Com apoio do PL, Assembleia Legislativa vai conceder medalha para Jefferson Portela

Deputada Detinha e Hélio Soares

O deputado estadual Duarte Júnior (PCdoB), apresentou na Casa um Projeto de Resolução Legislativa (nº058) que concede a Medalha do Mérito Legislativo “Manuel Beckman” ao secretário de Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Portela. A sugestão já fora acatada na CCJ e aprovada hoje em plenário, com voto de todos os deputados da base do governo.

O projeto de Duarte, foi aprovado em plenário com uma única ideia e voto contrário que foi o do deputado estadual Adriano Sarney (PV).

O que mais surpreendeu foi os votos favoráveis dos parlamentares Detinha e Hélio Soares ambos da bancada do PL (Partido Liberal) ambos liderados pelo deputado federal Josimar de Maranhãozinho, que foi investigado ilegalmente pela secretaria de segurança pública do estado a mando do secretário Jefferson Portela, em nota o próprio Josimar confirmou que foi alvo de investigação ilegal e ainda rechaçou que o secretário de Segurança do Estado “é um homem prepotente e que não mede consequências quando o objetivo de atingir seus desafetos políticos”. 

Em nota, Josimar Maranhãozinho detona Jefferson Portela

Confira a nota do deputado Josimar:

Segundo foi noticiado no Blog do Neto Ferreira, o secretário de Segurança Pública do Maranhão, delegado Jefferson Portela, mandou que fosse aberta uma investigação contra o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PR). A operação denominada de “Jenca” é altamente suspeita, devido ao tom político como foi apresentada.

As perseguições ao grupo político e ao PR, de forma específica, não é de hoje. Nas eleições de 2016, vários fatos estranhos ocorreram envolvendo justamente pessoas ligadas ao parlamentar e ao PR sendo que absolutamente nada foi comprovado.

O caso mais grave ocorreu com o então candidato a prefeito pelo PR em Centro Novo do Maranhão, Ney Passinho. Em uma abordagem arbitrária, a polícia prendeu o candidato, que se encontrava apenas com R$ 25,00 (vinte e cinco reais) no bolso e ainda assim foi preso, suspeito de compra de votos. O fato aconteceu na véspera da eleição.

Em Maracaçumé, no mesmo ano, o também candidato Tio Gal teve um comício interrompido pela polícia. Em Cândido Mendes, o candidato Facinho também foi perseguido. Em Maranhãozinho, também teve represálias. Em Zé Doca, ações violentas contra o grupo da, hoje prefeita Josinha Cunha, também foram registradas, inclusive com invasão da rádio Alvorada e agressão ao locutor Constantino, por parte do grupo ligado à oposição, sem que a polícia se manifestasse ou tomasse alguma atitude; o que causou bastante estranheza e que hoje pode ser explicado.

Todas as ações orquestradas pela Secretaria de Segurança do Estado não resultaram em nenhuma prova que desabonasse a conduta dos candidatos e do deputado federal Josimar Maranhãozinho, que vem sendo perseguido já por um bom tempo. O parlamentar enfatiza que é da base aliada do governo, mas o que garante a sua tranquilidade é sua conduta idônea e coerente junto a justiça e ao povo maranhense.

Portela é tido como um homem prepotente e que não mede consequências quando o objetivo de atingir seus desafetos políticos. Na investigação contra Maranhãozinho nada foi constatado e o parlamentar se diz tranquilo quanto a sua vida pública.

É bom ficar atento, pois informações plantadas e caluniosas devem ser o próximo passo de quem, a qualquer custo deseja inibir o crescimento político do deputado federal mais bem votado das últimas eleições.