Comando Geral abre inquérito após monitorar polícias críticos a BPRv

O comando geral de polícia  militar do Maranhão abriu inquérito no dia 15 de fevereiro para apurar cometários de policiais militares feitos em um grupo de WhatsApp contra ações do governo, através da BPRv (Batalhão de Polícia Rodoviária)

O inquérito foi aberto após o comandante receber prints de Whattsap em total espionagem aqueles militares que não concordam, com a forma que é desenvolvido o trabalho ostensivo da BPRv.

No inquérito, o ex comandante coronel pereira,elenca várias conversas de militares que participam do grupo “Unidos Somos Fortes”. O intuito da abertura do inquérito é para penalizar os militares que,foram também espionados pelo comando geral.

Espionagem 

Não é a primeira vez que o comando da policia militar se utiliza da prática  de espionagem, na semana passada O estado do Maranhão publicou reportagem que mostra uma designação, através do memorando, para que fosse monitorado adversários políticos do governo Flávio  Dino.

 

2 respostas para “Comando Geral abre inquérito após monitorar polícias críticos a BPRv”

  1. Eu que ñ sou policial recebi os prints e áudio desses policiais, logo nao configura espionagem.
    E sobre o conteúdo, policiais também tem q passar por teste de álcool e do que foi parado de farda, tem q se identificar pois farda se compra feito pão.

  2. Espionagem conta outra. Deixa de ser sensacionalista. Excelente materia assunto da hora. Mas a forma abordada muito dendenciosa. Deixa que a população tome e tire suas conclusões.
    Os caras são policiais não estão à margem da lei. Conheço dezenas de policiasie seu que se acham, principalmente quando chegam em blitz pensam que a arma e ou a carteira sao requisitos pra não serem abordados.
    Digo mesmo não sou polícia mas se me pararem em uma blitz ficarei até o final observando as outras abordagens para que sejam todos tratados da mesma forma. Deixa ver se fiz vcs entenderem.
    Numa blitz já vi policiais serem abordados e quererem a todo custo passar por cima de quem está ali trabalhando.. Não respeitam os seus colegas.
    Ai vao pra grupo de Zap ameaçar e defamar colegas. Isso está errado e tem que ser apurado. A cidade toda recebeu esses prints e audios logo não configura espionagem. E o caso do ofício de barra do corda. Quem assinou foi um sarneisista foi mandado. Então não conta. Isso é igual zero à esquerda.
    E por fim aparece o boneco de plateia chamado Edson Gaginho querendo mídia. Tambem querendo ser isento de fiscalização . Me compre um bode.
    Eu sou Arnaldo e eu sou Fod….

Deixe uma resposta