Guimarães: Materiais de construção são reutilizados mesmo com contrato e orçamento de R$ 280 mil

A corrupção envolvendo recursos públicos pode estar circulando pelos corredores da Prefeitura de Guimarães. Isso porque, de acordo com uma denúncia recebida pelo Blog do Werbeth Saraiva, a gestão do prefeito Osvaldo Gomes (PDT) teria reaproveitado material de construção (janelas) de escola antiga (que estavam sendo substituídas por janelas de vidro) e instalado em outras unidades de ensino também em reforma. Além das janelas, outros materiais também foram reutilizados nas obras, segundo a denúncia.

Apesar de uma eventual preocupação com a questão ambiental, ocorre que as escolas em reforma, conforme consta no contrato n.º 2304.023/2021, firmado junto à empresa FELIPE F ARAUJO CONSTRUÇÕES EIRELI, sediada em Vitória do Mearim, possuíam, cada uma, contrato e orçamento disponível para a compra de materiais novos, que somavam um valor total de cerca de R$ 280 mil. Não consta no contrato ou no Portal da Transparência do município documentos dando aval para isso e qual seria a destinação do recurso não utilizado.

A atitude da Prefeitura de Guimarães aponta para um suposto esquema de corrupção envolvendo recursos federais da educação, oriundos do Fundeb. Isso porque, uma vez tendo o recurso e este, no caso, não teve o fim para qual foi especificado, o dinheiro público que deveria ser convertido em melhores estruturas para alunos da educação municipal pode ter ido para os cofres da corrupção.

Escolas não reformadas

Além do exposto, após a finalização do contrato, umas das escolas beneficiadas não recebeu nenhum serviço de engenharia. Naquele ponto, a empresa citada já havia recebido o valor integral do contrato por parte da Prefeitura, sem nenhuma sanção pela não entrega da obra.

Diante disso, após uma denúncia da vereadora Josana Martins (PT), a gestão Osvaldo Gomes (PDT) deu início às obras da unidade de ensino sem uma nova licitação, não sendo especificado a fonte dos recursos utilizados.

Deixe uma resposta