Postos de saúde em Carutapera abastecidos de medicamentos

Os Remédios estão a disposição da população

A Prefeitura de Carutapera, através da Secretaria Municipal da Saúde, realizou, mais uma compra de medicamentos que servirão para o abastecimento da farmácia básica do município e os postos de saúde da zona rural.  Vale ressaltar que a Secretaria de Saúde na medida do possível vem mantendo também muitos medicamentos que estão fora da Relação Nacional de Medicamentos (Rename).

Mantida pela Prefeitura de Carutapera, por intermédio da Secretaria Municipal de Saúde, a farmácia básica do município vem tendendo sempre a população que precisa dos medicamentos básicos e outros. A Farmácia Básica, no geral, faz o abastecimento dos postos de saúde no interior, distribuindo a eles os medicamentos que constam numa lista preconizada pelo Ministério da Saúde e alguns a mais.

Dentre outros, a farmácia básica distribui medicamentos para Hipertensão, Diabetes, Colesterol e para os postos de saúde destina-se, exclusivamente à atenção básica de saúde, na rede SUS, a nível ambulatorial, nos serviços que dispõem de médicos, para a sua adequada prescrição.

Alô Polícia Federal! Pacientes estão sendo obrigados a comprar remédios em São João do Caru

Registro da única ambulância do município, parada

A vereadora Tati do Valdo (PSD) do município de São João do Carú, publicou por meio de sua rede social (WhatsApp), uma nota de repúdio pelo descaso que o atual prefeito “Xixico Vieira” vem dando para a saúde pública daquele município. A vereadora cita que não há enfermeiro plantonista no hospital municipal e que os pacientes são obrigados a comprar remédios básicos.

Leia abaixo na integra a nota da vereadora Tati do Valdo: 

“Nota de Repúdio

Venho por meio desta nota prestar minha indicação ao governo municipal de São João do Caru, administração Xixico Vieira. É lamentável a situação que a nossa saúde se encontra. Onde um hospital municipal não tem enfermeiro plantonista, não tem medicamento para os pacientes que se encontram internado, os mesmos têm que comprar o medicamento nas farmácias locais as quais as vezes não possui o medicamento indicado pelo médico. Presenciei tudo isso quando fui ao hospital com dores de parto, o recepcionista logo me informou que não havia enfermeiro plantonista no hospital apenas o médico e técnicos de enfermagem.

Enquanto esperava a hora do parto presenciei os funcionários entregando às pacientes receitas com medicamentos para dor indicado pelo médico, os quais é de obrigação do Secretário de Saúde e prefeito municipal providenciar para não faltar o atendimento básico. Saí do hospital no dia seguinte sem a Certidão de Nascido Vivo da criança, pois a mesma deveria ser preenchida por um enfermeiro o qual mais uma vez não tinha no hospital.

Hoje fui ao hospital para receber a Certidão de Nascido Vivo, mas não foi possível receber, pois mais uma vez não tinha enfermeiro para fazer o procedimento. Deixo aqui meus parabéns aos funcionários que mesmo nessa situação caótica ainda conseguem prestar um atendimento aos pacientes.

As perguntas que não querem calar:

Por quê não tem enfermeiro no hospital?

Será se foram todos demitidos?

Por quê não tem medicamento?

Pra onde está indo o dinheiro desses atendimentos básico?

Se alguém da base aliada do prefeito tiver alguma resposta para o que está acontecendo, nos esclareça, pois a população pede resposta e ações pra que se resolva essa situação antes que o pior possa acontecer a algum paciente.

Escreveu indignada a vereadora.

É necessário que a polícia Federal investigue o que está ocorrendo com as verbas destinadas a saúde do município.