TERROR! Bandidos fortemente armados encurralam população e explodem agência do Bradesco em São João do Caru


A ação foi registrada por volta das 21h00 desta sexta-feira (31), na cidade de São João do Carú – MA (367 km de distância da capital São Luis). De acordo com informações já confirmadas, os bandidos fortemente armados e organizados, invadiram a cidade e se dividiram em grupos, enquanto um cuidava da segurança no entorno, o outro grupo se preocupava em explodir a agência do Bradesco da cidade. Houve confronto contra os poucos policiais militares que estavam de plantão e há informações ainda não confirmadas indicando que a quadrilha se utilizou de reféns para garantir a sua segurança na fuga.

A cidade de verdade

Ex-gestor de São João do caru é acionado por improbidade administrativa

A  3ª Câmara Cível voltou a tornar o Município de São João do Caru como parte em uma Ação Civil Pública (ACP) por atos de improbidade administrativa.

A ACP, que tratou da contratação irregular de servidores sem a realização de concurso público e do pagamento de gratificações ilegais, foi proposta contra o ex-prefeito Jadson Lobo Rodrigues e o Município de São João do Caru. A Justiça de primeiro grau, no entanto, havia decretado a “ilegitimidade” do Município como acionado.

Na Ação, o Ministério Público havia requerido a condenação do Município “a rescindir todos os contratos de prestação de serviços que estavam em desacordo com a legislação pátria, sob pena de pagamento de multa para o Ente Público e para o gestor que estiver respondendo pelo Município quando da decisão judicial”.

Também foi pedido que o Município fosse proibido de pagar gratificações com os vícios apontados, em desacordo com o estatuto dos servidores, sob pena de imposição de multa ao Município e outra pessoal ao prefeito que viesse a desatender a decisão judicial.

Para o promotor de justiça Fábio Santos de Oliveira, portanto, é necessário que o Município de São João do Caru figure na Ação, visto que alguns dos pedidos só poderiam ser cumpridos pela municipalidade. “Somente este ente federativo possui a capacidade jurídica de suportar possível condenação na obrigação de fazer (realizar) o concurso na municipalidade”, explicou.

O recurso foi acatado por unanimidade pelos desembargadores da 3ª Câmara Cível. Pelo Ministério Público do Maranhão, atuou a procuradora de justiça Ana Lídia de Mello e Silva Moraes.

Ex-prefeito é condenado por omitir informações ao MP

Como resultado de Denúncia oferecida, em 10 de julho de 2018, pelo Ministério Público do Maranhão (MPMA), o ex-prefeito de São João do Caru, Jadson Lobo Rodrigues, foi condenado, em 6 de agosto, ao pagamento de 50 cestas básicas por mês, durante um ano, à Pastoral da Criança do município e à prestação de serviços à comunidade.

A punição substitui a condenação do ex-gestor à pena de dois anos de reclusão. A determinação judicial foi comunicada ao MPMA em 15 de agosto.

A sentença, proferida pelo juiz Bruno Pinheiro, acolhe a manifestação formulada pelo promotor de justiça de Bom Jardim, Fábio Santos de Oliveira. São João do Caru é termo judiciário da Comarca de Bom Jardim.

A Denúncia do MPMA foi motivada pela omissão do ex-gestor em fornecer informações sobre dois procedimentos licitatórios para construção de quatro escolas municipais.

Em fevereiro de 2017, o MPMA solicitou informações sobre as Concorrências 01/2016 e 02/2016 e a Prefeitura de São João do Caru afirmou que não havia procedimentos licitatórios para a construção das escolas.

Em abril de 2018, a Promotoria requisitou o encaminhamento, em 10 dias úteis, das cópias das concorrências. “Apesar de ter sido notificado no dia 10 de abril, o prefeito apenas apresentou um pedido de prorrogação de prazo no dia 30 daquele mês”, relata o promotor de justiça.

Para o MPMA, a omissão configurou “uma recusa ao fornecimento de dados indispensáveis para a propositura de ação civil pública para responsabilizá-lo pela indevida contratação de empresa nas referidas concorrências”.

Um procedimento administrativo foi instaurado para apurar a falta de prestação de contas sobre recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e o desaparecimento de documentos públicos. A Prefeitura informou novamente que Jadson Rodrigues havia retirado todos os documentos referentes à licitação dos arquivos municipais.

“Mesmo notificado pessoalmente, em 10 de abril de 2018, para apresentar os documentos subtraídos e prestar esclarecimentos, o réu permaneceu inerte, novamente, impedindo as investigações do MPMA”, afirmou Fábio Santos de Oliveira, na Denúncia.

Cantor Wesley Dantas monta construtora e fatura mais de R$ 1,3 milhão em um dos municípios mais pobres do Brasil

Wesley Dantas

O cantor Wesley Dantas resolveu deixar de lado os palcos e a agenda de shows para investir em um negócio mais lucrativo ainda. 

No mês de agosto do ano passado (2018), o cantor abriu a empresa WD Gonçalves construções”, é o mesmo nome de Wesley Dantas, a empresa que tem como atividade principal a construção de edifícios. 

A construtora é sediada em uma sala de poucos metros quadrados do edifício Office Tower no bairro renascença em São Luís e possui capital social de trezentos mil reais, o que não impossibilitou de vencer dois certames em um dos municípios mais pobres da federação Brasileira e que tem quase cem por cento de contratações sobre os olhos atentos de investigadores Federais. 

São João do Carú é um município localizado na mesorregião do Maranhão e microrregião do Pindaré. Os caruense ou são-joanense em grande maioria sobrevivem com ajuda do “bolsa família”, programa do governo federal, as condições de vida e higiene de 80% da população são mínimas, e pensando nisso a prefeitura de São João do Caru comandada pelo prefeito Francisco Vieira Alves o Xixico, afastado do cargo diversas vezes por suspeitas de locupletar-se do erário público, firmou dois contratos com a empresa do cantor Wesley Dantas. O primeiro contrato tem valor de R$ 381.990,25 (Trezentos e oitenta e um mil novecentos e noventa reais e vinte cinco centavos), o objeto do contrato é para realização dos serviços de implantação de 31 melhorias sanitárias domiciliares no povoado Linhares. Já no segundo contrato a “WD construções”, orçou 77 melhorias sanitárias domiciliares em exatos R$ 997.932,91 (Novecentos e noventa e sete mil novecentos e trinta e dois reais e noventa e um centavos). 

Pelo montante, as melhorias sanitárias devem custar ao município quase treze mil reais por unidade. O Ministério Público do Maranhão deve investigar suspeitas de superfaturamento e vício nos contratos, tendo em vista que na lei de contratações o menor preço é o que deve ser levado em conta pela administração pública e não é o que parece nas contratações entre a prefeitura de São João do Caru e a empresa de Wesley Dantas.

Outro Lado. 

Ao ser questionado pelo blog o cantor e empresário deu o silêncio como resposta. O espaço contínua aberto para manifestações.

Já a prefeitura de São João do Caru, não possui assessoria de comunicação.

Ex-prefeito Jadson Lobo é condenado a cinco anos de reclusão

Jadson Lobo, ex-prefeito de São João do Caru.

Após Denúncia do Ministério Público do Maranhão, o Poder Judiciário condenou o ex-prefeito de São João do Caru, Jadson Lobo Rodrigues, por dispensa ilegal de licitação e crime de responsabilidade (desvio de dinheiro público).

O réu foi condenado à pena de privação de liberdade em cinco anos e cinco meses de reclusão e outra de três anos de detenção, além do pagamento de 10 dias-multa. O valor do dia-multa foi fixado em cinco salários-mínimos.

A sentença, de 18 de junho, aponta que o ex-gestor contratou serviços contábeis sem procedimento licitatório e realizou transferências bancárias no valor de R$ 200 mil. Ele também realizou transferências bancárias de valores pertencentes ao Município para sua própria conta bancária e de pessoas ligadas a ele.

A justiça decretou a inabilitação do acusado, pelo prazo de cinco anos, para o exercício de cargo ou função pública, eletivo ou de nomeação, sem prejuízo da reparação civil do dano causado ao patrimônio público ou particular. Jadson Lobo Rodrigues foi condenado a reparar os prejuízos causados aos cofres públicos em R$ 1.449.875,47, valor referente às transferências ilegais subtraídas do patrimônio público municipal.

De acordo com o promotor de justiça Fábio Santos de Oliveira, titular da Comarca de Bom Jardim, da qual São João do Caru é termo judiciário, em 2016, o então vice-prefeito Antônio Pereira da Silva formulou representação ao MPMA denunciando que o gestor teria realizado diversas compras sem o procedimento licitatório e anexou comprovantes de transferências bancárias.

O contador da Prefeitura, Hadad Mendes, contratado sem licitação, recebeu R$ 200 mil. A irmã de um empresário aliado político do ex-gestor, Sanmara Pinheiro, recebeu R$ 1.235.540,00. Além disso, Jadson Lobo recebeu R$ 6.255,47 em sua conta pessoal e a companheira dele, Thalia Ferreira, recebeu R$ 8.080,00.

Ex-prefeito de São João do Caru, Jadson Lobo Rodrigues, é condenado a cinco anos de reclusão

Jadson Lobo, ex-prefeito de São João do Caru. Foto: Divulgação

Após Denúncia do Ministério Público do Maranhão, o Poder Judiciário condenou o ex-prefeito de São João do Caru, Jadson Lobo Rodrigues, por dispensa ilegal de licitação e crime de responsabilidade (desvio de dinheiro público).

O réu foi condenado à pena de privação de liberdade em cinco anos e cinco meses de reclusão e outra de três anos de detenção, além do pagamento de 10 dias-multa. O valor do dia-multa foi fixado em cinco salários-mínimos.

A sentença, de 18 de junho, aponta que o ex-gestor contratou serviços contábeis sem procedimento licitatório e realizou transferências bancárias no valor de R$ 200 mil. Ele também realizou transferências bancárias de valores pertencentes ao Município para sua própria conta bancária e de pessoas ligadas a ele.

A justiça decretou a inabilitação do acusado, pelo prazo de cinco anos, para o exercício de cargo ou função pública, eletivo ou de nomeação, sem prejuízo da reparação civil do dano causado ao patrimônio público ou particular. Jadson Lobo Rodrigues foi condenado a reparar os prejuízos causados aos cofres públicos em R$ 1.449.875,47, valor referente às transferências ilegais subtraídas do patrimônio público municipal.

 De acordo com o promotor de justiça Fábio Santos de Oliveira, titular da Comarca de Bom Jardim, da qual São João do Caru é termo judiciário, em 2016, o então vice-prefeito Antônio Pereira da Silva formulou representação ao MPMA denunciando que o gestor teria realizado diversas compras sem o procedimento licitatório e anexou comprovantes de transferências bancárias.

O contador da Prefeitura, Hadad Mendes, contratado sem licitação, recebeu R$ 200 mil. A irmã de um empresário aliado político do ex-gestor, Sanmara Pinheiro, recebeu R$ 1.235.540,00. Além disso, Jadson Lobo recebeu R$ 6.255,47 em sua conta pessoal e a companheira dele, Thalia Ferreira, recebeu R$ 8.080,00.

 

Vereador que deveria estar preso faz tumulto e tenta assumir no “grito” presidência de Câmara no interior

O vereador do município de São João do Caru, Natanael Silva e Silva, acusado de afanar dinheiro público da Câmara de vereadores, por meio de transferência sem licitação para conta de uma empresa, resolveu “tomar” a presidência da Câmara na base da força. 

 Durante a sessão do legislativo, na manhã desta quinta (16) o vereador, cumprindo decisão do prefeito que se intitula “protegido” do judiciário, Xixico Vieira, resolveu ler um decreto onde pedia o afastamento do atual presidente da Câmara de São João do Caru, nesse intervalo, uma decisão proferida pelo juiz da comarca de Bom Jardim, impedia que o vereador levasse o afastamento do presidente á frente, Natanael, advertido por advogados e vereadores, que qualquer ato de desobediência diante da ordem judicial, seria crime e que o mesmo poderia ser preso em flagrante pelo crime de desobediência, não exitou e continuou lendo o que seria um decreto que afastava o presidente da casa, para não seguir adiante com a trama montado, foi preciso intervenção de terceiros. 

O vereador Natanael, deve ser investigado pelo Ministério Público, e responder pelo ato de improbidade administrativa, por fazer utilização de recursos públicos sem licitação. Pelo crime de desobediência o vereador deveria ser preso.

No mais, prevaleceu a decisão da justiça, tornando a tentativa de Natanael, em tomar o poder, sem validade.

Vice-presidente da Câmara de São João do Caru fez transferência para empresa sem fazer licitação

Natanael Silva e Silva

O Blog do Werbeth Saraiva teve acesso a informações que comprovam que o Vice-Presidente da Câmara de Vereadores de São João do Caru/MA, Vereador Natanael Silva e Silva, fez várias transferências indevidas no período em que esteve à frente da chefia do Poder Legislativo Municipal, o que lhe trará sério problemas com a justiça.

Uma dessas transferências foi no valor de R$ 9.459,70 (nove mil, quatrocentos e cinquenta e nove reais e setenta centavos) realizada para a empresa F O Moreira, datada do dia 19/07/2018, data em que o Prefeito Xixico retornou ao cargo e consequentemente o Presidente da Câmara Vereador Ideilson Pereira reassumiu seu posto.

Segundo apurou o Blog, essa transferência não poderia ter sido realizada, porque o contrato que a empresa F O Moreira possuía com a Câmara já havia sido executado e ainda assim, esse valor extrapola o limite previsto para dispensa de licitação, o que torna mais grave as condutas do Vice-Presidente.

Como se sabe fazer utilização de recursos públicos sem licitação e crime e ato de improbidade e, certamente tais fatos ao serem levados ao conhecimento do Ministério Público desencadeará uma severa investigação contra o Vereador Natanael Silva e Silva.

Nas próximas postagens o Blog irá revelar as outras ilegalidades cometidas pelo Vereador Naelque vão deixar a população de São João do Caru de “cabelo em pé” com as peripécias do jovem parlamentar.

 

IMORALIDADE! Companheiro de partido do prefeito Xixico ganha contratos de quase R$ 600 mil em São João do Caru

Casal de empresários que faturam alto em São João do Caru

O município de São João do Caru contratou por valores exorbitantes uma empresa de Santa Inês. 

A farra em licitações no município de São João do Caru está passando despercebida pelo Ministério Público. A pouca atuação do MP no município tem deixado o prefeito Xixico bem a vontade para escoar o dinheiro do município na maioria das vezes em contratos fraudulentos. 

A empresa Barroso e Cunha LTDA de propriedade dos empresários Lindenberg Cunha Braga e Débora Barroso Braga deve faturar em apenas três contratos a bagatela de mais de R$ 550 mil reais. 

Objeto do contrato é o fornecimento de materiais de consumo para as secretarias de assistência social e administração do município. 

Dados obtidos pelo blog apontam que  Braga foi candidato a Deputado Federal pelo Maranhão pelo Partido Trabalhista Cristão e não foi eleito. Obteve 1.792 votos (0.06%). O intrigante é que ele foi candidato pelo mesmo partido do prefeito na qual ganhou a licitação, o PTC, os companheiros de partido também são companheiros de negócios.

Segundo dados obtidos, a empresa não tem a menor capacidade de fornecer o serviço licitado ao município, o que levanta a suspeita de a empresa servir apenas para vender “notas” ao município, uma forma imoral de corrupção que alguns gestores encontraram para “lavar” dinheiro público. O Ministério Público Federal e os demais órgãos de controle devem ser acionados para constatar possíveis ilegalidade nos certames. 

Veja:

Xixico contrata empresa de São Luís por quase meio milhão de reais

Prefeito Xixico Vieira

A prefeitura Municipal de São João do Caru administrada pelo prefeito Xixico Vieira contratou por um valor exorbitante a empresa MARACANA DISTRIBUIDORA E SERVICOS LTDA.

Os serviços de fornecimento de material de consumo para a secretaria de saúde do município deve custar pouco mais de, R$ 309 mil reais.

Os dois contratos foram firmados entre o município e a empresa de Antonio Starnley Pereira da Silva. De acordo com um levantamento realizado pelo blog a empresa localizada em São Luís no Bairro Vila Sarney, não tem a menor capacidade operacional necessária para os serviços contratados.

A empresa foi criada a pouco mais de 2 meses e o que impressiona é que de acordo com levantamento feito pelo blog, os únicos contratos da mesma é em São João do Caru. O caso será levado ao conhecimento do Ministério Público Federal que deve investigar e dizer se a empresa cumpre todos os requisitos, ou, não.

O blog procurou a assessoria da empresa e não obteve resposta o espaço está aberto para qualquer manifestação das partes.

Veja o contrato;