MP apura conflitos agrários que já ocasionaram vários homicídios em Junco do Maranhão

Um conflito agrário que envolve os moradores do Povoado Gleba Campina e pretenso proprietário, na zona rural do Município de Junco do Maranhão, é alvo de uma investigação do Ministério Público Estadual que reconheceu fortes indícios de fraudes no destacamento da área do patrimônio público para o privado, na área da Fazenda Santa Érica I, II e III.

De acordo com informações, a instituição tem conhecimento de diversos homicídios ocorridos na região e que apontam que os crimes são ocasionados por conflito agrário, grilagem e demarcação de terras, como as mortes de Reginaldo Alves de Barros e Maria da Luz Benício de Sousa, que voltam a ser investigadas.

Uma das primeiras medidas tomadas pelo órgão é a solicitação do ofício à Tabeliã da Serventia Única de Maracaçumé requerendo informações cartorárias das Glebas da Fazenda Santa Érica I, II e III. Para tentar solucionar o caso, o MP considera necessária a coleta de informações sobre a cadeia dominial completa e georreferenciamento da área.

Deixe uma resposta