Victor Mendes completa 464 dias como ‘servidor fantasma’ do gabinete de Roberto Costa

Os primeiros 464 dias do ex-deputado Victor Mendes

Mesmo diante de um cenário de calamidade pública em que o estado do Maranhão se encontra, algumas pessoas continuam usufruindo de privilégios através de cargos públicos, no famoso ato do “toma lá dá cá”. E, desta forma, vão se aproveitando dos seus “nomes” por meio de cargos que já possuíram e de amizades com parlamentares que ainda estão em atuação.

É o caso do ex-deputado Federal Victor Mendes, que hoje completa 464 dias da sua nomeação no gabinete do seu amigo, o deputado estadual Roberto Costa, na Assembleia Legislativa do Maranhão (ALEMA) como técnico parlamentar especial, garantindo, assim, sua estabilidade financeira por 4 anos.

É condenável e sujeito à penalidades, a atitude de levar vantagem em cima do dinheiro público. No entanto, isso não parece preocupar o ex-parlamentar Victor Mendes, que simplesmente não comparece em seu local de trabalho e pode ser considerado um “funcionário fantasma” que se beneficia com um salário recheado de R$ 17.164,17 (salário bruto) e R$ 12.931,96 líquidos.

Na época, este blog entrou em contato com o deputado Roberto Costa para que ele se posicionasse sobre o assunto, mas o mesmo não deu resposta e nem fez questão de prestar explicações públicas.

O Supremo Tribunal Federal reitera que o ato vicioso praticado por agentes públicos está previamente citado nas súmulas 346 e 473, onde diz que: “A administração pública pode declarar a nulidade de seus próprios atos, podendo anular seus atos eivados de vícios que os tornem ilegais, porque deles não se originam direitos, ou revogá-los, por motivo de conveniência e oportunidade, respeitados os direitos adquiridos e ressalvada, em todos os casos, a apreciação judicial”.

Deputado Leonardo Sá emprega servidora fantasma com salário de mais de R$17 mil na AL

Jordaniele Cardoso de Lemos

O deputado estadual e pré-candidato à prefeitura de Pinheiro, Leonardo Sá (PL), usa parte da sua verba da Assembleia, para pagar uma servidora, que na realidade nunca frequentou a Assembleia Legislativa do Maranhão, a fashionista  também é estudante de nutrição.

Jordaniele Cardoso de Lemos, figura desde o inicio do ano como uma das 19 servidoras do gabinete parlamentar do deputado Leonardo Sá. O salário bruto da servidora é de R$ 17.164,17, ocupando o cargo de técnica parlamentar especial.

Nos últimos dias, reportagens do blog revelaram uma serie de servidores que ganham dinheiro sem trabalhar em diversos gabinetes parlamentares da Assembleia Legislativa do Maranhão, parentes, fashionistas, nutricionistas, filhos de juízes, modelos, jogadores de futebol e até vaqueiros figuram como assessores técnicos especiais de alguns deputados maranhenses, todos serão revelados pelo blog.

Promotoria investiga existência de funcionária fantasma na Casa Civil do Estado

Secretário chefe da casa Civil do Maranhão

O Ministério Público Estadual por meio do promotor José Ribamar Sanches Prazeres, respondendo pela 32ª Promotoria de Justiça especializada na defesa do patrimônio público e da probidade administrativa, instaurou inquérito Civil para apurar existência de funcionária fantasma (aquela que recebe remuneração sem a devida     contraprestação laboral) na Casa Civil do Estado do Maranhão.

O Ministério Público investiga a servidora Rosana Lindoso Froz, fazendo necessária a coleta de informações, depoimentos, certidões, perícias e demais diligências objetivando a instauração da ação civil e/ou penal ou eventual arquivamento do feito.

Vale ressaltar que o secretario da Casa Civil do Maranhão é o deputado licenciado Marcelo Tavares (PSB), que pode também ser investigado por supostamente nomear aliados políticos em sua secretaria.

Câmara de Barra do Corda celebra novo contrato milionário com empresa de locação

Local da “Empresa”

Como se não bastasse o escândalo  quanto a licitação para aquisição de gêneros alimentícios e produtos de limpeza na Câmara Municipal de Barra do Corda, onde até alho (300kg), Batata (300kg), Milho de pipoca (200kg), 900 litros e água sanitária e tantas e tantas outras coisas na relação feita pela presidência da Câmara.

Agora surge a licitação para aluguel de veículos. Apenas em 2018, a casa legislativa vai torrando mais de 120 mil reais em tais aluguéis, e entre 2013 a 2018, a estimativa chega a mais de 600 mil reais.

E o endereço da empresa, na verdade é uma simples loja que vende cimentos.

Pelo que tudo indica a empresa é fantasma e o Ministério Público precisa atuar no caso para coibir possíveis fraudes por parte da presidência do legislativo municipal.