Coronavírus: Guedes defende congelar salários do setor público por dois anos

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu neste domingo (5), durante videoconferência com congressistas do DEM, o congelamento dos salários do setor público durante dois anos como forma de contribuir para redução de despesas neste período de combate ao coronavírus.

A defesa do ministro é uma contraproposta à ideia, que já circulou dentro da própria equipe econômica e é defendida por alguns parlamentares e economistas, de corte imediato dos salários dos servidores públicos.

Técnicos da Economia chegaram a propor uma redução de 25% durante este ano. O deputado Ricardo Barros (PP-PR) defende uma redução de 30% dos vencimentos de todo setor público, incluindo Executivo, Legislativo e Judiciário.

Durante a reunião neste domingo, o ministro disse aos congressistas do DEM que o presidente Jair Bolsonaro não apoia a redução dos salários e que, no final, teria praticamente o mesmo impacto na redução das despesas de um congelamento pelo período de dois anos.

Ou seja, neste momento, o ministro avalia ser melhor manter o poder de compra do servidores públicos para evitar uma maior desaceleração da economia, mas propõe um congelamento por um período mais longo gerando uma redução de gastos equivalente.

Aumenta o número de infectados pelo novo coronavírus no Maranhão 

De acordo com os novos da Secretária de Estado da Saúde (SES), foram registrados mais 37 novos casos do novo coronavírus, no Maranhão, elevando para 133 o número de pacientes com Covid-19.  

Duas pessoas morreram pela doença no estado. As informações são do último boletim emitido pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). 

Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas. 

Construtora Panorama é alvo de investigações em soma de contratos que superam mais de R$35 milhões, no interior do Maranhão 

Um contrato entra a Prefeitura Municipal de Parnarama e a Construtora Panorama passa a ser alvo de investigação pelo Ministério Público. De acordo com a apurações, a construtora já movimentou mais de R$ 30 milhões em transações com prefeituras no interior do Maranhão. 

Os dados são do Tribunal de Contas do Estado. Informações dão conta de que as principais cidades que pagaram mais alto pelos serviços da Panorama foram as de Parnarama, Lago da Pedra, São Francisco do Maranhão, Lagoa do Mato, Barão de Grajaú.  

A empresa trabalha com os serviços de limpeza pública, locação de veículos, reformas em prédios públicos, recuperação de estradas, manutenção de poços e construção de praças. O valor total desses contratos chegam a R$ 35,7 milhões. 

Na cidade, a Panorama a construtora foi alvo de uma Ação Civil Pública por Improbidade Administrativa por irregularidades no acordo firmado com a Prefeitura no valor de R$ 5,5 milhões. 

Bolsonaro compara coronavírus a chuva: “Vai molhar 70% de vocês”…

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a comparar o novo coronavírus a uma chuva, dizendo que 70% da população vai “se molhar”, ou seja, ser infectada, mas que apenas idosos ou pessoas que pertencem a grupos de risco terão problemas mais sérios.

“Esse vírus é igual uma chuva, vai molhar 70% de vocês. Isso ninguém contesta. Toda a nação vai ficar livre da pandemia quando 70% for infectada e conseguir os anticorpos”, disse hoje em conversa com apoiadores que o aguardavam na portaria do Palácio da Alvorada…

“Destes 70%, uma pequena parte, que são os idosos e quem tem problemas de saúde, vai ter problemas sérios.”

O presidente acrescentou que o que está sendo feito é “adiar” para que os hospitais não fiquem sobrecarregados, mas novamente citou a questão econômica, dizendo que a sociedade “não aguenta ficar parada dois, três meses”. “Vai quebrar tudo.”…

“Por demagogia, até a imprensa ali, está uma disputa entre algumas autoridades de quem está mais preocupado com a vida de vocês”, afirmou.

Pelo terceiro dia consecutivo, a saída de Bolsonaro provocou uma aglomeração de evangélicos na portaria da residência oficial da Presidência. Os fiéis gritaram palavras de apoio ao mandatário, que se manteve a relativa distância do grupo, e fizeram uma oração…

Após críticas de Bolsonaro, Mandetta diz que seguirá trabalhando: ‘Foco na doença’

O ministro da Saúde, Henrique Mandetta, disse nesta sexta-feira (3) que seu foco é o combate ao coronavírus, ao ser questionado a respeito das novas críticas do presidente Jair Bolsonaro ao seu trabalho.

Perguntado pelo se ele pretendia se demitir após Bolsonaro ter dito ontem que eles não “andam se bicando” e que Mandetta precisa “ter mais humildade”, o ministro respondeu: “Foco na doença, vida que segue. Foco, lavoro, lavoro, lavoro”.

O ministro da Saúde, Henrique Mandetta, durante entrevista nesta segunda (30) — Foto: Reprodução/TV Brasil

Nos bastidores, aliados do ministro acreditam que o presidente tem forçado repetidamente Mandetta a pedir demissão, para evitar o desgaste de dispensar um ministro com apoio popular em meio a pandemia. Mandetta, no entanto, diz que só sai demitido.

Além disso, ele tem apoio de outros colegas da Esplanada dos Ministérios, como o ministro da Justiça, Sergio Moro — o assessor mais popular do governo Bolsonaro.

Ministros têm procurado Mandetta para dizer que vão seguir as suas orientações técnicas na crise — e não as do presidente Bolsonaro, o que tem irritado o chefe do Executivo, que gostaria de uma discussão antecipada sobre o fim do isolamento social para combater o coronavírus, o que Mandetta e autoridades de saúde mundial não orientam.

O ministro Mandetta ainda tem feito constante trabalho de manter sua equipe, de respeitados profissionais da área da saúde, para resistir as constantes ameaças do presidente e permanecer na missão.

Sobe para 71 o número de casos confirmados pelo novo coronavírus no Maranhão

O maranhão tem 71 casos confirmados da COVID-19 (coronavírus). Os dados são da Secretaria de Estado da Saúde (SES), que de acordo com o último boletim divulgado pela instituição, teve apenas um óbito registrado da doença até o momento.

Ao todo, foram 19 novos casos nas últimas 24 horas, a previsão é que esse número aumente nas próximas horas, já que a secretaria ainda aguarda os resultados de exames que ainda não foram concluídos.

Atualmente, a SES monitora 774 casos suspeitos. Outros 1413 casos suspeitos foram descartados e 12 pessoas foram curadas da doença.

Carutapera: vereador Petrônio Mesquita solicita distribuição de merenda escolar aos alunos durante a pandemia coronavírus

O vereador Petrônio Mesquita solicitou por meio de um ofício, que o prefeito de Carutapera, André Dourado, mantenha a distribuição da merenda escolar para os estudantes da rede municipal de ensino, durante o período relacionado a pandemia do coronavírus.

O ofício requer que todas as escolas pertencentes da rede municipal distribua os alimentos perecíveis e não perecíveis, aos alunos em situação de vulnerabilidade, em especial àqueles cadastrados no Sistema Único do Governo Federal.

O vereador também sugeriu que a Secretaria de Educação do Município organize um expediente de distribuição, para que seja evitada aglomerações em conformidade com o Decreto do Município.

Últimas notícias de coronavírus de 1º de abril

Ciclistas que trabalham com entrega de alimentos passam pela Piazza Duomo em Milão, na Itália, que estava deserta na terça-feira (31) — Foto: Piero Cruciatti / AFP
Os Estados Unidos superaram a barreira de 4 mil mortes provocadas pelo novo coronavírus nesta quarta-feira (1º), número que dobrou em apenas três dias, de acordo com o balanço da Universidade Johns Hopkins. O país registra 189.510 casos de Covid-19. Depois de minimizar em um primeiro momento o impacto da doença, o presidente Donald Trump advertiu aos americanos que as próximas duas semanas “serão muito dolorosas”.

A pandemia provocada pelo novo coronavírus matou mais de 30 mil pessoas na Europa, continente mais afetado pela Covid-19 até o momento, segundo balanço da agência de notícias France Presse. Mais de dois terços dessas mortes aconteceram na Itália (mais de 12 mortos) e na Espanha (mais de 8 mil). O terceiro país mais afetado é França (mais de 3 mil).

O departamento de saúde do Reino Unido atualizou nesta manhã o número de casos na região: são 29.474 pessoas contaminadas das 152.979 que foram submetidas ao teste para detectar a presença do novo coronavírus. Dos hospitalizados com Covid-19, 2.352 morreram. Destas mortes, 563 aconteceram nas últimas 24 horas.

Nas últimas 24 horas, a Espanha registrou 864 mortes por Covid-19. Esse é o segundo dia seguido que o país tem um recorde no número de mortos.

Desde o início da epidemia, que começou em dezembro na cidade chinesa de Wuhan, mais de 877 mil casos de contágio foram registrados em 186 países ou territórios em todo o mundo. O número de casos positivos diagnosticados, no entanto, reflete apenas uma parte do número total de infecções devido às diferentes metodologias dos países para diagnosticar os casos.

Nem tudo é caos: Secretaria de Saúde anuncia seis casos de cura de coronavírus no Maranhão

De acordo com o secretário de Estado de Saúde do Maranhão, Carlos Lula seis pessoas que contraíram o COVID-19 (cornavírus) estão curadas e receberam alta, após cumprimento do período de quarentena.

O secretário também comentou sobre a demora na divulgação dos resultados dos exames de Covid-19 no Maranhão e garantiu que estão adquirindo novos equipamentos para que possa ser dada uma resposta mais rápida à população e para melhor controle da doença.

Na noite de ontem (31), a Secretaria de Estado da Saúde (SES) registrou mais 21 casos confirmados de COVID-19 em São Luís. Com isso sobe para 52 o número de casos confirmados por laboratório. A SES registrou mais 456 casos descartados.

Dos novos casos, um paciente encontra-se em estado grave em unidade hospitalar na rede privada. Os demais com recomendação de isolamento domiciliar.

Atualmente, seis casos confirmados receberam alta da quarentena.

Prefeitura de Governador Nunes Freire dá calote em músicos que se apresentaram no carnaval  

Profissionais do mundo da música, do município de Governador Nunes Freire, denunciam que a prefeitura está em débito com os mesmos, em relação a falta de pagamento dos shows e apresentações que eles fizeram durante o período carnavalesco.  

De acordo com os músicos, a prefeitura está aplicando um calote nos artistas locais, pois até hoje, a instituição não deu satisfação ou garantia de que eles irão receber o cachê pelas suas apresentações, conforme contrato entre as partes.   

Os músicos também relatam que todos os prazos para o pagamento das apresentações já venceram, e que estão enfrentando dificuldades financeiras por conta desse momento em que o mundo está atravessando por conta do COVID-19.  

De acordo com apuração do nosso blog, uma empresa do estado do Pará, foi beneficiada com um contrato de R$ 700 mil. Agora basta saber, se os valores não foram repassados aos profissionais locais que como sempre são desvalorizados pela prefeitura municipal administrada pelo prefeito Indalecio Wanderlei Vieira Fonseca