No Maranhão “ato de apoio” para secretário investigado pela Policia Federal se transforma em comício.

No Maranhão o governo Flávio Dino perdeu de vez as “estribeiras” depois do escândalo que foi as operações em que foram constatados milhões de desvios da saúde no governo Dino,o secretário  de saúde,Carlos Lula que é investigado pela policia federal e apontado como um dos principais beneficiados no esquema, resolveu desafiar a Polícia  Federal e o Ministério Público Federal em um “um ato em solidariedade ao secretário” onde mais parecia um comício,e o principal adversário: a policia federal, que várias vezes foi afrontada por Lula que repetia “Não tenho medo” desafiando a PF, agora o mais incrível disso tudo é que Lula diz não ter medo, mais o mesmo já entrou com dois pedidos de HC (Habeas corpus) para trancar as investigações da PF e ambos negados, como diz o ditado: “quem não deve, não teme.”

Além de secretários de estado e FUNCIONÁRIOS DA SES , diversas lideranças políticas e o governador Flávio Dino estiveram presentes.

O maranhão é o estado onde um secretário  é investigado pela Polícia  Federal e o governador ao invés de exonerar o “ACOBERTA.”

Distância entre Carlos Lula e Pedrinhas fica cada vez menor

Secretário de Saúde do Maranhão é alvo de inquérito da Polícia Federal por suposta fraude em licitação. Investigação tem relação com o IDAC, alvo das operações Rêmora e Pegadores

Atual 7

Ao analisar o pedido de habeas corpus formulado pelos advogados do secretário estadual de Saúde, Carlos Eduardo Lula, o desembargador federal Néviton Guedes, que remeteu o caso ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), não se limitou a recusar a petição por falta de competência para julgar o caso, mas também encurtou dramaticamente a distância que separa o ainda auxiliar do Palácio dos Leões e a famosa farda laranja destinada aos hóspedes do Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Na decisão urgente, Guedes, que é o Tribunal Regional Federal da 1ª Região, revelou que — diferente do que se pensava — Lula já é alvo de um inquérito policial federal exclusivo, por suposta fraude no processo licitatório que consagrou a famigerada Organização Social Instituto do Desenvolvimento e Apoio à Cidadania (IDAC), alvo das operações Rêmora e Pegadores, para administrar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Chapadinha, desde junho do ano passado.

Ainda na decisão, o desembargador ressaltou que a defesa de Carlos Lula utilizou uma informação que não condiz com a verdade no pedido de HC, e esclareceu que esse inquérito instaurado pela PF contra o titular da Secretaria de Estado da Saúde (SES) não foi arquivado; e que não há ilegalidade nas investigações que vêm sendo feitas pelo Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU), inclusive com depoimentos de peças-chave da Sermão aos Peixes.

Ou seja: como não houve a análise do mérito, Lula permanece alvo de investigação no inquérito que apura fraude no processo licitatório vencido pelo IDAC, não conseguido evitar também o compartilhamento de indícios de crime descobertos pela força-tarefa federal num outro inquérito, também relacionado ao IDAC e a UPA de Chapadinha.

A sensação que permeava figurões do Palácio dos Leões desde o início da atual gestão, de que poderiam delinquir impunemente, começa a ser vencida, e a iminência do cumprimento de um pedido de prisão contra Carlos Lula está cada vez mais próxima, podendo já acontecer, inclusive, quando ele prestar depoimento aos policiais federais.

De Homem “honrado” Carlos Lula pode Virar EXONERADO!

A vida do atual secretário  de Saúde  do Maranhão está  para lá de conturbada, Carlos Lula é investigado por crimes de desvios  e lavagem de dinheiro pela Policia Federal. Carlos Lula foi citado em um esquema de corrupção pelo médico Mariano de Castro Silva, que era assessor especial na Secretaria de Saúde,o médico citou o secretário e vários figurões em uma carta que escreveu quando esteve preso em Pedrinhas por corrupção na saúde pública. Mariano foi encontrado enforcado em seu apartamento na cidade de Teresina-PI, onde vinha cumprindo prisão domiciliar.

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), usou sua rede social para sair em defesa do seu auxiliar Carlos Lula. Flávio disse que Lula “é um jurista sério, honrado, dedicado”. O governador ainda disse que o secretário está sendo perseguido pelo grupo Sarney.

“Está sendo vítima de vil perseguição pelo coronelismo, por conta do desvario de retornar ao poder de qualquer forma, a qualquer preço,”

A situação de Carlos Lula se agrava e de “Homem Honrado” deve virar exonerado, isso mesmo, fontes do Blog revelaram no começo da noite de hoje (16) que em uma reunião privada “conselheiros” do governador pediram a “cabeça” de Carlos Lula, na reunião foi falado que uma eventual prisão do secretário pela Policia Federal seria um desgaste gigante ao governo, e se isso acontecer com Lula fora da pasta do governo, amenizaria o desgaste do próprio governador, o palácio dos leões sede do governo do Maranhão teme que a qualquer momento a Policia Federal desencadeie um novo desdobramento da operação que identificou um roubo de 18 milhões de reais da Saúde  do Maranhão, e que pessoas do mais alto escalão do governo possam ir para cadeia, deixando um cenário de reeleição praticamente impossível ao governo.

Flávio  Dino deve exonerar o secretário Carlos Lula. É AGUARDAR E CONFERIR!

Secretario de Saúde pede ao STJ que “tranque” ação penal da operação Pegadores.

Encaminhado pelo Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF1), o Superior Tribunal de Justiça (STJ) recebeu no dia 12 deste mês pedido de trancamento de ação penal da Operação Pegadores, 5ª fase da Sermão aos Peixes.

Incialmente, a solicitação foi protocolada em 2017 no TRF1 pelo secretário de Estado da Saúde, advogado Carlos Lula.

Lula argumenta em sua tese de defesa que há diversos pontos de arbitrariedades cometidos pelo delegado federal que preside o inquérito. Um deles seria o delegado, que estaria investigando sem autorização do TRF1 em virtude da prerrogativa de foro.

Nas investigações que o secretário alega ser arbitrária, a PF apontou que houve desvios de recursos públicos federais por meio de fraudes na contratação e pagamento de pessoal, Contratos de Gestão e Termos de Parceria firmados pelo Governo do Estado do Maranhão na área da saúde.

Em nota encaminha a imprensa, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que o habeas corpus foi ajuizado no ano de 2017, não havendo nenhuma relação com os atuais acontecimentos.

Blog do Neto Ferreira