A mídia alinhada ao Palácio dos Leões tem “conspirado” diariamente contra a Policia Federal

Um esquema de propinagem e roubo de dinheiro público da saúde do maranhão descoberto pela Policia Federal no governo Flávio Dino deixou a instituição vulnerável a constantes ataques, tanto por parte do próprio governador, que hora ou outra, deixa a entender em suas redes sociais que toda operação é orquestrada por José  Sarney seu mais maquiavélico adversário, o governador fala como se Sarney, tivesse plenos poderes sobre a instituição federal, o que acaba manchando de certa forma a imagem da policia federal no Maranhão, ao ver o comandante disparar diariamente inúmeras criticas as operações do órgão aqui no estado, os comandados se vestem de “poder” e exalam conspiração contra a policia federal, não é  difícil abrir um blog ou jornal alinhado ao palácio dos leões e ver as criticas descabidas, e a tentativa de botar o povo contra a PF, o  conchavo não se estende apenas a policia Federal,um blogueiro também tem sido vitima do conventrículo criado por “ratos” palacianos, é  preciso que a Policia Federal tome providências e não deixe que continue esse arranjo imoral, que tem como prioridade descredibilizar uma operação séria que beneficiará  o maranhão, acabando com toda sorte de maracutaia e punindo com cadeia quem ousar roubar dinheiro da saúde do Maranhão.

A conspiração existe!

De Homem “honrado” Carlos Lula pode Virar EXONERADO!

A vida do atual secretário  de Saúde  do Maranhão está  para lá de conturbada, Carlos Lula é investigado por crimes de desvios  e lavagem de dinheiro pela Policia Federal. Carlos Lula foi citado em um esquema de corrupção pelo médico Mariano de Castro Silva, que era assessor especial na Secretaria de Saúde,o médico citou o secretário e vários figurões em uma carta que escreveu quando esteve preso em Pedrinhas por corrupção na saúde pública. Mariano foi encontrado enforcado em seu apartamento na cidade de Teresina-PI, onde vinha cumprindo prisão domiciliar.

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), usou sua rede social para sair em defesa do seu auxiliar Carlos Lula. Flávio disse que Lula “é um jurista sério, honrado, dedicado”. O governador ainda disse que o secretário está sendo perseguido pelo grupo Sarney.

“Está sendo vítima de vil perseguição pelo coronelismo, por conta do desvario de retornar ao poder de qualquer forma, a qualquer preço,”

A situação de Carlos Lula se agrava e de “Homem Honrado” deve virar exonerado, isso mesmo, fontes do Blog revelaram no começo da noite de hoje (16) que em uma reunião privada “conselheiros” do governador pediram a “cabeça” de Carlos Lula, na reunião foi falado que uma eventual prisão do secretário pela Policia Federal seria um desgaste gigante ao governo, e se isso acontecer com Lula fora da pasta do governo, amenizaria o desgaste do próprio governador, o palácio dos leões sede do governo do Maranhão teme que a qualquer momento a Policia Federal desencadeie um novo desdobramento da operação que identificou um roubo de 18 milhões de reais da Saúde  do Maranhão, e que pessoas do mais alto escalão do governo possam ir para cadeia, deixando um cenário de reeleição praticamente impossível ao governo.

Flávio  Dino deve exonerar o secretário Carlos Lula. É AGUARDAR E CONFERIR!

Prefeito de São Luís Edivaldo Holanda, Na “mira” da Polícia Federal.

Nome de Edivaldo Holanda Jr aparece em investigações da Polícia Federal (PF), por destinação de emenda parlamentar duvidosa e recebimento de doação de campanha por empresas envolvidas em fraudes investigadas pela PF.

Segundo os documentos da PF, o nome de Edivaldo Holanda Jr. apareceu em uma interceptação telefônica, em 2012, durante as investigações que ocasionaram na prisão de Bia Venâncio, ex-prefeita de Paço do Lumiar. Na conversa, Bia fala de uma emenda parlamentar destinada a ela por Edivaldo, então Deputado Federal.

Além dessa, devemos recordar que o nome do prefeito também surgiu durante o desenvolvimento da operação “Sermão aos peixes”, mostrando que Holandinha recebeu doações para a sua Campanha de empresas acusadas de desviar recursos federais na área da saúde.

A policia Federal deve investigar mais fatos estranhos envolvendo Edvaldo….

ESCÂNDALO! Empresa do médico Aírton Marques, teria superfaturado contratos com instituto investigado pela PF no estado.

O Médico e ex candidato a prefeito do município de Carutapera Aírton Marques Silva (PTN) que foi exonerado do hospital regional do município na semana passada pela secretaria estadual de saúde REVEJA, por suspeitas de liderar um “esquema de propinagem” dentro do hospital regional está no “centro” das atenções mais uma vez, o blog obteve algumas notas da empresa MEDCLINICA de propriedade de Aírton Marques, que o coloca mais uma vez na “mira”da Policia Federal, ocorre que ao comparar duas notas fiscais sendo uma emitida no ano de 2016 ao Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania (Idac) e outra no ultimo dia do ano de 2017 (31/12/2017) a Secretaria de estado da saúde do Maranhão, os valores variam e o que se observa é que á um superfaturamento absurdo em relação aos dois contratos, no contrato com a IDAC que teve o presidente Augusto Silva Aragão preso ano passado por uma fraude na saúde do Maranhão de mais de 18 milhões, a MEDCLINICA faturou  quase o dobro do que faturou com a secretaria de saúde do estado em doze meses, sendo que os serviços eram os mesmos, o pagamento de diárias de médicos do hospital regional.

Contrato da MEDCLINICA com o Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania (Idac)

O contrato entre a clinica e o instituto alvo de investigação da policia federal levou aos cofres da clinica de Aírton Marques Silva exatos 378.824.00 (trezentos e setenta e oito mil oitocentos e vinte e quatro reais)por  mês, e durante um ano foram mais de quatro milhões  de reais.

Contrato de doze meses de duração entre a MEDCLINICA e a Secretaria de estado da saúde do Maranhão, logo após a operação da Policia Federal que levou varias pessoas para cadeia por desviar recursos da saúde do estado:

O valor da nota fiscal emitida a secretaria de estado da saúde pela prestação de  serviços foram exatos 251,309,88( duzentos e cinquenta e um mil e trezentos e nove reais e oitenta e oito centavos) por mês, a diferença de um ano para o outro chega a quase um milhão de reais, os contratos da empresa de Aírton com o instituto IDAC só foram rompidos após a policia Federal descobrir o esquema e levar para cadeia o presidente do instituto.

Ao comparar os dois contratos a diferença de um para o outro é de estimados um milhão de reais  a menos em relação do valor de serviço prestado pela MEDCLINICA durante o contrato com o instituto IDAC.

“Um prato cheio para a Policia Federal que deve está apurando detalhe por detalhe, de cada centavo repassado a empresa.”

 

Juiz remete caso de contrabando no Maranhão para Justiça Federal

O juiz Francisco Ronaldo Maciel Oliveira, Titular da 1ª Vara Criminal de São Luís, se declarou incompetente para julgar entes públicos e outros envolvidos em uma quadrilha de contrabandistas no Maranhão.

A decisão se baseou após o Setor Técnico-Científico, da Superintendência da Polícia Federal no Maranhão, responder que a grande quantidade de bebidas e cigarros apreendidos pela polícia em galpões são fruto de contrabando.

os cigarros apreendidos são importados, e foram introduzidos clandestinamente no território nacional. Os whiskies igualmente foram importados de forma irregular, não havendo neles indícios de inautenticidade. Não obstante, se persistirem suspeitas de tratar-se de mercadoria inautêntica, poderão ser encaminhadas amostras para o Instituto Nacional de Criminalística, para a realização dos exames laboratoriais pertinentes“.

O magistrado acata o parecer do Ministério público que reconhece a incompetência do juízo para processar e remete os autos a competência da Justiça Federal no Maranhão para o processamento e julgamento. “Já exarada anteriormente, no sentido da incompetência deste juízo para processar o feito, já que a hipótese se coaduna com o art.109 da CRFB, trazendo, como consequência a competência da Justiça Federal no Maranhão para processar o julgamento do feito, de forma que, declarando, de acordo com o parecer do Ministério Público, a incompetência da Justiça Estadual, e, por via de consequência, deste juízo, determino o imediato envio dos autos (2358/2018), bem como os acessórios, tombados sob os números 2329/2018, 2503/2018, 2499/2018, 2984/2018, 2985/2018, para a Seção Judiciária do Maranhão, com as cautelas de praxe, para os devidos fins, com baixa na distribuição, com urgência, vez que há indiciados presos cautelarmente, em razão de decreto de prisão preventiva“.

O juiz Ronaldo Maciel já prendeu 16 pessoas, entre eles o coronel Reinaldo Elias Francalanci, o major Luciano Rangel, que era subcomandante do 21º batalhão de Polícia Militar; o ex-vice prefeito da cidade de São Mateus, Rogério Garcia e o ex-superintendente de investigações criminais da Polícia Civil, delegado Thiago Bardal. Todos eles são acusados de participarem efetivamente de um esquema de contrabando no Maranhão.

Na semana passada, o deputado estadual Raimundo Cutrim usou a tribuna da Assembleia Legislativa para criticar o magistrado, que não teria competência para prender e processar os envolvidos no esquema de contrabando (reveja). Cutrim alegou que contrabando e descaminho é de competência da Justiça Federal.

PF deflagra operação no Maranhão e Pernambuco que envolve oficiais do Corpo de Bombeiros

Recife/PE – A Polícia Federal deflagrou hoje (8/2) a segunda fase da Operação Torrentes – denominada Círculo de Fogo –, com o propósito de apurar desvio de recursos públicos federais e corrupção, envolvendo oficiais do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão.
 Ao todo, cerca de 80  policiais federais, com o apoio de servidores da Controladoria-Geral da União, dão cumprimento a sete mandados de prisão preventiva e nove mandados de busca e apreensão, nos estados de Pernambuco e Maranhão; todos expedidos pela 13ª Vara da Justiça Federal em Pernambuco. Também foi determinado o sequestro dos bens de todos investigados, como forma de garantir o ressarcimento dos prejuízos causados aos cofres públicos.

Os documentos apreendidos na primeira fase da Operação Torrentes revelaram que um dos grupos empresariais favorecido pelo esquema criminoso também fora beneficiado com contratos firmados com o Corpo de Bombeiros Militar do estado do Maranhão, nos anos de 2013 e 2014. A Instituição auxiliou vítimas da forte seca que atingiu o Estado naqueles anos.  De acordo com as investigações, foram executadas diversas irregularidades praticadas pela Secretaria da Casa Militar de Pernambuco, na aplicação dos recursos federais repassados para o atendimento da população atingida pelas fortes chuvas que assolaram a mata sul pernambucana nos anos de 2010 e 2017.

Também foi constatado que valores eram creditados pelo Corpo de Bombeiros na conta da empresa fornecedora investigada. Parte deles era repassada diretamente para as contas bancárias de oficiais daquela instituição, inclusive da alta cúpula, ou para as contas de um operador, que se encarregava de transferir-lhes a vantagem indevida. Indícios também apontam superfaturamento nos contratos, em virtude de preço quase 30% superior ao de mercado e também do não fornecimento integral do objeto pactuado, os quais podem totalizar um prejuízo de mais de R$ 10 milhões aos cofres públicos.

Os presos de Pernambuco serão trazidos para a sede da Polícia Federal, onde serão interrogados. Após serem ouvidos, serão encaminhados ao Cotel e à Colônia Penal Feminina; os militares, a uma instituição designada pelo Comando da Polícia Militar dos seus respectivos estados.

 

Será concedida entrevista coletiva de imprensa, na sede da Polícia Federal em Pernambuco, às 9h30.