Sem assistência do Governo do Estado e do Federal, indígenas da etnia Ka’apor estão morrendo por Covid-19 no Maranhão

Diante do total descaso do Governo Federal e do Governo do Estado do Maranhão com indígenas da aldeia Aximborenda que estão sem apoio na luta contra a Covid-19. E por conta de tamanho descaso os indígenas resolveram gravar um vídeo relatando tudo que está ocorrendo entre eles.

Em um vídeo que viralizou nas redes sociais, um integrante da tribo detalha a triste realidade que eles estão enfrentando. Até o momento vários indígenas foram infectados e três deles vieram a óbito, por suspeita da Covid-19.

É notório que o Governo Federal, sob o comando do presidente Jair Bolsonaro, tem se posicionado de forma indiferente sobre a questão indígena no Brasil, e o Governo Flávio vem se mostrando também omisso  no que se refere ao combate efetivo e eficiente ao novo coronavírus nas comunidades indígenas.

A saúde indígena é de responsabilidade do governo estadual, porém, essa e outras aldeias estão completamente abandonadas no que diz respeito à assistência social.

Nesse caso específico a Secretaria Municipal de Saúde de Maranhãozinho tomou a iniciativa de amparar os índios da etnia Ka’apor oferecendo atendimento na luta contra a Covid-19.

A revoltado dos índios é legítima e o Governo do Estado ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Assista o vídeo:

Matança de indígenas contínua ocorrendo no Maranhão

Indígenas da reserva Canabrava bloquearam a BR-226 na tarde de hoje (7),entre os municípios de Barra do Corda e Grajaú.

Segundo as primeiras informações, a medida foi tomada após um tiroteio na região.

Homens em um Celta branco teriam passado na rodovia atirando contra os índios, matando dois e deixando outros quatro feridos.

Força Nacional pode atuar em aldeia onde dois índios foram mortos

Ao comentar o caso do assassinato de dois indígenas no Maranhão – ocorrido às margens da BR-226, entre Grajaú e Barra do Corda, o ministro da Justiça, Sergio Moro, citou a possibilidade de envio da Força Nacional ao Estado.

Moro disse que a Funai já foi até a aldeia, que a PF enviou uma equipe à aldeia onde foi registrada a ocorrência e anunciou que “avalia a viabilidade” de se acionarem homens da FN.

“A Polícia Federal já enviou uma equipe ao local e irá investigar o crime e a sua motivação. Vamos avaliar a viabilidade do envio de equipe da Força Nacional à região. Nossa solidariedade às vítimas e aos seus familiares.

Índios da Tribo Guajajara recebem visita de Maria Gadu no Maranhão

A cantora Maria Gadu veio ao Maranhão especialmente para uma turnê pelas terras indígenas do estado. Ela esteve nos dois territórios habitados pelos Guajajaras no Vale do Pindaré que fica na terra indígena Caru, próxima ao município de Alto Alegre e a terra Pindaré, perto da cidade de Santa Inês.
Maria Gadu é simpatizante e apoia as causas dos povos indígenas. Ela esteve no Maranhão para conhecer a realidade dos Guajajaras, considerada uma das maiores etnias do país.
Durante a visita, ela posou para fotos e cantou para os estudantes e professores da escola infantil da aldeia Maçaranduba que fica localizada no interior da cidade de Bom Jardim. Somente ao som do violão e de um balde improvisado como instrumento ela cantou para o público do local. Na aldeia Januária, a 15 km de Santa Inês, ela cantou e dançou com os índios o hino da tribo.