COVID-19: secretário de saúde de Zé Doca obtêm melhora, mas continua entubado e em estado grave no HCM

O vereador licenciado e  secretário de saúde do município de Zé Doca, Francisco Lima, se encontra entubado e em estado grave no hospital Carlos Macieira na capital São Luís.

De acordo com informações colhidas pelo blog, na manhã de hoje (29), o secretário obteve uma pequena melhora em seu quadro de saúde, porém permanece em estado grave e inspira cuidados.

 

MP tenta impedir que prefeito Umbelino Ribeiro desvie dinheiro do combate ao covid-19

Já o vereador Umbelino Jr tenta se mostrar oposto ao pai que já foi pego em auditoria da CGU por desvios de milhões

O Ministério Público do Maranhão ajuizou, em 28 de maio, Ação Civil Pública contra o Município de Turiaçu, requerendo, como pedido de tutela de urgência, a criação, no prazo de 72 horas, de uma aba específica no Portal da Transparência para que seja alimentada em tempo real com dados relacionados a ações e gastos públicos de enfrentamento ao novo coronavírus (Covid-19). A manifestação ministerial foi formulada pelo promotor de justiça Thiago de Oliveira Costa Pires.

No espaço, devem ser discriminados os valores orçamentários e a execução de despesas, a exemplo de contratos administrativos de prestação e fornecimento de bens e serviços, nota de empenho, liquidação e pagamento, descrição do bem e/ou serviço, o quantitativo, o valor unitário e total da aquisição, a data da compra, além do nome do contratado e o número de sua inscrição na Receita Federal do Brasil (CNPJ).

Em caso de descumprimento, foi sugerido pagamento de multa diária, no valor de R$ 10 mil.

EMERGÊNCIA

O pedido é baseado na Lei Federal nº 13.979/2020, que “dispõe sobre as medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do Coronavírus responsável pelo surto de 2019”.

Dentre as medidas emergenciais adotadas, pode-se dar destaque criação de nova hipótese de dispensa de licitação para aquisição de bens, serviços, inclusive de engenharia, e insumos destinados ao enfrentamento da emergência de saúde pública.

A referida Lei Federal prevê que a dispensa de licitação é temporária e deve ser aplicada apenas enquanto perdurar a emergência de saúde pública.

Dentre os requisitos legais exigidos está a disponibilização, em sítio eletrônico específico, dos dados detalhados de todas as contratações ou aquisições realizadas no período.

RECURSOS

De acordo com a Promotoria de Justiça de Turiaçu a administração municipal recebeu, nesse semestre, o montante de R$ 186.904.72 do Fundo Nacional de Saúde (FNS) e, depois de ter sido acionada pelo MPMA, enviou uma lista de EPIs e medicamentos que seriam comprados. No entanto, não apresentou nenhuma comprovação dos gastos e nem mesmo deu transparência e publicidade a essas contratações ou aquisições.

Por isso, foi encaminhada Recomendação ao secretário municipal de Saúde, recebida em 16 de abril, para que disponibilizasse uma aba específica no Portal da Transparência, com informações sobre os gastos com o enfrentamento ao Covid-19. Em resposta, o secretário informou que providenciaria, o mais rápido possível, o espaço.

Em 26 de maio de 2020, o MPMA abriu procedimento administrativo, com o objetivo  de fiscalizar os valores recebidos do FNS, quando constatou que o Município vem descumprindo o princípio constitucional da publicidade e transparência e a Lei Federal nº 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação), devido à inexistência de uma aba específica para apresentar de forma discriminada os valores orçamentários e a execução de despesas relacionadas especificamente ao enfrentamento e mitigação da pandemia.

Explosão de casos da Covid-19 na região Alto Turi e Gurupi assusta gestores

 

André Dourado é prefeito de Carutapera, e representante da Federação dos prefeitos do Maranhão (FAMEM) na região

O avanço do novo coronavírus (Covid-19) pelo interior do Maranhão tem sido um ponto de pressão sobre as gestões de prefeitos em todo o Estado.

Na região mais pobre do Maranhão, Alto Turi e Gurupi, os gestores já não sabem o que fazer, pois os casos só aumentam e a falta de testes, estrutura hospitalar e mão de obra técnica especializada dificulta mais ainda a contenção do vírus.

O prefeito de Carutapera, André Dourado, já encaminhou oficios ao governo do estado pedindo leitos móveis de UTI e outras providencias para o hospital regional de Carutapera que atende vários municípios da região.

Em Zé Doca, com recursos do município está sendo concluído um hospital de campanha com trinta e cinco leitos. O recurso usado na obra de emergência é de parceria da prefeitura com o deputado federal Josimar Maranhãozinho.

Já em Governador Nunes Freire os casos só aumentam dia após dia. E a população não pode contar com o único hospital da cidade que se encontra em situação de calamidade pública. O município é administrado pelo prefeito Indalécio Vieira, suspeito de desvios de recursos, inclusive da saúde.

Desde o mês passado, por força de decreto, o governador Flávio Dino (PCdoB) decidiu segregar o território maranhense basicamente em duas regiões: a Grande Ilha, compreendendo os quatro municípios da Região Metropolitana de São Luís; e o continente, com os demais 213 municípios.

Na primeira, definiu regras mais duras para funcionamento das atividades comerciais, como forma de reduzir a circulação de pessoas – o que culminou com uma decisão judicial determinando o bloqueio total (lockdown) e um posterior decreto pela instituição de um rodízio de veículos.

No interior, deixou aos gestores municipais a possibilidade de definir regras mais brandas, ou rígidas, de acordo com a realidade de cada cidade.

Por meio de decretos, prefeitos de todos os municípios da região do alto turi, tentam conscientizar a população, além de buscarem a redução de contaminados.

Mas os novos casos da doença interior adentro começaram ser maiores que na Região Metropolitana de São Luís. Boletim epidemiológico emitido pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) na quarta-feira, 13, por exemplo, aponta que houve 138 registros da Covid-19 nos quatro municípios da Ilha, contra 551 no continente. Um dia antes, na terça-feira, 12, os números já havia sido parecidos: 166 novos casos em São Luís e entorno, contra 420 do interior.

Em entrevista ao programa Ponto Final, da Rádio Mirante AM, na manhã de ontem, o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, admitiu preocupação com essa mudança de panorama, mas garantiu que o governo tem se preparado para a virada.

“A gente tem um plano de ação para modificar o perfil das nossas unidades [no interior]. A gente vai modificar o perfil de Pinheiro, Santa Inês, Coroatá, Imperatriz para colocar essas unidades macrorregionais exclusivas para coronavírus. Barreirinhas já tem uma ala, Peritoró já tem metade do hospital voltado para o cuidado com a Covid-19, vamos inaugurar em Lago da Pedra e Santa Luzia do Paruá”, disse.

Ele acrescentou que o Estado pretende inaugurar mais unidades, mas admitiu problemas com o fornecimento de oxigênio. E deu mais detalhes sobre novos hospitais que devem ser inaugurados em breve.

“A gente tá com um problema hoje que é sobre rede de oxigênio, não estamos conseguindo empresas que queiram fazer, colocar o tanque ou a usina de oxigênio, para fornecer oxigênio aos hospitais. Nesse momento há uma demanda muito elevada de todos os estados da federação, mas a gente está lutando pra isso. Aí o quanto antes inaugurar Santa Luzia do Paruá e Lago da Pedra, também os dois nesse momento exclusivos para Covid-19. No sábado eu estarei em Açailândia, para inaugurar o Hospital da Vale, hospital de campanha de Açailândia em parceria com a Vale e a prefeitura municipal. Ele já está pronto. A gente já entrega os primeiros 20 leitos dele, sendo quatro leitos de estabilização, no sábado 10h da manhã”, completou.

Os gestores acreditam que a única solução é a criação de hospitais de campanha em regiões estratégicas do estado. Caso contrário, os gestores, temem que o aumento de vitimas fatais da doença, seja demasiado.

Três meses de salários atrasados: funcionários da prefeitura de Nunes Freire sofrem do coronavírus e de fome

Além da invasão do Coronavírus no município de Governador Nunes Freire e da precariedade do único hospital da cidade, as pessoas também enfrentam dificuldades até para se alimentarem. Isso, pois o maior fomento econômico do município é a prefeitura, e essa está com três meses que não paga os salários dos funcionários contratados.

Relatos obtidos por este blog é que os funcionários contratados do município ficaram sem receber os salários desde que começou a pandemia do covid-19. E não é por falta de recursos, pois mesmo em meio à crise, os recursos destinados ao município quase que dobraram.

 Opinião

É difícil de acreditar que uma pessoa eleita pelo povo seja capaz de deixar faltar o pão de cada dia na casa de trabalhadores e tudo por ganância. Se já não esperava nada da gestão do prefeito Indalécio Vieira, como pessoa, ele se mostra pior ainda.

 Vereadores Calados

Alguns dos vereadores do município observam a situação de forma silenciosa e sem intervir em favor dos funcionários. Obvio, eles não vão sacrificar suas dezenas de regalias, como: propina, empregos de familiares e demais imoralidades.

Prefeito de Pinheiro testa positivo para COVID-19

O prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio, anunciou que testou positivo para o COVID-19. Luciano, afirmou que está sem sintomas.

Leia;

Por responsabilidade com o povo de Pinheiro, e dever de homem público, comunico que testei positivo para o Covid-19. Estou sem os sintomas característicos da doença, me enquadrando nos assintomáticos.

O resultado do meu teste de contra-prova deve sair na próxima segunda. Portanto, permanecerei em isolamento domiciliar, seguindo todas as medidas de higiene e segurança que tanto reforçamos aqui nas redes sociais.

Aproveito para alertar e pedir o apoio de todos os pinheirenses. Cumpram as medidas do nosso decreto municipal e ajudem na diminuição do contágio dessa doença. Mesmo fora das ruas, seguirei firme trabalhando por nossa cidade, com o compromisso e a seriedade de sempre. Afirmou o gestor.

Othelino diz que manterá agenda restrita durante surto do Covid-19

Deputado Othelino Neto

O deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Othelino Neto, adiantou que manterá sua agenda restrita durante o surto do COVID-19. A ação tem o objetivo de combater o avanço do vírus no estado do Maranhão.

Para o presidente, é importante que se mantenha as atividades da casa normalmente desde que sejam obedecidas as recomendações da Organização Mundial da Saúde e o Decreto do Governo do Estado para a pessoa que precisar passar pela quarentena.

“Despacho normalmente com deputados e servidores, desde que não tenham se ausentado do estado nos últimos 14 dias”, disse Othelino Neto

Ao ser questionado sobre os riscos e receio de ser infectado pelo COVID-19, por questões de relacionamentos com políticos vindo de outros estados, Othelino deu a seguinte resposta:

“Qualquer deputado que se ausentar do estado, ficará em quarentena. Ou seja, deverá se abster de ir à Assembleia no período de 14 dias, a contar da chegada em SL.”

Igarapé do Meio e Bacabal estão entre os municípios que tem pessoas com suspeitas de Coronavírus


A Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou um comunicado informando que, desde o início do monitoramento do Covid-18, notificou 108 casos de possível infecção pelo vírus. Destes, 72 casos suspeitos são acompanhados por equipes do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS), 20 foram descartados por diagnóstico laboratorial. Dezesseis casos foram excluídos após a investigação apontar que não atendiam os critérios de definição de caso suspeito de COVID-19. Até o momento, não há casos confirmados. 

O Centro de Testagem do Maranhão, localizado na Policlína Diamante, está recebendo casos suspeitos de Covid-19 para a coleta de material com o objetivo de realizar exames laboratoriais e orientações sobre as medidas que devem ser tomadas. O Centro de Testagem funciona de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 18h. 

Por conta de problemas no sistema do Ministério da Saúde, utilizado para atualização dos casos de coronavírus no país, 68 amostras notificadas no Centro de Testagem do Maranhão não foram incluídas no sistema. Desta forma, o referido dado não foi contabilizado neste boletim.

Veja acima os números oficiais divulgados pela SES.