Monção: Claudia Silva entre a perda do cargo e a cadeia

Prefeita de Monção, Claudia Silva fazendo juramento durante a posse

São muitos os crimes praticados contra o erário público municipal de Monção, o blog iniciou uma série de denúncias que chamam atenção da população e dos órgãos corregedores.

  O município de Monção é administrado pela prefeita Claudia Silva, (PSDB), eleita nas eleições de 2016, com 49,24% dos votos válidos, a população elegeu Claudia Silva, na esperança de renovação e melhorias para o povo do município, nada disso aconteceu, em quase quatro anos de gestão, os escândalos do governo começaram a surgir faltando pouco pouco para as eleições de 2020.

  As empresas de aliados da prefeita Claudia Silva, inclusive de irmão de vereadores, estão dando suporte para que o dinheiro do municio seja escoado, empresas de fachada e irregulares são detentoras de inúmeros contratos em Monção.

Os documentos que apontam indícios de irregularidades e desvio de verbas públicos são estarrecedores, o Ministério Público já abriu diversas investigações contra a gestora, em uma delas o MP, investiga a compra de caixões realizada pela gestão no ano de 2017, em meio aos escândalos de agora e os que ainda serão revelados, Cláudia Silva pode sofrer um pedido de afastamento cautelar do cargo ou pior o Ministério Público pode pedir a privação de liberdade da gestora. É aguardar e conferir!

BOMBA!! Técnico em contabilidade preso pela PF não poderia assinar auditoria que fundamentou pedido de afastamento do Presidente da Câmara de São João do Caru

Técnico de contabilidade, Neylon Parga.

O Blog Werbeth Saraiva teve acesso a documentos que comprovam  que o técnico em contabilidade, Neylon Parga da Silva não poderia assinar auditoria que embasa pedido de afastamento do Presidente da Câmara de São João do Caru.

De acordo com informações, Neylon da Silva atua sem o registro profissional exigido pelo Conselho de Contabilidade. Ele já foi preso durante operação realizada pela Polícia Federal. Neylon ainda responde uma ação que tramita na 1ª Vara Federal da Sessão Judiciária do Maranhão.

Segundo especialistas ouvidos pelo Blog, a vedação sobre a atuação do profissional está descrito no Decreto Lei nº 9.295/46  e da Resolução nº 560/83 do Conselho Federal de Contabilidade que normalizam as profissões de contador e técnico em contabilidade.

A nossa fonte, que pediu sigilo, garantiu que o caso  já foi  encaminhado para Ministério Público Federal e o Conselho Regional de Contabilidade que irão apurar a conduta do técnico de contabilidade.

Ronildo Campos é investigado pelo Ministério Público por ato de prevaricação

Prefeito de Penalva Ronildo, Campos Silva.

O Ministério Público do Maranhão (MP-MA) propôs, em 31 de maio,abertura de Procedimento Investigatório Criminal  contra o gestor Municipal de Penalva,Ronildo Campos Silva.

Na manifestação da Promotoria de Justiça de Penalva, pede que o MP apure a prática do crime de prevaricação previsto no artigo 39 do Código Penal Brasileiro(crime cometido por funcionário público que usa o seu cargo e poder para satisfazer interesses pessoais, atrasando ou deixando de praticar as suas funções de ofício).

Consta  nos autos que o Ronildo Campos se omitiu quanto à execução da responsabilização de débito imposto pelo Tribunal de Contas do Estado do Maranhão(TCE-MA) de acordo com o processo 015281-500/2019.

A pena prevista para este tipo de crime  pode variar entre  três meses a  um ano de prisão.

Site divulga trocas de mensagens entre Dallagnol e Sérgio Moro sobre a Lava-Jato que resultou na prisão de Lula

Na Foto: Deltan Dallagnol, procurador e coordenador da Operação Lava Jato (José Cruz/Agência Brasil)

O site The Intercept Brasil divulgou neste  domingo(09),conversas  atribuídas ao procurador Deltan Dallagnol, do Ministério Público Federal (MPF),e ao ministro da Justiça Sérgio Moro mostrando os dois combinando atuações enquanto trabalharam na operação Lava-Jato.O site divulgou trocas de mensagens de Dallagnol e Moro que fazem referências ao processo em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi condenado no caso do tríplex de Guarujá. O material inclui mensagens privadas e de grupos da força-tarefa no aplicativo Telegram de 2015 a 2018.

Segundo o site, Moro sugeriu durante mensagem de texto, em 21 de fevereiro de 2016,alterações no calendário das operações da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, em decorrência de desdobramentos políticos. Dallagnol,de acordo com The Intercept, Brasil disse ao magistrado que haveria problemas logísticos para acatar a sugestão.

Em 31 de agosto de 2016, Moro teria questionado, de acordo com site, o ritmo das prisões e apreensões ao perguntar se a força-tarefa não estaria muito tempo sem promover operações. “Não é muito tempo sem operação?”, disse Moro segundo o site. A última fase da Lava-Jato, de acordo com o site, havia sido feita 29 dias antes — a operação Resta Um, com foco na empreiteira Queiroz Galvão. Pelo conteúdo das mensagens divulgadas, Dallagnol concorda com a observação sobre o tempo da demora.

Ministro da Justiça, Sérgio Moro.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NOTAS

Em nota, o ministro Sergio Moro lamentou “a falta de indicação de fonte de pessoa responsável pela invasão criminosa de celulares de procuradores. Assim como a postura do site que não entrou em contato antes da publicação, contrariando regra básica do jornalismo.”

Já a força-tarefa de Curitiba disse em  nota para rebater a reportagem, que “seus membros foram vítimas de ação criminosa de um hacker que praticou os mais graves ataques à atividade do Ministério Público, à vida privada e à segurança de seus integrantes”.

Também em nota, a defesa do ex-presidente Lula diz que a reportagem mostra que houve uma combinação na Lava Jato com o objetivo de processar, condenar e prender o ex-presidente. Afirma ainda que os processos estão corrompidos e que é urgente restabelecer a liberdade a Lula.

Com informaçoões: O Globo

Empresa sem alvará ganha quase R$ 1 milhão em contratos na Prefeitura Monção

Prefeita de Monção, Claudia Silva

A prefeita Claudia Silva, de Monção, parece não ter limites quando se fala em gastar dinheiro público, ao observar os contratos firmados entre a gestão e prestadoras de serviços é possível observar diversas irregularidades e que levantam suspeitas de superfaturamentos, direcionamentos e verdadeiros atentados contra a lei de licitações.

Para se ter uma ideia, apenas nos cinco primeiro meses de 2019, o município de Monção, firmou R$ 948.564,000 (Novecentos e quarenta e oito mil quinhentos e sessenta e quatro reais) em contratos para o mesmo objeto, que é manutenção de ar condicionados. Um prato cheio para o Ministério Público.

A empresa vencedora do consorcio de contratos para o mesmo objeto é a Climax refrigeração, de Santa Inês, do empresário Raimundo Nonato Ribeiro de Almeida. A Climax refrigeração, teria que ser declarada impedida de participar da licitação, pela comissão de licitação do município, por estar estabelecida de forma irregular no município de Santa Inês, após levantamento realizado pelo blog, foi confirmado que a empresa se encontra com alvará de funcionamento vencido desde o dia 31/12/2018.

Uma fonte bem posicionada do blog, revelou que varias investigações do MP e até da Policia Federal, estão em curso para apurar supostos desvios de recursos no município de Monção, um dos alvos das investigações seria o esposo da gestora, que de acordo com informações é quem realmente manda e desmanda no município, quem mantém contato direto com fornecedores e prestadores de serviço no município, mais isso é assunto para a próxima noticia.

Reforma do estádio de futebol em Pedro do Rosário vai custar quase R$ 500 mil

Prefeito Raimundo Antonio

A Prefeitura de Pedro do Rosário, administrado pelo prefeito Raimundo Antônio, firmou contrato milionário com a empresa  JB construções LTDA.

O objeto do contrato é o  serviço de revitalização e modernização
do estádio de futebol da sede em Pedro do Rosário.

De acordo com informações colhidas no portal de transparência, a empresa que tem sede no município de Pinheiro e tem como proprietário o senhor João Batista Gonçalves de Castro, deve faturar pelo serviço, exatos: R$ 488.833,68 (Quatrocentos e Oitenta e Oito Mil, Oitocentos e Trinta e Três Reais e Sessenta e Oito Centavos).

O contrato será levado ao Ministério Público!

O Novo cangaço instalado no Maranhão devido a falência do sistema de segurança

 Ronaldo Barros Sodré
No cinema os roubos a bancos têm sido romantizados, a ponto de muitas vezes criar paradoxos na postura dos telespectadores, que se envolvem nos enredos e passam a   torcer e apoiar as motivações e ações dos criminosos. No Brasil, não distante da ficção,essa modalidade de crime tem assumido dimensões cinematográficas e espalhando terror e transtornos em pequenas e médias cidades. Muito além dos prejuízos financeiros, esses eventos são marcados pelo uso de diversas formas de violência e pelos transtornos causados no seu entorno, que remetem a um Brasil do passado.
Entre meados do século XIX e início do século XX, as questões sociais e fundiárias do Nordeste do Brasil, levaram ao surgimento de um poder paralelo de enfrentamento através da prática de crimes diversos, principalmente sobre os mais ricos. O fenômeno de banditismo social conhecido como cangaço, instaurou a desordem na região e alimentou o imaginário popular. Na atualidade, outras práticas criminosas, dão significado a um “novo tipo de cangaço”, que se caracteriza pela atuação de grupos fortemente armados que praticam furtos ou roubos a numerários.
Diferente do bando de Lampião, o novo cangaço assume uma nova geografia que ultrapassa as entranhas do sertão nordestino e se faz presente em todo o país. O grau de especialização dos criminosos chega a contar com explosivos e armas utilizadas em guerras. Segundo Costa (2016) o tamanho dos grupos se assemelha aos do velho
cangaço, que contavam com números entre dez e quinze pessoas, intrinsecamente
motivadas por razões político pessoal, levando em consideração vinganças e a
subversão da ordem estatal.
Os cangaceiros contemporâneos não são liderados por um homem, mas por vários.
suas finalidades com os assaltos a instituições bancárias, públicas e privadas também
se distingue. A grande maioria das quadrilhas encontram nos arrombamentos e
explosões a caixas eletrônicos a oportunidade de capitalizar recursos para outras
atividades, tais como: agiotagem, lavagem de dinheiro, financiamento de campanhas
eleitorais, tráfico de drogas e armas.A atuação das quadrilhas é marcada pelo uso de violências e pela instalação de um
estado de pânico nas cidades. Geralmente a atuação dos criminosos é marcada pela
tomada do poder, a partir do bloqueio de vias, com a rendição das forças de segurança
públicas e privadas e com a utilização de reféns para dar facilidade nas fugas.
Dependendo das condições, em que pese principalmente o efetivo de segurança, os grupos realizam arrombamentos ou explosões dos caixas eletrônicos.

A frequência com que esses crimes ocorrem é relativamente recente, o que explica a
ausência e/ou organização sistemática das estatísticas sobre os crimes praticados na modalidade “novo cangaço” em todo país. O Sindicato dos Bancários do Maranhão,
desde 2011 realiza mensalmente o levantamento dessas informações no estado. Ainda
que a instituição agrupe explosões e arrombamentos, ela é a principal fonte de dados sobre esses crimes no estado do Maranhão.

 Santa Luzia do Paruá, Nova Olinda, Bacabal, Penalva, estão entre tantas e tantas cidades do Maranhão que foram aterrorizadas com o “novo cangaço” instalado no Maranhão.

ALÔ MP! Prefeitura de Palmeirândia contrata empresa recoprel por mais de R$ 1 milhão

Prefeito de Palmeirândia, Jorge Garcia

A Prefeitura de Palmeirândia, administrada pelo prefeito Jorge Garcia, contratou por cifras exorbitantes a empresa RECOPREL COMERCIAL LTDA – ME.

O objeto do contrato é aquisição de medicamentos e corretatos a fim de atender as necessidades da Secretaria Municipal de Saúde do município. A empresa pertence aos empresários José Raimundo Borges e Danylo Jose Borges da Costa, e tem sede na avenida Rui Barbosa, no bairro Madre Deus em São Luís.

De acordo com dados obtidos no Tribunal de Contas do Estado, TCE, a prefeitura de Palmeirândia, deve desembolsar com recursos do fundo municipal de saúde exatos; RS 1.097.886,06 (um milhão, noventa e sete mil, oitocentos e oitenta e seis reais e seis centavos) para o período da contratação.

O Ministério Público, deve ficar atento aos contatos firmados pela gestão de Jorge Garcia.

Farra das diárias na Câmara de Vereadores de Monção

O vereador João Amorim de Sousa, o Amorim, promoveu uma verdadeira farra de diárias quando era presidente da Câmara Municipal de Monção,distante 244,6 km de São Luís.

Segundo documento obtido com exclusividade, parlamentar municipal usava diárias que variavam de R$ 800  a R$1.600 para viajar para a capital maranhense.

O montante pago pela Câmara Municipal de Monção em 2018 para bancar  o deslocamento de Amorim para São Luís ficou em torno de R$14.400 mil.

Vale ressaltar que o vereador acusado de promover uma verdadeira “farra” com dinheiro público, foi aliado de primeira hora da prefeita Claudia Silva, (PSDB), outra que está na mira do Ministério Público Federal.

A lista completa com os valores das diárias está em abaixo:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Palmeirândia: esquema entre empresário e Jorge Garcia já ultrapassa R$ 12 milhões

Prefeito de Palmeirândia, Jorge Luís Santos Garcia.

Localizada na Rua Vinte e Quatro, 2, bairro Cohatrac IV, em São Luís, a El Dourado Comércio  e Serviços LTDA – EPP tem feito uma verdadeira fortuna com a Prefeitura de Palmeirândia.

A empresa é dona de grandes contratos firmados com a Administração Municipal de Palmeirândia desde 2015 que já somam um montante de R$ 12.053.441,30 milhões. Os certames visam implantação de obras de infraestrutura esportiva, fornecimento de material elétrico, construção do Portal e Urbanização da entrada  da cidade, manutenção da rede pública, realização  de limpeza, locação de máquinas, ampliação de Unidades Básicas de Saúde, além de recuperação das estradas vicinais e serviços de manutenção de poços nos povoados.

O Blog Werbeth Saraiva publicou recentemente uma  matéria ,onde divulgou  as empresárias Ylana Letícia de Lima Moura e Marli Mendes Moura – donas da El Dourados-, são apenas “laranjas” do senhor Marcos Antonio Mendes Moura, que assina e participa de licitações e contratos pela empresa. Veja aqui:Empresário usa laranjas em esquema com prefeitura de Palmeirândia

Só para 2019, a El Dourado Comércio e Serviços, irá faturar R$ 1.526.195,58 em 78 acordos contratuais  celebrados com a gestão  Municipal de Jorge Luís Santos Garcia.  Todos os dados foram colhidos do site do Tribunal de Contas do Estado  do Maranhão(TCE-MA).

Abaixo segue a lista dos acordados  entre as Prefeitura de Palmeirândia e a El Dourado Comércio e Serviços.