“O tiro foi pra assustar”, diz mulher de líder comunitário assassinado em Imperatriz

Essa é a versão utilizada pela mulher do líder comunitário Wanderley Rodrigues, de 53 anos, que foi assassinado dentro da sua residência com um tiro a queima roupa no município de Imperatriz.

Após investigações, o autor do crime foi identificado e se trata de um policial militar do estado do Pará, amigo do filho da viúva de Wanderley. Após a prisão do PM, a mulher do líder comunitário Maria Rosineide, resolveu fazer uma revelação.

Em um vídeo publicado nas redes sociais, a viúva relatou que era vítima de violência doméstica, constantes agressões, pressão psicológica e ameaça de morte.

Ainda de acordo com a viúva, foi um dos filhos dela que pediu ao amigo policial para dar um susto em Wanderley e o PM disparou um tiro contra o portão da residência. O líder comunitário se encontrava atrás do local e acabou sendo atingido, morrendo minutos depois.

Vídeo:

 

 

Deixe uma resposta