Após desarticular quadrilha que aplicou golpe de R$ 200 milhões no Paraná, PF deve mirar esquema de pirâmide milionária no Maranhão

Agentes da Polícia Federal foram às ruas nesta quinta-feira para cumprir mandados de busca e apreensão no Paraná e em São Paulo

A Polícia Federal deflagrou hoje uma operação contra um grupo suspeito de arrecadar mais de R$ 200 milhões em um golpe de falsos investimentos na bolsa de valores. Agentes foram às ruas para cumprir 17 mandados de busca e apreensão no Paraná e em São Paulo.

Segundo a PF, a sede da empresa do grupo fica em Umuarama, no noroeste do Paraná. As investigações apontam que os suspeitos prometiam investimentos com lucro acima do mercado e que os valores entregues pelas vítimas não eram totalmente aplicados, resultando em prejuízos.

A corporação contabilizou milhares de vítimas nos estados do Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro. Os investimentos mínimos feitos eram de R$ 1 ml — há vítimas que investiram mais de R$ 1 milhão.

Maranhão

Um grupo de empresários procurou a Superintendência de Investigações Criminais (Seic) para cobrar uma solução para o caso envolvendo pirâmide financeira protagonizada pelo médico Abdon Murad Júnior.

Eles alegam que, mesmo depois da investigação policial, e de diversas ações na esfera cível, Murad Jr. continua a prometer pagamentos milionários a investidores de seus planos financeiros.

A pirâmide financeira de Abdon Murad desmoronou em meados de julho, quando chegou-se à conclusão de que ele não tinha capacidade financeira para honrar seus compromissos. A polícia federal deve assumir a dianteira do caso tendo em vista últimas denúncias enviadas à superintendência do Maranhão.

Deixe uma resposta