PGJ defende valorização de bandas locais e suspensão de shows com cachês milionários

O procurador geral de Justiça (PGJ), Eduardo Nicolau, se pronunciou sobre a atuação do Ministério Público nos cancelamentos de shows com cachês milionários que seriam pagos com dinheiro público em diversos municípios do Maranhão e pediu valorização de bandas locais.

Nicolau garantiu que o órgão ministerial não é contra as festas tradicionais, como o São João, mas não irá aceitar gastos exorbitantes de verbas públicas com as contratações de artistas de outras localidades para apresentação em festejos juninos.

Para o chefe do MP, é necessário que valorizar a mão de obra do Maranhão e despesas milionárias com apresentações artísticas de fora do estado não podem acontecer.

“O Ministério Público não é contra as festas juninas no Maranhão, nós não somos contra qualquer tipo de festa tradicional no nosso estado. O que nós combatemos é a exorbitância da contratação de pessoas de fora, onde Prefeituras querem fazer shows com dinheiro público, e isso não podemos deixar acontecer. Nós estamos há dois anos de pandemia sem o São João, voltamos agora nesse terceiro ano, temos que valorizar a prata da casa, temos que colocar o povo do maranhão para ganhar dinheiro. Esse negócio de botar pessoas de fora 3,4 horas para ganhar 500 mil, 700 mil, 1 milhão de reais, não pode acontecer, justificou”

Eduardo Nicolau frisou que o Ministério Público não irá deixar dinheiro público ser gasto à toa, enquanto municípios maranhenses necessitam de saúde, educação e saneamento básico.

“Nós sabemos que nossas prefeituras, nossos municípios são carentes de saúde, de educação, de saneamento básico, nós não podemos deixar que o dinheiro público se escoe pelo ralo”.

E reforçou: “Eu não sou contra, o Ministério Público, no total, não é contra festa junina.”

O PGJ enfatizou que é necessário combater o gasto público desnecessário e que os recursos precisam ser bem alocados. Além disso, destacou que não está contra os gestores públicos municipais e que não tem partido político.

“Nós sabemos que a pandemia trouxe a pobreza generalizada, não só para o Maranhão, para o Brasil e para o mundo inteiro, precisamos defender o nosso povo e para que nós possamos defender o nosso povo, nós temos que segurar o dinheiro público. Então o Ministério Público está atento, eu estou atento, e eu não aceito, e nem aceitarei que façam do dinheiro público o que quiserem, o dinheiro público tem que ser muito bem alocado. Eu não estou contra ninguém, não tenho partido político, o meu partido é a seriedade do dinheiro alocado”.

E ao final do vídeo, Nicolau pediu aos prefeitos maranhenses que procurem as Promotorias de Justiça para saber o que deve e o que não deve fazer com o dinheiro público.

“Senhores prefeitos, o Ministério Público não gosta de punir, o ministério público gosta orientar. E nesse sentido, é que conclamos a todos os senhores, procurem o ministério público, conversem com os promotores de justiça das comarcas. Eles estão dia e noite nas Comarcas a disposição de todos os senhores. Procurem saber o que pode ou que não pode ser feito com dinheiro público quando vocês tiverem dúvidas, procurem, os promotores de justiça não se negarão nunca a dar contribuição para que vocês melhores cada vez mais a vida do cidadão”, finalizou

Deixe uma resposta