Desembargadores do TJ-MA determinam desbloqueio de R$ 16,2 milhões em bens de Júnior Lourenço

Deputado Federal Júnior Lourenço

Os Desembargadores da Quinta Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão José de Ribamar Castro, Raimundo José Barros de Sousa e Ricardo Tadeu Bugarin Duailibe determinaram o desbloqueio dos bens do deputado federal Júnior Lourenço (PL).

O parlamentar buscou a reconsideração de um acordão que determinou a indisponibilidade de seus bens medida restritiva prevista na lei de improbidade administrativa.

Júnior Lourenço alegou que as irregularidades apontadas em um acordão do Tribunal de Contas do Estado já teriam sido sanadas em recurso entreposto anteriormente por ele.

Em seu voto, o relator ponderou que, “as irregularidades supostamente cometidas pelo Agravante nos autos da Tomada de Contas Anual de Gestores da Administração Direta do Município de Miranda do Norte (Proc. nº 3038/2010-TCE/MA), da qual sobreveio o Acórdão PL-TCE nº 1261/2013, foram sanadas parcialmente em virtude do Recurso de Reconsideração interposto pelo gestor, não podendo esta Corte de Justiça manter a ordem de indisponibilidade de bens e valores no elevado montante apontado na decisão agravada, de R$ 16.297.683,45 (dezesseis milhões, duzentos e noventa e sete milhões, seiscentos e oitenta e três reais e quarenta e cinco centavos), sem a presença de fortes indícios de responsabilidade na prática de ato de improbidade que cause dano ao Erário.”

Ainda de acordo com o despacho Duailibe decidiu por reconhecer o agravo impetrado em favor de Júnior Lourenço alegando que o “resultado oriundo do Recurso de Revisão interposto contra o Acórdão-TCE que constitui o objeto da Ação de Improbidade de origem, assim como o controverso valor indicado na decisão agravada, torna duvidosa a compreensão acerca da real e efetiva extensão dos danos ocasionados ao Erário e se, de fato, existiu prejuízo aos cofres públicos, o que deve ser dirimido no decorrer da instrução probatória do feito originário.”

Escândalo! Ex-companheiro de cela e laranja do agiota Pacovan fatura quase R$ 3 milhões em Miranda do Norte

Eduardo Belfor e Júnior Lourenço

No ano de 2019 a prefeitura de Miranda do Norte administrada pelo prefeito Eduardo Belfort (PSDB) resolveu investir pesado na compra de combustíveis e lubrificantes.

Eduardo Belfort contratou a empresa “Posto Joyce Iv Eireli” localizada em Miranda Do Norte, para fornecer os lubrificantes e combustíveis, apenas no ano de 2019 a empresa deve lucrar R$ 2.866,256 (Dois milhões oitocentos e sessenta e seis mil duzentos e cinquenta e seis reais) com o contrato.

No papel o posto de combustível pertence a Adriano Almeida Sotero mais apenas no papel, pois o posto pertence na verdade ao agiota Pacovan, que inclusive já foi companheiro de cela do laranja, ambos foram alvos de prisão após desdobramento da operação Jenga.

Tudo leva a crer que o contrato firmado entre o posto de combustível e a prefeitura de Miranda do Norte é apenas parcelas de pagamentos aos empréstimos feitos por Pacovan ao deputado Júnior Lourenço.

Miranda do Norte é um município maranhense controlado pelo deputado federal Junior Lourenço (PL) que foi prefeito do município por dois mandatos e conseguiu eleger seu sucessor Eduardo Belfort, que segue exatamente a cartilha de Lourenço, entre tantos escândalos que o mesmo carrega com sigo é investigado em esquema de agiotagem e conhecido no Maranhão e até em Brasilia como “rei das emendas”.

De acordo com denúncias Júnior Lourenço bancou boa parte da campanha de Eduardo Belfort, com dinheiro de agiotagem e agora eleito deputado federal também é enrolado com o esquema e figura como amigo do maior agiota do estado do Maranhão esse que é conhecido como Pacovan, preso diversas vezes por suspeita de agiotagem e lavagem de dinheiro. O futuro de Eduardo Belfort em Miranda do Norte deve não ser outro se não a cadeia, com várias investigações do Ministério Público Federal e de demais órgãos de controle em curso, “negão” pode parar atrás das grades.

Outro Lado

A respeito dos contratos firmados com o posto de combustível do “laranja” do agiota Pacovan o prefeito Eduardo Belfort não retornou o contato do blog até o momento.

Vem mais bomba ai, é só aguardar

Josimar e mais cinco deputados Maranhenses abrem mão de benefícios na Câmara

Deputados que rejeitaram benefícios

Dos 18 deputados federais do Maranhão na atual legislatura, apenas seis optaram por não receber auxílio-moradia de R$ 4.253,00 e nem ocupar um imóvel funcional custeado pelos cofres públicos da Câmara dos Deputados.

O levantamento foi feito pelo ATUAL7 em dados do Portal da Transparência da Casa, nesta quarta-feira 6.

Até agora, dos 12 parlamentares que decidiram não abrir mão dos benefícios, oito escolheram ocupar um imóvel funcionar, e quatro recebem auxílio-moradia.

Os que rejeitaram os dois benefícios são: Eduardo Braide (PMN), Josimar Maranhãozinho (PR), Júnior Lourenço (PR), Gil Cutrim (PDT), Pedro Lucas (PTB) e Edilázio Júnior (PSD).

Já entre os que recebem reembolso para locação de imóveis na Capital federal, estão: Zé Carlos (PT), Bira do Pindaré (PSB), Márcio Jerry (PCdoB) e Cléber Verde (PRB).

Aparecem utilizando apartamentos bancados pela Câmara os deputados Pastor Gildenemyr (PSL), João Marcelo Souza (MDB), Hildo Rocha (MDB), Juscelino Filho (DEM), Aluísio Mendes (Pode), André Fufuca (PP) e Rubens Pereira Júnior (PCdoB) – que se licenciou do mandato há poucos dias. 

Segundo a Câmara dos Deputados, o uso dos privilégios é legal, cabendo a cada parlamentar aceitar pegá-los ou não. Aos que escolhem receber o o penduricalho, cabe também tentar convencer o eleitorado de que os pagamentos são honestos e apropriados.

Levantamento realizado pelo Atual7

Mandato de Junior Lourenço será uma afronta a justiça

A eleição de Junior Lourenço à Câmara Federal vem dando o que falar. Não no meio político, mas sim no Poder Judiciário.

Ocorre que, o ex-prefeito da cidade de Miranda do Norte – MA, conseguiu se eleger após travar diversos entraves com a justiça, onde o mesmo é Réu em múltiplas ações.

Sendo assim, a posse de Junior Lourenço representará uma afronta ao Poder Judiciário e a sociedade Maranhense que clama por no mínimo, decência e idoneidade dos seus representantes.

Que a justiça fique de olho.

Farra da Vitória de Junior Lourenço deve ser bancada pela prefeitura de Miranda do Norte

Ao que tudo indica em Miranda do Norte – MA, irá acontecer uma festa de arromba em comemoração à vitória nas urnas de Junior Lourenço. Porém, como é nítido para todos, a fonte pelo que tudo indica é a Prefeitura da cidade, governada por seu irmão Junior Negão.

Envolvido em diversos escândalos judiciais, o ex Prefeito, agora Deputado eleito, Junior Lourenço, deve torrar mais de 500.000,00 (quinhentos mil reais) em sua “festa da vitória”.

Financiado por vários e notórios agiotas do estado, dentre eles, o mais conhecido apoiador é Pacovan, onde o mesmo citou “É uma questão de honra eleger Junior Lourenço”.

A ideia que fica, é que uma hora a conta vai chegar para todos esses gastos exorbitantes da sua eleição à Câmara federal.

Resta às autoridades competentes irem a fundo nesse caso. O Ministério Público saber de onde sai tanto dinheiro… E se suas fontes são lícitas ou não. Lembrando que o mesmo Junior Lourenço é réu em diversas ações na justiça.

Infelizmente, esta é a velha política praticada, sendo “maquiada” de “nova”, dizimando ainda mais a vida da sociedade.

ABRE O OLHO ELEITOR! Candidato à deputado federal com grande lista de processos na justiça

O ex-prefeito de Miranda do Norte, Junior Lourenço mesmo com uma lista de processos em diversas áreas, até mesmo na esfera penal, deseja se tornar Deputado Federal, o mesmo concorre às eleições correntes à Câmara Federal.

Júnior Lourenço conhecido dos mirandense-do-norte já teve bens bloqueados no valor de R$ 10 milhões. Também conhecido como ‘Rei dos Convênios’, é suspeito de desviar verbas do Fundeb, e tempos atrás, teve o pedido de seus direitos políticos suspensos pelo Ministério Público.

No cenário da política atual onde os eleitores clamam por no mínimo bons antecedentes de seus futuros representantes, o candidato acima citado, deixa seus eleitores “com um pé atrás” sobre sua possível eleição.

Candidatura de Júnior Lourenço é impugnada

O procurador regional eleitoral no Maranhão, Pedro Henrique Castelo Branco, impugnou ontem (13) o registro de candidatura do ex-prefeito de Miranda Júnior Lourenço.

Ele pretende disputar um vaga de deputado federal pelo PR.

Lourenço teve contas reprovadas pelo TCU referentes a suas duas gestões, entre 2009 e 2016.

No total, a Corte de Contas aponta desvios da ordem de R$ 110 mil do
Programa Dinheiro Direto na Escola e do Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar.

Lourenço foi condenado à revelia.

Baixe aqui o acórdão do TCU.

Junior Lourenço deixa lideranças a “pão e água” e vários apoiadores em todo o estado começam romper…

O ex prefeito de Miranda do Norte e pré candidato a deputado federal Júnior Lourenço começou a perder lideranças de uma hora para a outra em todo o estado, o Blog do Werbeth Saraiva obteve informação que as lideranças de Lourenço estão a “pão e água” os acordos tratados pelo ex prefeito não estão sendo cumprindo e as lideranças alinhadas por Lourenço já estão “pulando do barco” Se continuar assim a rural pode desabar, companheiros….

TCE MA determina a suspensão de pagamentos a empresa contratada pela prefeitura de Miranda Do Norte

O TCE emitiu  Medida Cautelar, acolhendo Representação formulada pelo Ministério Público de Contas (MPC) alertando para a irregularidade das operações de compra e venda realizadas entre a prefeitura de Miranda do Norte e a empresa H P Rocha, com emissão de Notas Fiscais, embora a empresa não esteja habilitada na Secretaria de Estado da Fazenda.

O município de Miranda do Norte também foi representado pelo Ministério Público de Contas (MPC) em virtude realizar transações com a empresa H P Rocha – ME, não cadastrada na Secretaria de Estado da Fazenda.

A Medida Cautelar do TCE determina a suspensão de todos os pagamentos à referida empresa, inclusive os restos a pagar. Após a citação, o município de Miranda do Norte tem prazo de quinze dias para apresentar defesa.

Miranda Norte que é administrada pelo irmão do pré candidato a deputado federal Junior Lourenço, na região muitos intitulam Junior Lourenço como o “rei das emendas” agora sabe se lá deus porque…