi falado que uma eventual prisão do secretário pela Policia Federal seria um desgaste gigante ao governo, e se isso acontecer com Lula fora da pasta do governo, amenizaria o desgaste do próprio governador, o palácio dos leões sede do governo do Maranhão teme que a qualquer momento a Policia Federal desencadeie um novo desdobramento da operação que identificou um roubo de 18 milhões de reais da Saúde  do Maranhão, e que pessoas do mais alto escalão do governo possam ir para cadeia, deixando um cenário de reeleição praticamente impossível ao governo.

Flávio  Dino deve exonerar o secretário Carlos Lula. É AGUARDAR E CONFERIR!

Prefeito de São Luís Edivaldo Holanda, Na “mira” da Polícia Federal.

Nome de Edivaldo Holanda Jr aparece em investigações da Polícia Federal (PF), por destinação de emenda parlamentar duvidosa e recebimento de doação de campanha por empresas envolvidas em fraudes investigadas pela PF.

Segundo os documentos da PF, o nome de Edivaldo Holanda Jr. apareceu em uma interceptação telefônica, em 2012, durante as investigações que ocasionaram na prisão de Bia Venâncio, ex-prefeita de Paço do Lumiar. Na conversa, Bia fala de uma emenda parlamentar destinada a ela por Edivaldo, então Deputado Federal.

Além dessa, devemos recordar que o nome do prefeito também surgiu durante o desenvolvimento da operação “Sermão aos peixes”, mostrando que Holandinha recebeu doações para a sua Campanha de empresas acusadas de desviar recursos federais na área da saúde.

A policia Federal deve investigar mais fatos estranhos envolvendo Edvaldo….

ESCÂNDALO! Empresa do médico Aírton Marques, teria superfaturado contratos com instituto investigado pela PF no estado.

O Médico e ex candidato a prefeito do município de Carutapera Aírton Marques Silva (PTN) que foi exonerado do hospital regional do município na semana passada pela secretaria estadual de saúde REVEJA, por suspeitas de liderar um “esquema de propinagem” dentro do hospital regional está no “centro” das atenções mais uma vez, o blog obteve algumas notas da empresa MEDCLINICA de propriedade de Aírton Marques, que o coloca mais uma vez na “mira”da Policia Federal, ocorre que ao comparar duas notas fiscais sendo uma emitida no ano de 2016 ao Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania (Idac) e outra no ultimo dia do ano de 2017 (31/12/2017) a Secretaria de estado da saúde do Maranhão, os valores variam e o que se observa é que á um superfaturamento absurdo em relação aos dois contratos, no contrato com a IDAC que teve o presidente Augusto Silva Aragão preso ano passado por uma fraude na saúde do Maranhão de mais de 18 milhões, a MEDCLINICA faturou  quase o dobro do que faturou com a secretaria de saúde do estado em doze meses, sendo que os serviços eram os mesmos, o pagamento de diárias de médicos do hospital regional.

Contrato da MEDCLINICA com o Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania (Idac)

O contrato entre a clinica e o instituto alvo de investigação da policia federal levou aos cofres da clinica de Aírton Marques Silva exatos 378.824.00 (trezentos e setenta e oito mil oitocentos e vinte e quatro reais)por  mês, e durante um ano foram mais de quatro milhões  de reais.

Contrato de doze meses de duração entre a MEDCLINICA e a Secretaria de estado da saúde do Maranhão, logo após a operação da Policia Federal que levou varias pessoas para cadeia por desviar recursos da saúde do estado:

O valor da nota fiscal emitida a secretaria de estado da saúde pela prestação de  serviços foram exatos 251,309,88( duzentos e cinquenta e um mil e trezentos e nove reais e oitenta e oito centavos) por mês, a diferença de um ano para o outro chega a quase um milhão de reais, os contratos da empresa de Aírton com o instituto IDAC só foram rompidos após a policia Federal descobrir o esquema e levar para cadeia o presidente do instituto.

Ao comparar os dois contratos a diferença de um para o outro é de estimados um milhão de reais  a menos em relação do valor de serviço prestado pela MEDCLINICA durante o contrato com o instituto IDAC.

“Um prato cheio para a Policia Federal que deve está apurando detalhe por detalhe, de cada centavo repassado a empresa.”

 

Juiz remete caso de contrabando no Maranhão para Justiça Federal

O juiz Francisco Ronaldo Maciel Oliveira, Titular da 1ª Vara Criminal de São Luís, se declarou incompetente para julgar entes públicos e outros envolvidos em uma quadrilha de contrabandistas no Maranhão.

A decisão se baseou após o Setor Técnico-Científico, da Superintendência da Polícia Federal no Maranhão, responder que a grande quantidade de bebidas e cigarros apreendidos pela polícia em galpões são fruto de contrabando.

os cigarros apreendidos são importados, e foram introduzidos clandestinamente no território nacional. Os whiskies igualmente foram importados de forma irregular, não havendo neles indícios de inautenticidade. Não obstante, se persistirem suspeitas de tratar-se de mercadoria inautêntica, poderão ser encaminhadas amostras para o Instituto Nacional de Criminalística, para a realização dos exames laboratoriais pertinentes“.

O magistrado acata o parecer do Ministério público que reconhece a incompetência do juízo para processar e remete os autos a competência da Justiça Federal no Maranhão para o processamento e julgamento. “Já exarada anteriormente, no sentido da incompetência deste juízo para processar o feito, já que a hipótese se coaduna com o art.109 da CRFB, trazendo, como consequência a competência da Justiça Federal no Maranhão para processar o julgamento do feito, de forma que, declarando, de acordo com o parecer do Ministério Público, a incompetência da Justiça Estadual, e, por via de consequência, deste juízo, determino o imediato envio dos autos (2358/2018), bem como os acessórios, tombados sob os números 2329/2018, 2503/2018, 2499/2018, 2984/2018, 2985/2018, para a Seção Judiciária do Maranhão, com as cautelas de praxe, para os devidos fins, com baixa na distribuição, com urgência, vez que há indiciados presos cautelarmente, em razão de decreto de prisão preventiva“.

O juiz Ronaldo Maciel já prendeu 16 pessoas, entre eles o coronel Reinaldo Elias Francalanci, o major Luciano Rangel, que era subcomandante do 21º batalhão de Polícia Militar; o ex-vice prefeito da cidade de São Mateus, Rogério Garcia e o ex-superintendente de investigações criminais da Polícia Civil, delegado Thiago Bardal. Todos eles são acusados de participarem efetivamente de um esquema de contrabando no Maranhão.

Na semana passada, o deputado estadual Raimundo Cutrim usou a tribuna da Assembleia Legislativa para criticar o magistrado, que não teria competência para prender e processar os envolvidos no esquema de contrabando (reveja). Cutrim alegou que contrabando e descaminho é de competência da Justiça Federal.