Análise: Brandão, o Republicanos, o PSDB e ….. Cleber Verde

Anúncio da filiação de Gil Cutrim ao PRB.

Os anos de política acumulados por Carlos Brandão, que hoje ocupa a vice-governadoria do Maranhão, serviram para não cair em ciladas. Brandão, hoje no PSDB, soube ao longo do tempo ter fidelidade partidária, mas acima de tudo saber a hora de tirar o time de campo.

No Republicanos, Brandão ajudou a crescer o partido no Maranhão. O mesmo crescimento do PSDB quando o vice-governador era presidente antes de sair em 2017. Conquistando várias prefeituras sob as hostes do tucanato em 2016, Carlos Brandão também deixou mais republicano o Maranhão nas últimas eleições.

Foi pelas portas da frente que Carlos Brandão saiu e entrou do PSDB. E a volta recente ao ninho tucano explica que os anos acumulados na política fizeram o sucessor de Flávio Dino sentir, de longe, o cheiro de traição que pairava no partido da Igreja Universal.

Cleber Verde, presidente do Republicanos no Maranhão, anda com o fantasma da destituição e tem conjugado, desde sempre, a condução partidária com a garantia do seu mandato de deputado federal. E mesmo sem reivindicar protagonismo, o vice-governador Carlos Brandão era peça principal no partido e, por isso, foi condecorado com o cargo de vice-presidente nacional do partido.

Cléber verde ao lado de Brandão.

Cadeira de consolação com status, mas sem alcance administrativo, já que a vida partidária é feita nos diretórios. Cleber sabe e sempre soube disso. Por isso articulou um posto mais alto em que o seu correligionário de estrela maior tivesse menos poder (de fato) que ele próprio. E engana-se quem pensa que Brandão não conhece Verde. Tanto conhece, que sabe que esses flertes são momentâneos, principalmente partindo do deputado Verde, que faz a construção do partido pensando em sua próxima eleição.

Carlos Brandão passou por um livramento.

Cléber e Júnior Verde declaram apoio a Bolsonaro no Maranhão

O presidente estadual do PRB, deputado federal Cléber Verde, e o deputado estadual Júnior Verde, declararam apoio ao candidato a Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL). A declaração foi dada em entrevista na sede do partido, em São Luís.

Cléber Verde afirmou que o Brasil está vivendo uma crise moral e ética jamais vista na política nacional e que Jair Bolsonaro representa a esperança de renovação, compromisso e honestidade que o povo brasileiro tanto clama pelas ruas. E, por isso, o PRB do Maranhão vai apoiar e votar no candidato do PSL.

“É por esse sentimento que está impregnado na grande maioria da população brasileira, que o PRB do Maranhão através da nossa condução como presidente conclama todos os presidente municipais, vereadores, prefeitos e lideranças políticas republicanas do Maranhão para se juntar a nós para que no dia 28 nós possamos votar em Bolsonaro 17 para vermos um Brasil ainda melhor”, declarou Cleber.

O deputado estadual Júnior Verde disse que o sentimento de mudança tomou conta do Brasil inteiro e pontuou que Jair Bolsonaro é o melhor candidato para resolver todos os problemas criados pelo PT durante as três gestões.

“Eu apoio e vou votar em Bolsonaro, pois vejo nele a mudança que o Brasil precisa. Bolsonaro tem compromisso com a segurança e combater as facções criminosas”, ressaltou Júnior Verde.

Aliado de primeira hora de Michel Temer, deputado Cleber Verde é um dos que mais gasta na câmara federal

Desde o início da legislatura, em 2015, a Câmara e o Senado já gastaram R$ 824,3 milhões com despesas como passagens aéreas, combustível, telefone, aluguel de carro, avião, etc, registra o Congresso em Foco.

Desse total, R$ 258,5 milhões foram gastos apenas com passagens aéreas.

Entre os maiores gastadores da Câmara estão Jhonatan de Jesus, César Halum e Cléber Verde.

Cleber Verde (PRB) é Maranhense e aliado de primeira hora do presidente mais rejeitado da história do Brasil Michel Temer. O Maranhense sempre atua em favor do presidente no quesito salvá-lo das abas da justiça.

Após votarem a favor de Michel Temer deputados maranhenses tiveram quase 11 milhões de emendas liberadas em junho do ano passado

De acordo com dados da ONG Contas Abertas aponta que o governo federal liberou em junho do ano passado (2017) R$ 10,3 milhões (R$ 10.304.160,00) em emendas parlamentares aos três deputados maranhenses (Juscelino Filho – R$ 3,9 milhões, Hildo Rocha – R$ 3,8 milhões, Cleber Verde – R$ 2,4 milhões) que votaram a favor do presidente Michel Temer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O deputado Rubens Pereira Júnior (PCdoB), que votou contra o presidente, teve liberados no mesmo mês R$ 503 mil em emendas.
Na época a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou relatório contrário à aceitação da denúncia por corrupção passiva contra o presidente Michel Temer. Ao todo, 40 deputados votaram a favor de Temer. Esses parlamentares somaram R$ 134 milhões em empenhos para emendas só no mês de junho. Dos 40 votos a favor de Temer, 36 tiveram empenhos para emendas em junho, logo antes da votação.
O povo do Maranhão relembra agora que os deputados citados foram os três maiores defensores de Michel Temer.