Empresa sem alvará ganha quase R$ 1 milhão em contratos na Prefeitura Monção

Prefeita de Monção, Claudia Silva

A prefeita Claudia Silva, de Monção, parece não ter limites quando se fala em gastar dinheiro público, ao observar os contratos firmados entre a gestão e prestadoras de serviços é possível observar diversas irregularidades e que levantam suspeitas de superfaturamentos, direcionamentos e verdadeiros atentados contra a lei de licitações.

Para se ter uma ideia, apenas nos cinco primeiro meses de 2019, o município de Monção, firmou R$ 948.564,000 (Novecentos e quarenta e oito mil quinhentos e sessenta e quatro reais) em contratos para o mesmo objeto, que é manutenção de ar condicionados. Um prato cheio para o Ministério Público.

A empresa vencedora do consorcio de contratos para o mesmo objeto é a Climax refrigeração, de Santa Inês, do empresário Raimundo Nonato Ribeiro de Almeida. A Climax refrigeração, teria que ser declarada impedida de participar da licitação, pela comissão de licitação do município, por estar estabelecida de forma irregular no município de Santa Inês, após levantamento realizado pelo blog, foi confirmado que a empresa se encontra com alvará de funcionamento vencido desde o dia 31/12/2018.

Uma fonte bem posicionada do blog, revelou que varias investigações do MP e até da Policia Federal, estão em curso para apurar supostos desvios de recursos no município de Monção, um dos alvos das investigações seria o esposo da gestora, que de acordo com informações é quem realmente manda e desmanda no município, quem mantém contato direto com fornecedores e prestadores de serviço no município, mais isso é assunto para a próxima noticia.

Viúvo de Mariana Costa é preso por estuprar a própria sobrinha de 15 anos

A polícia prendeu nesta quinta-feira (25), em São Luís, Marcos Renato Ribeiro Serra Pinto, de 39 anos. Ele é suspeito de ter estuprado a própria sobrinha de 15 anos no último fim de semana, em uma fazenda na cidade de Itapecuru-Mirim. A defesa diz que Marcos Renato nega o crime, mas ele acabou levado ao Centro de Triagem de Pedrinhas após a prisão.

Marcos é viúvo da publicitária Mariana Costa, que foi vítima de feminicídio em 2016 pelo cunhado Lucas Porto. A denúncia foi feita pelo irmão de Marcos e pai da adolescente, na Casa da Mulher Brasileira. A investigação é conduzida pela Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA).

“Eles estavam na fazenda ao retornar de uma festa onde ele[Marcos] havia ingerido bebida alcoólica. Ao chegar na fazenda, foram assistir um filme e, após isso, ao se despedir para ir ao seu quarto, ele teria segurado a menor, imobilizado na cama e cometido o ato sexual violento”, contou a delegada Ana Zélia.

O depoimento de Marcos na delegacia estava marcado para esta quinta (25) e o advogado dele avisou que ele não se apresentaria na data marcada. Porém, Marcos acabou sendo preso no final da tarde, no bairro Araçagi, após uma decisão da juíza da 2ª Vara de Itapecuru-Mirim, Mirella Cézar Freitas.

A delegada Ana Zélia informou ainda que a adolescente está passando por todos os exames necessários para comprovar o crime.

“Aqui a gente tem o centro de perícias voltado para criança e adolescente, então ela é encaminhada para acompanhamento com psicólogo, assistente social… é feito a perícia médica, os exames físicos, coleta de material biológico e agora nós estamos no aguardo desses resultados”

A pena para o estupro contra adolescentes entre 14 e 18 anos varia de oito a doze anos de prisão.