Em 2015 Teresa Murad terceirizou saúde de Coroatá por mais de R$ 16 Milhões para empresa fantasma

Ex prefeita de Coroatá Tereza Murad

A prefeitura de Coroatá administrada de 2013 a 2016 pela prefeita Teresa Murad, assinou dois contratos com a empresa ADM. MÉDICA LTDA – ME, o primeiro contrato foi assinado no dia 01/09/2016 e teve fim no dia 31/12/2016 e teria a finalidade de a empresa fornecer serviços médicos, ambulatorial e de atendimento móvel de urgência, para o município. Foi assinado pela chefia de gabinete do Município de Coroatá e por um representante da empresa, de nome, Manoel Da Cruz Ponte. O valor do contrato foi de exatos; R$ 2.854.104,000000 (dois milhões oitocentos e cinquenta e quatro mil, cento e quatro reais.) O segundo contrato foi assinado no dia 01/04/2015 e teve fim no dia 01/04/2016, o valor do segundo foi de exatos; R$ R$ 10.805.977,800000 (Dez milhões oitocentos e cinco mil novecentos e setenta e sete reais e oitenta centavos. A soma dos dois contratos ultrapassou a “casa” dos R$16 milhões de reais.

Empresa Fantasma

A ADM.MÉDICA LTDA-ME tem todos os requisitos para ter sido um negocio criminoso que gerou milhões de reais aos donos da empresa na época, de acordo com levantamento feito pelo Blog do Werbeth Saraiva, a empresa ADM, tinha seu endereço sede em uma oficina por nome “Pisca-Pisca” supostamente sediada no Estado do Piauí, na Receita Federal estava cadastrada como tendo a sua sede na cidade de Teresina (PI), na Avenida Miguel Rosa, 4827, bairro Macaubá. Na época o endereço fornecido pertencia à empresa denominada de AUTO-ELÉTRICA PISCA-PISCA. As fotografias do suposto endereço não deixam dúvidas do alegado.

“Da água para o vinho.”

A empresa que antes tinha sede em Teresina PI, na Avenida Miguel Rosa, 4827, bairro Macaubá hoje tem sede no município de Peritoró MA na rua meio, e na casa de numero 186 B no centro da cidade. A empresa  tinha como únicos sócios Manoel Messias pereira de sousa, Ayrana soares ayres e Daniel Lopes da Cunha, hoje tem 10 pessoas como sócios, e os antigos não possuem mais vínculos com a empresa. A ADM tinha capital social de R$10 mil reais mesmo ganhando contratos na margem de R$ 30 milhões, hoje possui capital de 50 mil reais.

Antiga “sede” da ADM.MÉDICA LTDA-ME

Antigos sócios da empresa

Antigas informações na receita federal

Se os órgãos fiscalizadores investigarem, é possível que muita gente vá parar na cadeia.

Alô PF! Prefeita de Santa Inês contrata empresa de “fachada” por mais de R$ 4 Milhões

Fachada da suposta empresa

A prefeita de Santa Inês, Vianey Bringel aproveitou o fim de ano para “encher” os cofres de uma empresa de engenharia da capital. No dia 5 de dezembro de 2018 a prefeita de Santa Inês e o empresário WALDEC ARAUJO NOGUEIRA FILHO firmaram um contrato milionário para execução dos serviços de recuperação e melhoramento de 30 km das vias do município.

O valor do contrato que tem vigência de 12 meses é assustador, a empresa ARNO ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO LTDA vai lucrar exatos  R$ 4.088.382,75 (quatro milhões oitenta e oito mil trezentos e oitenta e dois reais e setenta e cinco centavos) A ARNO engenharia é de propriedade dos sócios Waldec Araujo Nogueira Filho e Victor Barcelos Nogueira.

A ARNO ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO LTDA é uma espécie de “faz tudo” nas atividades econômicas descritas no contrato razão social, tem desde limpeza de resíduos não perigosos, até comercio varejista de plantas e flores naturais.

O contrato foi assinado no dia 05/12/18 e tem validade de um ano. Os serviços começaram no mesmo dia da assinatura do contrato, por incrível que pareça.

Rastros de empresa Fantasma…

 

  • O O blog foi conferir as condições da empresa Arno Engenharia, que segundo a razão social dispõe de um capital de R$ 700 mil reais, além de estar operando desde 2015. local, porém, é uma residência que nem de longe lembra a sede uma empresa. O blog esteve na ‘sede’ da Arno Engenharia, porém apenas uma mulher vestida “pijama” estava no imóvel, conforme as imagens em anexo. Na realidade, ali é uma residência, com nenhuma característica que sequer lembre o funcionamento de uma empresa, bem longe de ser a sede de uma empresa que dispõe de um gigantesco contrato como o de Santa Inês, o mato está quase “cobrindo” a casa.. 

É importante que o Ministério Público Federal, e a Polícia Federal investigue o contrato e a empresa, para saber se realmente a empresa possui estrutura adequada e legalizada para atuar no setor público. Fica o alerta aos órgãos fiscalizadores!