DISMEP distribuidora deve ser arrolada em denúncia na PF sobre venda de supostos medicamentos vencidos

Medicamentos vencidos encontrados em UBS de Santa Luzia do Paruá

A prefeitura de Santa Luzia do Paruá administrada pelo prefeito Plácido Holanda (PSB), fechou contrato milionário com uma empresa do município de Pinheiro e o objeto do contrato seria a compra de medicamentos para o município.

A empresa Dismep- Distribuidora de medicamentos Pinheirense, deve lucrar R$ 2.168.236,08 (Dois milhões cento e sessenta e oito mil duzentos e trinta e seis reais e oito centavos), o acordo contratual teve assinatura no dia 28/02/2019 e deve findar  no dia 31/12/2019.

A Dismep pertence ao empresário José Atanagiudo Mello Soares e tem sede no município de Pinheiro no bairro vila Filuca.

Medicamentos vencidos 

O vereador de Santa Luzia do Paruá, Felipe Ferraz, em visita a uma unidade básica de saúde constatou inúmeras caixas de remédios com a validade já ultrapassada, alguns inclusive venceram ainda em 2018. A secretaria de saúde do município é comandada pelo secretário Gean César de Albuquerque.

O blog foi informado que denúncias referentes a supostos desvios de verbas da saúde do município já teriam sido feitas no Ministério Público, Policia Federal e na Controladoria Geral da União, os medicamentos vencidos encontrados na UBS será mais uma denúncia a chegar na sede da PF em São Luís.

Veja o contrato:

Olha aí, Hagamenon Azevedo! Medicamentos vencidos sendo distribuídos em Presidente Médici

Prefeita e secretário de saúde

Uma fiscalização realizada por um grupo de vereadores do município de Presidente Médici, constatou que mesmo com licitações milionários para aquisição de medicamentos, a gestão municipal permitia a distribuição de medicamentos vencidos para a população.
A descoberta foi feita pelas vereadores Ozilene e Eliane que in loco constataram que na Unidade Básica de Saúde Raimundo Juruca, havia um grande estoque de medicamentos com prazo de validade ultrapassado. Na última sessão legislativa, o assunto não foi outro.
 O Ministério Público, deve abrir procedimento para apurar o caso. Com á palavra o promotor Hagamenon Azevedo.