BOMBA! Pré-campanha de William Pinheiro em Araguanã estaria sendo bancada com dinheiro de tráfico interestadual

Uma caminhonete foi apreendida com cerca de 300 quilos de drogas, em uma abordagem policial nas proximidades da Vila Bom Jardim, na BR 230 Rodovia Transamazônica, por uma Guarnição da Polícia Militar de Pacajá do estado do Pará.

A droga pertencia aos indivíduos José Pereira Vitor Filho e o Raimundo Nonato Silva e Silva, que foram presos imediatamente pela guarnição.

A partir dai, foi feita uma revista no veículo, em que os policiais encontraram uma quantidade de droga embalada dentro de sacos de fibra, cerca de, 298 quilos e 100 gramas de maconha que estava na carroceria da caminhonete. A dupla informou que eles teriam ido buscar em Santarém e que levariam até a cidade de Marabá.

Os suspeitos ainda teriam oferecido aos agentes a importância de R$ 200  mil  e a caminhonete para que fossem liberados, mas ao contrário do que pensaram, a dupla recebeu voz de prisão e encaminhados com todo o material apreendido para Delegacia de Polícia Civil de Pacajá para a realização dos procedimentos.

Um dos traficantes presos na operação é morador do município de Araguanã no interior do Maranhão, José Pereira Victor Filho fazia campanha antecipada para sua esposa que é pré-candidata a vereadora no município, Amanda chegou a se filiar no PCdoB municipal.

De acordo com informações repassadas ao blog o pré-candidato da oposição em Araguanã, William Pinheiro, recebia constantes ajudas do traficante interestadual para fazer eventos em alusão à política municipal. O Ministério Público e a polícia civil devem investigar até onde iria a participação de um quadrilheiro em um grupo político do interior do estado.

Polícia Civil prende homem por tráfico em Timon

Alex Capela é acusado de tentar subornar policiais no Maranhão — Foto: Polícia Civil

O Departamento de Combate ao Narcotráfico de Timon prendeu na terça-feira (06), Alex Furtado da Silva, o Alex Capela, de 26 anos, por tráfico de drogas.

 De acordo com informações, Alex Capela tentou subornar os policiais civis para que fosse liberado.

Ainda de acordo  informações, os policiais disseram que a operação foi na casa de Alex, na Rua 23, no bairro Planalto Boa Esperança. Na residência, os agentes encontraram uma balança de mão e cerca de 300 gramas de uma substância branca, que não foi precisada pelos policiais. Além do material, foi localizada também a quantia de R$ 9.524,00 em espécie e anotações com  a contabilidade do tráfico.

Para ser liberado do flagrante, Alex ofereceu R$ 15 mil para ser liberado. a ele foi dada voz de prisão pelo crime de crime de corrupção ativa (artigo 333 do Código Penal). Alex já tinha passagem na polícia  por tráfico de drogas e estava em liberdade condicional.

Após os procedimentos legais, ele foi encaminhado para a Unidade Prisional de Timon.

Polícia Federal prende traficantes no Maranhão

A Polícia Federal no Maranhão, por meio da Delegacia de Repressão a Drogas (DRE), deflagrou na manhã desta quarta-feira(15), em São Luís, a 2ª Fase da Operação “MD”. a operação visava desarticular um grupo criminoso especializado no tráfico de drogas que utilizava os Correios. A operação “MD” recebeu esse titulo em decorrência das iniciais da substância (metileno-dióxido) que compõe o ecstasy, uma das principais drogas traficadas pelo grupo criminoso.

Segundo a polícia,a partir dos interrogatórios da primeira fase da operação realizada em 16 de abril deste ano, e da análise de algumas mídias que os integrantes do grupo criminoso ficou constatado que o grupo era especializado na distribuição de drogas conhecidas como ecstasy e LSD, além de cocaína, skunk e maconha, em festas na capital maranhense, especialmente em eventos de música eletrônica, onde há grande concentração de jovens.

A equipe de investigação interceptou várias encomendas, contendo as substâncias entorpecentes que chegavam até os investigados, via postal,oriundas dos Estados Rio de Janeiro, Pernambuco e Mato Grosso do Sul.

A Polícia Federal deu cumprimento a cinco mandados de prisão Temporária e 04 mandados de busca e apreensão na capital maranhense.As ordens judiciais foram expedidas pela Justiça Estadual do Maranhão, com o objetivo de colher provas da materialidade do crime e subsidiar as investigações.

Os envolvidos estão sendo conduzidos à Superintendência de Polícia Federal no Maranhão, onde serão indiciados pelo no Código Penal Brasileiro nos arts. 33 e 35 da Lei nº 11.343/06,pelos crimes de tráfico de drogas e associação para tráfico,onde responderão por penas que chegam até 15 anos de reclusão.