Em Cururupu Marido de ex secretaria de saúde é conduzido “coercitivamente” a delegacia após crimes contra a honra

A Polícia Civil de Cururupu deflagrou na manhã do dia 09 de novembro de 2017 a Operação “Deslike”, na qual, deu cumprimento a mandado de busca e apreensão e de condução coercitiva.
A operação foi realizada após investigações para apurar a autoria dos crimes contra a honra que estavam sendo praticados na internet através da rede social “Facebook”, no perfil denominado “Augusto Silva”. Foram apreendidos cinco aparelhos celulares, um tablet e duas câmeras digitais que passarão por perícia.
Na oportunidade foi realizada a condução coercitiva de Valdenor Ramos Machado e Thymara Tiva Sousa Machado para prestarem esclarecimentos na Delegacia de Polícia Civil de Cururupu.
As investigações continuarão e após a conclusão do Inquérito Policial todo o acervo probatório será encaminhado ao Poder Judiciário para as providências cabíveis.

FICHA EXTENSA
O Valdenor Ramos Machado, mais conhecido como “Valdenor”, já é conhecido em Cururupu e tem uma reputação mais do que “ilibada”.
Conforme já noticiado pelo titular deste blog, existia em Cururupu um esquema fraudulento na Secretaria Municipal de Saúde, sob o comando de Rita de Cássia (Esposa do Valdenor). 
A armação do empréstimo acontecia da seguinte forma: os comprovantes (contracheque) eram falsificados por um funcionário da prefeitura, o que beneficiou algumas pessoas, entre elas políticos do município, e o próprio “Valdenor”, que sequer fazia parte do quadro.

PREJUIZOS AO ERÁRIO EM PALMEIRANDIA – MA
Falando nisso, o blog tomou conhecimento, em primeira mão, das inúmeras mazelas comandadas pelo senhor “Valdenor”.
Para quem não sabia, o Senhor Valdenor é mais do que conhecido no Maranhão,  desta vez a vítima foi o Município de Palmeirândia –MA. 
Conforme apurado pelo Blog, o senhor Valdemor foi devidamente responsável por irregularidades na APLICAÇÃO DOS RECURSOS PÚBLICO federais no valor total de R$ 102.000,00 (cento e dois mil reais), transferidos ao Município de Palmeirândia/MA por meio do Convênio 648/1997, firmado com a Fundação Nacional de Saúde, enquanto representante financeiro da empresa Pilares Construções & Serviços Ltda. (CNPJ 01.271.314/0001-91), com sede na Cidade de São Luis-Ma.
Conforme apurado, o senhor “Valdenor” comandava toda o esquema de fraude em processo licitatório, montagem em processo licitatório e lavagem de dinheiro, conforme extrai-se do Acórdão do Tribunal de Contas da União (TC 010.221/2006-4) : ” Dessa forma, entendo que apenas a empresa contratada, a Pilares Construções e Serviços Ltda., participou da montagem do procedimento licitatório, beneficiando-se da simulação. Indício adicional da efetiva prática de fraude por parte dessa empresa é o fato de que o Sr. VALDENOR RAMOS MACHADO era um dos representantes da contratada, conforme declarado na defesa do Sr. Fábio Cesar Carvalho, representante legal da Pilares Construções e Serviços Ltda. Ocorre que o Sr. Valdenor foi o signatário da pretensa proposta da empresa Calhau Construções e Empreendimentos Ltda. constante dos autos (fls. 50/56, Anexo 1) e refutada como inidônea. Ressalte-se, ainda, que a empresa Pilares não apresentou resposta à oitiva que lhe foi dirigida.”

Extrai o Ministro quando a imputação a irregularidades ao “Valdenor”, “a rúbrica do responsável pela proposta da licitante Calhau Construções e Empreendimentos Ltda.  equivale à do Sr. VALDENOR RAMOS MACHADO, recebedor de valores pagos à Pilares Construções e Serviços Ltda. pela execução do Convênio 107/97, o que evidencia vinculação entre essas duas empresas participantes do Convite 019/1998”

Pelo visto, o Senhor “Valdenor” ainda tem muito com o que se preocupar,não só ele mais outras pessoas também que se “camuflam” em redes sociais para atacar denegrir e cometer injúrias contra desafetos.

Deixe uma resposta