Postos de Pacovan, hoje de Weverton e Erlânio, foram usados para lavagem de dinheiro

Posto do Angelim

Dois postos de gasolina que pertencem ao senador Weverton Rocha (PDT) e o prefeito de Igarapé Grande e presidente da Famem, Erlânio Xavier (PDT) e de uma terceira pessoa, a contadora Cynthia Muniz, foram usados irregularmente pelos seus antigos donos, entre os quais, está o empresário Josival Cavalcante da Silva, o agiota Pacovan.

A “Operação Jenga” revelou que os postos “Petromais Comércio de Derivados de Petróleo Ltda – Joyce V”, localizado na Avenida Jerônimo de Albuquerque, no Angelim, em São Luís; e o “Gás Óleos Santa Terezinha Ltda – Joyce VI”, localizado na Avenida da Praia, Lote Recreio do Araçagy, em São José de Ribamar, foram utilizados em um esquema de lavagem de dinheiro que envolvia várias empresas ligadas a Pacovan. A Secretaria de Segurança Pública informou à época que a movimentação foi de mais de R$ 200 milhões.

Segundo o Ministério Público, os grupos empresariais “Gasóleos Santa Teresinha” e “Comércio de Derivados de Petróleo Joyce”, registrou entre maio e dezembro de 2014, o faturamento de R$ 3.672.585,18 e R$ 19.880.208,00, demonstrando inconsistência entre o fluxo regular de valores da referida atividade comercial – venda de combustível e derivados, com distorções de valores transitados e registrados nas contas bancárias da empresa.

Em dezembro do ano passado, por decisão do juiz Ronaldo Maciel, da 1ª Vara Criminal de São Luís, de mais de 500 páginas, os envolvidos foram condenados em primeira instância, por crimes contra a ordem tributária, lavagem de dinheiro e formação de organização criminosa.

Sem usar o CNPJ

Os postos de Weverton e Erlânio não aproveitaram o mesmo CNPJ de Pacovan, mas na prática são os mesmos. O “Petromais Comércio de Derivados de Petróleo Ltda – Joyce V”, localizado na Avenida Jerônimo de Albuquerque, no Angelim, em São Luís está constituído na Junta Comercial do Maranhão como “‘Petro São Francisco Combustíveis Ltda”.

Enquanto a empresa “Gás Óleos Santa Terezinha Ltda – Joyce VI”, localizado na Avenida da Praia, Lote Recreio do Araçagy, em São José de Ribamar, está sob registro de “Petro São José Ltda”.
Ambas empresas foram abertas no dia 5 de dezembro de 2019 com o capital social de R$ 150 mil cada.

Weverton e Erlânio Xavier compram postos de Pacovan alvos da Operação Jenga

Senador Weverton e Erlânio Xavier

Pelo menos dois Postos de Gasolina que pertenciam ao empresário Josival Cavalcante da Silva, o agiota Pacovan, pertencem agora aos políticos Weverton Rocha (PDT) e Erlânio Xavier (PDT), senador da República e presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão, respectivamente.

Os postos comprados por Rocha e Xavier também estão em nome de uma terceira pessoa, Cyntia Vanessa de Sousa Muniz. Cyntia Muniz foi nomeada representante da prefeitura de Igarapé Grande (MA), comandada por Erlânio Xavier, no Conselho de Alimentação Escolar (CAE) no período 2018/2026. O Conselho, dentre outras coisas, é responsável por fiscalizar a aplicação dos recursos da merenda escolar.

A parceria de Weverton e Erlânio tem ido além da política e invadido o mundo dos negócios. A dupla que já se aventurou no setor da comunicação agora ‘investe’ no comércio de combustíveis. O ponto de partida escolhido pelo senador do PDT e pelo prefeito de Igarapé Grande foi justamente os negócios nebulosos do empresário Josival “Pacovan”, arrolado na justiça maranhense em vários processos.

Um deles, fruto da “Operação Jenga”, tem como alvo dois postos, recém adquiridos pelos pedetistas, quando estavam sob administração de Pacovan. Um no Araçagy, ao lado do Condomínio Costa Araçagy, e outro em uma das avenidas mais movimentadas de São Luís, na Avenida Jerônimo de Albuquerque, Angelim.

Posto do Araçagy

A Justiça do Maranhão condenou Pacovan e mais 21 réus denunciados pelo Ministério Público estadual por crimes contra a ordem tributária, lavagem de dinheiro e formação de organização criminosa, que seriam praticados por meios de postos de gasolina em São Luís e no interior do Estado, da rede “Nosso Posto”, dois postos da rede, citados acima, agora pertencem à cúpula do PDT do Maranhão.

Apesar de uma localização privilegiada e valorizada, o capital social da Petro São José Ltda e Petro São Francisco Combustíveis Ltda é de apenas R$ 150 mil cada. A ascensão ao mundo dos negócios de Erlânio Xavier e Weverton Rocha também salta aos olhos.

Posto do Angelim

Enquanto Erlânio é prefeito de uma cidade de um pouco mais de 11 mil habitantes e com vencimentos de R$ 11,9 mil, sem descontos. Já o senador Weverton Rocha, apesar de estar no topo da cadeia alimentar do funcionalismo público, tem o vencimento de R$ 33,7 mil e recebe mensalmente pouco mais de R$ 20 mil, já com os descontos devidos. A dúvida que fica é qual milagre financeiro foi feito para adquirir dois postos de uma só vez de um empresário [Pacovan] que é famoso por não perder um centavo em suas negociações.

O senador Weverton e o prefeito Erlânio foram procurados pelo blog e até o fechamento desta matéria não se pronunciaram.

Escândalo! Ex-companheiro de cela e laranja do agiota Pacovan fatura quase R$ 3 milhões em Miranda do Norte

Eduardo Belfor e Júnior Lourenço

No ano de 2019 a prefeitura de Miranda do Norte administrada pelo prefeito Eduardo Belfort (PSDB) resolveu investir pesado na compra de combustíveis e lubrificantes.

Eduardo Belfort contratou a empresa “Posto Joyce Iv Eireli” localizada em Miranda Do Norte, para fornecer os lubrificantes e combustíveis, apenas no ano de 2019 a empresa deve lucrar R$ 2.866,256 (Dois milhões oitocentos e sessenta e seis mil duzentos e cinquenta e seis reais) com o contrato.

No papel o posto de combustível pertence a Adriano Almeida Sotero mais apenas no papel, pois o posto pertence na verdade ao agiota Pacovan, que inclusive já foi companheiro de cela do laranja, ambos foram alvos de prisão após desdobramento da operação Jenga.

Tudo leva a crer que o contrato firmado entre o posto de combustível e a prefeitura de Miranda do Norte é apenas parcelas de pagamentos aos empréstimos feitos por Pacovan ao deputado Júnior Lourenço.

Miranda do Norte é um município maranhense controlado pelo deputado federal Junior Lourenço (PL) que foi prefeito do município por dois mandatos e conseguiu eleger seu sucessor Eduardo Belfort, que segue exatamente a cartilha de Lourenço, entre tantos escândalos que o mesmo carrega com sigo é investigado em esquema de agiotagem e conhecido no Maranhão e até em Brasilia como “rei das emendas”.

De acordo com denúncias Júnior Lourenço bancou boa parte da campanha de Eduardo Belfort, com dinheiro de agiotagem e agora eleito deputado federal também é enrolado com o esquema e figura como amigo do maior agiota do estado do Maranhão esse que é conhecido como Pacovan, preso diversas vezes por suspeita de agiotagem e lavagem de dinheiro. O futuro de Eduardo Belfort em Miranda do Norte deve não ser outro se não a cadeia, com várias investigações do Ministério Público Federal e de demais órgãos de controle em curso, “negão” pode parar atrás das grades.

Outro Lado

A respeito dos contratos firmados com o posto de combustível do “laranja” do agiota Pacovan o prefeito Eduardo Belfort não retornou o contato do blog até o momento.

Vem mais bomba ai, é só aguardar

Deputado Leonardo Sá mantém agenda com agiota Pacovan

Deputado Leonardo Sá e o agiota Pacovan

O pré-candidato a prefeitura de Pinheiro e atual deputado estadual Leonardo Sá (PL) manteve agenda com um dos maiores agiotas do nordeste brasileiro, o Pacovan.

O agiota Josival Cavalcanti, o Pacovan, começou com uma venda de banana na Ceasa; hoje, é um dos homens mais ricos do Maranhão.

Aprendeu a ganhar a vida emprestando dinheiro a juros – primeiro para os colegas feirantes; depois, para quem aceitasse se submeter aos juros escorchantes e ameaças várias.

Pacovan tem nas mãos políticos de todos o cacifes – dos mais altos aos mais baixos escalões eleitorais – e movimenta milhões e milhões de reais todos os anos.

Nos corredores da Assembleia Legislativa são comuns relatos de visitas dele e de outros “financiadores” a gabinetes estrelados.

A maioria paga o financiamento com dinheiro público, como ficou revelado nas primeiras investigações da agiotagem após a morte do jornalista Décio Sá – e que o governo Flávio Dino (PCdoB), estranhamente, decidiu manter nas gavetas.

O agora deputado estadual e pré-candidato a prefeito do maior município da baixada Leonardo Sá, mantém agenda com o agiota que de acordo com informações recebidas pelo blog, ajudou de certa forma a bancar a campanha do deputado, nos corredores da politica local é fácil se ouvir dizer que a prefeitura de Pinheiro pode ser mais uma das milhares que Pacovan detêm “parcerias.”