Empresário investigado pelo MP já faturou mais de R$ 5 milhões em Santa Luzia do Paruá

Denilson Wyds

Dono das empresas COMERCIAL GLOBAL EIRELI e D W COSTA MENDES – EPP, o empresário pinheirense, Denilson Wyds costa mendes, escolheu a prefeitura de Santa Luzia do Paruá, para ganhar cifras milionárias.

Há tempos que Denilson Wyds é presença garantida nos procedimentos licitatório da Prefeitura de Santa Luzia do Paruá, em consequência disso, se tornou detentor de inúmeros contratos públicos no município.

O empresário de Pinheiro, que achou um jeito fácil de ganhar dinheiro na prefeitura de Santa Luzia do Paruá, pode ter o esquema interrompido pelo Ministério Público, que já moveu um inquérito civil, com o objetivo de apurar supostas irregularidades na prestação dos serviços de Alimentação Escolar por parte do Município de Santa Luzia do Paruá/MA, durante os exercícios de 2017 e 2018. As empresas D W COSTA MENDES e COMERCIAL GLOBAL EIRELI (DENILSON WYDS COSTA MENDES – tiveram um prazo de 10 dias para fornecer os documentos ao MP, o processo de investigação ainda tramita sob sigilo na promotoria do município.

As duas empresas arroladas na denúncia que levou o MP, instaurar um inquérito civil, pertence ao empresário Denilson Wyds, se confirmado possíveis fraudes e precária prestação de serviço de merenda escolar, o empresário entestação, como é conhecido no meio, pode parar na cadeia.

Ainda de acordo com levantamento realizado pelo blog, as empresas de ” Wyds” já faturaram mais de cinco milhões de reais, na gestão do prefeito Plácido Holanda, apenas com a empresa Comercial Global, Wyds, assinou contratos acima de três milhões de reais, já com a D W COSTA MENDES, Wyds, assinou contratos acima de dois milhões de reais na gestão de Plácido.

O Jovem Milionário deve se preocupar e muito com o andamento das investigações sobre irregularidades na prestação de serviços de merenda escolar, ao município de Santa Luzia do Paruá, pois desvio de dinheiro do fundeb, é de competência da Policia Federal investigar.

Vale ressaltar que na época das denúncias, sobre a empresa de Wyds, e os contratos com a gestão de Plácido, existem relatos que alunos comiam sardinha com farinha, como merenda escolar.

Veja os contratos;

 

Fernanda Gonçalo prepara licitação de R$ 1,4 milhão para construção de Centro Comercial

A Prefeitura de Bacabeira, comanda pela prefeita Fernanda Gonçalo, abriu no último dia 09, o processo licitatório milionário para contratação de empresa.

A licitação assinada pela Secretaria Municipal de Finanças, propõe assinatura de contrato no valor de R$ 1.448.240,30. O pagamento será retirado do Tesouro.

O certame  milionário tem por objeto contratar empresa para executar construção do Centro de Comercialização da Produção e Agropecuária, Extrativista, Artesanal e Cultural de Bacabeira.

Veja mais detalhes do processo licitatório:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Polícia prende mulher suspeita de matar e esquartejar o próprio filho de três meses

Foto:Divulgação

Patrícia Maria dos Santos, de 20 anos, foi detida temporariamente pela Polícia Civil .Ela é suspeita de matar e esquartejar o próprio filho de apenas três meses.O crime ocorreu no mês passado , no povoado Vinagre,e Itapecuru-Mirim.

De acordo com informações policiais, a jovem disse que teve aborto espontâneo e jogado o corpo do bebê dentro do veiculo do seu pai.O laudo do IML contesta a versão dada por Patricia, onde ficou constatado que a criança foi morta e esquartejada.

No início dos mês de maio, os pais de Patrícia ,identificados como Jackson Matos e Marilene dos Santos Menezes, foram presos sob a suspeita de participação no crime.

Após os procedimentos legais, Patrícia Maria dos Santos foi encaminhada para a Unidade Prisional de Itapecuru Mirim.

Com informações: Imirante.com

Município e prefeito de São Pedro da Água Branca são acionados por irregularidades nas unidades de saúde

Prefeito de São Pedro da Água Branca ,Gilsimar Ferreira Pereira.

Devido a uma série de ilegalidades no sistema municipal de saúde, constatadas em auditorias realizadas pelo Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde (Denasus), o Ministério Público do Maranhão ajuizou uma  Ação Civil Pública  de obrigação de fazer com pedido liminar contra o Município e pessoalmente contra o prefeito Gilsimar Ferreira Pereira,o Pelezinho.

A manifestação foi assinada pela titular da Promotoria de Justiça de São Pedro da Água Branca, Fabiana Santalucia Fernandes.

Dentre as irregularidades verificadas estão problemas estruturais no Hospital Municipal, postos e unidades de saúde, número insuficiente de servidores e procedimentos irregulares na área de biossegurança e gerenciamento de resíduos, falta de habilitação específica de profissionais e ausência de equipamentos e insumos para atendimento dos pacientes.

Também foi constatado que o Conselho Municipal de Saúde, não obedece à Resolução do Conselho Nacional de Saúde nº 453/2012 e à Lei nº 8.142/1990 sobre a porcentagem de usuários, profissionais de saúde e membros no governo no referido órgão paritário.

O correto seria que a representação dos membros do conselho tivesse 50% de usuários, 25% de profissionais de saúde e 25% de representantes do governo e prestadores de serviço. Entretanto, a lei municipal prevê a porcentagem de 25% de usuários, 25% de profissionais de saúde e 50% do governo.

Além disso, o Conselho Municipal não possui instalação física, dotação orçamentária, registro da indicação formal de seus membros pelas entidades que representam, ato de nomeação e eleição formal de sua diretoria. Não há registro de reuniões ou deliberações para análise (aprovação ou desaprovação) do relatório de prestação de contas anual e relatório anual de gestão.

O Denasus apontou que as informações registradas no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) estão desatualizadas. Foram verificadas, ainda, irregularidades nos Programas Saúde da Família e Agentes Comunitários, com ausência de profissionais para cumprimento da carga-horária mínima, falta de assistência odontológica, falta de equipamentos de proteção e segurança.

O número de médicos é insuficiente para assegurar o atendimento ininterrupto e eficaz do Hospital Municipal nos três turnos. Uma médica faz o atendimento aos sábados e domingos e o outro médico é responsável por todo o atendimento, de segunda a sexta, 24 horas por dia. “A situação em questão, claramente, expõe a risco a população local, já que o processo de fadiga imposto aos médicos em questão, especialmente ao responsável pelos atendimentos de segunda a sexta certamente em algum momento não poderá desempenhar adequadamente suas funções por falta de repouso”, questionou, na ACP, Fabiana Santalucia.

Não existe no setor de urgência material para reanimação cardiorrespiratória, como desfibrilador, respirador/ventilador, nem fonte de oxigênio. O risco de contaminação é iminente, pois não existe a Central de Material Esterilizado (CME) e de Unidade de Alimentação e Nutrição (UAN).

A limpeza é feita com detergentes e saneantes domésticos quando deveriam ser utilizados detergentes enzimáticos para lavagem de artigos médicos.

Constatou-se que não é realizada capacitação de servidores em biossegurança e gerenciamento de resíduos; não há Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde; o telefone 192 do Samu do município não está funcionando e o Samu não possui desfibrilador portátil nem respirador/ventilador para reanimação dos pacientes.

Nenhuma unidade de saúde, nem mesmo a ambulância do Samu, possui extintores de incêndio aptos a serem utilizados. Todos os equipamentos estão fora do prazo de validade ou quebrados.

Há motoristas de ambulância não habilitados para a direção de veículo de emergência; não há ponto eletrônico e foram constatadas irregularidades nas folhas impressas em todas as unidades de saúde, a exemplo da falta de assinatura, assinaturas de entrada e saída simultâneas, assinaturas retroativas; não existe identificação e sinalização nos setores das unidades de saúde; existem profissionais de saúde sem registro no respectivo conselho de classe, especialmente técnicos em laboratório.

As contratações dos profissionais de saúde ocorrem de modo precário, e os documentos não são arquivados; não existe arquivo ordenado e completo com a documentação referente aos pagamentos promovidos, inclusive em relação à execução de despesas relacionadas a ações e serviços de saúde no âmbito do SUS, com recursos recebidos do Fundo Nacional de Saúde; não existe monitoração da qualidade da água de consumo humano, nem encaminhamento de laudos à Vigilância Sanitária Estadual; há funcionários trabalhando sem equipamento de proteção individual, notadamente nos serviços de lavanderia e limpeza; não existem normas/rotinas de procedimentos, bem como de protocolos médicos escritos; não existem protocolos escritos de processo de esterilização, bem como de higiene do ambiente.

O Ministério Público do Maranhão solicitou ao Poder Judiciário a concessão de liminar para que o Município de São Pedro da Água Branca seja obrigado a adotar uma série de providências, com cumprimento entre 30 e 90 dias, para sanar todas as irregularidades constatadas, sob pena de pagamento de multa diária de R$ 1 mil a ser descontada diretamente do patrimônio do prefeito Gilsimar Ferreira Pereira. Também foi pedida a condenação final do Poder Executivo municipal.

Em virtude da situação emergencial, a Promotoria de Justiça pediu que a Justiça obrigue, no prazo de cinco dias, a prefeitura a recolher os resíduos junto às Unidades Básicas de Saúde Maria Diva e Vanderlândia; indicar um diretor para o Hospital Municipal; providenciar o reparo do veículo utilizado como Samu, implementando rotina de manutenção contínua, preventiva e corretiva em relação a todas as ambulâncias do Município.

URGENTE: índios interditam BR e tocam terror em motoristas nas proximidades de Santa Inês

De acordo com informações obtidas pelo blog, um índio da aldeia “Januário” foi atropelado por um caminhoneiro no começo da noite de hoje (05), o local do acidente foi entre os municípios de Santa Inês é Bom Jardim.

Ainda de acordo com informações, os índios fecharam a BR, em forma de protesto e dizem que só liberam após a chegada da polícia para levar o corpo do índio morto que ainda se encontra as margens da BR.

Uma gigantesca fila de carros se formou na BR, a qualquer momentos mais detalhes

Neymar desmente boatos e diz que vai jogar pela seleção

Após o vice-presidente da CBF, se manifestar dizendo que o atacante Neymar, deveria deixar a seleção nesses dias, o jogador fez um post em suas redes sociais onde agradece familiares e amigos e diz que jogará pela seleção.

Leia:

só quero agradecer a DEUS, minha FAMILIA, meus AMIGOS e todos aqueles que mandaram mensagens positivas pra que eu pudesse me manter equilibrado e focado, nunca me senti tão AMADO por vocês, OBRIGADO. Hoje tenho uma das partidas mais difíceis da minha carreira, se não for a mais(pelas circunstâncias). “A ALEGRIA DO SENHOR É A NOSSA FORÇA” 🙏🏽❤️

MP investiga pagamentos feitos pela Prefeitura de Bacabeira ao secretário de Saúde

Fernanda Gonçalo,prefeita de Bacabeira.

O Ministério Público (MP-MA) solicitou a abertura de procedimento administrativo contra a gestão Municipal de Bacabeira, comandada por Fernanda Gonçalo.

A ação foi movida pela promotora da Comarca de Bacabeira, Maria Cristina Lima Lobato Murillo, após denúncias repassadas para o MP, informando  possíveis irregularidades na contratação de prestação de serviços do secretário de Saúde, Crezus Ralph Lavra dos Santos para a Prefeitura de Bacabeira.

Ainda segundo a Ação, Crezus recebeu durante o ano de 2018, pagamentos por meio de três ordens  emitidas pela Prefeitura de Bacabeira no valor de R$ 11.784,49 mil.

Caso constatados os  atos de improbidade administrativa importarão a suspensão dos direitos políticos, a perda da função pública, a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário.

Prefeitura de Bom Jardim realiza serviços de mapeamento asfáltico na estrada de Novo Caru

A Prefeitura Municipal de Bom Jardim, por meio da Secretaria de Infraestrutura,deu inicio  a primeira  etapa de recuperação do mapeamento asfáltico e de estrutura de concreto da estrada que dá acesso  ao povoado Novo Caru.

Será  realizado de imediato, os serviços de recuperação dos pontos mais delicados da estrada  que irá  permitir e facilitar  a logística das pessoas e da produção agrícola.

Para este ano, a Prefeitura tem  expectativa de realizar um trabalho que se torne permanente na região.

 

Malrinete Gralhada é condenada a pagar mais de R$ 9 milhões

Malrinete Gralhada, ex-prefeita de Bom Jardim

O Poder Judiciário de Bom Jardim condenou a ex-prefeita Malrinete Gralhada a restituir , junto com as empresas Contrex  e J W Comércio e Serviços, o valor de R$ 9.733.221,33 milhões; valor referente aos certames que foram firmados sem licitações ou com direcionamento.

A sentença da Ação foi proferida na última terça-feira(04), pelo juiz Bruno Barbosa Pinheiro, que traz como réus Wilson Piaza Rodrigues e Lucas Fernandes Neto,sócios -proprietários das empresas.

A Ação Civil Pública  por improbidade administrativa movida pelo Ministério Publico,relatou que em setembro e 2015 o Município de Bom Jardim passou a ser gerido por Malrinete dos Santos. Ela, na condição de gestora, realizou contratações de em grande escala co  diversas empresas  sem realizar licitação,com valores contratuais excessivos e incompatíveis com a realidade do Município..

Segundo o MP, após a gestora baixar decreto de emergência financeira que beneficiaria empresas,o Órgão deu inicio às investigações para apurar o esquema de provável desvio de recursos públicos de Bom Jardim.

“Como se observa pelos documentos apresentados pelo Ministério Público,os atos administrativos se deram em sequência,todos eivados de ilegalidades.Decorridos apenas oito dias da instauração do procedimento administrativo para avaliar a situação do município ,foram suspensos todos os contratos e convênios expedidos ou firmados em exercícios anteriores,e por fim, o mais impressionante foi autorizar a dispensa de licitação em caráter excepcional para serviços essenciais ( serviços básicos de saúde, educação, transporte, saneamento, limpeza pública, etc)”,observou o magistrado na sentença.

Com informações: CCJ/MA