Instituto Litoral é acionado por suspeita de improbidade administrativa

Benilson Cadete Pereira, presidente do Instituto Litoral Foto: Divulgação

O Comitê Técnico da Ação Governamental do Mutirão Rua Digna da Secretaria de Estado do Trabalho e da Economia Solidária,  abriu, em 18 de julho, processo administrativo  para apurar indícios de improbidade administrativa contra o Instituto Litoral, localizado no município de Cururupu.

Segundo documento obtido pelo Blog Werbeth Saraiva, o processo administrativo  se refere sobre a prestação de contas referente a 3ª parcela dos recursos oriundos da Ação do Mutirão Rua Digna.

O Instituto que tem como presidente Benilson Cadete Pereira, recebeu R$ 51.741,79 (Cinquenta e um mil, setecentos e quarenta e um reais e setenta e nove centavos) ,em agosto de 2018.

De acordo com informações, além de não prestar conta referente a terceira parcela, o Instituto Litoral não utilizou o dinheiro para a sua real finalidade.

O Instituto tem prazo de 15 dias para realizar a prestação de conta.

Caso  ocorra indícios de desvio de finalidade, bens ou valores públicos, ou ainda, prática de qualquer ato ilegal, indícios de atos de improbidade administrativa, após o término da abertura de processo administrativo serão encaminhado os autos ao Ministério Público Estadual, à Procuradoria Geral do Estado e à Polícia Civil para apuração dos fatos e aplicação das sanções penais cabíveis.

Deixe uma resposta