Alô, PF: secretários que depenaram os cofres da Prefeitura de Coelho Neto estão abrindo fuga

É de conhecimento público o maior caso de corrupção no município de Coelho Neto. De acordo com informações, do mês de abril a junho de 2021, o prefeito Bruno Silva estourou mais de R$ 3 milhões com pagamentos de salários atrasados e gratificações para funcionários fantasmas, lagartas e compra de votos políticos.

Com o escândalo, o prefeito exonerou nove secretários municipais e alguns funcionários abandonaram o barco e fugiram para outros municípios. Como foi o caso da secretária de Educação, Rosário Leal, que havia selado um contrato milionário no valor de R$ 1.050.720,000000 com a M. F. Distribuidora e Livraria Ltda, para aquisição de Livros Didáticos.

O contrato é suspeito de superfaturamento, levando em consideração aos altos valores celebrados entre as partes, a fuga da secretária para Timon e o escândalo das lagartas do FUNDEB.

A Polícia Federal e os órgãos fiscalizadores precisam agir urgentemente para que os responsáveis pelo esvaziamento dos cofres públicos sejam punidos e o prefeito Bruno Silva responda pela má gestão e os casos de corrupção no município.

Deixe uma resposta