Patacoada: Prefeito de Paulo Ramos, Deusimar Serra, interdita praça e estabelecimento de idoso fica trancado dentro de obra

O prefeito de Paulo Ramos, Deusimar Serra Silva, interditou a praça do Mercado Público para realização de uma obra pela qual o recurso já estava disponibilizado desde o ano de 2019. Além do atraso e da desorganização, o mandatário ainda atrapalhou um comerciante informal identificado como “Rosaldo Sapateiro”, quando resolveu sem logística nenhuma cercar a praça com madeirite, deixando o estabelecimento do idoso trancado do lado de dentro da obra.

Seu “Rosaldo Sapateiro” trabalha num box, na Praça do Mercado Público, no centro da cidade, e sobrevive do trabalho para manter a família, executando pequenos serviços (sapatos, bolsas, selas, etc.). O transtorno levou o idoso a desabafar em um vídeo que caiu nas redes sociais, em que ele reclama da insensibilidade do Prefeito Deusimar Serra.

Com o ato desumano, seu Rosaldo está impedido até mesmo de tirar suas ferramentas e objetos do local. Ele também se impôs a falar mal do prefeito, mas se diz muito decepcionado com a situação.

Assista o vídeo!

Covid-19: MP recomenda que Câmara Municipal de Imperatriz anule contrato com empresa de testes rápidos

O Ministério Público Estadual recomendou ao presidente da Câmara Municipal de Imperatriz, José Carlos Soares Barros que anule a Dispensa de Licitação nº 006/2020, celebrado junto à empresa Centro Brasileiro de Análise Clinicas Cebrac Eirelli, destinado ao fornecimento de testes de COVID-19 para servidores da Câmara Municipal e seus familiares.

O contrato celebrado entre as partes resultou na contratação de 1.200 testes de COVID-19, destinados aos servidores e seus familiares, no valor de R$ 144.000,00.

Após o MP realizar uma análise minuciosa na licitação, foram identificadas irregularidades que motivaram a instauração do Inquérito Civil nº 004365-253/2020, conforme Relatório GEPATRI nº 026/2020;

O Ministério Público também alega que dentro do contrato não foram atendidos todos os critérios mínimos necessários à contratação, notadamente no que se refere à habilitação da empresa contratada, que, em alguns casos, apresentou documentos inválidos, como a Certidão Negativa de Dívida Ativa na Fazenda Estadual, válida até 16/05/2020.

De acordo com o relatório, também identificado sobrepreço da contratação, no valor de R$ 82.335,00 (oitenta e dois mil, trezentos e trinta e cinco reais), tomando como parâmetro o preço praticado em outras aquisições similares realizadas por municípios da região.

O Ministério Público também solicitou a devolução integral dos valores pagos ao Centro Brasileiro de Análise Clinicas Cebrac Eirelli.

Prefeitura de Peritoró recebe milhões para investir na saúde, mas paciente é transportado amarrado em caminhonete

Um verdadeiro show de descaso com a saúde pública foi registrado no município de Peritoró. De acordo com uma denúncia enviada para o nosso blog, a prefeitura do município está transportando pacientes em macas, amarrados por cordas.

Ainda de cordo com informações, o caso aconteceu quando um paciente do Povoado Santa Rita, precisou de uma ambulância, mas, foi atendido por uma D-20, sem nenhum suporte técnico para o transporte.

Outro fator que chamou atenção na denúncia, é a maneira com a qual o paciente recebeu os primeiros socorros, que segundo informações teria sido de forma truculenta, sem nenhum tipo de técnica o que deixou a família do doente ainda mais apavorada.

O que se viu em Peritoró foi um ato desumano e desrespeitoso de uma prefeitura que não respeita sua própria população. Vale ressaltar que a gestão recebeu milhões de reais para ser investido na saúde pública durante a pandemia, e o que vemos é uma administração que humilha cidadãos.

Bolsonaro diz que seu exame para covid-19 deu positivo

O presidente Jair Bolsonaro informou nesta terça-feira (7) que seu exame para detectar se está com covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, deu positivo.

Bolsonaro já havia informado a apoiadores que estava com febre e dores no corpo e, por isso, decidiu fazer o exame. Ele também disse que fez uma radiografia e que o pulmão “estava limpo”.

O presidente tem 65 anos e faz parte da faixa etária considerada por especialistas como grupo de risco.

ATENÇÃO PF! Prefeito de Maracaçumé compra testes rápidos do Covid-19 por R$ 200 cada

Com recursos do Fundo Municipal de Saúde de Maracaçumé, o prefeito Francisco Gonçalves de Sousa Lima, o Chico Velho, adquiriu 150 testes rápidos para Covid-19 pelo valor unitário de R$ 200,00. Encontrado por menos de R$ 150,00 no mercado, o teste rápido foi comprado pela gestão municipal de Maracaçumé com a JJ Silva & Santos LDTA, em contrato no valor total de R$ 30.000,00.

Um dos contratos já citados neste blog já foi, inclusive, denunciado na Polícia Federal. O gestor municipal pode estar envolvido em esquema de superfaturamento de produtos e materiais utilizados para o enfrentamento da Covid-19 no município, como Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e material de higiene destinados a proteção e prevenção ao novo coronavírus.

Através da Dispensa de Licitação nº 004/2020 foi firmado, de forma emergencial por conta da pandemia, um contrato de R$ 258.441,77 com a empresa G.R.B. Nunes Eireli. De acordo com a tabela de preço da empresa, o prefeito Chico Velho adquiriu produtos até 200% mais caros do que os preços praticados pelo mercado.

Assim como outros gestores municipais, o prefeito de Maracaçumé já está na mira da Polícia Federal, e pode ter que responder também pela aquisição dos testes superfaturados.

São Luís: moradores do bairro Santa Clara reclamam das péssimas condições das ruas

Os moradores do bairro Santa Clara, na capital maranhense, reclamam dos péssimos serviços prestados pela prefeitura de São Luís. Um local onde estão instaladas 128 empresas e milhares de moradias, não convive com o mínimo de asfalto adequado.

Dona Suely Costa mora há anos no local e relata que durante todo esse tempo a sua rua está nessas péssimas condições.

Ainda de acordo com a moradora, o prefeito esqueceu do local e afirma que o fato se dá por conta distanciamento do bairro em relação ao centro da cidade.

Já para o motorista Carlos Cristaldo, os buracos nas ruas quebram e prejudicam o desempenho do seu veículo, que, segundo ele, precisa no mínimo de duas revisões por mês. Seu Carlos também destacou que no período chuvoso a rua se torna em um tremendo pântano de tanto lamaçal.

Enquanto isso, a prefeitura de São Luís segue fazendo propagandas de asfaltamento na cidade, e a população segue contestando os fatos.

Prefeita de Bom Lugar do Maranhão promove festa em plena pandemia do novo coronavírus

Em Bom Lugar do Maranhão, a prefeita Luciene Costa, que deveria dar o bom exemplo, foi a primeira a organizar e promover um verdadeiro festival de aglomeração no município.

Na presença do seu marido, Rogério Costa, a gestora juntou apoiadores para comemorarem a conclusão da obra de uma estrada, entregue no último final de semana. Em um ato de total desrespeito com seus próprios cidadãos, a prefeita fez questão de esquecer que estamos enfrentando uma pandemia, e uma multidão se aglomerou para o evento.

De acordo com informações, no momento da festa a polícia foi acionada para conter a festa no local, mas o marido da prefeita Rogério Costa, ainda chegou a insultar os militares e tentou colocar a população contra a polícia, argumentando que a intervenção era de ordem política.

A comemoração desastrosa da prefeita de Bom Lugar do Maranhão acontece no momento em que a Secretaria de Saúde do Estado do Maranhão/SES, registra no seu último boletim o total 34 mortes por coronavírus nas últimas 24 horas.

Uso de máscaras não é obrigatório em presídios, diz veto do governo

O governo do presidente Jair Bolsonaro publicou nesta segunda-feira (6) no “Diário Oficial da União” uma retificação dos vetos à lei que obriga o uso de máscaras em locais públicos. No ajuste, o governo vetou também a obrigatoriedade da máscara em presídios.

Na sexta-feira (3) passada, Bolsonaro sancionou com vetos a lei que disciplina o uso da máscara. O texto foi aprovado pelo Congresso Nacional no contexto da pandemia do novo coronavírus, que infectou mais de 1,6 milhão de brasileiros e matou mais de 64 mil, conforme consórcio de veículos de imprensa.

Nesta segunda, o governo ampliou os trechos vetados por meio de uma a retificação registrando que a obrigação do uso de máscara em presídios e estabelecimentos de medida socioeducativas também está vetada.

Ao justificar os novos vetos, o governo argumentou que equipamentos de proteção individual já são regulamentos por normas de trabalho sobre o uso da máscara e a necessidade de cada setor ou atividade.

Prefeitura de Raposa compra produtos hospitalares superfaturados

Através de Dispensa de Licitação, a Prefeitura de Raposa adquiriu da Distribuidora de Medicamentos Saúde & Vida materiais e insumos hospitalares acima do preço de mercado. O contrato no valor total de 260.803,50 apresenta produtos mais caros do que os encontrados no mercado.

Um oxímetro, por exemplo, foi comprado pela prefeitura no valor unitário de R$ 850,00, sendo que pode ser encontrado no mercado por menos de R$ 200,00. Além do oxímetro, outros produtos superfaturados foram adquiridos pela gestão da prefeita Thalyta Medeiros de Oliveira, como os aventais impermeáveis de R$ 36,90 que compraram por mais de R$ 70,00.

Já os óculos de proteção foram comprados por um valor três vezes superior ao de mercado e ao invés de 100 sacos de lixo no valor de R$ 90,00 dava para comprar cerca de 300 se não fosse o superfaturamento do contrato.

Vale lembrar que a Polícia Federal e a Controladoria-Geral da União (CGU) deflagraram operações em várias cidades brasileiras com o objetivo de combater fraudes na área da saúde, especialmente no que se diz respeito à aquisição de produtos com Dispensa de Licitação para combate à Covid-19.

O Brasil que eu quero: secretária de Assistência Social de Peritoró, Rozimeire da Silva Marcolino, está recendo o auxílio emergencial

A secretária municipal de Assistência Social do município de Peritoró, Rozimeire da Silva Marcolino, está sendo acusada de estar sendo beneficiada de forma indevida pelo auxílio emergencial do governo federal.

A gestora que foi nomeada a secretária de Assistência Social no dia 1° de abril, recebeu no dia 4 de abril, seiscentos reais (600), referente a primeira parcela do auxílio emergencial do governo federal.