URGENTE! Corpo encontrado em estado de decomposição no município de Godofredo Viana,seria de Homem desaparecido de Maracaçumé

O corpo do Homem foi encontrado á 10 metros da estrada que liga Godofredo Viana a Manaus,no povoado Areal zona rural do município de Godofredo Viana. O cadáver foi encontrado no início da tarde desta terça-feira (27). O corpo está em avançado estado de decomposição.

Segundo informações da PM o corpo foi encontrado dentro de um terreno as margens da estrada pelo  proprietário do local, que de imediato acionou a policia. O cadáver estava com um braço amputado e um pedaço de pano amarrado no outro.

Segundo informações repassadas ao blog um Homem identificado como Raimundo Nonato conhecido como “belisca” seria cadáver encontrado.
o Homem estaria sumido do município de Maracaçumé desde quarta feira, a mulher da vítima estaria desesperada, ainda segunda informações ela teria reconhecido a vítima

URGENTE! Grave acidente nas proximidades de Santa Luzia do Paruá deixa pessoas feridas.

Um grave acidente foi registrado no final da tarde de hoje (20) na BR 316 próximo ao povoado monte Alegre, município de Nova Olinda, onde um carro colidiu de forma frontal com uma motocicleta, os condutores ficaram gravemente feridos e foram encaminhados ao hospital para receberem os primeiros atendimentos…

AGUARDEM MAIS DETALHES SOBRE O CASO..

Jovem é detido com 150 kg de maconha

Na manhã desta terça-feira (20), a Polícia Civil apresentou Flávio da Paz Sousa, 22 anos, o qual foi preso nessa segunda (19) pelo crime de tráfico de drogas.

Segundo a Polícia Civil, Flávio da Paz foi preso durante uma operação realizada pela equipe da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), que após serviço de monitoramento, flagrou o jovem em posse de 150 kg de maconha prensada, tipo Skank, no bairro de Panaquatira, em São José de Ribamar.

Ainda de acordo com a polícia, o jovem não é o dono da droga, ele foi contratado para vigiar o entorpecente até que fosse distribuído em São Luís. Em depoimento, Flávio da Paz, que já tem passagens pela polícia pelos crimes de roubo, tráfico e porte ilegal de arma de fogo, afirmou que cada quilo da maconha custou cerca de R$ 5 mil, sendo que ela é oriunda do Estado do Goiás.

Segundo a polícia, outras cinco pessoas, que já foram identificadas, estão envolvidas com o crime e podem ser presas nos próximos dias. Todos são integrantes de uma facção criminosa, que atua na capital maranhense.

Imirante

Homem é preso em Carutapera acusado de tráfico de drogas e receptação de produtos furtados

Diante de vários arrombamentos registrados na cidade, a guarnição de Carutapera recebeu inúmeras ligações anonimas informando que o suspeito seria traficante de drogas e seria um dos principais receptadores dos objetos furtados na cidade. O homem guardava os objetos receptados em uma casa e armazenava a droga em outra. Por volta das 15h30 desta quinta-feira (15), os policiais de Carutapera com apoio da guarnição de Godofredo Viana e Cândido Mendes resolveram abordar o suspeito e realizar uma averiguação no interior da residencia onde seria armazenada a droga. Foram encontrados cerca de 3 tabletes de maconha e 31 cabeças de crack, além de diversos objetos sem comprovação de propriedade. O acusado foi apresentado na Delegacia de Polícia de Carutapera  juntamente com a droga e os objetos apreendidos, para que as providências cabíveis fossem tomadas.

Polícia Civil de Zé Doca prende mulher acusada de agredir o filho de apenas um ano de idade

A polícia Civil-MA, através da 8ª Delegacia Regional de Zé Doca, na manhãs
de ontem (09) prendeu em flagrante GLEIDEJANE DE SOUSA MEDEIROS, pelos crimes de Lesão Corporal e abandono de incapaz, onde a conduzida lesionou as costas, cotovelo e testa do seu filho de um ano e oito meses, além de deixar a criança sozinha em casa para frequentar festas de reggae.
O delegado responsável pela ação, Jader da regional de Zé Doca , disse que a mesma ficará a disposição da justiça.

Polícia Civil e Polícia Militar realizam a primeira fase da operação “Carnaval Seguro” em Santa Luzia do Paruá

Em ação conjunta, as policias civil e militar iniciaram a operação carnaval seguro em Santa Luzia do Paruá.

Inicialmente, visando apreender veículos produtos de crime, traficantes transportando drogas e criminosos armados que visavam a pratica de crimes durante as festas, as duas forças policiais realizaram uma blitz na rodovia BR 316, no final da tarde do dia 8 de fevereiro.

Essa medida, segundo os responsáveis, visa apreender e restituir veículos roubados aos seus legítimos donos, bem como prender criminosos que distribuiriam drogas ou praticariam roubos nas festas carnavalescas, já que a BR é uma via de grande fluxo e interliga muitos municípios.

Secundariamente, visa conscientizar a população sobre a necessidade da carteira de habilitação, do uso do capacete, e os perigos da embriaguez ao volante, tendo em vista o significativo número de acidentes com morte nesse trecho da BR.

Segundo o Delegado Gabriel Tersi, a medida foi bem sucedida e vai ser intensificada ainda mais durante as festas, tanto com a atividade ostensiva da Policia Militar, como também com a atividade investigativa da Policia Civil, que contará com apoio de uma equipe de investigadores da capital.

Segundo o Tenente Jorge Diego a ação conjunta das forças policiais estaduais, demonstra o empenho, dedicação e comprometimento desses profissionais na manutenção da ordem pública, os quais diurtunamente buscam prevenir e reprimir delitos através de ações constantes de fiscalização, intensificadas no feriado vindouro. Além das motivações mencionadas, a atuação das polícias visa aproximar o cidadão das forças de segurança, garantindo o pleno gozo de seus direitos e garantias constitucionais.

PF deflagra operação no Maranhão e Pernambuco que envolve oficiais do Corpo de Bombeiros

Recife/PE – A Polícia Federal deflagrou hoje (8/2) a segunda fase da Operação Torrentes – denominada Círculo de Fogo –, com o propósito de apurar desvio de recursos públicos federais e corrupção, envolvendo oficiais do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão.
 Ao todo, cerca de 80  policiais federais, com o apoio de servidores da Controladoria-Geral da União, dão cumprimento a sete mandados de prisão preventiva e nove mandados de busca e apreensão, nos estados de Pernambuco e Maranhão; todos expedidos pela 13ª Vara da Justiça Federal em Pernambuco. Também foi determinado o sequestro dos bens de todos investigados, como forma de garantir o ressarcimento dos prejuízos causados aos cofres públicos.

Os documentos apreendidos na primeira fase da Operação Torrentes revelaram que um dos grupos empresariais favorecido pelo esquema criminoso também fora beneficiado com contratos firmados com o Corpo de Bombeiros Militar do estado do Maranhão, nos anos de 2013 e 2014. A Instituição auxiliou vítimas da forte seca que atingiu o Estado naqueles anos.  De acordo com as investigações, foram executadas diversas irregularidades praticadas pela Secretaria da Casa Militar de Pernambuco, na aplicação dos recursos federais repassados para o atendimento da população atingida pelas fortes chuvas que assolaram a mata sul pernambucana nos anos de 2010 e 2017.

Também foi constatado que valores eram creditados pelo Corpo de Bombeiros na conta da empresa fornecedora investigada. Parte deles era repassada diretamente para as contas bancárias de oficiais daquela instituição, inclusive da alta cúpula, ou para as contas de um operador, que se encarregava de transferir-lhes a vantagem indevida. Indícios também apontam superfaturamento nos contratos, em virtude de preço quase 30% superior ao de mercado e também do não fornecimento integral do objeto pactuado, os quais podem totalizar um prejuízo de mais de R$ 10 milhões aos cofres públicos.

Os presos de Pernambuco serão trazidos para a sede da Polícia Federal, onde serão interrogados. Após serem ouvidos, serão encaminhados ao Cotel e à Colônia Penal Feminina; os militares, a uma instituição designada pelo Comando da Polícia Militar dos seus respectivos estados.

 

Será concedida entrevista coletiva de imprensa, na sede da Polícia Federal em Pernambuco, às 9h30.

Acusados de canibalismo vão a júri popular em São Luís

Geovane Sousa Palhano, o “Bacabal”, e Enilson Vando Matos Pereira, conhecido como “Matias” ou “Sapato”, serão levados a Júri Popular pelo assassinato do detento Edson Carlos Mesquita da Silva, ocorrido em dezembro de 2013, em uma das celas do Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Rones Lopes da Silva, o “Rony Boy”, acusado de ser o mandante do crime, também já foi pronunciado para ser submetido ao Tribunal do Júri. As decisões que determinam o julgamento dos acusados perante o Júri Popular são do juiz titular da 4ª Vara do Tribunal do Júri de São Luís, José Ribamar Goulart Heluy Júnior, que manteve a prisão dos réus e negou-lhes o direito de aguardarem o julgamento em liberdade.

Eles foram denunciados pelos crimes de homicídio qualificado, esquartejamento, canibalismo e destruição de cadáver. Conforme consta na denúncia do Ministério Público, o crime teria sido motivado por rivalidade entre facções criminosas dentro do presídio. Geovane Palhano Sousa responde a mais duas ações penais na Comarca de Bacabal-MA; Enilson Vando Matos Pereira, a outro processo na 4ª Vara do Tribunal do Júri de São Luís; e Rones Lopes da Silva, a duas ações na 4ª e na 3ª Varas do Tribunal do Júri da capital. Na decisão de pronúncia, o magistrado afirma que “resta claro a necessidade de segregação cautelar desses acusados, pois é notável que os mesmos dedicam-se a atividades criminosas”, frisa.

Ainda de acordo com a denúncia do Ministério Público, no dia 23 de dezembro de 2013, por volta das 17h, na cela 01 do bloco “C” do presídio São Luís II (PSL II), no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, os denunciados e outro detento (já falecido) mataram Edson Carlos Mesquita da Silva, esquartejaram, vilipendiaram seus restos mortais (canibalismo) e destruíram o cadáver, conforme apontado na certidão de óbito e nos laudos de exame cadavérico e exame em local de morte violenta. Os restos mortais foram encontrados na lixeira, dentro de sacos de lixo e só foram identificados devido a uma tatuagem que a vítima tinha nas costas.

Crime- Uma das testemunhas declarou em juízo que no pavilhão em Pedrinhas, onde vítima e réus estavam presos, nada acontecia sem a permissão de uma pessoa conhecida como “Sapato”, que seria o líder e recebia ordens de “Rony Boy”. Conforme o relato, no dia do crime, Edson Carlos Mesquita da Silva foi amarrado e espancado durante toda a noite, ficando desfigurado. “Bacabal” e “Sapato” reuniram-se para decidir se matavam ou não o detento e, em seguida, “Sapato” entrou em contato com “Rony Boy”, que permitiu que a vítima fosse morta. Na época, “Rony Boy” estava preso no Quartel da Polícia Militar.

Ainda, segundo a testemunha, todos os acusados são integrantes de uma facção criminosa denominada Anjos da Morte, da qual a vítima não era membro; e Edson Carlos Mesquita teria sido assassinado com uma faca artesanal e os denunciados teriam retalhado o corpo; assado e comido o fígado da vítima, oferendo ainda aos demais detentos. Na decisão de pronúncia, o juiz destaca ter sido apurado que os denunciados teriam submetido a vítima a graves sofrimentos físicos e mentais, por longo lapso temporal (a noite inteira), como afirmou uma das testemunhas.

Absolvido – Denunciado pelo Ministério Público de participação no crime, Samyro Rocha de Souza, conhecido como “Taurus” ou “Satanás”, foi absolvido da acusação porque ele não se encontrava preso em Pedrinhas na data do crime, estando em liberdade desde o dia 19 de dezembro de 2013. O juiz José Ribamar Goulart Heluy Júnior revogou a ordem de prisão preventiva contra Samyro Rocha e expediu o alvará de soltura, se por outro motivo ele não estiver preso. Nas alegações finais, o órgão ministerial pediu a absolvição sumária do denunciado.

Mandante – A ação penal contra Rones Lopes da Silva, considerado o mandante do crime, foi desmembrada da ação originária, em que figuram todos os acusados, porque Rony Boy estava em presídio federal quando houve a audiência com os demais denunciados. Ele foi pronunciado, em novembro do 2017, para ser julgado pelo júri popular, e permanece preso.

Na decisão de pronúncia, o juiz destacou que os crimes dos artigos 211 e 212 do Código Penal, respectivamente, destruição de cadáver e vilipêndio a cadáver, por terem sido praticados em conexão com o crime de homicídio, são atraídos para julgamento no Tribunal do Júri Popular, cabendo ao Conselho de Sentença deliberar sobre tais imputações feitas ao acusado. O magistrado afirma que deve ser questionado aos jurados se a participação de Rones Lopes da Silva foi de dar permissão aos demais denunciados – uma vez que ele seria o líder da facção criminosa – através de uma conversa, via telefone, para que cometessem os crimes contra Edson Carlos Mesquita da Silva.

Em São Benedito, População mata um dos assassinos do taxista de Itapecuru Mirim.

O último foragido da quadrilha que praticou o latrocínio do taxista Antônio Celso Bezerra Linhares, que residia em Itapecuru-Mirim, O indivíduo identificado como Rodrigo Manga Rosa que seria da cidade de São Luis, foi morto por populares na madrugada desta terça-feira (06)  no povoado São José do Eretiano, na zona rural de São Benedito do Rio Preto. Com isso, o resultado foi o seguinte: Dos quatro membros da facção criminosa, dois foram presos e dois morreram.

Quando os Policiais chegaram ao local, Rodrigo Manga Rosa ainda estava com vida, o mesmo foi socorrido pela guarnição, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito no Hospital. Foram presos: Lenilson da Silva Rodrigues, 19 anos, residente Rua da piçarreira bairro São Miguel Vargem Grande, e Wadlon Silva Sousa 23 anos residente Rua 5 casa 3 alto Vitória, anjo guarda, São Luís, vieram a óbito:Alex Sousa Lima,residente de Vargem Grande e indivíduo identificado como Rodrigo Manga Rosa que seria da cidade de São Luis.

Durante a operação foram recuperado: um gol branco placas OJI 9305 o qual havia sido tomado de assalto em Itapecuru, uma moto Fran 125 chassi 9C2.JC4.12O.BR7.21759 que havia sido tomada de assalto em São Benedito Rio Preto, 02 revólver cal 38 sem numeração, 08 (oito) munições seis intactas e duas deflagradas, 03 relógio e dois celulares, 382,00 Reais

Blog do Alexandre Cunha

Capitão é autuado por tentativa de homicídio contra sargento em pré-carnaval no Turu

Um capitão do Corpo de Bombeiros identificado como Leonardo Silva Mendonça, de 32 anos, foi autuado pelo delegado Válber Braga por tentativa de homicídio contra o sargento da Polícia Militar, Eberval Santos Rodrigues, de 48 anos. A confusão foi em uma festa de pré-carnaval, na Associação dos Servidores da Eletronorte, no bairro Turu, em São Luís, na madrugada deste domingo (4). O caso foi registrado no Plantão de Polícia Civil do Cohatrac por meio do Boletim de Ocorrência 770/2018.

Neste mesmo boletim consta a apreensão de uma pistola calibre .40 com o carregador com 11 munições intactas e uma deflagrada. Segundo as informações policiais, o capitão do Corpo de Bombeiros do Maranhão é lotado no Centro Tático Aéreo (CTA), que reúne profissionais da segurança pública do Maranhão e é acionado em missões específicas.

Gilson Santos Rodrigues, de 44 anos, é irmão do sargento atingido e em seu depoimento, divulgado pela polícia, relata que a festa em questão começou na noite de sábado na Associação dos Servidores da Eletronorte. Para participar do evento, a informação é que era preciso comprar o ‘abadá’ do Bloco Gatus no valor de R$ 30. Contudo, segundo relato de Gilson Rodrigues, por volta de 1h da madrugada de domingo, os seguranças da festa foram informar para o sargento Eberval (organizador do evento) que “três pessoas entraram pelos fundos e se negaram a pagar a taxa de contribuição de R$ 30”.

Depois disto, a vítima foi tentar negociar com os três, dizendo que eles deveriam comprar as camisas ou sair, pois se tratava de uma festa particular. Houve um desentendimento por conta do impasse e o irmão do sargento disse que o capitão Leonardo sacou a pistola e atirou em uma das pernas do militar. O irmão da vítima disse também que percebeu que o capitão iria disparar mais uma vez contra o PM e foi quando ele se jogou em cima do homem armado. Teve uma luta corporal e os seguranças ajudaram a imobilizar Leonardo, segundo o depoimento.

Sem a arma de fogo e imobilizado, o capitão do Corpo de Bombeiros foi espancado por algumas pessoas que estavam na festa, mas segundo o prórpio Gilson Rodrigues, o linchamento foi evitado justamente por outros participantes do evento.

O sargento foi encaminhado imediatamente a um hospital particular da cidade com a perna ferida à bala e o capitão foi conduzido para o Plantão do Cohatrac. No Boletim de Ocorrência, não consta nada sobre os outros dois homens que estariam acompanhando o capitão na festa.

Sobre o caso envolvendo o oficial da corporação, o Corpo de Bombeiros informou ao G1, por meio de nota, que se trata de um fato isolado e não reflete a disciplina dos militares que são treinados para preservar vidas e cumprir o regimento interno. O comando do Corpo de Bombeiros disse também que já decretou a prisão administrativa do oficial, que ficará custodiado no quartel do comando geral e que foram adotadas todas as medidas administrativas e disciplinares que o caso requer, sem prejuízo da responsabilização criminal.

G1 MA