Wellington do Curso quer acabar com a “militância contracheque” do PDT

Cobrando a nomeação dos aprovados no concurso do Detran, Wellington do Curso quer acabar com a “militância contracheque” do PDT. O órgão é dirigido por Larissa Abdalla, indicada pelo partido e apadrinhada por Weverton Rocha. Com o PDT no comando, grande parte dos funcionários terceirizados são militantes do partido.

A folha de pagamento dos terceirizados do PDT chega a quase R$ 14 milhões e Wellington do Curso sabe que essa “militância contracheque” ajudou a eleger o vereador Raimundo Penha e o prefeito Eduardo Braide. Por isso, o deputado cobra a nomeação dos aprovados no concurso, já que o cenário segue favorecendo os pedetistas.

3 pensou em “Wellington do Curso quer acabar com a “militância contracheque” do PDT

  1. É exatamente isso que acontece lá e muito mais.
    A vice-prefeita de Neto Evangelista, apoiado por Lara (Larissa Abdalla) no primeiro turno, tem cargo lá e por aí vai. Inclusive, ela convocou a turma dos comissionados e apadrinhados para tirar uma foto com Neto Evangelista, para demonstrar seu apoio a ele.
    Só uma CPI para moralizar de vez aquele órgão.
    Mas quem sabe a Polícia Federal não bate por lá mais cedo do que a gente pensa.

  2. Vai para cima Wellington!
    Além da terceirização ilegal, os servidores estão há 7 (sete) anos com seus salários congelados e o auxílio-alimentação há 3 (anos).
    Os servidores antigos, coitados, são humilhados. Muitos com mais de 30 (trinta) anos de Detran de serviços prestados, mas sequer são respeitados. Outros não se aposentam porque perdem muito, o que sobra não dá para sobreviver.
    Que bom ter alguém olhando para o Detran agora.
    #FORALARISSAABDALLA

  3. É só pedir a listagem com os nomes dos terceirizados e checar a filiação partidária de cada um deles. Os que não forem filiados ao PDT e PCdoB, são filhos ou parentes de quem é.

Deixe uma resposta