OLHA AI, PROMOTOR ANDRÉ CHARLES! Prefeito Chico Velho pode ter pago R$ 110 mil por reforma que nunca existiu

Prefeito Francisco Gonçalves de Souza Lima o “Chico Velho

O município de Maracaçumé administrado pelo prefeito Francisco Gonçalves de Souza Lima o “Chico Velho,” contratou a empresa MARILOU CONSTRUCOES LTDA para realizar os serviços de reforma de 20 leitos do Hospital municipal.

O contrato foi assinado no dia  05/12/2018 e o valor recebido pela empresa que tem sede no município de Bom Jesus das Selvas, foi de exatos; R$ 110.218,60 (Cento e dez mil duzentos e dezoito reais e sessenta centavos.)

Segundo denuncias de um dos vereadores do município e da própria população a reforma que consta no portal de transparência, nunca se quer foi realizada pelo gestor, o que se for comprovado pode complicar e muito a situação do prefeito, o caso será levado ao conhecimento do Ministério Público.

De acordo com levantamento realizado pelo blog, a “reforma” de leitos de um Hospital que se quer funciona, não foi licitada, o que é ilegal, pois não existe qualquer decreto emergencial para que serviços fossem contratados sem licitação no município, ou seja não foi respeitado os princípios constitucionais da legalidade, isonomia, impessoalidade, moralidade e publicidade. O promotor André Charles Alcântara Martins deve se posicionar sobre o caso.

O vereador Pablo Mendes também repercutiu a possível imoralidade na justificativa dos gastos do recurso; acompanhe um trecho

No dia 05/12/2018 na gestão do Atual Prefeito CHICO VELHO, consta uma reforma no valor de R$110.218,60. reforma referente aos 20 leitos desse mesmo hospital. Aí eu pergunto a população alguém já fez uso desses 20 leitos ? Ou todos vocês quando precisaram de hospital foram encaminhando a cidade vizinha? Em conversa com o Vigia do hospital o mesmo também afirmou que nunca houve nenhuma reforma nos 20 leitos que o hospital possui. Então Sr. Prefeito CHICO VELHO eu como Vereador e representante do povo lhe pergunto onde foi parar esse dinheiro da reforma ?

 

MAIS…

Desde o ano de 2016 o Ministério Público do Maranhão tem em mãos um bojo de denúncias que está arrolado a gestão de Maracaçumé. Uma operação do GAECO em Maracaçumé nos próximos meses não é nem de longe considerada anormal para os ordenadores de despesas do município.

VEJA DADOS DO EMPENHO DA POSSÍVEL “REFORMA” DE LEITOS DO HOSPITAL E DA EMPRESA BENEFICIADA;

Justificativa da possível reforma,

Leitos do hospital do município

BOMBA! Médico é demitido após vir à tona esquemas de cirurgias particulares dentro de hospital público em Carutapera

Médico é demitido após vir à tona esquemas de cirurgias particulares dentro de hospital público em Carutapera

O médico plantonista do Hospital Regional de Carutapera-MA, Dr. Castelo, foi demitido na manhã desta Sexta-Feira, pela clinica ginecológica Leonardo Da Vinci, que gerencia a unidade. De acordo com informações repassadas com exclusividade ao blog, a demissão teria sido justificada pela existência de denúncias contra o profissional.

O esquema funcionava da seguinte forma; ” O médico realizava procedimentos estéticos em pessoas de alto padrão aquisitivo do município e da região, usando toda estrutura do hospital público e para justificar os gastos de materiais e outras coisas utilizadas por ele nos procedimentos” particulares” o médico fraudava os prontuários e justificava como se os procedimentos fossem emergenciais. Por exemplo; para realizar uma Abdominoplastia (Cirurgia plástica na barriga que elimina completamente toda gordura, deixando o abdômen firme e a cintura fina) o médico costumava cobrar das pacientes cerca de mil e quinhentos reais, em um dos casos em que o procedimento de Abdominoplastia foi realizado, dr Castelo lançou no prontuário como se a paciente estivesse realizado uma cirurgia de hérnia.

Em contato com pessoas ligadas ao Hospital, as informações foram devidamente confirmadas, enfatizando ainda que isso era tratado como rotineiro, sendo que existe diversas pacientes que foram “beneficiadas”, que podem apresentar a manifestação necessária.

Foi apurado ainda a existência de Inquérito Administrativo para apurar as irregularidades junto ao Ministério Público Estadual, assim como junto a Secretaria de Saúde do Estado, prevendo ainda a condenação do Médico Dr. Castelo a perda do cargo publico, suspensão dos direitos políticos e até prisão.
O blog por diversas vezes tentou contato com o Dr Castelo, mas não obtivemos até a publicação da notícia qualquer retorno.

MAIS…

De acordo com levantamento realizado pelo blog do Werbeth Saraiva, o médico não agia sozinho e o Ministério Público deve desbaratar uma verdadeira quadrilha que vem agindo dentro de hospitais Maranhenses, após o termino das investigações o responsável deve perder o registro no CRM (Conselho Regional de Medicina) além de sofrer outras sanções. O blog deve trazer mais detalhes do caso no decorrer da semana. AGUARDEM.

VEJA;

No primeiro documento é possível constatar que o procedimento realizado foi a abdominoplastia (cirurgia plástica na barriga que elimina completamente toda gordura, deixando o abdômen firme e a cintura fina.)

Já no documento que é remetido ao SUS o médico diz que realizou a retirada de uma hérnia umbilical.

Adolescente morre após ficar à espera de exame em hospital em São Luís

O adolescente Wanderson Emanoel Costa Ferreira, de 16 anos, morreu na madrugada desta segunda-feira (26) no Hospital Municipal Clementino Moura (Socorrão II), em São Luís, após ficar aguardando por um exame de tomografia para a realização de uma cirurgia para a retirada de balas que estavam alojadas no tórax, abdômen e cabeça dele.

Segundo a mãe do adolescente, Márcia Regina Macedo Costa, houve negligência no atendimento. Wanderson Emanoel estava internado no hospital há dez dias depois de ter levado seis tiros enquanto almoçava na feira do Bairro de Fátima, na capital.

Durante o período em que Wanderson esteve internado a família dele registrou um boletim de ocorrência sobre o caso. Depois procurou o Ministério Público para averiguar a situação do aparelho de tomografia e para obrigar o hospital a realizar o exame. O caso foi para também na Defensoria Pública do Estado. Mas a burocracia foi tão grande que o adolescente acabou não resistindo e morrendo.

Wanderson Emanoel estava almoçando no restaurante da família quando foi surpreendido por um homem armado identificado como “Menor Jhon”, de 19 anos. Ele efetuou seis disparos contra a vítima que foi socorrida pela avó e a mãe, que estavam no local. O autor foi preso dois dias após cometer o crime.

O secretário de Saúde de São Luís, Lula Fylho, informou que o tomógrafo do Socorrão I apresentou um problema em duas peças. Segundo ele, a empresa de assistência técnica foi acionada e as peças foram trocadas, e esta tarde um técnico que vem de outro estado deverá fazer os últimos testes no equipamento para restabelecer o funcionamento.

Lula Fylho informou ainda que todas as tomografias dos pacientes do Socorrão I estão sendo realizadas no Socorrão II e no Hospital da Mulher e que, quando solicitado pelos médicos, o paciente é levado para fazer o exame. O secretário disse que o estado de saúde do adolescente era muito grave e por isso, uma análise detalhada será feita para saber se ele havia condições de ser transferido para outra unidade de saúde para realizar o exame.

Descaso com crianças em Hospital de Godofredo Viana

A falta de respeito com a população de Godofredo Viana é sem tamanho e a cada dia que passa a situação fica mais absurda.

 O Ministério Público local pelo que parece não é nada atuante. Essa imagem em destaque no blog para a população do município é cena corriqueira, uma criança sobre uma das camas do hospital, além da falta de higiene que já é um absurdo, a secretaria de saúde se nega a colocar que seja um lençol sobre o colchão. 

 O desrespeito no município só se intensifica…

INDENIZAÇÃO! Flávio Dino receberá R$ 180 mil de hospital do DF pela morte do filho

Resultado de imagem para flávio dino

A 4ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) aumentou para R$ 180 mil o valor da indenização devida pelo Hospital Santa Lúcia ao governador do Maranhão, Flávio Dino, e à ex-esposa dele, Deana Fonseca, pela morte do filho do casal, Marcelo Dino, aos 13 anos. O valor é o dobro da condenação em primeira instância. A unidade de saúde informou, por meio da assessoria, que cabe recurso e vai recorrer da decisão ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O menino morreu após dar entrada na hospital, no dia 13 de fevereiro de 2012, com uma crise asmática. Segundo depoimento de Flávio Dino à Justiça, o filho recebeu os primeiros socorros e foi internado na Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica (UTIP). No entanto, na manhã do dia seguinte, sofreu nova crise de falta de ar e veio a falecer.

O governador e a mãe da criança sustentam que o filho tinha acompanhamento médico e gozava de boa saúde e que a existência de uma série de ações e omissões culposas do hospital culminaram na morte do menor, como “o atraso na aplicação da medicação broncodilatadora e a submissão do paciente a tratamento inadequado nos últimos meses, com uso indiscriminado de broncodilatador”, conforme consta na sentença.

O hospital recorreu da decisão e defendeu-se alegando que a morte do paciente proveio do agravamento da doença em razão da falta de tratamento; que o uso frequente de broncodilatador gerou a tolerância do organismo à medicação; que todas as medidas necessárias foram adotadas; “e o óbito proveio de caso fortuito e força maior”.

Ao julgar os recursos dos pais e do hospital, o relator James Eduardo Oliveira ressaltou que não há que se falar em culpa concorrente, pois o que importa para o desfecho do caso não é procurar as causas da crise asmática, mas se a morte adveio ou não da ação ou omissão culposa do corpo clínico do hospital.

“Se, eventualmente, o tratamento da doença não foi o mais apropriado e terminou por gerar um quadro de maior complexidade, isso só poderia ser imputado ao médico que o prescreveu, soando, além de juridicamente inadequado, até mesmo cruel a atribuição de desídia aos pais, que, à falta de conhecimento técnico, não podem ser responsabilizados pela suposta inadequação da terapêutica”, destacou o magistrado.

Além disso, segundo o relator, ficou clara a negligência do hospital na administração do medicamento e a omissão quanto ao uso de remédio que poderia otimizar as medidas de socorro, entre outras falhas. “Foram exatamente a negligência na aplicação do medicamento prescrito e a imperícia no momento do socorro à crise de broncoespasmo que retiraram de Marcelo a chance de sair com vida da UTIP”, afirmou.

Ação penal
Além da ação cível movida contra o Hospital Santa Lúcia, o governador Flávio Dino e Deane Fonseca ajuizaram ação penal privada contra Izaura Costa Rodrigues Emídio e Luzia Cristina dos Santos Rocha, respectivamente, a médica e a enfermeira que atenderam Marcelo Dino em 2012. O casal pede a condenação das profissionais por homicídio culposo.

Após a morte, os pais registraram ocorrência, mas o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) e o TJDFT se manifestaram pelo arquivamento do processo. O STJ também teve o mesmo entendimento e Flávio Dino levou o caso ao Supremo Tribunal Federal (STF), que reconheceu a inércia do MPDFT no caso e determinou a reabertura do processo. A ação ainda tramita na 2ª Vara Criminal de Brasília. (Com informações do TJDFT)

 

Fatalidade em Zé Doca ! Acidente em Zé Doca termina em morte de empresário bem conhecido na cidade.

Na tarde de hoje (06) um acidente envolvendo dois veículos motocicletas em frente a praça do viva de Zé Doca tendo duas vítimas com graves ferimentos, os mesmos foram atendidos na emergência do hospital Isaías Cavalcante, um dos envolvidos não resistiu os ferimentos e morreu, o Homem que veio a óbito é bastante conhecido na cidade, por nome Oscar pai de um grande empresário da cidade, e proprietário do comercial Eliana.