João Alberto tenta reabrir sessão do Senado, mas oposição resiste

Senador João Alberto

Senador João Alberto
(Com informações do Extra)
O senador João Alberto (PMDB-MA) tentou nesta tarde de terça-feira, 11, retomar a sessão do plenário do Senado, apos quase cinco horas de interrupção das atividades. O senador ameaçou usar um dos microfones da mesa, mas foi impedido pelas parlamentares da oposição que seguem ocupando todas as cadeiras da mesa diretora do Senado.
Apos a tentativa frustrada de João Alberto, senadoras da oposição e o senador discutiram rapidamente e o parlamentar segue em pé ao lado das senadoras. A obstrução a sessão do Senado que iria votar a reforma trabalhista e liderada pelas senadoras Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Fátima Bezerra (PT-RN).
No plenário, estão vários dos senadores da oposição e poucos da base governista, entre eles, o líder do governo no Senado, Romero Juca (PMDB-RR).
O senador José Medeiros (PSD-MT) protocolou, no Conselho de Ética, um pedido de abertura de processo para a cassação de sete senadores da oposição, seis mulheres e o senador Lingberg Farias (PT-RJ), por quebra de decoro. As parlamentares representadas são Gleisi Hofmann (PT-PR), Vanessa Grazziotin (PcdoB-AM), Fátima Bezerra (PT-RN), Regina Souza (PT-PI), Ângela Portela (PDT-RR) e Lídice da Mata (PSD-BA).
“Eu incluí o Lindberg também, porque ele e o José Dirceu (ex-ministro de Lula, hoje em prisão domiciliar) são os mentores intelectuais disso aqui. A informação é que os senadores se reuniram ontem com Dirceu e armaram essa tomada do plenário. Só vi isso quando estava na universidade, quando eu militava na UNE (União Nacional dos Estudantes). Eles querem transformar o Senado em um grêmio estudantil”, afirmou Medeiros, que recolheu 13 assinaturas de senadores pedindo a representação no Conselho de Ética.
“Isso sim é golpe. Sentar na cadeira a impedir que os senadores legislem”, completou.
João Alberto (PMDB-MA) disse que a confusão começou logo pela manhã, quando chegou ao plenário para abrir a sessão. Fátima Bezerra se antecipou e se sentou na cadeira do presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE).
“Eu disse a ela: sou o segundo vice-presidente e quero assumir. Você não é nem da mesa. Vou assumir e abrir a sessão”, disse João Alberto, acrescentando que a senadora se recusou a sair.

Deixe uma resposta