Gil Cutrim será processado

Integrante do partido que faz oposição à proposta de reforma da Previdência, o deputado maranhense Gil Cutrim (PDT), contrariou a decisão do Partido e decretou o seu ‘ sim’ a favor do texto – base da PEC durante sessão na Câmara realizada na última quarta-feira (10).

Em suas redes sociais, o pedetista maranhense  publicou “Respeito muito o meu partido PDT e corroboro com o que há de melhor em defesa do trabalhador brasileiro. Mas farei uma oposição que pensa no melhor para o país!”, disse o deputado.

A decisão do parlamentar foi baseada após o governo  de Jair  Bolsonaro liberar R$ 1,3 bilhão em emendas parlamentares voltadas  à área da saúde.

Expulsões do PDT 

O presidente do PDT, Carlos Lupi, confirmou nesta quinta-feira (11) que a Comissão de Ética do partido vai abrir procedimento contra Tábata Amaral (SP) e os outros sete deputados – incluindo o maranhense em questão – que votaram a favor da reforma da Previdência.

O argumento do processo disciplinar -que pode propor advertência, suspensão ou mesmo expulsão da sigla- é que esses parlamentares desrespeitaram uma determinação da convenção do PDT em março, quando a legenda fechou questão contrária  à reforma.

Mesmo com a ameaça, Tábata Amaral (SP), que contrariou o partido sob a alegação de que “ser de esquerda não pode significar ser contra um projeto que de fato pode tornar o Brasil mais inclusivo e desenvolvido”.

 

Deixe uma resposta