Palmeirândia: Mesmo com contrato de quase meio milhão de reais, alunos ficam sem merenda escolar

Na manhã de ontem (11), pais de alunos do povoado São Raimundo, no município de Palmeirândia, chefiado pelo prefeito Edilson da Alvorada (Republicanos), realizaram uma manifestação cobrando regularização no transporte escolar e da merenda, que não tem sido fornecida pela Secretaria de Educação municipal há algum tempo.

Ocorre que, desde o mês de março deste ano, a Prefeitura de Palmeirândia possui contrato firmado com a empresa HIPER MORIA EIRELI – ME, sediada em Pinheiro, para o fornecimento de gêneros alimentícios para as escolas do município, avaliado em quase R$ 500 mil e tem vigência até o fim deste ano, conforme consta no Portal da Transparência do Município.

A ausência no fornecimento da merenda escolar, que não ocorre há meses, segundo informações, pode apontar para supostos desvios de verba pública. Além disso, prejudica a alimentação de crianças que possuem déficit alimentar em casa ou que só tem a merenda da escola como única refeição do dia.

Atualmente, alunos da unidade de ensino do povoado São Raimundo só merendam quando professores resolvem fazer ‘vaquinha’ para comprar suco e biscoitos, por exemplo.

Apesar das consequências da manifestação, que houve agressão por parte de membros do governo e registro de boletim de ocorrência contra o gestor municipal, a Prefeitura não se pronunciou sobre o caso nos seus canais oficiais, a fim de esclarecer as deficiências denunciadas pela população e muito menos sobre a regularização do fornecimento da merenda escolar e do transporte dos alunos.

Deixe uma resposta