Em nota, PSTU diz que “Justiça” do Maranhão tenta facilitar a vida do governo estadual e das empresas

O Partido Socialista  dos trabalhadores Unificado (PSTU) divulgou, por meio de nota, repudio a atitude do governo do Maranhão  e do Judiciário maranhense sobre a desapropriação favorecendo a empresa WPR para a construção de porto.

Veja aqui na integra a nota do PSTU.

 

 

 

Documento comprova que WPR bancou parte da campanha de Flávio Dino

A empresa WPR, responsável pela ordem judicial de desapropriação e reintegração de posse da localidade de Cajueiro para construção de um Porto, doou R$ 272 mil reais para a campanha do governador Flávio Dino.

A informação foi confirmada pelo blog Werbeth Saraiva durante apuração na prestação de contas eleitorais de 2014. O cheque de doação foi depositado diretamente na conta do partido do governador, o PC do B.

A empresa WPR é subsidiária da WTorre, empreiteira paulista que, junto à chinesa CCCC, à Lyon Engenharia e ao Governo do Maranhão, quer construir um porto privado, o Porto São Luís, na Praia Parnauçu- uma das várias que subdividem o Cajueiro-, com a promessa de criação de 4 mil empregos diretos.

Veja abaixo o documento que comprova a doação.

 

WPR! Empresa que bancou com R$ 272 mil a campanha de Flávio Dino, expulsa moradores de comunidade

A empresa WPR Gestão de Portos e Terminais LTDA, ganhou na justiça o direito de desapropriar inúmeras pessoas que ocupavam a localidade Cajueiro (Vila Maranhão).

Para cumprir a decisão judicial a polícia do estado do Maranhão foi usada e levada ao local com aparato de guerra, crianças, mulheres grávidas, e idosos foram expulsos de suas moradias por determinação judicial que beneficiou a empresa WPR gestão de portos e terminais LTDA.

O deputado Welligtom do curso usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão, para denunciar a empresa que doou R$ 272 mil para a campanha do governador Flávio Dino, Wellington chegou a dizer que Flávio dino pagou a dívida de campanha com o sangue da população do cajueiro, na reintegração.