Gaeco e Polícia Civil prendem suspeito de integrar organização criminosa

Material apreendido na operação

O Ministério Público do Maranhão (MPMA) e a Polícia Civil do Estado do Maranhão efetuaram, na manhã desta quinta-feira, 22, a prisão preventiva de Paulo Heitor Campos Pinheiro, acusado de praticar golpes através de aplicativo de mensagens e lavagem de dinheiro por 252 vezes. Também foi cumprido mandado de busca e apreensão.

Paulo Heitor foi abordado nas proximidades da sua casa, no bairro João Paulo, em São Luís. Na sua residência foram apreendidos documentos e mídias.

A operação faz parte de uma investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro e da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro. Os mandados foram expedidos pela Comarca de Barra Mansa-RJ, onde Paulo Heitor é acusado de lavagem de dinheiro por 252 vezes.

As investigações apontaram que ele integra uma organização criminosa e teria como função no esquema utilizar contas bancárias para tentar dar origem aparentemente lícita aos valores oriundos de crime.

Durante a operação, foi identificado que, em uma das contas bancárias de Paulo Heitor constava o valor de R$ 1,5 milhão. Ele já foi encaminhado para o sistema prisional.

Em 2016, Paulo Heitor foi preso em flagrante suspeito de integrar uma organização criminosa envolvida em golpes digitais, que incluía golpes e furto a contas de agências bancárias.

Polícia Civil prende 10 pessoas durante operação em São Luís

Polícia Civil do Maranhão realizou uma operação policial na quarta-feira (21) no bairro Cidade Olímpica . — Foto: Divulgação/ Polícia

A Polícia Civil do Maranhão realizou uma operação policial na quarta-feira (21) no bairro Cidade Olímpica, onde  foram cumpridos dez mandados de prisão pelo crime de organização criminosa.

Durante o cumprimento dos mandados foram encontradas  drogas embaladas para comercialização, uma balança de precisão e uma  uma espingarda que era utilizada pelos indivíduos para fazer a segurança dos faccionados contra outras organizações criminosas rivais.

Após os procedimentos legais, eles foram encaminhados ao presídio de Pedrinhas e ficarão à disposição da Justiça.

Polícia Civil prende cinco durante operação contra tráfico de drogas no Maranhão

A  Superintendência de Investigações Criminais (Seic) realizou nesta quinta-feira (15), cumprimento a dez mandados de busca e apreensão que resultou na prisão de quatro pessoas na capital e  uma no interior do Maranhão com envolvimento com tráfico de drogas.

Foram presos Clean Lago Abreu, de 49 anos, Edenilze da Silva, de 27 e Laélia Talita, de 19 anos e uma outra pessoa que ainda não teve a identidade revelada.  Pedrina Pereira dos Santos Muniz  foi  no município de Santo Antônio dos Lopes. Na  ação policial foram apreendidos, celulares, cadernos de anotações, documentos; além de drogas.

Segundo informações, o grupo participava de uma facção criminosa que atua no tráfico de drogas na região e era chefiado por quatro detentos que estão cumprindo pena no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Polícia Civil prende homem por tráfico em Timon

Alex Capela é acusado de tentar subornar policiais no Maranhão — Foto: Polícia Civil

O Departamento de Combate ao Narcotráfico de Timon prendeu na terça-feira (06), Alex Furtado da Silva, o Alex Capela, de 26 anos, por tráfico de drogas.

 De acordo com informações, Alex Capela tentou subornar os policiais civis para que fosse liberado.

Ainda de acordo  informações, os policiais disseram que a operação foi na casa de Alex, na Rua 23, no bairro Planalto Boa Esperança. Na residência, os agentes encontraram uma balança de mão e cerca de 300 gramas de uma substância branca, que não foi precisada pelos policiais. Além do material, foi localizada também a quantia de R$ 9.524,00 em espécie e anotações com  a contabilidade do tráfico.

Para ser liberado do flagrante, Alex ofereceu R$ 15 mil para ser liberado. a ele foi dada voz de prisão pelo crime de crime de corrupção ativa (artigo 333 do Código Penal). Alex já tinha passagem na polícia  por tráfico de drogas e estava em liberdade condicional.

Após os procedimentos legais, ele foi encaminhado para a Unidade Prisional de Timon.

Colaborador da Rede Mateus é suspeito de fraudar cartões para comprar e revender produtos da empresa

Uma operação realizada pela Polícia Civil resultou na prisão  de um colaborador da Rede Mateus do bairro João Paulo. Ele é suspeito de fraudar cartões de crédito da empresa para comprar produtos do próprio estabelecimento.

Na ação policial que resultou na prisão de Genilson  de Lima, de 28 anos; também foi detido Lucas Mota Alves, 21 anos.

Segundo Thiago Dantas, titular  da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), a fraude era realizada pelo sistema de Prevenção e Perdas do Supermercado Mateus, do João Paulo, possibilitando os envolvidos realizarem compras. Com a compra autorizada, a própria empresa realizava entrega no endereço fornecido por eles.

Durante a ação, no bairro Redenção, na residência do Lucas  Mota , que é ex-funcionário do Mateus foi apreendido um fogão. Ele seria o responsável por receber as mercadorias e revendê-las. As mercadorias subtraídas indevidamente estão avaliadas em R$ 100 mil.

Além de Genilson (mentor da fraude) e Lucas, foi identificado um terceiro suspeito,cujo nome é Lenilson Passinho Silva, responsável também por receber as mercadorias.

A polícia não descarta a possibilidade da suspeita de mais envolvidos, que consequentemente,  serão investigados.

Os presos nessa primeira fase da operação, foram autuados  pelos crimes de furto mediante fraude e associação criminosa. Após procedimento legal, Genilson e Lucas foram encaminhados ao sistema penitenciário de Pedrinhas.

Homem é autuado pela Polícia Civil por fabricação de arma caseira em João Lisboa

Jean Ferreira Lima foi autuado pelo crime de porte ilegal de arma de fogo e caminhado para a Delegacia de Polícia Civil de João Lisboa — Foto: Divulgação/Polícia

 Jean Ferreira Lima, de 29 anos, foi preso na última segunda-feira (29). Ele é suspeito de fabricar armas de fogo  no município de João Lisboa.

Segundo informações  policiais, Jean Ferreira foi detido após denúncias que ele estava ameaçando  um morador no Povoado Bom Lugar, situado na zona rural de João Lisboa.

Ainda segundo a polícia, chegando na residencia do Jean, os agentes  encontraram cinco armações para arma de fogo, seis cartuchos deflagrados, cinco canos para armações de arma de fogo e dois cartuchos não deflagrados.

Diante do flagrante, Jean Ferreira Lima foi autuado pelo crime de porte ilegal de arma de fogo e caminhado para a Delegacia de Polícia Civil de João Lisboa, onde ele permanecerá  à disposição da Justiça.

Maranhão tem 7 vezes menos policiais civis que o número recomendado pela ONU

Segundo o Sinpol, faltam viaturas em São Luís — Foto: Reprodução/TV Mirante

O número de policiais civis no Maranhão é sete vezes menor que o recomendado pela Organização das Nações Unidas (ONU).

O efetivo total do Maranhão com 7.035.055 habitantes é de 2.135 policiais ativos, o que equivale a um policial para cada 3.295 habitantes. Bem acima do que a ONU recomenda que é de um policial para 450 habitantes.

Segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Maranhão (Sinpol-MA), Elthon Neves, o crescimento da população no estado não é equivalente ao número de policiais em serviço no Maranhão.

“Antigamente nós tínhamos plantões que chegavam a ter dez policiais. Hoje nós temos no máximo quatro e as vezes até menos que isso. Ou seja, aumentou-se a população, cresceu-se exponencialmente a criminalidade e numa ilógica absurda diminui-se o efetivo dos plantões”, revelou o presidente do Sinpol.

Além dos dados apresentados pela Confederação Brasileira dos Trabalhadores Policiais Civis, há números apresentados recentemente pelo Sinpol. Os números tratam da aposentadoria de aproximadamente 300 policiais civis nos próximos meses.

Elthon Neves ressalta que a ausência de concursos também dificulta o aumento de policiais. “Sem uma perspectiva de concurso que realmente possa sanar esta problemática da falta de efetivo que não atinja apenas os plantões mais todas as delegacias da capital, todas, sem exceção, faltam policiais”.

O presidente do Sinpol disse que dos cinco plantões centrais visitados pelo sindicato apenas um possuía uma viatura funcionando. “Dos cinco plantões centrais visitados apenas um único plantão, que era o da Vila Embratel, tinha a viatura funcionando. Os outros quatro todas as viaturas se encontravam paradas sem funcionamento, o que é um absurdo”, finalizou Elthon Neves.

Do G1

Polícia Civil deflagra operação em combate ao tráfico de drogas no Maranhão e na Paraíba

Material apreendido durante operação Camboa Foto: Polícia Civil

Uma  operação  deflagrada pela Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC), com  apoio da Superintendência da Capital (SPCC), do Interior (SPCI), de Combate ao Narcotráfico (SENARC), nesta sexta-feira(19),  resultou no cumprimento de 30 mandados judiciais.

A “Operação Camboa” realizada simultaneamente no  Maranhão em conjunto com agentes do Centro de Inteligência da Polícia Civil da Paraíba e da Delegacia Especializada em Crimes contra o Patrimônio em Campina Grande, visava o combate de drogas nos dois estados.

Dos mandados cumpridos, 22 foram de busca e apreensão, quatro de prisão preventiva e quatro autos de prisão em flagrante por tráfico ilícito de entorpecentes, posse ilegal de munição e uso de documentos falsos.

Cinco pessoas foram presas no Maranhão, dentre eles Guilherme Bruno Gomes Moraes, Paulo Ricardo Sá, Cristiane Pires, Luan Roger Ferreira da Silva e Kassio Breno Pinto Moreira. Victor Lucci da Silva, conhecido como ‘Vitão’, foi preso nesta sexta em Campina Grande na Paraíba. De acordo com a polícia, ele estava foragido desde setembro do ano passado e é apontado como líder de uma facção criminosa que atua na cidade paraibana.

Polícia Civil apreende 150 kg de drogas em Coroatá

150 kg de drogas apreendidas durante operação  no município do Coroatá  Foto: Polícia Civil

Uma operação da Polícia Civil apreendeu na  última quarta-feira (17) 150 kg de drogas no município de Coroatá.

Segundo informações   policiais, a operação batizada de “Cilene”, aconteceu no bairro Vila Cilene, em Coroatá, e durante a ação policial foram presos Raimundo Nonato Lopes Souza, de 40 anos, conhecido  como “Neto”, e Rogério Rodrigues Araújo, 33, que é conhecido também como “Prateado”.

A polícia ainda apreendeu  dinheiro e mais um veículo de passeio. O objetivo da operação “Cilene” era o cumprimento de  mandado de busca e apreensão e prisão de suspeitos de tráfico de drogas situados no bairro Cilene. Os mandados de busca e apreensão e prisão foram  concedidos pelo Poder Judiciário da Comarca de Coroatá.

Raimundo Nonato Lopes Souza e Rogério Rodrigues Araújo foram  autuados pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Polícia Civil e Gaeco deflagram operação ” Créditos Ilusórios” que lesou cofres públicos em R$ 70 milhões

A Superintendência de Prevenção e Combate à Corrupção (SECCOR), e o Grupo de Atuação Especial no Combate às Organizações Criminosas (GAECO), do Ministério Público,deflagraram na manhã desta quinta-feira(18), a Operação Créditos Ilusórios em cumprimento  a mandados de busca, apreensão e prisão de membros de uma Organização Criminosa especializada em fraudes tributárias e sonegação de impostos decorrentes do escoamento e comercialização de grãos, principalmente provenientes de municípios do Sul do Maranhão.

Também participaram da operação  policias civis dos Estados do Ceará, Tocantins e Piauí,  da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) que aconteceu   de forma simultânea e integrada com a Operação WALKING DEAD, realizada pela Polícia Civil do Tocantins, que foi assim batizada por ter sido identificado a utilização de dados de pessoas já falecidas na criação de empresas fantasmas integrantes do esquema criminoso.

Ao todo, foram cumpridos 65 mandados judiciais: 25 mandados de prisão temporária, 02 de prisão preventiva e 38 mandados de busca e apreensão nas Cidades de Araguaína/TO, Xinguara/PA, Riachão/MA, Balsas/MA, Floriano/PI e Fortaleza/CE, dando um total de 65 Mandados Judiciais.

A investigação, que corre em segredo de justiça na 1ª Vara Criminal de São Luís/MA, constatou a existência de uma organização criminosa com atuação interestadual, que por meio de empresas de fachada e da emissão de notas frias, se utilizava de benefícios fiscais – créditos tributários gerados ilicitamente.

De acordo com levantamentos feitos no âmbito da Secretaria de Fazenda do Maranhão, só no período compreendido entre os anos de 2015 a 2017, esta organização criminosa já causou um prejuízo para o Estado do Maranhão de mais de setenta milhões de reais, por sonegação de ICMS.

Constatou-se, ainda, que os membros da organização operavam o esquema com três núcleos de empresas, o primeiro núcleo era composto pelas empresas de fachadas, constituídas inclusive com uso de documentos falsos e pessoas fictícias, que através de operações simuladas e emissão de notas fiscais frias geravam créditos tributários às empresas do segundo núcleo, responsáveis pela intermediação de operações de compra e venda de grãos. Já o terceiro núcleo era composto por empresas contábeis responsáveis por mascarar e dar aparência de legalidade a estas transações.

Esta é a segunda operação realizada pela SECCOR com o objetivo de desarticular organização criminosa com envolvimento ilícitos em operações de agronegócio, em 2017 já havia sido deflagrada a operação Paraíso Fiscal que também contou com as participações do Gaeco e da Sefaz e desmantelou outra organização que agia nos mesmos moldes desta e que estava infiltrada principalmente nos Estados do Maranhão e no de Goiás.