Ministro da Justiça de Bolsonaro no mesmo palanque de senador que comprou rede de postos de agiota

Apesar de tentar esconder o seu já conhecido lado bolsonarista, Weverton Rocha (PDT) tem feito de tudo para costurar e fortalecer cada vez mais alianças com nomes de peso do Governo Bolsonaro, a exemplo do que já fez com os próprios filhos do presidente, para tentar se aproximar do ‘chefe maior’. Agora, o ministro da Justiça Anderson Torres foi o alvo da vez do senador.

Destacamos o exposto porque, na manhã de ontem (27), a Assembleia Legislativa concedeu o título de cidadão maranhense ao ministro, por meio de uma indicação do deputado pedetista Glaubert Cutrim, o que não passou de uma evidente ideia do próprio senador que, inclusive, esteve na solenidade como forma de aproximação e de destacar sua presença.

Com isso, o ministro da Justiça, sendo até contraditório em relação ao cargo que ocupa, começa a fazer parte do palanque de um pré-candidato ao governo maranhense que, ao lado de Erlânio Xavier (PDT), comprou postos de combustível do agiota Pacovan, possivelmente com dinheiro público, segundo apontam investigações da Polícia Civil do Maranhão.

Assim como fez no caso da CPI da Educação, quando retirou assinatura da abertura daquela que poderia investigar o escândalo de corrupção supostamente cometida por pastores, o ex-ministro da Educação e outros agentes do governo bolsonarista, a atitude de Weverton de hoje pode ser interpretada como mais um aceno a Bolsonaro para, consequentemente, ter seu apoio no Maranhão, já que Lula (PT) deva dar preferência ao palanque de Brandão, que segue líder isolado na preferência do eleitor maranhense, segundo as últimas pesquisas divulgadas.

A receptividade do ministro, um dos mais próximos a Bolsonaro, em relação à honraria, como já esperada, foi positiva, o que amplia a abertura do senador e ajuda a melhorar ainda mais a sua imagem junto ao grupo do governo.

E assim, Weverton segue fazendo o seu jogo: nos bastidores, bolsonarista; na esfera pública e nas redes sociais, lulista preocupado com o povo. Entretanto, é evidente que a preocupação de Weverton Rocha, aqui, está longe disso. O seu projeto mira apenas dois alvos: dinheiro e poder – principalmente dinheiro.

Deixe uma resposta