Para família de jovem morta em Coroatá, cabo da PM é o principal suspeito de ter cometido o crime

Em Coroatá, uma jovem de 18 anos, identificada como Carolina, foi morta dentro da sua residência e a família supõe que o principal suspeito do crime seja seu companheiro, o Cabo da PM Gilgleidson Pereira Neto, que nega as acusações.

De acordo com informações, em depoimento na delegacia o Cabo afirmou que momentos antes do crime tinha recebido uma ligação de Carol que estava sozinha em casa, onde ela falou que homens estavam tentando invadir a propriedade onde o casal morava.

O Cabo contou ainda que ao chegar em sua residência, ele teria sido surpreendido por dois criminosos que efetuaram disparos de armas de fogo. O PM revidou e, durante a troca de tiros, Carol acabou sendo baleada um tiro na região do tórax e não resistiu.

A família da vítima, no entanto, não acredita na versão contada pelo policial, que teria histórico de violência contra sua companheira. Eles suspeitam que o próprio policial possa estar envolvido no crime.

A polícia colheu o revólver do PM e as cápsulas no local para serem periciadas.

Deixe uma resposta